Nothingandall

Just another WordPress.com weblog

Benfica: Ai Jesus! Junho 15, 2009

Filed under: Actualidade,Benfica,Futebol — looking4good @ 9:19 pm
Quique levou um kick (demorou mas foi…)! Agora os adeptos do Benfica passam a ser todos mais religiosos. “Ai Jesus!” vai passar a ser uma expressão frequente lá para os lados do Estádio da Luz e não só. Falta saber se em manifestação de eminência de perigo ou desastre se para apelar a um milagre.

Enfim como (Fernando) Santos não fez milagres agora viramo-nos para o filho do Chefe! Falta saber se em Lisboa Jesus não estará deslocado e acabe cruxificado. É que em Braga existia (e existe) o Bom Jesus. Mas também, verdade se diga, existe a possibilidade de Jesus fazer Luz num Estádio que ultimamente anda muito apagado… e “converta” alguns jogadores a jogar à campeão o que não deixaria de ser um significativo milagre (quem sabe motivo para o Papa o beatificar)!
Anúncios
 

A Semana (V) Junho 13, 2009

Filed under: Actualidade,Benfica,opinião,política — looking4good @ 6:51 pm
Pauloi Rangel A semana começou no plano nacional com uma surpresa nos resultados das eleições europeias. Muitos prognosticavam uma perda de votos e de % do PS em resultado de um desgaste no governo e de uma aposta mais do que infeliz no cabeça de lista Vital Moreira mas (quase) ninguém via no PSD a capacidade de ganhar com 5 pontos percentuais de avanço, perante um (quase) amorfo líder do partido (Ferreira Leite) que não do cabeça de lista (Paulo Rangel). Foi caso para dizer que nestas eleições o PS perdeu por quatro, já que PSD (o maior vencedor, obviamente) BE, CDU e CDS-PP todos ganharam! Depois desta retumbante derrota não se percebe é como os resultados destas eleições nas palavras de Sócrates «só reforça o nosso ânimo e a nossa vontade numa preparação vitoriosa» das proximas eleições legislativas.

Cavaco Silva

Mantendo-me no plano político duas palavras para o nosso Presidente da República (PR). Chumbou a lei do financiamento dos partidos políticos como não podia deixar de ser. Surpreendente é a posição, mesmo depois do chumbo do PR ser conhecido, dos partidos de esquerda (CDU e BE) que defendem que esta lei é suficientemente transparente. Eles que tanto apregoam em outras áreas das finanças e da vida societária portuguesa mais controlo, mais transparência, menos jogos difusos. “A segunda volta” vai ficar, tudo o indica, para a próxima legislatura. A segunda palavra fica para o discurso do PR no Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, em Santarém. Um discurso grave, duro e que acentua a necessidade de não serem tomadas decisões que comprometam o futuro.

Entretanto Durão Barroso prepara-se para passar de mínimo denominador comum em 2004 para máximo divisor em 2009, quero com isto dizer que é o candidato de todos os Governos. Apesar da crise financeira de 2007 e agora economica 2008-2009 e da pouca capacidade de resposta da União Europeia (e portanto também da Comissão) é deveras positivo ver um português ser apontado com grande consenso para tão alto cargo internacional.

No futebol o destaque fica para a transferência multimilionária do nosso CR7 (Cristiano Ronaldo) para o Real Madrid. Quase 100 milhões de euros ficou a transferência em termos de custos para o mítico clube espanhol. Entretanto por cá, e como benfiquista, fico triste por duas ordens de razões. A primeira pelas constantes demonstrações de inabilidade do clube da Luz em gerir os assuntos (pelo menos no que toca à informação) sobre a gestão do futebol. Quique já não é o treinador (ainda bem!) mas ainda não há oficialmente Jorge de Jesus. Reyes não se sabe se vai ou se ainda fica. Andujar era hipótese mas parece que prefere o modesto clube italiano do Catânia à hipótese do Benfica… Onde o clube já perde… Mas neste campo, ainda que infelizmente, não é surpresa porque nos últimos anos o Benfica, em função é certo de uma incapacidade financeira (mas não só), arrasta os assuntos por tempo demais.Sport Lisboa e Benfica logo

Surpresa pela negativa é o segundo assunto que me faz aqui falar nesta crónica do Benfica. E neste campo pensei que os encarnados ainda preservavam um espírito de nobreza, de lealdade e de superioridade perante os demais. Mas pelos vistos, também aí a tradição se vai perdendo. Esta estratégia miserável de forçar a demissão dos órgãos sociais para antecipar a data das eleições, foi um mero pretexto para diminuir a capacidade da oposição, e constitui uma finta inadmissível no clube de que prezo ser sócio. Se a oposição é tão frágil, porquê esta manobra reveladora de «chico espertice»?

