Nothingandall

Just another WordPress.com weblog

Zelos – Zeferino Brazil Outubro 3, 2007

Filed under: poesia,Zeferino Brazil — looking4good @ 9:25 am
Lírios rosa, Eliomar Ribeiro


De leve, beijo as suas mãos pequenas,
alvas, de neve, e, logo, um doce, um breve,
fino rubor lhe tinge a face, apenas
de leve beijo as suas mãos de neve.

Ela vive entre lírios e açucenas
e o vento a beija, e, como o vento, deve
ser o meu beijo em suas mãos serenas,
— tão leve o beijo, como o vento é leve.. .

Que essa divina flor, que é tão suave,
ama o que é leve, como um leve adejo
de vento ou como um garganteio de ave.

E já me basta, para meu tormento,
saber que o vento a beija, e que o meu beijo
nunca será tão leve como o vento…

Zeferino António de Sousa Brazil (n. em Taquari, Rio Grande do Sul a 24 de Abr 1870, m. em 3 Out 1942 em Porto Alegre, Rio Grande do Sul)

Anúncios
 

Zelos – Zeferino Brazil

Filed under: poesia,Zeferino Brazil — looking4good @ 9:25 am
Lírios rosa, Eliomar Ribeiro


De leve, beijo as suas mãos pequenas,
alvas, de neve, e, logo, um doce, um breve,
fino rubor lhe tinge a face, apenas
de leve beijo as suas mãos de neve.

Ela vive entre lírios e açucenas
e o vento a beija, e, como o vento, deve
ser o meu beijo em suas mãos serenas,
— tão leve o beijo, como o vento é leve.. .

Que essa divina flor, que é tão suave,
ama o que é leve, como um leve adejo
de vento ou como um garganteio de ave.

E já me basta, para meu tormento,
saber que o vento a beija, e que o meu beijo
nunca será tão leve como o vento…

Zeferino António de Sousa Brazil (n. em Taquari, Rio Grande do Sul a 24 de Abr 1870, m. em 3 Out 1942 em Porto Alegre, Rio Grande do Sul)

 

Zelos – Zeferino Brazil

Filed under: poesia,Zeferino Brazil — looking4good @ 9:25 am
Lírios rosa, Eliomar Ribeiro


De leve, beijo as suas mãos pequenas,
alvas, de neve, e, logo, um doce, um breve,
fino rubor lhe tinge a face, apenas
de leve beijo as suas mãos de neve.

Ela vive entre lírios e açucenas
e o vento a beija, e, como o vento, deve
ser o meu beijo em suas mãos serenas,
— tão leve o beijo, como o vento é leve.. .

Que essa divina flor, que é tão suave,
ama o que é leve, como um leve adejo
de vento ou como um garganteio de ave.

E já me basta, para meu tormento,
saber que o vento a beija, e que o meu beijo
nunca será tão leve como o vento…

Zeferino António de Sousa Brazil (n. em Taquari, Rio Grande do Sul a 24 de Abr 1870, m. em 3 Out 1942 em Porto Alegre, Rio Grande do Sul)

 

Zelos – Zeferino Brazil

Filed under: poesia,Zeferino Brazil — looking4good @ 9:25 am
Lírios rosa, Eliomar Ribeiro


De leve, beijo as suas mãos pequenas,
alvas, de neve, e, logo, um doce, um breve,
fino rubor lhe tinge a face, apenas
de leve beijo as suas mãos de neve.

Ela vive entre lírios e açucenas
e o vento a beija, e, como o vento, deve
ser o meu beijo em suas mãos serenas,
— tão leve o beijo, como o vento é leve.. .

Que essa divina flor, que é tão suave,
ama o que é leve, como um leve adejo
de vento ou como um garganteio de ave.

E já me basta, para meu tormento,
saber que o vento a beija, e que o meu beijo
nunca será tão leve como o vento…

Zeferino António de Sousa Brazil (n. em Taquari, Rio Grande do Sul a 24 de Abr 1870, m. em 3 Out 1942 em Porto Alegre, Rio Grande do Sul)