Nothingandall

Just another WordPress.com weblog

Benfica perde porque falta marcadores de golos… Novembro 6, 2007

Filed under: Benfica,Celtic,football,soccer,Uefa Champions League 2007/2008 — looking4good @ 10:35 pm

Celtic

1 – 0

Benfica

A diferença é que uns marcam e … outros não !

O Benfica jogava aqui um jogo decisivo para as suas aspirações europeias, pois uma derrota, praticamente colocaria a equipa portuguesa fora da Champions. A realidade é que foi esse o resultado e agora o Benfica só com duas vitórias (em casa frente ao Milan e fora na Ucrânia frente ao Shaktar e ainda assim é preciso matemática…) poderá ainda chegar à fase seguinte.

A verdade é que no primeiro quarto de hora o Benfica jogou como há muito tempo não se via mas desperdiçou três soberanas oportunidades. Comecemos já por aí. Um avançado que custou aquele dinheiro não pode falhar tantas oportunidades, ou se quisermos, um jogador que falha tantas oportunidades não pode custar tanto dinheiro: falamos de Cardozo é claro! Na segunda parte voltou a falhar de cabeça um golo fácil, aliás, na única oportunidade encarnada no segundo período.

Depois desse primeiro quarto de hora o Celtic reagiu com um futebol mais directo e com remates de fora da área obrigando Quim a boas intervenções. As estatísticas de 1-5 em remates passou para 5-5. No último quarto de hora o jogo foi equilibrado, mas uma transição rápida com deslocação do jogo da direita para a meia-esquerda apanhou o meio campo defensivo encarnado a dar muito espaço e o remate de McGeady de fora da área desviado ainda pelo corpo de Luisão levou a bola ao fundo da baliza do Benfica. Ao intervalo as estatísticas eram de grande equilibrio nos remates na posse de bola (50%-50%) e nos cantos o Benfica até ganhava 5-3, mas no resultado (isso é que conta) o Celtic vencia por 1-0.

Na segunda parte esperava-se alguma mudança até porque o Benfica a perder e a jogar em 4-5-1 e com uma asa coxa – Maxi Pereira pouco ataca – teria que ter alguma iniciativa. Camacho demorou só aos 60′ fez entrar Di Maria para o lugar de Maxi Pereira mas pouco mudou em termos tacticos. Cardozo continuava sozinho na frente com a agravante de que o Benfica começou a jogar no estilo que o Celtic preferia isto é bolas para a frente por alto. Cardozo após um centro da esquerda de Rodriguez falhou o empate no lance que falamos; a seguir um canto com o cabeceamento de Katsouranis foi desviado em cima da linha, mas depois não vimos a reacção de quem perde e quer fazer melhor resultado…

As substituições de Cardozo e de Rui Costa por Nuno Gomes e Bergessio foi um tiro no pé; O Benfica no último quarto de hora nunca apoquentou a baliza de Moruc e foi Quim que teve de intervir para evitar o 2-0. Mais uma referencia apenas para Bynia expulso numa entrada violenta.

A arbitragem do sueco Hanson acabou por estar num plano razoável mas na primeira parte deixou passar duas faltas sobre Rui Costa e tendo mostrado amarelo a Maxi Pereira por travar um contra-ataque ainda no meio campo defensivo dos escoceses não mostrou a um jogador do Celtic numa falta bem mais perigosa sobre Christian Rodriguez.

Ficha de jogo:
Central Park, Glasgow
Árbitro: Martin Hannson (Suécia)

Celtic: Boruc, Naylor, Caldwell, Brown (Sno 88 m), Vennegoor (Donati 67 m), Hartley, Jarosik (Killen 67 m), McDonald, Kennedy, McManus e McGeady.

Benfica: Quim, Luís Filipe, Edcarlos, Luisão, Leó, Binya, Katsouranis, Maxi Pereira (Di Maria 60 m) Rodríguez, Rui Costa (Bergessio 76 m) e Cardozo (Nuno Gomes 76 m).