E agora? Então com que legitimidade os orgãos demissionários tomam decisões importantíssimas sobre toda a estratégia da próxima época desportiva? Despedir treinador, contratar outro, jogadores, planeamento, etc.? Não parece bem…

Leonard Cohen

Para terminar fica uma palavra para o anunciado espectáculo de Leonardo Cohen no próximo dia 30 de Julho no Pavilhão Atlântico, em Lisboa. E se em 19 de Julho de 2008 cantou e encantou, e eu não me empenhei em estar presente, desta vez pode não vir a encantar mas se Deus quiser estarei lá, porque já comprei os bilhetes!
 

Faz hoje 48 anos que o Benfica ganhou a sua 1ª. Taça dos Campeões Europeus Maio 31, 2009

Filed under: Benfica,efemerides — looking4good @ 12:55 am

Free Image Hosting at www.ImageShack.us

Benfica 3 – 2 Barcelona

A maior vitória do futebol português titulava o Diário de Notícias no dia seguinte.

O jogo disputou-se em Berna, precisamente no dia 31 de Maio de 1961 e perante 28 mil espectadores e sob a arbitragem do suíço Gottfie Dienst, as equipas apresentaram:

Benfica: Costa Pereira; Mário João e Ângelo, Neto, Germano e Cruz: José Augusto, Santana, José Águas, Coluna e Cavém

Barcelona: Rammallets; Foncho e Garay; Vergés, Gensana e Garcia; Kubala, Suarez, Evaristo, Kocsis e Czibor

Golos: 0-1 Czibor de cabeça aos 20′; 1-1 José Águas aos 30′ ; 2-1 aos 31′ após lançamento longo de Neto com a bola disputada por Santana e Gensana a ir parar ao fundo da baliza; 3-1 aos 55′ por Mário Coluna. Com 3-1 ficou célebre o remate de Kubala ao poste com a bola a percorrer toda a linha de fundo bater no outro poste e ir parar às mãos de Costa Pereira. Aos 75′ na sequencia de um canto, Czibor bisava para os espanhóis. Depois foi o sufoco do Barcelona que não chegou para evitar o primeiro triunfo na Taça dos Campeões Europeus.

No ano seguinte o Benfica voltaria a vencer agora frente ao Real Madrid perante 65000 espectadores por 5-3 em Amesterdão, no dia 2 de Maio de 1962.

E em 1963, terceira final consecutiva para defrontar o Milan em Wembley. O Benfica perdeu por 2-1 (dois golos de Altafini) estando a ganhar ao intervalo por 1-0 com um golo de Eusébio. No Milan jogava Trapattoni que teve um duelo de fazer faísca com Coluna. Os encarnados queixaram-se da permissividade do árbitro Ken Aston, de nacionalidade holandesa.

 

Liga Sagres: Benfica foi testemunha da descida de divisão do Belenenses Maio 23, 2009

Filed under: Belenenses,Benfica,Futebol,Liga Sagres — looking4good @ 9:05 pm

Benfica logoBelenenses logo

Benfica

3-1

Belenenses

Jogo de despedidas…

O Benfica que empatara na primeira volta a zero no Restelo recebia os homens do Belenenses com a corda na garganta porque o Belenenses só se salvaria ganhando na Luz e se o Setúbal não ganhasse na Figueira da Foz.

O jogou começou com o recrudescimento das (ténues) esperanças belenenses porque logo aos 3′ Silas inaugurou o marcador após jogada de contra-ataque rápido e bom entendimento com Wender, disparando de fora da área num excelente pontapé.

