Nothingandall

Just another WordPress.com weblog

Cristiano Ronaldo – Messi na final da Champions! Maio 6, 2009

Filed under: Barcelona,Champions League,Chelsea — looking4good @ 8:48 pm

Barcelona logoChelsea logo

Chelsea

1-1

Barcelona

E o incrível aconteceu numa injustiça do tamanho do mundo…

Depois de ter empatado a zero em Barcelona o Chelsea ainda cedo no jogo (9′) conseguiu colocar-se em vantagem num grande remate de Essien. O Barcelona dispôs de mais posse de bola mas foi completamente manietado pela organização tactica do Chelsea. Em contrapartida jogadas rápidas colocavam problemas para os espanhóis com Valdez a ter que intervir para evitar o 2-0.

O árbitro um norueguês grande de tamanho mas pequeno em qualidade para este nível de futebol (e que vai ser muito falado face ao desfecho final) começava um chorrilho de erros ao marcar uma falta junto da lateral da área esquerda do lado ofensivo do Chelsea mas do lado de fora da área quando deveria ter assinalado isso sim grande penalidade.

Os ingleses na segunda parte, porventura de modo ainda mais vincado, superiorizaram-se em jogadas de perigo e a eliminatória ainda que dependente apenas por um golo nunca pareceu aos espectadores do jogo tão segura, face à inofensividade do Barcelona. A máquina de jogo atacante e de golos da equipa espanhola pura e simplesmente não existiu neste jogo! Arranques de Drogba e Anelka davam para esperar o 2-0, que Tom Henning não permitiu ao deixar em claro mais uns dois ou três lances dentro da área do Barcelona sem assinalar falta. Um deles verdadeiramente lamentável, tão claro foi o corte com o braço de Piqué.

Em mais uma ofensiva Anelka adiantou-se à defesa espanhola e estatelou-se; o árbitro por indicação do assistente mostrou o cartão vermelho a Abidal, mas também aqui erradamente, na minha opinião. Se o Barcelona com onze não incomodava, com dez nunca ameaçou o empate. Zero ! isso zero, nenhum, absolutamente nada, em termos de remates em direcção à baliza de Cech até ao minuto 92′. A Guardiola saiu, porém, o jackpot do Euromilhões, sem sequer ter apostado!! Um cruzamento da direita para a área foi afastado de cabeça por um defesa do Chelsea mas a bola sobrou para a esquerda do ataque do Barcelona, onde Messi deu para o meio aparecendo Iniesta a concluir com um pontapé fabuloso e empatou o jogo, dando o triunfo na eliminatória. Já com 1-1 foi Guardiola a queimar as substituições e o Chelsea com Cech incorporado no ataque a tentar o milagre. Ainda houve outro lance polémico na área espanhola mas aí só a má consciência do árbitro poderia ter invertido as coisas.

Numa das maiores injustiças do futebol a que temos assistido o Barcelona apurou-se para disputar o ceptro com o Manchester United que ontem venceu e convenceu ao bater o Arsenal com 3-1 e com o português Cristiano Ronaldo a fazer dois golos e uma muito boa exibição elogiada hoje pela imprensa europeia.

Quanto à arbitragem já disse tudo. A incompetência não é apenas ao nível dos jogos nacionais. Mas estava longe de imaginar que numa meia-final da Champions League um árbitro pudesse estar tão mal. Três ou quatro penallties foram sonegados ao Chelsea, que mesmo assim pareceu sempre tão confortável na liderança e mesmo no fim sofreu o xeque-mate à Hitchcock!

Ficha de jogo:

Estádio Stamford Bridge

Árbitro: Tom Henning (Noruega)

Equipas:
CHELSEA – Cech; Bosingwa, Alex, Terry e Ashley Cole; Ballack, Essien e Lampard; Anelka, Drogba (Belleti, 71m) e Malouda.

BARCELONA – Valdés; Daniel Alves, Piqué, Touré e Abidal; Xavi, Busquets (Krkic, 81m), Keita e Iniesta; Messi e Etoo.