Suplentes: Butt, Zoro, Nuno Assis, Adu.

Golos: McGeady (45 m).

Disciplina: Cartão amarelo para Maxi Pereira (41 m). Cartão vermelho directo para Binya (84 m).

Anúncios
 

Benfica perde porque falta marcadores de golos…

Filed under: Benfica,Celtic,football,soccer,Uefa Champions League 2007/2008 — looking4good @ 10:35 pm

Celtic

1 – 0

Benfica

A diferença é que uns marcam e … outros não !

O Benfica jogava aqui um jogo decisivo para as suas aspirações europeias, pois uma derrota, praticamente colocaria a equipa portuguesa fora da Champions. A realidade é que foi esse o resultado e agora o Benfica só com duas vitórias (em casa frente ao Milan e fora na Ucrânia frente ao Shaktar e ainda assim é preciso matemática…) poderá ainda chegar à fase seguinte.

A verdade é que no primeiro quarto de hora o Benfica jogou como há muito tempo não se via mas desperdiçou três soberanas oportunidades. Comecemos já por aí. Um avançado que custou aquele dinheiro não pode falhar tantas oportunidades, ou se quisermos, um jogador que falha tantas oportunidades não pode custar tanto dinheiro: falamos de Cardozo é claro! Na segunda parte voltou a falhar de cabeça um golo fácil, aliás, na única oportunidade encarnada no segundo período.

Depois desse primeiro quarto de hora o Celtic reagiu com um futebol mais directo e com remates de fora da área obrigando Quim a boas intervenções. As estatísticas de 1-5 em remates passou para 5-5. No último quarto de hora o jogo foi equilibrado, mas uma transição rápida com deslocação do jogo da direita para a meia-esquerda apanhou o meio campo defensivo encarnado a dar muito espaço e o remate de McGeady de fora da área desviado ainda pelo corpo de Luisão levou a bola ao fundo da baliza do Benfica. Ao intervalo as estatísticas eram de grande equilibrio nos remates na posse de bola (50%-50%) e nos cantos o Benfica até ganhava 5-3, mas no resultado (isso é que conta) o Celtic vencia por 1-0.

Na segunda parte esperava-se alguma mudança até porque o Benfica a perder e a jogar em 4-5-1 e com uma asa coxa – Maxi Pereira pouco ataca – teria que ter alguma iniciativa. Camacho demorou só aos 60′ fez entrar Di Maria para o lugar de Maxi Pereira mas pouco mudou em termos tacticos. Cardozo continuava sozinho na frente com a agravante de que o Benfica começou a jogar no estilo que o Celtic preferia isto é bolas para a frente por alto. Cardozo após um centro da esquerda de Rodriguez falhou o empate no lance que falamos; a seguir um canto com o cabeceamento de Katsouranis foi desviado em cima da linha, mas depois não vimos a reacção de quem perde e quer fazer melhor resultado…

As substituições de Cardozo e de Rui Costa por Nuno Gomes e Bergessio foi um tiro no pé; O Benfica no último quarto de hora nunca apoquentou a baliza de Moruc e foi Quim que teve de intervir para evitar o 2-0. Mais uma referencia apenas para Bynia expulso numa entrada violenta.

A arbitragem do sueco Hanson acabou por estar num plano razoável mas na primeira parte deixou passar duas faltas sobre Rui Costa e tendo mostrado amarelo a Maxi Pereira por travar um contra-ataque ainda no meio campo defensivo dos escoceses não mostrou a um jogador do Celtic numa falta bem mais perigosa sobre Christian Rodriguez.

Ficha de jogo:
Central Park, Glasgow
Árbitro: Martin Hannson (Suécia)

Celtic: Boruc, Naylor, Caldwell, Brown (Sno 88 m), Vennegoor (Donati 67 m), Hartley, Jarosik (Killen 67 m), McDonald, Kennedy, McManus e McGeady.

