Nothingandall

Just another WordPress.com weblog

Poetas do Amor – Fiama Hasse Pais Brandão (no 2º. aniversário da sua morte) Janeiro 19, 2009

Filed under: Fiama Hasse Pais Brandão,poesia — looking4good @ 1:26 am

Senão todos algum
de nós reproduz diversos os mesmos lugares
E aquela que entra no verso para percorrer
atrás da tua sombra serei eu.

in Poemas de Amor, antologia de poesia portuguesa organização e prefácio de Inês Pedrosa, Publicações Dom Quixote

Fiama Hasse Pais Brandão (n. Lisboa 15 Ago. 1938; m. em Lisboa a 19 Jan. 2007)

Ler do mesmo autor Olhar é o Amor Total

Anúncios
 

Amor é o olhar Total – Fiama Hasse Pais Brandão Janeiro 19, 2008

Filed under: amor,Fiama Hasse Pais Brandão,poesia — looking4good @ 1:13 am


Amor é o olhar total, que nunca pode
ser cantado nos poemas ou na música,
porque é tão-só próprio e bastante,
em si mesmo absoluto táctil,
que me cega, como a chuva cai
na minha cara, de faces nuas,
oferecidas sempre à água.

Fiama Hasse Pais Brandão (n. Lisboa 15 Ago. 1938; m. em Lisboa a 19 Jan. 2007)

 

Amor é o olhar Total – Fiama Hasse Pais Brandão

Filed under: amor,Fiama Hasse Pais Brandão,poesia — looking4good @ 1:13 am


Amor é o olhar total, que nunca pode
ser cantado nos poemas ou na música,
porque é tão-só próprio e bastante,
em si mesmo absoluto táctil,
que me cega, como a chuva cai
na minha cara, de faces nuas,
oferecidas sempre à água.

Fiama Hasse Pais Brandão (n. Lisboa 15 Ago. 1938; m. em Lisboa a 19 Jan. 2007)

 

Amor é o olhar Total – Fiama Hasse Pais Brandão

Filed under: amor,Fiama Hasse Pais Brandão,poesia — looking4good @ 1:13 am


Amor é o olhar total, que nunca pode
ser cantado nos poemas ou na música,
porque é tão-só próprio e bastante,
em si mesmo absoluto táctil,
que me cega, como a chuva cai
na minha cara, de faces nuas,
oferecidas sempre à água.

Fiama Hasse Pais Brandão (n. Lisboa 15 Ago. 1938; m. em Lisboa a 19 Jan. 2007)

 

Amor é o olhar Total – Fiama Hasse Pais Brandão

Filed under: amor,Fiama Hasse Pais Brandão,poesia — looking4good @ 1:13 am


Amor é o olhar total, que nunca pode
ser cantado nos poemas ou na música,
porque é tão-só próprio e bastante,
em si mesmo absoluto táctil,
que me cega, como a chuva cai
na minha cara, de faces nuas,
oferecidas sempre à água.

Fiama Hasse Pais Brandão (n. Lisboa 15 Ago. 1938; m. em Lisboa a 19 Jan. 2007)