Marcadores: 1-0, Essien (9m)

Acção disciplinar: Cartão amarelo a Daniel Alves, Essien, Alex, Etoo, Drogba. Cartão vermelho a Abidal.

Anúncios
 

Mourinho critica época do Chelsea Maio 26, 2008

Filed under: Actualidade,Chelsea,Futebol,José Mourinho — looking4good @ 9:37 pm
José Mourinho, com saudades de protagonismo, não perde o seu tom de arrogância e critica a época do Chelsea, ou seja critica o seu sucessor. A verdade é que este até surpreendeu ao pôr o Chelsea a jogar de modo mais atractivo do que fazia ultimamente o treinador português.

Com efeito, o que diria Mourinho se o Chelsea tivesse ganho a Liga dos Campeões como esteve à distancia de um fio de cabelo por acontecer?

Referindo-se à época do Chelsea o treinador português disse ao jornal Daily Telegraph que “Na minha filosofia a época foi má, pois no futebol o quase é sinónimo de derrota e o Chelsea quase ganhou a Taça da Liga, quase ganhou a Liga inglesa e quase ganhou a Liga dos Campeões. Quase é nada”.

A verdade é que quando o treinador português foi demitido o Chelsea estava em quarto lugar a grande distancia do primeiro e o campeonato acabou com a resolução do campeão apenas na última jornada… Na Liga dos Campeões Mourinho nunca levou o Chelsea à final…

Podia estar calado o treinador português nesta oportunidade, mas para quem se auto-titula «the special one» percebe-se a alegria que teve por aquele escorreganço de última hora de John Terry…

 

Manchester United é o campeão europeu Maio 21, 2008

Man United

1-1 (6-5 pen.)

Chelsea

O Manchester ganhou mais uma Taça confirmando no duelo europeu o triunfo que conseguira no duelo inglês interno. Começou bem o Manchester que foi superior na primeira parte. Avançou no marcador por Cristiano Ronaldo com um excelente golo de cabeça, esteve perto de fazer o 2-0 numa jogada iniciada também por ele e parecia um jogo talhado para o Man. United e para Ronaldo. No entanto, um golo ao cair da primeira parte numa jogada cheia de ressaltos deu o empate ao Chelsea por Lampard o que a produção do jogo até então não justificava.

Na segunda parte a situação modificou-se e foi Lampard, Essien & Ca. que se superiorizou à equipa de Manchester. Com mais segurança na troca de bola e um jogo mais colectivo o Chelsea ameaçou passar para a frente no marcador. Drogba, que fez pouco, atirou um pontapé sensacional ao poste e Lampard voltou a acertar com a bola nos limites (entenda-se a barra) da baliza de Van der Saar. Cristiano Ronaldo a jogar muito chegado à linha esquerda do campo não tinha espaços e a sua influencia na segunda parte foi menor…

No prolongamento o jogo decorreu mais aberto, o físico começou a ceder com vários jogadores a revelarem dificuldades num confronto muito disputado e a decisão iria ser tomada por penalties, não sem que antes num desentendimento enorme motivado por coisa pouca, Drogba tenha sido expulso a 3′ do final do prolongamento.

Nos penalties Ronaldo o 3º. do Manchester falhou e como todos os outros marcaram cabia ao capitão do Chelsea John Terry marcar o 5º. e ganhar a Taça. Inacreditavelmente o pé de apoio, esquerdo, escorregou antes de desferir o remate fatal com o pé direito e a bola saiu ao lado da baliza. O milagre para o Man I»United e para Ronaldo estava a caminho. Anderson e Nani maracariam os penalties e Anelka permitiu a defesa de Vander Saar.

O Man Unieted colecciona mais uma Taça enquanto o Chelsea conseguiu a sua primeira presença numa final europeia mas saiu derrotado (Mournho não se deve ter importado muito).