Benfica: Quim, Luís Filipe, Edcarlos, Luisão, Leó, Binya, Katsouranis, Maxi Pereira (Di Maria 60 m) Rodríguez, Rui Costa (Bergessio 76 m) e Cardozo (Nuno Gomes 76 m).

Suplentes: Butt, Zoro, Nuno Assis, Adu.

Golos: McGeady (45 m).

Disciplina: Cartão amarelo para Maxi Pereira (41 m). Cartão vermelho directo para Binya (84 m).

 

Benfica perde porque falta marcadores de golos…

Filed under: Benfica,Celtic,football,soccer,Uefa Champions League 2007/2008 — looking4good @ 10:35 pm

Celtic

1 – 0

Benfica

A diferença é que uns marcam e … outros não !

O Benfica jogava aqui um jogo decisivo para as suas aspirações europeias, pois uma derrota, praticamente colocaria a equipa portuguesa fora da Champions. A realidade é que foi esse o resultado e agora o Benfica só com duas vitórias (em casa frente ao Milan e fora na Ucrânia frente ao Shaktar e ainda assim é preciso matemática…) poderá ainda chegar à fase seguinte.

A verdade é que no primeiro quarto de hora o Benfica jogou como há muito tempo não se via mas desperdiçou três soberanas oportunidades. Comecemos já por aí. Um avançado que custou aquele dinheiro não pode falhar tantas oportunidades, ou se quisermos, um jogador que falha tantas oportunidades não pode custar tanto dinheiro: falamos de Cardozo é claro! Na segunda parte voltou a falhar de cabeça um golo fácil, aliás, na única oportunidade encarnada no segundo período.

Depois desse primeiro quarto de hora o Celtic reagiu com um futebol mais directo e com remates de fora da área obrigando Quim a boas intervenções. As estatísticas de 1-5 em remates passou para 5-5. No último quarto de hora o jogo foi equilibrado, mas uma transição rápida com deslocação do jogo da direita para a meia-esquerda apanhou o meio campo defensivo encarnado a dar muito espaço e o remate de McGeady de fora da área desviado ainda pelo corpo de Luisão levou a bola ao fundo da baliza do Benfica. Ao intervalo as estatísticas eram de grande equilibrio nos remates na posse de bola (50%-50%) e nos cantos o Benfica até ganhava 5-3, mas no resultado (isso é que conta) o Celtic vencia por 1-0.

Na segunda parte esperava-se alguma mudança até porque o Benfica a perder e a jogar em 4-5-1 e com uma asa coxa – Maxi Pereira pouco ataca – teria que ter alguma iniciativa. Camacho demorou só aos 60′ fez entrar Di Maria para o lugar de Maxi Pereira mas pouco mudou em termos tacticos. Cardozo continuava sozinho na frente com a agravante de que o Benfica começou a jogar no estilo que o Celtic preferia isto é bolas para a frente por alto. Cardozo após um centro da esquerda de Rodriguez falhou o empate no lance que falamos; a seguir um canto com o cabeceamento de Katsouranis foi desviado em cima da linha, mas depois não vimos a reacção de quem perde e quer fazer melhor resultado…

As substituições de Cardozo e de Rui Costa por Nuno Gomes e Bergessio foi um tiro no pé; O Benfica no último quarto de hora nunca apoquentou a baliza de Moruc e foi Quim que teve de intervir para evitar o 2-0. Mais uma referencia apenas para Bynia expulso numa entrada violenta.

A arbitragem do sueco Hanson acabou por estar num plano razoável mas na primeira parte deixou passar duas faltas sobre Rui Costa e tendo mostrado amarelo a Maxi Pereira por travar um contra-ataque ainda no meio campo defensivo dos escoceses não mostrou a um jogador do Celtic numa falta bem mais perigosa sobre Christian Rodriguez.

