Nothingandall

Just another WordPress.com weblog

Resiliência – uma palavra a conquistar terreno … Janeiro 9, 2008

Filed under: Actualidade,comentário,economia,opinião — looking4good @ 2:35 am
«Apesar de obscurecido pela turbulência que ainda se verifica nos mercados fianceiros, os riscos inerentes à escalada do petróleo e, em, menor escala, dos bens alimentares, não devem ser desprezados…

Apesar dos dados mais recentes sugerirem resiliência da economia mundial em face dos choques recentes, o sentimento deteriorou-se pronunciadamente durante o último mês. (in Mercados Financeiros – Nov. 2007 – Millennium Invesment Banking) »

Pois bem esta transcrição serve apenas para introduzir o tema deste post. Sabe o que é resiliência? Não… não se trata de erro ou confusão gráfica com resistencia, nem tão pouco com residência.

Pois bem, o termo é «importado» da Física, pois respeita a uma propriedade sobre a capacidade que os corpos têm de voltar à sua forma original, depois de submetidos a um esforço intenso.

RESILIÊNCIA: é a capacidade de um material absorver energia quando ele é deformado elasticamente e então, no descarregamento, ter recuperada esta energia. A propriedade associada é o módulo de resiliência, Ur , que é a energia de deformação por unidade de volume necessária para tensionar o material a partir do estado não-carregado até o ponto de escoamento. (in Dicionário Rossetti de Química)

ou ainda:

RESILIÊNCIA – 1 (Física): Propriedade que alguns corpos apresentam de retornar à forma original após terem sido submetidos a uma deformação elástica; 2 (Sentido figurado): Capacidade de se recobrar facilmente ou se adaptar à má sorte ou às mudanças. (Fonte: Dicionário Houaiss).
Mas a palavra vai ganhando espaço de aplicação noutros domínios (o homem anda sempre à procura de coisas novas, não é?) e passou a ser utilizada com alguma frequência no âmbito da psicologia e/ou comportamento humano.

«Por que certos indivíduos são capazes de se levantar após um grande trauma e outros permanecem no chamado fundo do poço, incapazes de, mesmo sabendo não ter mais forças para cavar, subir tomando como apoio as paredes desse poço e continuar seu caminho?», questiona a Professora Dra. Sandra Maia Farias Vasconcelos neste artigo.

Já pode dar a resposta, porque uns são mais resilientes do que outros. Neste âmbito, «a resiliência é caracterizada por um conjunto de atitudes adotadas pelo ser humano para resistir aos embates da vida. Assim, diz-se que um indivíduo é resiliente quando consegue superar (e não necessariamente eliminar) as adversidades, encontrando forças para aprender com elas.(…)» in Portal do Espírito. É a capacidade ou poder de recuperação!

Este termo surge também ultimamente ligado à vida das empresas e das organizações. E em contraponto à resistência: «Resiliência e resistência são duas palavrinhas muito parecidas. Se elas são parecidas na fonética, são completamente distintas em seu significado. Resistência é sinônimo de conservadorismo» enquanto ser resiliente «é absorver impactos, aceitando uma deformação temporária, para logo após retornar à forma original». [in Vida Corporativa].

Neste contexto, resiliênsia tem a ver com flexibilidade, adaptação à mudança contrapondo-se à resistência – ao tal conservadorismo, não deixar entrar o elemento externo, por inimigo, inelasticidade, «resistir até morrer».

No texto com que iniciámos este artigo temos a resiliência utilizada na área económica. Ou seja a capacidadade da economia de absorver determinados choques (no contexto referia-se «à crise do imobiliário e do crédito hipotecário «subprime» nos Estados Unidos da América» e de reagir e reconformar-se.

Antes dizia-se que quando os Estados Unidos espirravam, o mundo pegava uma gripe”. Agora graças à resiliência da economia (parece que) já não é assim…

Anúncios
 

Felizmente hoje acaba… Maio 20, 2007

Filed under: Benfica,comentário,Futebol — looking4good @ 3:53 pm
Felizmente hoje acaba o Campeonato de Futebol em Portugal chamado de Liga Bwin. Felizmente, porquê?