A arbitragen esteve em bom plano num jogo difícil, mas errou várias vezes nas marcações de cantos vs pontapés de baliza.

Ficha do jogo:
Estádio Luzhniki, em Moscovo

Árbitro: Lubos Michel (Eslováquia)

MANCHESTER UNITED – Van der Sar; Wes Brown (Anderson, 123m), Ferdinand, Vidic, Evra; Hargreaves, Scholes (Giggs, 87m), Carrick e Cristiano Ronaldo; Rooney (Nani, 101m) e Tevez.
CHELSEA – Cech; Essien, Terry, Ricardo Carvalho, Ashley Cole; Ballack, Makelele (Belleti, 120m) e Lampard; Joe Cole (Anelka, 98m), Drogba e Malouda (Kalou, 92m).
Ao intervalo: 1-1

Golos: 1-0, Cristiano Ronaldo (26); 1-1, Lampard (45).

Grandes penalidades: 6-5

Acção disciplinar: cartão amarelo a Makelele, Scholes, Ferdinand, Ricardo Carvalho, Vidic, Ballack, Tevez. Cartão vermelho para Drogba.

 

Manchester United é o campeão europeu

Man United

1-1 (6-5 pen.)

Chelsea

O Manchester ganhou mais uma Taça confirmando no duelo europeu o triunfo que conseguira no duelo inglês interno. Começou bem o Manchester que foi superior na primeira parte. Avançou no marcador por Cristiano Ronaldo com um excelente golo de cabeça, esteve perto de fazer o 2-0 numa jogada iniciada também por ele e parecia um jogo talhado para o Man. United e para Ronaldo. No entanto, um golo ao cair da primeira parte numa jogada cheia de ressaltos deu o empate ao Chelsea por Lampard o que a produção do jogo até então não justificava.

Na segunda parte a situação modificou-se e foi Lampard, Essien & Ca. que se superiorizou à equipa de Manchester. Com mais segurança na troca de bola e um jogo mais colectivo o Chelsea ameaçou passar para a frente no marcador. Drogba, que fez pouco, atirou um pontapé sensacional ao poste e Lampard voltou a acertar com a bola nos limites (entenda-se a barra) da baliza de Van der Saar. Cristiano Ronaldo a jogar muito chegado à linha esquerda do campo não tinha espaços e a sua influencia na segunda parte foi menor…

No prolongamento o jogo decorreu mais aberto, o físico começou a ceder com vários jogadores a revelarem dificuldades num confronto muito disputado e a decisão iria ser tomada por penalties, não sem que antes num desentendimento enorme motivado por coisa pouca, Drogba tenha sido expulso a 3′ do final do prolongamento.

Nos penalties Ronaldo o 3º. do Manchester falhou e como todos os outros marcaram cabia ao capitão do Chelsea John Terry marcar o 5º. e ganhar a Taça. Inacreditavelmente o pé de apoio, esquerdo, escorregou antes de desferir o remate fatal com o pé direito e a bola saiu ao lado da baliza. O milagre para o Man I»United e para Ronaldo estava a caminho. Anderson e Nani maracariam os penalties e Anelka permitiu a defesa de Vander Saar.

O Man Unieted colecciona mais uma Taça enquanto o Chelsea conseguiu a sua primeira presença numa final europeia mas saiu derrotado (Mournho não se deve ter importado muito).

A arbitragen esteve em bom plano num jogo difícil, mas errou várias vezes nas marcações de cantos vs pontapés de baliza.

Ficha do jogo:
Estádio Luzhniki, em Moscovo

Árbitro: Lubos Michel (Eslováquia)

MANCHESTER UNITED – Van der Sar; Wes Brown (Anderson, 123m), Ferdinand, Vidic, Evra; Hargreaves, Scholes (Giggs, 87m), Carrick e Cristiano Ronaldo; Rooney (Nani, 101m) e Tevez.
CHELSEA – Cech; Essien, Terry, Ricardo Carvalho, Ashley Cole; Ballack, Makelele (Belleti, 120m) e Lampard; Joe Cole (Anelka, 98m), Drogba e Malouda (Kalou, 92m).
Ao intervalo: 1-1

Golos: 1-0, Cristiano Ronaldo (26); 1-1, Lampard (45).