O Benfica, porém, demonstrou que não estava para ser acusado de fazer o “frete” e aos 21′ chegou ao empate por Cardozo que concluíu de cabeça um bom cruzamento de Maxi Pereira que esteve sempre muito activo na direita.

Já depois de Carlos Martins ser substituído por Fellipe Bastos (26′) o Belenenses esteve perto de voltar a ganhar vantagem num passe de Wender para Silas. O Belenenses viria até a fazer chegar a bola ao fundo da baliza dee Moreira mas o golo foi anulado por irregularidade pois Wender concluiu com a mão o que lhe valeu o cartão amarelo.

Perto do final da primeira parte (e com a Naval a marcar frente ao Setúbal) o Belenenses praticamente “suicidou-se” quando num desentendimento entre Di Maria e Saulo o jogador azul atingiu o argentino no chão e foi expulso.

Na segunda parte o jogo desiquilibrou-se o Belenenses não teve praticamente chances de ataque enquanto o Benfica sem jogar bem is perdendo oportunidades. Aos 50′ Di Maria isolado perante a saída de Júlio César desperdiçou ao rematar por cima da barra. Pouco depois foi Aimar a fazer o mesmo depois de assistência de Cardozo com o peito. De qualquer modo tornava-se previsível a vantagem do Benfica que veio a ocorrer num remnate surpreendente do meio da rua de Fellipe Bastos – candidadato a um dos melhores golos da época – aos 63′.

A partir daqui era inevitável a quebra psicológica do Belenenses até porque as notícias vindas de Figueira da Foz acresciiam à incapacidade azul. O Setúbal acabou por virar o resultado e na Luz o Benfica só não marcava mais por demérito próprio. A entrada de Mantorras nos últimos minutos funcionou mais uma vez como talismã e o angolano já em período de descontos coincluiu com mérito mais uma jogada pela direita, desta vez por Balboa que em velocidade bateu a defesa azul.

Foi um jogo de despedidas: de Quique (que no fim praticamente abraçou cada um dos jogadores do Belenenses!, do Belenenses que já ameaçara a época passada e que desta vez vê inexoravelmente a descida de divisão a consumar-se (com a companhia do Trofense derrotado em Paços de Ferreira) e certamente de alguns jogadores encarnados…

Estádio da Luz, em Lisboa
Hora: 19:45; 30. 972 espectadores, num fim de dia chuvoso.
Árbitro: Cosme Machado ( Braga )

BENFICA: Moreira; Maxi Pereira, Luisão, Sidnei e Jorge Ribeiro; Katsouranis, Carlos Martins(Fellipe Bastos 25′), Urreta e Aimar (Balboa 83′); Dí Maria (Mantorras 76′) e Cardozo.

BELENENSES: Júlio César; Mano (Porta 75′), Ávalos, Diakité, André Pires; Gomez, Pele (Fredy 56′), José Pedro, Silas, Saulo e Wender (Vinícius 61′)

Golos: 0-1 Silas (3); 1-1 Cardozo (20), 2-1 Fellipe Bastos (63), 3-1 Mantorras 90+1′;

Disciplina: Cartão amarelo Wender (32), Pelé (38), Aimar (46) e Katsouranis (62);
Cartão vermelho a Saulo (41)

 

Há 4 anos no Bessa o Benfica sagrava-se campeão Maio 22, 2009

Filed under: Benfica,efemerides,Futebol — looking4good @ 1:50 am
 

Benfica vence em Braga e garante o 3′. lugar Maio 17, 2009

Filed under: Benfica,Braga,Futebol,Liga Sagres — looking4good @ 8:30 pm
Braga logoBenfica logoBraga

1-3

Benfica

Quique melhor do que Jesus …

Em jogo que servia para muito pouco as equipas exibiram-se com muito empenho e mostraram um futebol interessante, vivo e disputado na primeira parte.

Porém o Benfica cedo ganhou vantagem com Cardozo a chegar primeiro a uma solicitação de Karagounis do que o guarda-redes do Braga e a marcar de cabeça aos 7′. Passado cinco minutos uma lesão de David Luís obrigou-o a sair do jogo tendo entrado Urreta. Uma falha clamorosa de Eduardo ao atirar a bola contra o avançado argentino do Benfica, Di Maria, deu a este a oportunidade de fazer o segundo golo e este não se fez rogado. Parece sina que os guarda-redes portugueses quando sao chamados à selecçao nacional passam a dar frangos e isto tem acontecido invariavelmente.

