Nothingandall

Just another WordPress.com weblog

Há 40 anos estava triste … Maio 29, 2008

Filed under: Benfica,Champions League,efemerides,football,Futebol,Manchester United — looking4good @ 3:14 am
Anúncios
 

Há 40 anos estava triste …

Filed under: Benfica,Champions League,efemerides,football,Futebol,Manchester United — looking4good @ 3:14 am
 

Manchester United é o campeão europeu Maio 21, 2008

Man United

1-1 (6-5 pen.)

Chelsea

O Manchester ganhou mais uma Taça confirmando no duelo europeu o triunfo que conseguira no duelo inglês interno. Começou bem o Manchester que foi superior na primeira parte. Avançou no marcador por Cristiano Ronaldo com um excelente golo de cabeça, esteve perto de fazer o 2-0 numa jogada iniciada também por ele e parecia um jogo talhado para o Man. United e para Ronaldo. No entanto, um golo ao cair da primeira parte numa jogada cheia de ressaltos deu o empate ao Chelsea por Lampard o que a produção do jogo até então não justificava.

Na segunda parte a situação modificou-se e foi Lampard, Essien & Ca. que se superiorizou à equipa de Manchester. Com mais segurança na troca de bola e um jogo mais colectivo o Chelsea ameaçou passar para a frente no marcador. Drogba, que fez pouco, atirou um pontapé sensacional ao poste e Lampard voltou a acertar com a bola nos limites (entenda-se a barra) da baliza de Van der Saar. Cristiano Ronaldo a jogar muito chegado à linha esquerda do campo não tinha espaços e a sua influencia na segunda parte foi menor…

No prolongamento o jogo decorreu mais aberto, o físico começou a ceder com vários jogadores a revelarem dificuldades num confronto muito disputado e a decisão iria ser tomada por penalties, não sem que antes num desentendimento enorme motivado por coisa pouca, Drogba tenha sido expulso a 3′ do final do prolongamento.

Nos penalties Ronaldo o 3º. do Manchester falhou e como todos os outros marcaram cabia ao capitão do Chelsea John Terry marcar o 5º. e ganhar a Taça. Inacreditavelmente o pé de apoio, esquerdo, escorregou antes de desferir o remate fatal com o pé direito e a bola saiu ao lado da baliza. O milagre para o Man I»United e para Ronaldo estava a caminho. Anderson e Nani maracariam os penalties e Anelka permitiu a defesa de Vander Saar.

O Man Unieted colecciona mais uma Taça enquanto o Chelsea conseguiu a sua primeira presença numa final europeia mas saiu derrotado (Mournho não se deve ter importado muito).

A arbitragen esteve em bom plano num jogo difícil, mas errou várias vezes nas marcações de cantos vs pontapés de baliza.

Ficha do jogo:
Estádio Luzhniki, em Moscovo

Árbitro: Lubos Michel (Eslováquia)

MANCHESTER UNITED – Van der Sar; Wes Brown (Anderson, 123m), Ferdinand, Vidic, Evra; Hargreaves, Scholes (Giggs, 87m), Carrick e Cristiano Ronaldo; Rooney (Nani, 101m) e Tevez.
CHELSEA – Cech; Essien, Terry, Ricardo Carvalho, Ashley Cole; Ballack, Makelele (Belleti, 120m) e Lampard; Joe Cole (Anelka, 98m), Drogba e Malouda (Kalou, 92m).
Ao intervalo: 1-1

Golos: 1-0, Cristiano Ronaldo (26); 1-1, Lampard (45).

Grandes penalidades: 6-5

Acção disciplinar: cartão amarelo a Makelele, Scholes, Ferdinand, Ricardo Carvalho, Vidic, Ballack, Tevez. Cartão vermelho para Drogba.

 

Manchester United é o campeão europeu

Man United

1-1 (6-5 pen.)