Grandes penalidades: 6-5

Acção disciplinar: cartão amarelo a Makelele, Scholes, Ferdinand, Ricardo Carvalho, Vidic, Ballack, Tevez. Cartão vermelho para Drogba.

 

Manchester United é o campeão europeu

Man United

1-1 (6-5 pen.)

Chelsea

O Manchester ganhou mais uma Taça confirmando no duelo europeu o triunfo que conseguira no duelo inglês interno. Começou bem o Manchester que foi superior na primeira parte. Avançou no marcador por Cristiano Ronaldo com um excelente golo de cabeça, esteve perto de fazer o 2-0 numa jogada iniciada também por ele e parecia um jogo talhado para o Man. United e para Ronaldo. No entanto, um golo ao cair da primeira parte numa jogada cheia de ressaltos deu o empate ao Chelsea por Lampard o que a produção do jogo até então não justificava.

Na segunda parte a situação modificou-se e foi Lampard, Essien & Ca. que se superiorizou à equipa de Manchester. Com mais segurança na troca de bola e um jogo mais colectivo o Chelsea ameaçou passar para a frente no marcador. Drogba, que fez pouco, atirou um pontapé sensacional ao poste e Lampard voltou a acertar com a bola nos limites (entenda-se a barra) da baliza de Van der Saar. Cristiano Ronaldo a jogar muito chegado à linha esquerda do campo não tinha espaços e a sua influencia na segunda parte foi menor…

No prolongamento o jogo decorreu mais aberto, o físico começou a ceder com vários jogadores a revelarem dificuldades num confronto muito disputado e a decisão iria ser tomada por penalties, não sem que antes num desentendimento enorme motivado por coisa pouca, Drogba tenha sido expulso a 3′ do final do prolongamento.

Nos penalties Ronaldo o 3º. do Manchester falhou e como todos os outros marcaram cabia ao capitão do Chelsea John Terry marcar o 5º. e ganhar a Taça. Inacreditavelmente o pé de apoio, esquerdo, escorregou antes de desferir o remate fatal com o pé direito e a bola saiu ao lado da baliza. O milagre para o Man I»United e para Ronaldo estava a caminho. Anderson e Nani maracariam os penalties e Anelka permitiu a defesa de Vander Saar.

O Man Unieted colecciona mais uma Taça enquanto o Chelsea conseguiu a sua primeira presença numa final europeia mas saiu derrotado (Mournho não se deve ter importado muito).

A arbitragen esteve em bom plano num jogo difícil, mas errou várias vezes nas marcações de cantos vs pontapés de baliza.

Ficha do jogo:
Estádio Luzhniki, em Moscovo

Árbitro: Lubos Michel (Eslováquia)

MANCHESTER UNITED – Van der Sar; Wes Brown (Anderson, 123m), Ferdinand, Vidic, Evra; Hargreaves, Scholes (Giggs, 87m), Carrick e Cristiano Ronaldo; Rooney (Nani, 101m) e Tevez.
CHELSEA – Cech; Essien, Terry, Ricardo Carvalho, Ashley Cole; Ballack, Makelele (Belleti, 120m) e Lampard; Joe Cole (Anelka, 98m), Drogba e Malouda (Kalou, 92m).
Ao intervalo: 1-1

Golos: 1-0, Cristiano Ronaldo (26); 1-1, Lampard (45).

Grandes penalidades: 6-5

Acção disciplinar: cartão amarelo a Makelele, Scholes, Ferdinand, Ricardo Carvalho, Vidic, Ballack, Tevez. Cartão vermelho para Drogba.

