Nothingandall

Just another WordPress.com weblog

Soneto Lírico – Gregório de Matos Dezembro 20, 2007

Filed under: Gregório de Matos,poesia — looking4good @ 1:36 am

Quem viu mal como o meu, sem meio activo?
Pois, no que me sustenta e me maltrata,
é fero quando a morte me dilata,
quando a vida me tira é compassivo!

Oh! do meu padecer alto motivo!
Mas oh! do meu martírio pena ingrata!
Uma vez inconstante, pois me mata;
muitas vezes cruel, pois me tem vivo!

Já não há, não, remédio, confianças,
que a Morte a destruir não tem alentos,
quando a Vida em penar não tem mudanças;

e quer meu mal, dobrando os meus tormentos,
que esteja morto para as esperanças
e que arda vivo para os sentimentos.

Gregório de Matos (n. 20 Dez. 1633 em São Salvador (BA); m. em 1696 no Recife (PE)).

in «A Circulatura do Quadrado – Alguns dos Mais Belos Sonetos de Poetas cuja Mátria É a Língua Portuguesa. Introdução, coordenação e notas de António Ruivo Mouzinho. Edições Unicepe – Cooperativa Livreira de Estudantes do Porto, 2004

Anúncios