Nothingandall

Just another WordPress.com weblog

UEFA Cup – Matchday 4 Novembro 30, 2005

Filed under: Uncategorized — looking4good @ 10:39 pm
Matchday 4 – 30 November 2005

Image Hosted by ImageShack.us Lokomotiv Moskwa have won the biggest score and they are qualified to knock-out phase (round of 32 scheduled 15 & 23 February). In the Group D the three teams qualified are already decided : Middlesbrough, AZ and Litex. Steaua (Group C) are also qualified independently of the last round result.

Group A
Slavia 0-2 Monaco
CSKA Sofia 2-0 Viking

Standing
Monaco 3 matches (m) 6 points (p)
Hamburg 3 m 6 p
Slavia 3 m 4 p
Viking 4 m 4 p
CSKA Sofia 3 m 3 p

Group B
Brøndby 1-1 Espanyol
Petach-Tikva 0-4 Lokomotiv Moskva

1. Lokomotiv Moskva 4 m 7 p (Qualified)
2. Palermo 4 m 6 p
3. Espanyol 3 m 5 p
4. Brondby 3 m 4 p
5. M. Petach-Tikva 3 m 0 p

Group C
Sampdoria 0-0 Hertha
Steaua 3-0 Halmstad

1 Steaua 3 matches played (m) 7 points (p) (Qualified)
2 Sampdoria 3 m 5 p
3 Hertha 3 m 5 p
4 Lens 3 m 4 p
5 Halmstad 4 m 0 p

Group D
Grasshoppers 2-3 Dnipro
Litex 0-2 AZ

1. Middlesbrough 3 matches played 7 points (Qualified)
2. AZ 3 m 7 p (Qualified)
3. Litex 3 m 6 p (Qualified)
5. Dniepr 4 m 3 p
4. Grasshopers 3 m 0 p

Tomorrow 01 December : Local time

Group E
Crvena Zvezda 20:45 Roma
Basel 20:45 Tromsø

Group F
Dinamo Bucuresti 19:30 CSKA Moskva
Levski 19:30 Marseille

Group G
Rennes 20:45 Shakhtar
Rapid 21:45 PAOK

Group H
Sevilla 20:45 Guimarães
Beşiktaş 21:45 Zenit

Anúncios
 

O dia em que nasci … – Assis Pacheco

Filed under: Fernando Assis Pacheco,poesia — looking4good @ 2:01 pm
Image Hosted by ImageShack.us
Guardando o Rebanho – pintura de Silva Porto

O dia em que nasci meu pai cantava
versos que inventam os pastores do monte
com palavras de lã fiada fina
cordeiro lírio neve tojo fonte

esta é uma velha história de família
para dizer como ele e eu chegámos
à raiz mais profunda do afecto
da qual nunca jamais nos separámos

nem Deus feito menino teve um pai
que o abraçasse e lhe cantasse assim
desde a primeira hora até ao fim

fui vê-lo ao hospital quando morria
olhos parados num sorriso leve
tojo cordeiro lírio fonte neve

Fernando Assis Pacheco (n. Coimbra, 1 Fev 1937; m. Lisboa, 30 Nov. 1995)
in A Circulatura do Quadrado – Alguns dos Mais Belos Sonetos de Poetas cuja Mátria é a Língua Portuguesa, Edição UNICEPE, 2004.

 

O dia em que nasci … – Assis Pacheco

Filed under: Uncategorized — looking4good @ 2:01 pm
Image Hosted by ImageShack.us
Guardando o Rebanho – pintura de Silva Porto

O dia em que nasci meu pai cantava
versos que inventam os pastores do monte
com palavras de lã fiada fina
cordeiro lírio neve tojo fonte

esta é uma velha história de família
para dizer como ele e eu chegámos
à raiz mais profunda do afecto
da qual nunca jamais nos separámos

nem Deus feito menino teve um pai
que o abraçasse e lhe cantasse assim
desde a primeira hora até ao fim

fui vê-lo ao hospital quando morria
olhos parados num sorriso leve
tojo cordeiro lírio fonte neve

Fernando Assis Pacheco (n. Coimbra, 2 Fev 1937 m. Lisboa, 30 Nov. 1995)
in A Circulatura do Quadrado – Alguns dos Mais Belos Sonetos de Poetas cuja Mátria é a Língua Portuguesa, Edição UNICEPE, 2004.

 

As putas da Avenida – Assis Pacheco

Filed under: Uncategorized — looking4good @ 1:51 pm

Eu vi gelar as putas da Avenida
ao griso de Janeiro e tive pena
do que elas chamam em jargão a vida
com um requebro triste de açucena

vi-as às duas e às três falando
como se fala antes de entrar em cena
o gesto já compondo à voz de mando
do director fatal que lhes ordena

essa pose de flor recém-cortada
que para as mais batidas não é nada
senão fingirem lírios da Lorena

mas a todas o griso ia aturdindo
e eu que do trabalho vinha vindo
calçando as luvas senti pena

Fernando Assis Pacheco (n. Coimbra, 2 Fev 1937 m. Lisboa, 30 Nov. 1995)
in Rosa do Mundo 2001 Poemas para o Futuro, Porto 2001, Assírio & Alvim

 

Fernando Pessoa morreu há 70 anos.

Filed under: Uncategorized — looking4good @ 12:18 pm
 

Eu queria ter o tempo … Alberto Caeiro

Filed under: Uncategorized — looking4good @ 10:34 am

Eu queria ter o tempo e o sossego suficientes
Para não pensar em coisa nenhuma,
Para nem me sentir viver,
Para só saber de mim nos olhos dos outros, reflectido.

Alberto Caeiro in
Poemas Completos de Alberto Caeiro, Teresa Sobral Cunha
Editorial Presença, 1994

Alberto Caeiro é um dos heterónimos de
Fernando Pessoa (n. em Lisboa, em 13 de Junho de 1988, m. Lisboa em 30 Nov. 1935)

Deste grande poeta ver neste blog também:
O guardador de rebanhos – X
O guardador de rebanhos – XXI
O guardador de rebanhos – XXVIII
O Tejo é mais belo …
Odes – Ricardo Reis
Cruz na porta da tabacaria
Fragmentos do Livro do desassossego – Bernardo Soares
Tabacaria
Afinal a melhor maneira de viajar é sentir…
Todas as cartas de amor são…
Se te queres matar …
Dai-me rosas e lírios…
Sou vil, sou reles como toda a gente
Não sei se é amor que tens
O que há em mim é sobretudo cansaço
Mar português
Ode marcial – h
Lycanthropy

 

Liberdade – Fernando Pessoa

Filed under: Uncategorized — looking4good @ 9:22 am

Ai que prazer
não cumprir um dever.
Ter um livro para ler
e não o fazer!
Ler é maçada,
estudar é nada.
O sol doira sem literatura.

O rio corre bem ou mal,
sem edição original.
E a brisa, essa, de tão naturalmente matinal
como tem tempo, não tem pressa…

Livros são papéis pintados com tinta.
Estudar é uma coisa em que está indistinta
A distinção entre nada e coisa nenhuma.

Quanto melhor é quando há bruma.
Esperar por D. Sebastião,
Quer venha ou não!

Grande é a poesia, a bondade e as danças…
Mas o melhor do mundo são as crianças,
Flores, música, o luar, e o sol que peca
Só quando, em vez de criar, seca.

E mais do que isto
É Jesus Cristo,
Que não sabia nada de finanças,
Nem consta que tivesse biblioteca…

Fernando Pessoa (n. Lisboa, 13 Jun 1888, m. Lisboa, 30 Nov 1935)