 

Champions League: Semi-final Abril 25, 2007

Filed under: Champions League,Chelsea,Liverpool — looking4good @ 6:02 pm


Chelsea
1-0

Liverpool

Chelsea without Essien saw Obi Mikel in great plan. Chelsea played better at the first time and Reina at 7′ with an excellent save avoided the goal by Lampard. However, Joe Cole scored after centre of Drogba on the right who overpassed Daniel Agger. The result was fair at the end of the first half.
The restart of the game showed a Liverpool more interested in attacking and it was the turn of Petr Čech (Chelsea) to make a great save after a kick by Gérrard. At 53′ Croush entered into the game (Bellamy out) in an attempt to put more problems in defensive Chelsea’s area

With Kalou in game (Chevchenko out 76′) Mascherano was cautioned by the referee at 77′ after a fault to avoid a dangerous attack

Last minutes Chelsea looked for a second goal and Drogba was close with a header after a corner, but the result is fair. So, Chelsea will take a slender 1-0 advantage with them when the two sides meet in the second leg at Anfield next Tuesday. Mourinho probably is satisfied with this advantage because they didn’t suffer any goal tonight and that can be a precious advantage.

The referree Markus Merk was well but Xabi Alonso at 24′ deserved to be caucioned with a yellow card.

Semi-finals – 25 April 2007 – Stamford Bridge – London
Referee: Markus Merk; Assistant referrees: Jan-Hendrik Salver and Carsten Kadack (Ger)

Chelsea: Cech, Paulo Ferreira, Terry, Ricardo Carvalho, Ashley Cole; Makelele, Obi Mikel, Lampard and Joe Cole (Wright-Philipps 85′) ; Shevchenko (Kalou 76′) and Drogba

Liverpool: Reina, John Arne, Riise Daniel, Agger Jamie, Carragher, Arbeloa, Boudewijn Zenden, Xabi Alonso (Pennant 82′) Javier Mascherano, Steven Gerrard; Craig Bellamy (Crouch 51′) Dirk Kuyt.

Goals: Joe Cole 29′
 

Champions League: Semi-final

Filed under: Champions League,Chelsea,Liverpool — looking4good @ 6:02 pm


Chelsea
1-0

Liverpool

Chelsea without Essien saw Obi Mikel in great plan. Chelsea played better at the first time and Reina at 7′ with an excellent save avoided the goal by Lampard. However, Joe Cole scored after centre of Drogba on the right who overpassed Daniel Agger. The result was fair at the end of the first half.
The restart of the game showed a Liverpool more interested in attacking and it was the turn of Petr Čech (Chelsea) to make a great save after a kick by Gérrard. At 53′ Croush entered into the game (Bellamy out) in an attempt to put more problems in defensive Chelsea’s area

With Kalou in game (Chevchenko out 76′) Mascherano was cautioned by the referee at 77′ after a fault to avoid a dangerous attack

Last minutes Chelsea looked for a second goal and Drogba was close with a header after a corner, but the result is fair. So, Chelsea will take a slender 1-0 advantage with them when the two sides meet in the second leg at Anfield next Tuesday. Mourinho probably is satisfied with this advantage because they didn’t suffer any goal tonight and that can be a precious advantage.

The referree Markus Merk was well but Xabi Alonso at 24′ deserved to be caucioned with a yellow card.

Semi-finals – 25 April 2007 – Stamford Bridge – London
Referee: Markus Merk; Assistant referrees: Jan-Hendrik Salver and Carsten Kadack (Ger)

Chelsea: Cech, Paulo Ferreira, Terry, Ricardo Carvalho, Ashley Cole; Makelele, Obi Mikel, Lampard and Joe Cole (Wright-Philipps 85′) ; Shevchenko (Kalou 76′) and Drogba

Liverpool: Reina, John Arne, Riise Daniel, Agger Jamie, Carragher, Arbeloa, Boudewijn Zenden, Xabi Alonso (Pennant 82′) Javier Mascherano, Steven Gerrard; Craig Bellamy (Crouch 51′) Dirk Kuyt.

Goals: Joe Cole 29′