Porque consequentemente acabam os discursos dos incompetentes que não fizeram devidamente o seu trabalho e continuam a dizer que «temos fé e esperança», «sabemos que não dependemos apenas de nós, mas estamos confiantes», «enquanto fôr matemáticamente possível», etc, quando todos sabemos que o Porto vai ser campeão e diria eu … quase com uma perna às costas!

O Benfica que começou o campeonato praticamente com oito pontos de atraso, recuperou e quando podia arrancar decisivamente – jogava na Luz frente ao Porto e estava a apenas um ponto – fraquejou deu a iniciativa ao adversário e não conseguiu melhor do que um empate. Depois mais uma sucessão de empates … e campeonato quase irremediavelmente perdido. No dia seguinte à derrota inesperada do Porto no Bessa jogava-se o Benfica-Sporting. Só o triunfo servia às duas equipas. Mas qual quê… preferiram, neutralizarem-se mutuamente, empatando.

Neste jogo, mais uma vez o Benfica começou mal … a perder. Empatou e esboçou a vontade de querer ganhar … sem mostrar capacidade para isso. E o Sporting? Sofreu o empate e acomodou-se! Em vez de atacar a vitória Paulo Bento meteu mais um central – Tonel – para garantir um pontinho e ficar à frente do rival lisboeta, não se importando do rival portista que assim, mesmo perdendo no Bessa, quase se ficou a rir e com o campeonato no «papo».

E pôde o Porto empatar em Paços de Ferreira e ser mesmo asssim campeão. Por isso não percebo tantos elogios para Paulo Bento. Agora os discursos de há algumas semanas dos dirigentes e treinadores dos clubes derrotados já cheira mal. É por isso que ainda bem, hoje isso vai acabar. Com o desfecho que todos sabem mas que nenhum (excepto o Porto, naturalmente) assume.

Neste blog as efemérides ocupam um espaço importante. Pois hoje faz precisamente um ano que Fernando Santos foi anunciado como então futuro treinador do Benfica. E eu escrevia que não era o treinador que gostaria e esperava ver no Benfica. Parecia-me que tinha razão e um ano após confirma-se porquê. O Benfica poucas vezes jogou à Benfica. O Benfica podia ter ido, pelo menos às meias-finais da Uefa e foi eliminado por uma equipa de segundo plano do campeonato espanhol. Na Taça de Portugal foi eliminada por uma equipa da segunda divisão (eufemicamente designada por Liga de Honra), o Varzim! E no Campeonato andou quase sempre em terceiro lugar e quando teve hipóteses de dar o salto não o soube saber.

Eu sei que não é só o treinador. Um dos melhores jogadores do Benfica, Miccoli, não é do Benfica e certamente vai sair. Em Dezembro em vez de se reforçar a equipa, esta ficou sem alternativas. Vendeu-se Ricardo Rocha, Alcides, o avançado mexicano e quem veio? Compram-se jogadores que quase nunca jogam (Miguelito é um exemplo …). Há jogadores no plantel que só jogam em último recurso e são como que exteriores ao grupo de trabalho (Manú, Beto, Marco Ferreira e até Paulo Jorge). O que estão lá a fazer, então? Porque se contratam…se não é para jogarem? E se não têm competencia para jogar (relativamente a alguns não tenho dúvida disso)porque foram contratados?

Mas hoje felizmente acaba o Campeonato. E um ciclo de renovação de esperanças para todos recomeça. No caso do meu clube espero que não cometam tantos erros como no passado.

 

Mais uma Xistrada no futebol português! Abril 4, 2007

Filed under: comentário,Futebol — looking4good @ 11:38 pm
Presidente do Benfica suspenso por 40 dias

Não bastava a polémica (fora de campo) originado pelos incidentes do Benfica-Porto, com a PSP a dizer que o Benfica é que tem culpas sobre a segurança, ao colocar a claque do Porto no cimo do Estádio. Ouvi uma justificação da subcomissária de que os petardos até podiam ser escondidos em maços de tabaco e nas partes intimas das pessoas! Simultaneamente vê-se na TV engenhos explosivos de dimensão superior a uma garrafa de litro de capacidade! Não percebo.