Ficha de jogo:
Central Park, Glasgow
Árbitro: Martin Hannson (Suécia)

Celtic: Boruc, Naylor, Caldwell, Brown (Sno 88 m), Vennegoor (Donati 67 m), Hartley, Jarosik (Killen 67 m), McDonald, Kennedy, McManus e McGeady.

Benfica: Quim, Luís Filipe, Edcarlos, Luisão, Leó, Binya, Katsouranis, Maxi Pereira (Di Maria 60 m) Rodríguez, Rui Costa (Bergessio 76 m) e Cardozo (Nuno Gomes 76 m).

Suplentes: Butt, Zoro, Nuno Assis, Adu.

Golos: McGeady (45 m).

Disciplina: Cartão amarelo para Maxi Pereira (41 m). Cartão vermelho directo para Binya (84 m).

 

Benfica perde porque falta marcadores de golos…

Filed under: Benfica,Celtic,football,soccer,Uefa Champions League 2007/2008 — looking4good @ 10:35 pm

Celtic

1 – 0

Benfica

A diferença é que uns marcam e … outros não !

O Benfica jogava aqui um jogo decisivo para as suas aspirações europeias, pois uma derrota, praticamente colocaria a equipa portuguesa fora da Champions. A realidade é que foi esse o resultado e agora o Benfica só com duas vitórias (em casa frente ao Milan e fora na Ucrânia frente ao Shaktar e ainda assim é preciso matemática…) poderá ainda chegar à fase seguinte.

A verdade é que no primeiro quarto de hora o Benfica jogou como há muito tempo não se via mas desperdiçou três soberanas oportunidades. Comecemos já por aí. Um avançado que custou aquele dinheiro não pode falhar tantas oportunidades, ou se quisermos, um jogador que falha tantas oportunidades não pode custar tanto dinheiro: falamos de Cardozo é claro! Na segunda parte voltou a falhar de cabeça um golo fácil, aliás, na única oportunidade encarnada no segundo período.

Depois desse primeiro quarto de hora o Celtic reagiu com um futebol mais directo e com remates de fora da área obrigando Quim a boas intervenções. As estatísticas de 1-5 em remates passou para 5-5. No último quarto de hora o jogo foi equilibrado, mas uma transição rápida com deslocação do jogo da direita para a meia-esquerda apanhou o meio campo defensivo encarnado a dar muito espaço e o remate de McGeady de fora da área desviado ainda pelo corpo de Luisão levou a bola ao fundo da baliza do Benfica. Ao intervalo as estatísticas eram de grande equilibrio nos remates na posse de bola (50%-50%) e nos cantos o Benfica até ganhava 5-3, mas no resultado (isso é que conta) o Celtic vencia por 1-0.

Na segunda parte esperava-se alguma mudança até porque o Benfica a perder e a jogar em 4-5-1 e com uma asa coxa – Maxi Pereira pouco ataca – teria que ter alguma iniciativa. Camacho demorou só aos 60′ fez entrar Di Maria para o lugar de Maxi Pereira mas pouco mudou em termos tacticos. Cardozo continuava sozinho na frente com a agravante de que o Benfica começou a jogar no estilo que o Celtic preferia isto é bolas para a frente por alto. Cardozo após um centro da esquerda de Rodriguez falhou o empate no lance que falamos; a seguir um canto com o cabeceamento de Katsouranis foi desviado em cima da linha, mas depois não vimos a reacção de quem perde e quer fazer melhor resultado…

As substituições de Cardozo e de Rui Costa por Nuno Gomes e Bergessio foi um tiro no pé; O Benfica no último quarto de hora nunca apoquentou a baliza de Moruc e foi Quim que teve de intervir para evitar o 2-0. Mais uma referencia apenas para Bynia expulso numa entrada violenta.

A arbitragem do sueco Hanson acabou por estar num plano razoável mas na primeira parte deixou passar duas faltas sobre Rui Costa e tendo mostrado amarelo a Maxi Pereira por travar um contra-ataque ainda no meio campo defensivo dos escoceses não mostrou a um jogador do Celtic numa falta bem mais perigosa sobre Christian Rodriguez.