Chelsea

O Manchester ganhou mais uma Taça confirmando no duelo europeu o triunfo que conseguira no duelo inglês interno. Começou bem o Manchester que foi superior na primeira parte. Avançou no marcador por Cristiano Ronaldo com um excelente golo de cabeça, esteve perto de fazer o 2-0 numa jogada iniciada também por ele e parecia um jogo talhado para o Man. United e para Ronaldo. No entanto, um golo ao cair da primeira parte numa jogada cheia de ressaltos deu o empate ao Chelsea por Lampard o que a produção do jogo até então não justificava.

Na segunda parte a situação modificou-se e foi Lampard, Essien & Ca. que se superiorizou à equipa de Manchester. Com mais segurança na troca de bola e um jogo mais colectivo o Chelsea ameaçou passar para a frente no marcador. Drogba, que fez pouco, atirou um pontapé sensacional ao poste e Lampard voltou a acertar com a bola nos limites (entenda-se a barra) da baliza de Van der Saar. Cristiano Ronaldo a jogar muito chegado à linha esquerda do campo não tinha espaços e a sua influencia na segunda parte foi menor…

No prolongamento o jogo decorreu mais aberto, o físico começou a ceder com vários jogadores a revelarem dificuldades num confronto muito disputado e a decisão iria ser tomada por penalties, não sem que antes num desentendimento enorme motivado por coisa pouca, Drogba tenha sido expulso a 3′ do final do prolongamento.

Nos penalties Ronaldo o 3º. do Manchester falhou e como todos os outros marcaram cabia ao capitão do Chelsea John Terry marcar o 5º. e ganhar a Taça. Inacreditavelmente o pé de apoio, esquerdo, escorregou antes de desferir o remate fatal com o pé direito e a bola saiu ao lado da baliza. O milagre para o Man I»United e para Ronaldo estava a caminho. Anderson e Nani maracariam os penalties e Anelka permitiu a defesa de Vander Saar.

O Man Unieted colecciona mais uma Taça enquanto o Chelsea conseguiu a sua primeira presença numa final europeia mas saiu derrotado (Mournho não se deve ter importado muito).

A arbitragen esteve em bom plano num jogo difícil, mas errou várias vezes nas marcações de cantos vs pontapés de baliza.

Ficha do jogo:
Estádio Luzhniki, em Moscovo

Árbitro: Lubos Michel (Eslováquia)

MANCHESTER UNITED – Van der Sar; Wes Brown (Anderson, 123m), Ferdinand, Vidic, Evra; Hargreaves, Scholes (Giggs, 87m), Carrick e Cristiano Ronaldo; Rooney (Nani, 101m) e Tevez.
CHELSEA – Cech; Essien, Terry, Ricardo Carvalho, Ashley Cole; Ballack, Makelele (Belleti, 120m) e Lampard; Joe Cole (Anelka, 98m), Drogba e Malouda (Kalou, 92m).
Ao intervalo: 1-1

Golos: 1-0, Cristiano Ronaldo (26); 1-1, Lampard (45).

Grandes penalidades: 6-5

Acção disciplinar: cartão amarelo a Makelele, Scholes, Ferdinand, Ricardo Carvalho, Vidic, Ballack, Tevez. Cartão vermelho para Drogba.

 

Manchester United é o campeão europeu

Man United

1-1 (6-5 pen.)

Chelsea

O Manchester ganhou mais uma Taça confirmando no duelo europeu o triunfo que conseguira no duelo inglês interno. Começou bem o Manchester que foi superior na primeira parte. Avançou no marcador por Cristiano Ronaldo com um excelente golo de cabeça, esteve perto de fazer o 2-0 numa jogada iniciada também por ele e parecia um jogo talhado para o Man. United e para Ronaldo. No entanto, um golo ao cair da primeira parte numa jogada cheia de ressaltos deu o empate ao Chelsea por Lampard o que a produção do jogo até então não justificava.