Já na semana anterior em memória de Bento, no Estádio do Dragão houve um comportamento lamentável. Pois dá-se uma multa mínima e o assunto está resolvido

Se estes incidentes fossem em provas da Uefa, provavelmente o clube da claque responsável pelos incidentes jogaria à porta fechada ou veria mesmo o seu Estádio interdito, mas em Portugal…. o responsável foi o Benfica por ter querido preservar os adeptos minoritários do Porto

Então a polícia não consegue controlar o coomportamento de cerca de 3.000 adeptos? Queriam então que eles fossem colocados em baixo? E que pudessem ser vítimas de 20 / 30.000 que ficariam por cima?

Não percebo.

Porém, por declarações de Filipe Vieira sobre uma arbitragem vergonhosa de Xistra (o tal árbitro que vê penalties em bolas cortadas de cabeça!) apanha 40 dias de suspensão!

O futebol português está cheio de xistradas.

PS: Os comentários que ouço sobre a arbitragem de Pedro Proença fazem-me rir. Não param agora de dizer que o homem é benfiquista. Até descobriram que o David Luis estava adiantado 5 cm no golo do empate. Até se esqueceram que foi o Lucho que marcou golo na própria baliza e que se em vez de Renteria tivessem posto a jogar um qualquer jogador dos amadores, poderiam ter ganho. Mas esses senhores são os mesmos que não viram irregularidades em 3 (curiosamente os três primeiros golos) do Porto contra o Beira-Mar. Esses senhores são os mesmos que disseram que Pedro Henriques fez arbitragem excelente no Porto-Sporting ( não viram Pepe rasteirar um sportinguista já fora de campo e com o jogo parado!) Estes senhores não viram a mão do Bosingwa quase no final (casual, não pode cortar o braço, dizem eles), mas quando foi o penalty de Karagounis no jogo com o Aves, em que o jogador escorregou apoiou o braço no relvado e a bola foi lá bater, aí já é penalty, aí já o braço podia ser cortado! Ele é grego! Ou é vermelho!

Percebem-se é saudades dos Calheiros, Martins dos Santos, Silvanos e quejandos. Afinal o apito dourado está pejado de personalidades «encarnadas»!
 

Ao ataque !!! Março 31, 2007

Filed under: arbitragem,Benfica,comentário,FC Porto — looking4good @ 12:50 pm

Já só falta um dia. E o ambiente aquece em Março friorento…

Os jogos da selecção de Portugal, fizeram com que o ambiente antes do clásico Benfica-Porto não aquecesse demasiado antes do tempo. Porém, com a proximidade do jogo, o entusiasmo aumenta. E vai sendo tempo para jogar ao ataque, mesmo antes do jogo começar.

Jesualdo começou dizendo que o Porto vai jogar ao ataque porque não sabe fazer outra coisa. Fernando Santos replica dizendo que tem confiança nos seus jogadores e que espera estar em primeiro às 11 horas da noite de amanhã.

Acho que as declarações de ambos se enquadram dentro do desportivismo aceitável e que não ultrapassaram os limites da sã convivencia. Ainda bem

Mas Jesualdo disse qualquer coisa subliminar relativamente ao árbitro Paulo Proença, que esperava que ele fizesse uma arbitragem de coragem! Isto aqui, já tem água no bico. Como o jogo é na Luz admitia Jesualdo que o árbitro para ser isento tem de ser corajoso?

Como se sabe esse árbitro assumiu que era benfiquista. Eu como adepto, acho que benfiquistas desses são bens dispensáveis e não fiquei muito contente com a sua nomeação. É que arbitragens passadas desse senhor estão-me atravessadas. E nem preciso de consulta. Digo de memória três jogos em que o Benfica foi excessivamente prejudicado por esse senhor:

Penafiel-Benfica 1-0, com quatro lances de penalty possíveis a favor do Benfica e nenhum assinalado.