Ficha de jogo:
Central Park, Glasgow
Árbitro: Martin Hannson (Suécia)

Celtic: Boruc, Naylor, Caldwell, Brown (Sno 88 m), Vennegoor (Donati 67 m), Hartley, Jarosik (Killen 67 m), McDonald, Kennedy, McManus e McGeady.

Benfica: Quim, Luís Filipe, Edcarlos, Luisão, Leó, Binya, Katsouranis, Maxi Pereira (Di Maria 60 m) Rodríguez, Rui Costa (Bergessio 76 m) e Cardozo (Nuno Gomes 76 m).

Suplentes: Butt, Zoro, Nuno Assis, Adu.

Golos: McGeady (45 m).

Disciplina: Cartão amarelo para Maxi Pereira (41 m). Cartão vermelho directo para Binya (84 m).

 

Champions League: Benfica ainda se mantém na corrida Outubro 24, 2007

Filed under: Benfica,Celtic,football,Futebol,soccer,Uefa Champions League 2007/2008 — looking4good @ 9:22 pm

Benfica

1 – 0

Celtic

Cardozo à barra, ao poste e … golo !

O Benfica jogava aqui um jogo decisivo para as suas aspirações europeias, pois uma não vitória, praticamente colocaria a equipa portuguesa fora da Champions e com poucas possibilidades de fugir até ao último lugar do grupo.

Por isso, percebeu-se a intenção de Camacho de jogar com Bergessio a fazer companhia na frente a Cardozo, mas o jogador argentino demonstrou mais uma vez estar em crise, técnica, física e de confiança. O Benfica até entrou relativamente bem com os escoceses em expectativa defensiva, mas os encarnados não conseguiram criar grandes ocasiões de golo. Apenas em dois lances a baliza onde por trás se situavam cerca de 10.000 escoceses o golo esteve para acontecer. Na primeira Caldwell a falhar dando de cabeça em diracção da baliza, Léo aproveitou mas à assistencia do brasileiro, Cardozo falhou o pontapé (22′). O outro lance já perto do final da primeira parte surgiu no desfecho de um livre com Katsouranis (que jogou a central fazendo parelha com Luisão) a concluir de cabeça longo mas a dar tempo a Boruc fazer a defesa para canto ainda assim sendo a defesa com maior dificuldade que teve de fazer em toda a primeira parte relativamente calma. Pelo meio Quim teve de se aplicar a remate de Massimo Donati.

Ao intervalo os adeptos encarnados não estavam satisfeitos apesar de 66% do tempo de posse de bola para os encarnados.

A segunda parte foi diferente. O Benfica, mais veloz, empurrou o Celtic para as imediações (e para dentro) da área e o golo ameaçava a baliza de Artur Boruc. Já com Di Maria e Freddy Adu em campo (nos lugares de Nuno Assis e de Bergessio) um remate de meia distância de Di Maria defendido com dificuldade e incompletamente deu a possibilidade a Cardozo de alvejar a baliza mas o remate fortíssimo bateu na barra. Uns minutos mais e Cardozo na área rodopia e remata cruzado ao poste. Os encarnados iam ao desespero, mas nunca desistiram. Aos 86′ finalmente o golo, outyra vez Di Maria a levantar a bola por cima da defesa com Cardozo a desmarcar-se a partir de posição em linha com a defesa e desta vez a não falhar! Nos últimos minutos num livre (com o guarda-redes em posição de ataque) os escoceses ainda criaram algum perigo com a bola a sair ao lado, mas o Benfica conseguiu uma vitória justa e mantém as aspirações, mas não pode perder em Glasgow.