Na segunda parte a situação modificou-se e foi Lampard, Essien & Ca. que se superiorizou à equipa de Manchester. Com mais segurança na troca de bola e um jogo mais colectivo o Chelsea ameaçou passar para a frente no marcador. Drogba, que fez pouco, atirou um pontapé sensacional ao poste e Lampard voltou a acertar com a bola nos limites (entenda-se a barra) da baliza de Van der Saar. Cristiano Ronaldo a jogar muito chegado à linha esquerda do campo não tinha espaços e a sua influencia na segunda parte foi menor…

No prolongamento o jogo decorreu mais aberto, o físico começou a ceder com vários jogadores a revelarem dificuldades num confronto muito disputado e a decisão iria ser tomada por penalties, não sem que antes num desentendimento enorme motivado por coisa pouca, Drogba tenha sido expulso a 3′ do final do prolongamento.

Nos penalties Ronaldo o 3º. do Manchester falhou e como todos os outros marcaram cabia ao capitão do Chelsea John Terry marcar o 5º. e ganhar a Taça. Inacreditavelmente o pé de apoio, esquerdo, escorregou antes de desferir o remate fatal com o pé direito e a bola saiu ao lado da baliza. O milagre para o Man I»United e para Ronaldo estava a caminho. Anderson e Nani maracariam os penalties e Anelka permitiu a defesa de Vander Saar.

O Man Unieted colecciona mais uma Taça enquanto o Chelsea conseguiu a sua primeira presença numa final europeia mas saiu derrotado (Mournho não se deve ter importado muito).

A arbitragen esteve em bom plano num jogo difícil, mas errou várias vezes nas marcações de cantos vs pontapés de baliza.

Ficha do jogo:
Estádio Luzhniki, em Moscovo

Árbitro: Lubos Michel (Eslováquia)

MANCHESTER UNITED – Van der Sar; Wes Brown (Anderson, 123m), Ferdinand, Vidic, Evra; Hargreaves, Scholes (Giggs, 87m), Carrick e Cristiano Ronaldo; Rooney (Nani, 101m) e Tevez.
CHELSEA – Cech; Essien, Terry, Ricardo Carvalho, Ashley Cole; Ballack, Makelele (Belleti, 120m) e Lampard; Joe Cole (Anelka, 98m), Drogba e Malouda (Kalou, 92m).
Ao intervalo: 1-1

Golos: 1-0, Cristiano Ronaldo (26); 1-1, Lampard (45).

Grandes penalidades: 6-5

Acção disciplinar: cartão amarelo a Makelele, Scholes, Ferdinand, Ricardo Carvalho, Vidic, Ballack, Tevez. Cartão vermelho para Drogba.

 

Outra vez ? Sporting e o estigma dos últimos minutos Novembro 27, 2007

Sporting logoMan. United logo
Man. United

2 – 1

Sporting

Tire-se 5 minutos aos jogos e o Sporting continuaria na Champions

O Sporting com praticamente nulas probabilidades de continuar na Champions e a não depender de si próprio (bastaria a Roma ganhar em Kyiv para o Sporting fizesse o que fizesse estar de fora) tinha porém um jogo apetitoso, para demonstrar a capacidade dos seus jovens, perante o Manchester United já qualificado e 75.000 espectadores ao vivo.

Pois a equipa de Paulo Bento soube bem interpretar tal facto e jogou na primeira oparte desinibida no campo todo e ganhou um ânimo extra com a obtenção de um golo de Abel num remate da direita quase junto à lateral que surpreendeu o guarda-redes polaco Kuszczak da equipa inglesa, que imaginaria um centro.

A verdade é que os ingleses claudicaram nessa fase do jogo e o Sporting ameaçou o 0-2 que não deixaria de ser surpreendente. A bola chegou mesmo a entrar na baliza do Man. United pela segunda vez, mas Liedson estava em fora de jogo e o lance foi anulado.