Boavista-Benfica, no Bessa, acho que na época em que o Boavista foi campeão, com dois penalties favoráveis ao Benfica também esquecidos, ainda Mantorras era o jogador excepcional que os problemas fisícos fizeram com que não se consolidasse.

Mas se os prnalties que para serem marcados a favor do Benfica é preciso haver terramoto, marca esse senhor sem dificuldade nenhuma contra, até inventando-os:

Benfica-Sporting, com Liedson a mergulhar sem que Moreira lhe tocasse e no momento seguinte o guardião encarnado a ir buscar a bola no fundo da baliza após a concretização do penalty que Proença assinalou.

Depois disto e das recentes arbitragens do Porto: três golos antecedidos de fora de jogo com o Beira-Mar e um penalty não assinalado contra o Marítimo que daria o 1-1, quereria Jesualdo fazer apelo a que é preciso ter coragem para não marcar penalties que são ( a favor do Benfica), e marcar penalties que não são (contra o Benfica?). Veremos… Ainda não se esgotaram os ecos do golo que o Benfica marcou e que não valeu porque Baía não podia dar frangos.

Para além da arbitragem veremos quem tem armas a sério amanhã para jogar ao ataque. Se as armas são como as dos Estados Unidos utilizadas no ataque ao Iraque ou se são as balas do Raul Solnado que depois de disparadas se têm de ir buscar outra vez para recarregar.

Deixo um desejo final: Com tanto ataque, que não haja mortos, nem feridos de verdade!

Penafiel-Benfica – 7 Maio 2005
O que é que Proença anda a fazer – Maio de 2005

 

Ao ataque !!!

Filed under: arbitragem,Benfica,comentário,FC Porto — looking4good @ 12:50 pm

Já só falta um dia. E o ambiente aquece em Março friorento…

Os jogos da selecção de Portugal, fizeram com que o ambiente antes do clásico Benfica-Porto não aquecesse demasiado antes do tempo. Porém, com a proximidade do jogo, o entusiasmo aumenta. E vai sendo tempo para jogar ao ataque, mesmo antes do jogo começar.

Jesualdo começou dizendo que o Porto vai jogar ao ataque porque não sabe fazer outra coisa. Fernando Santos replica dizendo que tem confiança nos seus jogadores e que espera estar em primeiro às 11 horas da noite de amanhã.

Acho que as declarações de ambos se enquadram dentro do desportivismo aceitável e que não ultrapassaram os limites da sã convivencia. Ainda bem

Mas Jesualdo disse qualquer coisa subliminar relativamente ao árbitro Paulo Proença, que esperava que ele fizesse uma arbitragem de coragem! Isto aqui, já tem água no bico. Como o jogo é na Luz admitia Jesualdo que o árbitro para ser isento tem de ser corajoso?

Como se sabe esse árbitro assumiu que era benfiquista. Eu como adepto, acho que benfiquistas desses são bens dispensáveis e não fiquei muito contente com a sua nomeação. É que arbitragens passadas desse senhor estão-me atravessadas. E nem preciso de consulta. Digo de memória três jogos em que o Benfica foi excessivamente prejudicado por esse senhor:

Penafiel-Benfica 1-0, com quatro lances de penalty possíveis a favor do Benfica e nenhum assinalado.

Boavista-Benfica, no Bessa, acho que na época em que o Boavista foi campeão, com dois penalties favoráveis ao Benfica também esquecidos, ainda Mantorras era o jogador excepcional que os problemas fisícos fizeram com que não se consolidasse.

Mas se os prnalties que para serem marcados a favor do Benfica é preciso haver terramoto, marca esse senhor sem dificuldade nenhuma contra, até inventando-os:

Benfica-Sporting, com Liedson a mergulhar sem que Moreira lhe tocasse e no momento seguinte o guardião encarnado a ir buscar a bola no fundo da baliza após a concretização do penalty que Proença assinalou.

Depois disto e das recentes arbitragens do Porto: três golos antecedidos de fora de jogo com o Beira-Mar e um penalty não assinalado contra o Marítimo que daria o 1-1, quereria Jesualdo fazer apelo a que é preciso ter coragem para não marcar penalties que são ( a favor do Benfica), e marcar penalties que não são (contra o Benfica?). Veremos… Ainda não se esgotaram os ecos do golo que o Benfica marcou e que não valeu porque Baía não podia dar frangos.