Cardozo esteve em destaque

Estádio: Estádio do Sport Lisboa e Benfica
Árbitros: Massimo Busacca, Aux – Francesco Buragina,Matthias Arnet

BENFICA – Quim; Maxi Pereira, Luisão, Katsouranis e Léo; Nuno Assis (Di Maria, 61 m), Bynia, Rui Costa e Cristian Rodriguez (Luís Filipe, 83 m); Cardozo e Bergessio (Freddy Adu, 61 m).

CELTIC: Boruc; Caldwell, Kennedy, McManus e Naylor; Donaty (Sno, 62 m) e Hartley; McGeady, Brown e Jarosik; Killen (Mc Donald, 74 m).

Golo: Cardozo (86 m)

Cartão amarelo a McGeady 28′, Killen 55′, Hartley 72′ e Di Maria 90′.

 

Champions League: Benfica ainda se mantém na corrida

Filed under: Benfica,Celtic,football,Futebol,soccer,Uefa Champions League 2007/2008 — looking4good @ 9:22 pm

Benfica

1 – 0

Celtic

Cardozo à barra, ao poste e … golo !

O Benfica jogava aqui um jogo decisivo para as suas aspirações europeias, pois uma não vitória, praticamente colocaria a equipa portuguesa fora da Champions e com poucas possibilidades de fugir até ao último lugar do grupo.

Por isso, percebeu-se a intenção de Camacho de jogar com Bergessio a fazer companhia na frente a Cardozo, mas o jogador argentino demonstrou mais uma vez estar em crise, técnica, física e de confiança. O Benfica até entrou relativamente bem com os escoceses em expectativa defensiva, mas os encarnados não conseguiram criar grandes ocasiões de golo. Apenas em dois lances a baliza onde por trás se situavam cerca de 10.000 escoceses o golo esteve para acontecer. Na primeira Caldwell a falhar dando de cabeça em diracção da baliza, Léo aproveitou mas à assistencia do brasileiro, Cardozo falhou o pontapé (22′). O outro lance já perto do final da primeira parte surgiu no desfecho de um livre com Katsouranis (que jogou a central fazendo parelha com Luisão) a concluir de cabeça longo mas a dar tempo a Boruc fazer a defesa para canto ainda assim sendo a defesa com maior dificuldade que teve de fazer em toda a primeira parte relativamente calma. Pelo meio Quim teve de se aplicar a remate de Massimo Donati.

Ao intervalo os adeptos encarnados não estavam satisfeitos apesar de 66% do tempo de posse de bola para os encarnados.

A segunda parte foi diferente. O Benfica, mais veloz, empurrou o Celtic para as imediações (e para dentro) da área e o golo ameaçava a baliza de Artur Boruc. Já com Di Maria e Freddy Adu em campo (nos lugares de Nuno Assis e de Bergessio) um remate de meia distância de Di Maria defendido com dificuldade e incompletamente deu a possibilidade a Cardozo de alvejar a baliza mas o remate fortíssimo bateu na barra. Uns minutos mais e Cardozo na área rodopia e remata cruzado ao poste. Os encarnados iam ao desespero, mas nunca desistiram. Aos 86′ finalmente o golo, outyra vez Di Maria a levantar a bola por cima da defesa com Cardozo a desmarcar-se a partir de posição em linha com a defesa e desta vez a não falhar! Nos últimos minutos num livre (com o guarda-redes em posição de ataque) os escoceses ainda criaram algum perigo com a bola a sair ao lado, mas o Benfica conseguiu uma vitória justa e mantém as aspirações, mas não pode perder em Glasgow.

Cardozo esteve em destaque

Estádio: Estádio do Sport Lisboa e Benfica
Árbitros: Massimo Busacca, Aux – Francesco Buragina,Matthias Arnet

BENFICA – Quim; Maxi Pereira, Luisão, Katsouranis e Léo; Nuno Assis (Di Maria, 61 m), Bynia, Rui Costa e Cristian Rodriguez (Luís Filipe, 83 m); Cardozo e Bergessio (Freddy Adu, 61 m).

