Nothingandall

Just another WordPress.com weblog

Liga Sagres: Trofense empata na Luz Maio 9, 2009

Filed under: Benfica,Liga Sagres,Trofense — looking4good @ 7:57 pm
Benfica logoTrofense logoBenfica

2-2

Trofense

Quando acaba este suplício?

Terceiro contra o último em casa. Contas a ajustar da primeira volta. Era de esperar vontade em resolver o jogo cedo, mas a primeira oportunidade surgiu já com mais de vinte minutos jogados quando de um pontapé de canto Luisão rematou de cabeça ao poste. Já antes o Trofense ameaçara e de livre marcado por Hugo Leal com um cruzamento para a área Valdomiro de cabeça deu avanço ao Trofense.

O Benfica reagiu aumentou de velocidade, os buracos na defesa trofense aumentavam e em cinco minutos o Benfica deu a volta com dois golos de Cardozo, em jogadas iniciadas pelo lado direito do ataque encarnado. Antes o mesmo Cardozo já havia desperdiçado uma oportunidadee quando quiz concluir em soupless e um defesa cortou a bola que se encaminhava para a baliza.

Podia-se pensar que o Trofense desanimaria e que o Benfica tinha tudo para ganhar avolumando o resultado. Normalmente assim seria, mas com este Benfica não é assim. Na segunda parte os encarnados não criaram grandes ocasiões de perigo e o Trofense nas bolas paradas mesmo na zona intermediária do campo era pôr Hugo Leal a cruzar para o interior da área. E assim surgiu o segundo golo visitante a empatar o encontro ainda com mais de meia hora por jogar.

A verdade é que o Benfica sentiu o golo, o público já assobiava e as substituições de Quique só desorganizaram. Sem Carlos Martins em campo e Aimar em campo mas sem se ver, a não ser em protestos contra o árbitro que lhe valeram o cartão amarelo e o afastamento do jogo de Braga, só numa conclusão de Mantorras com defesa de Marco o Benfica chegou à baliza com perigo. Depois a desorganização é tanta que já em descontos num pontapé de canto favorável se vê Cardozo a ir marcar o canto em vez de se postar no interior da área adversária.

Mau de mais este Benfica «espanhol» que pode terminar a época ainda em quinto lugar!

Arbitragem fraca de João Ferreira com equívocos a mais mas em lances que não influenciaram o resultado.

Ficha do jogo:
Estádio do Sport Lisboa e Benfica, em Lisboa
Árbitro: João Ferreira (AF Setúbal)

Benfica – Quim; Maxi Pereira, Luisão, Sidnei e David Luiz; Carlos Martins (Yebda, 74 m) e Ruben Amorim; Urreta (Balboa, 65 m), Aimar e Di Maria (Mantorras, 79 m); Cardozo.

Suplentes: Moreira, Jorge Ribeiro, Balboa, Katsouranis, Binya, Yebda e Mantorras.

Trofense – Marco; Varela, Miguel Ângelo, Valdomiro e Zamorano; Paulo Roberto (Moustapha, 81 m), Milton do Ó, Hugo Leal e Pinheiro (Delfim, 67 m); Charles Chad (Edu Souza, 65 m) e Hélder Barbosa.

Suplentes: Paulo Lopes, Edu, Delfim, Lipatin, Moustapha, Dagil e Edu Souza.

Marcador: 0-1 por Valdomiro (30 m); 1-1 por Cardozo (35 m); 2-1 por Cardozo (38 m); 2-2 por Paulo Roberto (58 m).

Disciplina: cartão amarelo a Luisão (70 m) e Aimar (74 m).

Anúncios
 

Liga Sagres: O último ganhou ao primeiro (que já não é) Janeiro 4, 2009

Filed under: Benfica,Futebol,Liga Sagres,Trofense — looking4good @ 10:38 pm
Benfica logoTrofense logoTrofense

2-0

Benfica

Surpresa é este Benfica anunciar-se como candidato ao título….

Os benfiquistas viram o Sporting ganhar em Setúbal (que empatara na Luz), viram o Porto virar o resultado e ganhar na Madeira ao Nacional (que empatara na Luz) e viram o Benfica perder na Trofa com o último classificado. Mais do que perder ficaram algumas conclusões inequívocas: este Benfica não joga nada, não tem esquema táctico, não tem organização, tem jogadores a ganhar rios de dinheiro bem dispensáveis (o que fazem Aimar e Carlos Martins?) e pior do que tudo não tem comando!

