Nothingandall

Just another WordPress.com weblog

Se este poema fosse… – Noémia de Sousa Setembro 20, 2007

Filed under: Noémia de Sousa,poesia — looking4good @ 5:57 am

Child dreaming

Se este poema fosse mais do que simples
Sonho de criança…
Se nada lhe faltasse para ser total realidade
Em vez de apenas esperança…
Se este poema fosse a imagem crua da verdade,
Eu nada mais pediria à vida
E passaria a cantar a beleza garrida
Das aves e das flores
E esqueceria os homens e as suas dores…
– se este poema fosse mais do que mero
sonho de criança.

Ai meu sonho…
Ai minha terra moçambicana erguida –
Com uma nova consciência, digna e amadurecida…
A minha terra cortada em sua extensão
Por todas essas realizações que a civilização
Inventa para tomar a vida humana mais feliz…
Luz e progresso para cada povoação perdida
No sertão imenso, escolas para crianças,
Para cada doente, e assistência da ciência consoladora,
Para cada braço de homem, uma lida
Honrada e compensadora,
Para cada dúvida uma explicação,
E para os homens, Paz e Fraternidade!

Ah, se este poema fosse realidade
E não apenas esperança!
Ah, se o fosse o destino da nova humanidade
A cantar então a beleza das flores,
Das aves, do céu, de tudo que é futilidade –
Porque a dor humana então não existiria,
Nem, a infelicidade, nem a insatisfação,
Na nova vida plena de harmonia!

L. Marques, 29/5/1949 (Vera Micaia)

Vera Micaia ou Noémia de Sousa [Carolina Noémia Abranches de Sousa] (n. na Catembe, Lourenço Marques (actual Maputo), Moçambique a 20 Set 1926; m. em Cascais, em Dez 2002)

Anúncios
 

Se este poema fosse… – Noémia de Sousa

Filed under: Noémia de Sousa,poesia — looking4good @ 5:57 am

Child dreaming

Se este poema fosse mais do que simples
Sonho de criança…
Se nada lhe faltasse para ser total realidade
Em vez de apenas esperança…
Se este poema fosse a imagem crua da verdade,
Eu nada mais pediria à vida
E passaria a cantar a beleza garrida
Das aves e das flores
E esqueceria os homens e as suas dores…
– se este poema fosse mais do que mero
sonho de criança.

Ai meu sonho…
Ai minha terra moçambicana erguida –
Com uma nova consciência, digna e amadurecida…
A minha terra cortada em sua extensão
Por todas essas realizações que a civilização
Inventa para tomar a vida humana mais feliz…
Luz e progresso para cada povoação perdida
No sertão imenso, escolas para crianças,
Para cada doente, e assistência da ciência consoladora,
Para cada braço de homem, uma lida
Honrada e compensadora,
Para cada dúvida uma explicação,
E para os homens, Paz e Fraternidade!

Ah, se este poema fosse realidade
E não apenas esperança!
Ah, se o fosse o destino da nova humanidade
A cantar então a beleza das flores,
Das aves, do céu, de tudo que é futilidade –
Porque a dor humana então não existiria,
Nem, a infelicidade, nem a insatisfação,
Na nova vida plena de harmonia!

L. Marques, 29/5/1949 (Vera Micaia)

Vera Micaia ou Noémia de Sousa [Carolina Noémia Abranches de Sousa] (n. na Catembe, Lourenço Marques (actual Maputo), Moçambique a 20 Set 1926; m. em Cascais, em Dez 2002)

 

Se este poema fosse… – Noémia de Sousa

Filed under: Noémia de Sousa,poesia — looking4good @ 5:57 am

Child dreaming

Se este poema fosse mais do que simples
Sonho de criança…
Se nada lhe faltasse para ser total realidade
Em vez de apenas esperança…
Se este poema fosse a imagem crua da verdade,
Eu nada mais pediria à vida
E passaria a cantar a beleza garrida
Das aves e das flores
E esqueceria os homens e as suas dores…
– se este poema fosse mais do que mero
sonho de criança.

Ai meu sonho…
Ai minha terra moçambicana erguida –
Com uma nova consciência, digna e amadurecida…
A minha terra cortada em sua extensão
Por todas essas realizações que a civilização
Inventa para tomar a vida humana mais feliz…
Luz e progresso para cada povoação perdida
No sertão imenso, escolas para crianças,
Para cada doente, e assistência da ciência consoladora,
Para cada braço de homem, uma lida
Honrada e compensadora,
Para cada dúvida uma explicação,
E para os homens, Paz e Fraternidade!

Ah, se este poema fosse realidade
E não apenas esperança!
Ah, se o fosse o destino da nova humanidade
A cantar então a beleza das flores,
Das aves, do céu, de tudo que é futilidade –
Porque a dor humana então não existiria,
Nem, a infelicidade, nem a insatisfação,
Na nova vida plena de harmonia!

L. Marques, 29/5/1949 (Vera Micaia)

Vera Micaia ou Noémia de Sousa [Carolina Noémia Abranches de Sousa] (n. na Catembe, Lourenço Marques (actual Maputo), Moçambique a 20 Set 1926; m. em Cascais, em Dez 2002)