O ritmo e intensidade de jogo durante a primeira parte não foi alto e por isso o Sporting foi gerindo bem as coisas. Nesta altura a Roma já ganhava por 3-0 em Kyiv e por isso o Sporting estava fora da Champions mesmo ganhando e estava dentro da Uefa mesmo perdendo.

Na segunda parte logo na reentrada Carlos Tevez e Giggs na equipa por troca de Nani e o jogo foi bem diferente. O Man. United acelerou, a intensidade aumentava e o Sporting passou por problemas. O empate era inevitável e aconteceu deopois de um deses desiquilibrios provocados pela insistencia de jogo. Cruzamento da esquerda para Cristiano Roonaldo falhar o remate a bola sairia ao lado mas Had , apertado por Tevez, desviou a bola para o fundo da baliza.

Com 1-1 o o jogo voltou a a amenizar, mas o Sporting nunca conseguiu o equilíbrio de jogo da primeira parte. Purovic era uma unidade a menos e demorou Paulo Bento em fazer as substituições. A primeira substituição foi para sair Romagnoli e só por volta dos oitenta minutos é que saiu Purovic esforçado mas inconsequente e Izmailov para entrarem Farnerud e Pereirinha. Maus passes na linha defensiva deram as jogadas de maior perigo para o Man. United com Rui Patrício a evitar o golo de Hargreaves recém-entrado depois de uma assistencia de João Moutinho!!

Restava ao Sporting contabilizar um ponto mas nos últimos minutos «decidiu» não sair de perto da baliza com Liedson a fazer uma falta perveitamente escusada e Cristiano Ronaldo a facturar na marcação de livre.

Pois é. Já viste este filme … e não foi há muito tempo.

A arbitragem que em certod lances da primeira parte pareceu caseira ( então aquela entrada de O«Shea a João Moutoinha merecedora de amarelo nem falta foi?) acabou por fazer uma arbitragem razoável não acedendo aos pedidos de penalties do Man. United em lance casual com a bola a tocar na mão de Miguel Veloso e mostrando o cartão amarelo ao jogador do Manchester que simulou uma falta.

Ficha do jogo:

LIGA DOS CAMPEÕES – 5.ª JORNADA (GRUPO F)
MANCHESTER UNITED-SPORTING

Estádio Old Trafford, em Manchester
Hora: 19:45
Árbitro: Claus Bo Larsen (Dinamarca)

MANCHESTER UNITED
Kuszczak; O’Shea, Ferdinand, Vidic e Evra; Carrick, Fletcher e Anderson; Cristiano Ronaldo, Saha e Nani

SPORTING
Rui Patrício; Abel, Tonel, Polga e Had; Miguel Veloso, João Moutinho, Romagnoli (Vukcevic 68′) Izmailov (Farnerud 82′); Purovic (Pereirinha 82′) e Liedson

Golos: 0-1 Abel em remate cruzado da direita com a bola a entrar ao primeiro poste
1-1 Had (p. b) 61′ a desviar remate de Cristiano Ronaldo
2- 1 Cristiano Ronaldo na marcação de um livre directo (90+3′)

Acção Disciplinar:
47′ – Cartão amarelo para Had por falta sobre Tévez.
81′ – Cartão amarelo a Cristiano Ronaldo por protestos.
83′ – Cartão amarelo a Evra por simular um penálti.
88′ – Cartão amarelo para Polga por falta sobre Ronaldo.

 

Outra vez ? Sporting e o estigma dos últimos minutos

Sporting logoMan. United logo
Man. United

2 – 1

Sporting

Tire-se 5 minutos aos jogos e o Sporting continuaria na Champions

O Sporting com praticamente nulas probabilidades de continuar na Champions e a não depender de si próprio (bastaria a Roma ganhar em Kyiv para o Sporting fizesse o que fizesse estar de fora) tinha porém um jogo apetitoso, para demonstrar a capacidade dos seus jovens, perante o Manchester United já qualificado e 75.000 espectadores ao vivo.