Com 2-0 o Benfica jogava tranquilo e respondia com conta-ataques ao jogo de mais posse de bola bracarense.

Na segunda parte Jorge de Jesus fez alterações na equipa mas logo aos 2′ uma perda de bola na defensiva bracarense foi excelentemente aproveitada pelo uruguaio Urreta que fez um excelente golo ao passar por João Pereira e a concluir cruzado ao segundo poste- o primeiro na Liga ao serviço do Benfica – resolvendo definitivamente o jogo ainde cedo.

Aos 54′ uma sensacional jogada de Paulo César, que roubou a bola a Ruben Amorim e fez todo o meio-campo adversário, passando por toda a gente, foi mal concluída com remate ao lado, quando o golo parecia inevitável.

Depois foi surgindo Arur Soares da Silva como protagonista. Diferença de criterios em prejuizo do Benfica deixando passar uma falta grave de Luis Carlos sobre Katsouranis sem sanção disciplinar para passados minutos (e a pedido) mostrar o segundo amarelo a Yebda, que entrara para substiuir o grego, numa falta banal.

Perto do fim assinalou penalty de Miguel Víitor sobre Alan que Luís Carlos concretizou, estabelecendo o resultadoi final mas ainda teve tempo para deixar passar falta sobre Reyes também agarrado o que fez com que Quique não se contivesse, protestando com o 4º árbitro , e acabando expulso.

Vitória tranquila dos encarnados que mesmo nos jogos sem interesse e que ganham sem díuvidas são (claramente) prejudicados pelos árbitros.

Este resultado é que complica a vida a Luís Filipe Vieira porque se o objectivo era contratar Jorge de Jesus como é que ele justifica isso depois de Quique ter ganho claramente?

O Nacional venceu o Paços de Ferreira por 1-0 e tem o 4º. lugar à sua diusposição enquanto o Benfica garantiu o terceiro posto final.

Braga: Eduardo; João Pereira, Frechaut, André Leone e Evaldo; Mossoró (Luís Aguiar, 46), Alan, César Peixoto (Matheus, 60) e Filipe Oliveira (Rodriguez, 46); Paulo César, e Renteria

Suplentes Mário Felgueiras, Rodriguez, Dani, José Manuel, Luís Aguiar Edimar e Matheus

Benfica: Moreira; Maxi Pereira, Miguel, Sidnei e David Luiz (Urreta, 11) , Katsouranis (Yebda, 55) e Ruben Amorim; Jorge Ribeiro, Di Maria (Carlos Martins, 69) e Reyes; Cardozo

Suplentes: Quim, Carlos Martins, Urreta Balboa, Yebda e Mantorras

Golos: 0-1, Cardozo (7); 0-2 Di Maria (12); 0-3 Urreta (46); 1-3 Luís Aguiar (89, gp)

Disciplina: cartão amarelo, Reyes, Mossoró, João Pereira, Filipe Oliveira, Ruben Amorim, Yebda e vermelho por acumulação de amarelos a Yebda

 

Há 15 anos foram os célebres 6-3 Maio 14, 2009

Filed under: Benfica,Futebol,Sporting,This Day in History — looking4good @ 12:04 am
Já sei, já sei. Vou receber reclamações de que estou a escrever isto em retaliação do facto de o Sporting ficar há quatro épocas seguidas em segundo lugar… à frente do Benfica. Pois que continuem em segundo sempre… Eu só fico satisfeito ficando em primeiro!

Mas para também não concluirem que os acontecimentos positivos do Benfica vêm da Pré-História recordo que neste mesmo dia 14 de Maio mas de 2005, portanto há apenas quatro anos o Benfica ganhou por 1-0 no Estádio de Alvalade (golo de Luisão) e na semana seguinte com um empate no Bessa sagrou-se campeão nacional – a última vez que o conseguiu – sob o comando de Trapattoni.