CELTIC: Boruc; Caldwell, Kennedy, McManus e Naylor; Donaty (Sno, 62 m) e Hartley; McGeady, Brown e Jarosik; Killen (Mc Donald, 74 m).

Golo: Cardozo (86 m)

Cartão amarelo a McGeady 28′, Killen 55′, Hartley 72′ e Di Maria 90′.

 

Champions League: Benfica ainda se mantém na corrida

Filed under: Benfica,Celtic,football,Futebol,soccer,Uefa Champions League 2007/2008 — looking4good @ 9:22 pm

Benfica

1 – 0

Celtic

Cardozo à barra, ao poste e … golo !

O Benfica jogava aqui um jogo decisivo para as suas aspirações europeias, pois uma não vitória, praticamente colocaria a equipa portuguesa fora da Champions e com poucas possibilidades de fugir até ao último lugar do grupo.

Por isso, percebeu-se a intenção de Camacho de jogar com Bergessio a fazer companhia na frente a Cardozo, mas o jogador argentino demonstrou mais uma vez estar em crise, técnica, física e de confiança. O Benfica até entrou relativamente bem com os escoceses em expectativa defensiva, mas os encarnados não conseguiram criar grandes ocasiões de golo. Apenas em dois lances a baliza onde por trás se situavam cerca de 10.000 escoceses o golo esteve para acontecer. Na primeira Caldwell a falhar dando de cabeça em diracção da baliza, Léo aproveitou mas à assistencia do brasileiro, Cardozo falhou o pontapé (22′). O outro lance já perto do final da primeira parte surgiu no desfecho de um livre com Katsouranis (que jogou a central fazendo parelha com Luisão) a concluir de cabeça longo mas a dar tempo a Boruc fazer a defesa para canto ainda assim sendo a defesa com maior dificuldade que teve de fazer em toda a primeira parte relativamente calma. Pelo meio Quim teve de se aplicar a remate de Massimo Donati.

Ao intervalo os adeptos encarnados não estavam satisfeitos apesar de 66% do tempo de posse de bola para os encarnados.

A segunda parte foi diferente. O Benfica, mais veloz, empurrou o Celtic para as imediações (e para dentro) da área e o golo ameaçava a baliza de Artur Boruc. Já com Di Maria e Freddy Adu em campo (nos lugares de Nuno Assis e de Bergessio) um remate de meia distância de Di Maria defendido com dificuldade e incompletamente deu a possibilidade a Cardozo de alvejar a baliza mas o remate fortíssimo bateu na barra. Uns minutos mais e Cardozo na área rodopia e remata cruzado ao poste. Os encarnados iam ao desespero, mas nunca desistiram. Aos 86′ finalmente o golo, outyra vez Di Maria a levantar a bola por cima da defesa com Cardozo a desmarcar-se a partir de posição em linha com a defesa e desta vez a não falhar! Nos últimos minutos num livre (com o guarda-redes em posição de ataque) os escoceses ainda criaram algum perigo com a bola a sair ao lado, mas o Benfica conseguiu uma vitória justa e mantém as aspirações, mas não pode perder em Glasgow.

Cardozo esteve em destaque

Estádio: Estádio do Sport Lisboa e Benfica
Árbitros: Massimo Busacca, Aux – Francesco Buragina,Matthias Arnet

BENFICA – Quim; Maxi Pereira, Luisão, Katsouranis e Léo; Nuno Assis (Di Maria, 61 m), Bynia, Rui Costa e Cristian Rodriguez (Luís Filipe, 83 m); Cardozo e Bergessio (Freddy Adu, 61 m).

CELTIC: Boruc; Caldwell, Kennedy, McManus e Naylor; Donaty (Sno, 62 m) e Hartley; McGeady, Brown e Jarosik; Killen (Mc Donald, 74 m).

Golo: Cardozo (86 m)

Cartão amarelo a McGeady 28′, Killen 55′, Hartley 72′ e Di Maria 90′.