Pois a equipa de Paulo Bento soube bem interpretar tal facto e jogou na primeira oparte desinibida no campo todo e ganhou um ânimo extra com a obtenção de um golo de Abel num remate da direita quase junto à lateral que surpreendeu o guarda-redes polaco Kuszczak da equipa inglesa, que imaginaria um centro.

A verdade é que os ingleses claudicaram nessa fase do jogo e o Sporting ameaçou o 0-2 que não deixaria de ser surpreendente. A bola chegou mesmo a entrar na baliza do Man. United pela segunda vez, mas Liedson estava em fora de jogo e o lance foi anulado.

O ritmo e intensidade de jogo durante a primeira parte não foi alto e por isso o Sporting foi gerindo bem as coisas. Nesta altura a Roma já ganhava por 3-0 em Kyiv e por isso o Sporting estava fora da Champions mesmo ganhando e estava dentro da Uefa mesmo perdendo.

Na segunda parte logo na reentrada Carlos Tevez e Giggs na equipa por troca de Nani e o jogo foi bem diferente. O Man. United acelerou, a intensidade aumentava e o Sporting passou por problemas. O empate era inevitável e aconteceu deopois de um deses desiquilibrios provocados pela insistencia de jogo. Cruzamento da esquerda para Cristiano Roonaldo falhar o remate a bola sairia ao lado mas Had , apertado por Tevez, desviou a bola para o fundo da baliza.

Com 1-1 o o jogo voltou a a amenizar, mas o Sporting nunca conseguiu o equilíbrio de jogo da primeira parte. Purovic era uma unidade a menos e demorou Paulo Bento em fazer as substituições. A primeira substituição foi para sair Romagnoli e só por volta dos oitenta minutos é que saiu Purovic esforçado mas inconsequente e Izmailov para entrarem Farnerud e Pereirinha. Maus passes na linha defensiva deram as jogadas de maior perigo para o Man. United com Rui Patrício a evitar o golo de Hargreaves recém-entrado depois de uma assistencia de João Moutinho!!

Restava ao Sporting contabilizar um ponto mas nos últimos minutos «decidiu» não sair de perto da baliza com Liedson a fazer uma falta perveitamente escusada e Cristiano Ronaldo a facturar na marcação de livre.

Pois é. Já viste este filme … e não foi há muito tempo.

A arbitragem que em certod lances da primeira parte pareceu caseira ( então aquela entrada de O«Shea a João Moutoinha merecedora de amarelo nem falta foi?) acabou por fazer uma arbitragem razoável não acedendo aos pedidos de penalties do Man. United em lance casual com a bola a tocar na mão de Miguel Veloso e mostrando o cartão amarelo ao jogador do Manchester que simulou uma falta.

Ficha do jogo:

LIGA DOS CAMPEÕES – 5.ª JORNADA (GRUPO F)
MANCHESTER UNITED-SPORTING

Estádio Old Trafford, em Manchester
Hora: 19:45
Árbitro: Claus Bo Larsen (Dinamarca)

MANCHESTER UNITED
Kuszczak; O’Shea, Ferdinand, Vidic e Evra; Carrick, Fletcher e Anderson; Cristiano Ronaldo, Saha e Nani

SPORTING
Rui Patrício; Abel, Tonel, Polga e Had; Miguel Veloso, João Moutinho, Romagnoli (Vukcevic 68′) Izmailov (Farnerud 82′); Purovic (Pereirinha 82′) e Liedson

Golos: 0-1 Abel em remate cruzado da direita com a bola a entrar ao primeiro poste
1-1 Had (p. b) 61′ a desviar remate de Cristiano Ronaldo
2- 1 Cristiano Ronaldo na marcação de um livre directo (90+3′)

Acção Disciplinar:
47′ – Cartão amarelo para Had por falta sobre Tévez.
81′ – Cartão amarelo a Cristiano Ronaldo por protestos.
83′ – Cartão amarelo a Evra por simular um penálti.
88′ – Cartão amarelo para Polga por falta sobre Ronaldo.