É verdade uma equipa que em seis meses não consegue ter mínima coesão, organização de jogo em que o treinador vê a equipa a não marcar golos em três jogos seguidos e deixa o melhor marcador no banco para jogar Aimar – aos 19′ com todo o espaço e tempo do mundo não bateu Paulo Lopes, falhando uma oportunidade de golo clamorosa após tabela com Suazo -, não substitui Binya amarelado (até ser expulso – na Madeira Raúl Meireles com um amarelo mostrado e outro amnistiado foi substituído imediatamente por Jesualdo Ferreira), que consegue estar hilariante de risos na conferência de imprensa, que é um acto profissional, enquanto a equipa nada joga…

O Trofense que aos 2′ já podia estar a perder – Paulo Lopes safou com os pés um cabeceamento de Suazo – foi ganhando confiança e nesse aspecto nada melhor do que este Benfica para dar confiança aos adversários. Hélder Barbosa e Hugo Leal com boa técnica no meio-campo, e Binya a ser o único do meio-campo no Benfica a defender (Pablo Aimar e Carlos Martins pouco se viram no jogo), originaram alguns lances de ataque e boa posse de bola no meio campo. Apesar dos cantos ganhos o Benfica só teve duas oportunidades (aos 2′ e 19′) com Paulo Lopes em ambas a defender com os pés e aos 45′ num lançamento de contra-ataque Reguila aproveitou da melhor maneira o adiantamento da equipa do Benfica para se isolar e à entrada da área rematar para Moreira deixar entrar a bola pelo meio dos braços num golo que não se consente ao guarda-redes de uma equipa com aspirações.

Esperava-se na segunda parte melhor atitude dos visitantes mas tal não aconteceu. Binya viu um amarelo num dos muitos agarrões a Hélder Barbosa, logo a seguir fez dois passes transviados, é nítida a conveniência para não dizer necessidade em sunstituí-lo, mas só Quique não vê isso. Aos 63′ mete o braço à bola e vê o segundo amarelo. Mais uma dose de confiança para os homens da Trofa. O Benfica nunca chegou a dar ar de que podia empatar com um futebol desconexo, lento e a optar por lançamentos directos para área trofense. Perto do fim foi a machadada final por Hélder Barbosa, ele que minutos antes tinha concluído mal aproveitou desta vez o passe em «bandeja de prata» que lhe proporcionou Pinheiro, entrado meia dúzia de segundos antes, na sequência de um lançamento de linha lateral.

Na Liga Sagres o Benfica ainda não havia perdido, mas este resultado não surpreende ninguém. O Benfica é um conjunto de jogadores ao deus dará… e por isso apanhou cinco do Olimpyacos, perdeu em casa frente ao Fehnerbace e ao Metalist, foi eliminado pelo Leixões, não ganhou ao Rio Ave, Setúbal e Nacional, etc, etc.

Já sabemos que os árbitros não gostam do Benfica… mas não justifica tudo.

Ficha de jogo:

Estádio do Trofense, na Trofa

Árbitro: Jorge Sousa (AF Porto)

Trofense: Paulo Lopes; Paulo Roberto, Miguel Ângelo, Valdomiro e Tiago Pinto; Milton do Ó, Mércio, Delfim (Areias, 70 m) e Hugo Leal (Pinheiro, 81 m); Reguila e Hélder Barbosa (David Caiado, 84 m).

Benfica: Moreira; Maxi Pereira, Luisão, Sidnei e Jorge Ribeiro; Binya, Ruben Amorim (Balboa, 70 m), Carlos Martins (Yebda, 68 m) e Di Maria (Cardozo, 46 m); Pablo Aimar e David Suazo.

Golos: Reguila (44 m) e Hélder Barbosa (82 m).

Disciplina: Cartão amarelo para Miguel Ângelo (43 m), Reguila (44 m), Binya (48 m), Suazo (55 m), Milton do Ó (68 m), Jorge Ribeiro (69 m), Maxi Pereira (77 m). Cartão vermelho por acumulação para Binya (63 m).