Para além da arbitragem veremos quem tem armas a sério amanhã para jogar ao ataque. Se as armas são como as dos Estados Unidos utilizadas no ataque ao Iraque ou se são as balas do Raul Solnado que depois de disparadas se têm de ir buscar outra vez para recarregar.

Deixo um desejo final: Com tanto ataque, que não haja mortos, nem feridos de verdade!

Penafiel-Benfica – 7 Maio 2005
O que é que Proença anda a fazer – Maio de 2005

 

Ao ataque !!!

Filed under: arbitragem,Benfica,comentário,FC Porto — looking4good @ 12:50 pm

Já só falta um dia. E o ambiente aquece em Março friorento…

Os jogos da selecção de Portugal, fizeram com que o ambiente antes do clásico Benfica-Porto não aquecesse demasiado antes do tempo. Porém, com a proximidade do jogo, o entusiasmo aumenta. E vai sendo tempo para jogar ao ataque, mesmo antes do jogo começar.

Jesualdo começou dizendo que o Porto vai jogar ao ataque porque não sabe fazer outra coisa. Fernando Santos replica dizendo que tem confiança nos seus jogadores e que espera estar em primeiro às 11 horas da noite de amanhã.

Acho que as declarações de ambos se enquadram dentro do desportivismo aceitável e que não ultrapassaram os limites da sã convivencia. Ainda bem

Mas Jesualdo disse qualquer coisa subliminar relativamente ao árbitro Paulo Proença, que esperava que ele fizesse uma arbitragem de coragem! Isto aqui, já tem água no bico. Como o jogo é na Luz admitia Jesualdo que o árbitro para ser isento tem de ser corajoso?

Como se sabe esse árbitro assumiu que era benfiquista. Eu como adepto, acho que benfiquistas desses são bens dispensáveis e não fiquei muito contente com a sua nomeação. É que arbitragens passadas desse senhor estão-me atravessadas. E nem preciso de consulta. Digo de memória três jogos em que o Benfica foi excessivamente prejudicado por esse senhor:

Penafiel-Benfica 1-0, com quatro lances de penalty possíveis a favor do Benfica e nenhum assinalado.

Boavista-Benfica, no Bessa, acho que na época em que o Boavista foi campeão, com dois penalties favoráveis ao Benfica também esquecidos, ainda Mantorras era o jogador excepcional que os problemas fisícos fizeram com que não se consolidasse.

Mas se os prnalties que para serem marcados a favor do Benfica é preciso haver terramoto, marca esse senhor sem dificuldade nenhuma contra, até inventando-os:

Benfica-Sporting, com Liedson a mergulhar sem que Moreira lhe tocasse e no momento seguinte o guardião encarnado a ir buscar a bola no fundo da baliza após a concretização do penalty que Proença assinalou.

Depois disto e das recentes arbitragens do Porto: três golos antecedidos de fora de jogo com o Beira-Mar e um penalty não assinalado contra o Marítimo que daria o 1-1, quereria Jesualdo fazer apelo a que é preciso ter coragem para não marcar penalties que são ( a favor do Benfica), e marcar penalties que não são (contra o Benfica?). Veremos… Ainda não se esgotaram os ecos do golo que o Benfica marcou e que não valeu porque Baía não podia dar frangos.

Para além da arbitragem veremos quem tem armas a sério amanhã para jogar ao ataque. Se as armas são como as dos Estados Unidos utilizadas no ataque ao Iraque ou se são as balas do Raul Solnado que depois de disparadas se têm de ir buscar outra vez para recarregar.

Deixo um desejo final: Com tanto ataque, que não haja mortos, nem feridos de verdade!

Penafiel-Benfica – 7 Maio 2005
O que é que Proença anda a fazer – Maio de 2005

 

Allgarve Março 30, 2007

Filed under: Algarve,comentário,Portugal — looking4good @ 7:31 pm

Afinal quem começou esta «palermice»? E assim anda este nosso Portugall !