Nothingandall

Just another WordPress.com weblog

Management Lesson (XI) – É tudo uma questão de circulação do dinheiro… Maio 25, 2009

Filed under: economia,Management — looking4good @ 7:36 pm
Nota de 100 eurosNuma pequena vila em que nada de especial acontece, sente-se a crise de forma profunda. Toda a gente deve a toda a gente.

Um turista, aparentemente rico, entra no pequeno hotel local. Pede um quarto e põe uma nota de 100 € no balcão.

Pede a chave do quarto e sobe ao 3º andar para verificar se o quarto lhe agrada.

O dono do hotel pega na nota de 100€ e paga ao fornecedor de carne a quem deve 100€.

O talhante pega no dinheiro e paga ao fornecedor de leitões os 100€ que devia há algum tempo.

Este, por sua vez, paga ao criador de gado que lhe vendera a carne. Por sua vez este, rapidamente, decide pagar os 100€ a uma prostituta que lhe avançara favores a crédito.

Esta recebe os 100€, dirige-se ao hotel onde devia 100€ pela utilização dos quartos onde recebia os clientes.

Neste momento o turista vai à recepção e informa o dono do hotel que o quarto proposto não lhe agrada e que pretende desistir.

Pede a devolução dos 100€. Recebe o dinheiro e sai.

Não houve neste movimento de dinheiro qualquer lucro ou valor acrescentado. Contudo, todos liquidaram as suas dívidas e a população desta vila passou a encarar o futuro com optimismo.

PS: O que falta é simplesmente que chegue o tal turista aparentemente rico e o dinheiro passe a circular!

Anúncios
 

Mais impostos e para 2008 ! Dezembro 5, 2008

Filed under: Actualidade,economia,impostos,opinião — looking4good @ 8:25 pm
Foi publicada no Díário da República a Lei n. 64/2008, de 5 de Dezembro, que segundo o preâmbulo «Aprova medidas fiscais anticíclicas, alterando o Código do IRS, o Código do IMI e o Estatuto dos Benefícios Fiscais, tendo em vista minorar o impacto nas famílias dos custos crescentes com a habitação, e cria uma taxa de tributação autónoma para empresas de fabricação e de distribuição de produtos petrolíferos refinados.»

Causa estranheza, que desde logo o preâmbulo não faça referência às outras medidas que toma, nomeadamente que aumenta as taxas de tributação autónoma de IRC (e IRS) e que altera o regime dos pagamentos por conta antecipando o prazo de vencimento da prestação de Dezembro para o dia 15.

São estas medidas anticílicas?

O aumento para o dobro das taxas de tributação autónomas sobre os encargos dedutíveis relativos a despesas de representação e a viaturas ligeiras de passageiros ou mistas, motos e motociclos representa estabelecer uma tendência de tributação contrária ao que deve ser a tributação do rendimento. Se o objectivo é aumentar pura e simplesmente as receitas fiscais então generalize-se a tributação autónoma e acabe-se com a tributação dos lucros (ou rendimentos)! Estamos perante mais um imposto indirecto, que assume uma relevância cada vez maior no meio da tributação directa.

Quanto aos benefícios às famílias eles passam simplesmente por aumentar em um ano o período de isenção de IMI e no estabelecimento de uma redução das taxas deste imposto.

O caso da tributação autónoma sobre a diferença de avaliação dos stocks das empresas de fabricação ou distribuição de produtos refinados resultante da adopção do FIFO ou do custo médio ponderado (métodos agora obrigatórios) face ao que estava adoptado na contabilidade, bem sabemos que, face à involução dos preços dos combustíveis, não deverá atingir os objectivos pretendidos.

O que é mais chocante é que, não sendo do ponto de vista jurídico (os impostos aos quais estas medidas se aplicam têm uma periodocidade anual e o período de 2008 ainda não está totalmetne transcorrido) rectroactiva, esta lei não deixa de assumir uma rectroactividade económica por demais evidente. Todas as despesas daquela natureza já incorridas vão ser taxadas pelo dobro da taxa anterior.

Por outro lado pergunta-se então as empresas que tinham de fazer o pagamento por conta até ao final de Dezembro, têm os seus orçamentos de tesouraria construidos vão ter de antecipar em quinze dias o pagamento ao Estado. E isto é dito a menos de 10 dias do vencimento? Porquê?

Mais uma vez o Governo (formalmente neste caso foi a Assembleia da Republica!) a coberto da tomadas de medidas de coesão social e anticíclicas pretende é, na realidade, aumentar as receitas fiscais. Em 2008 estas cresceram até Outubro 2,1%, enquanto o PIB terá crescido 0,5%. É fácil, assim, governar!

O Governo devia era mandar fazer fazer um estudo comparativo internacional sobre as efectivas taxas de tributação sobre os automóveis. Não basta os automóveis em Portugal terem um dos custos mais elevados da União Europeia. Não basta os preços dos combustíveis (por via da tributação que sobre eles incide) terem um dos custos mais altos da União Europeia. Não basta estar previsto no Orçamento de Estado um aumento das receitas do IUC /IC de 28,5%! Duplica-se as receitas provenientes das tributações autónomas sobre as despesas dos automóveis (que já incluem os próprios impostos sobre estes)!…

Não percebo é como os contribuintes não fazem uma manifestação massiva como fazem os professores. No fundo estamos perante mais uma vertente do fenómeno de «hijacking» fiscal a que vimos assistindo ultimamente.

 

BPP – não há ou há risco sistémico? Dezembro 4, 2008

Filed under: Actualidade,economia — looking4good @ 7:08 am
O Banco Privado Português (BPP), afinal, foi objecto de intervenção por parte do Banco de Portugal. «Foi necessário um aval estatal – concedido com base num penhor de activos do BPP -, uma vez que sem esta garantia não havia instituições financeiras disponíveis para conceder financiamentos ao banco».

O Ministro das Finanças que há dias atrás assumia que o BPP não constituía risco sistémico e ainda que paradoxalmente insista que não mudou de opinião, pôs afinal o Ministério das Finanças e o Banco de Portugal a mexer-se para salvar o Banco (talvez por estas contradições se perceba porque foi considerado pelo Finantial Times o último classificado do ranking dos Ministros das Finanças da UE).

Eu apenas sugeria uma ligeira mudança no nome do banco: de BPP passaria para BPPP ou B3P’s, isto é Banco Privado, Perdas Públicas.
 

Isto é o que se chama Planeamento Estratégico Novembro 21, 2008

Filed under: Actualidade,economia — looking4good @ 2:24 pm

A notícia fala por si. É «self-explanatory». Dos comentários fico eu à espera!

 

Stock market terms revisited Outubro 10, 2008

Filed under: economia,Humor,humour — looking4good @ 9:04 am

In view of the finantial market performance we had to give new definitions. I present my thanks to The Big Picture for its good humour and help us to (not) forget the disaster…

CEO –Chief Embezzlement Officer.

CFO– Corporate Fraud Officer.

BULL MARKET — A random market movement causing an investor to mistake himself for a financial genius.

BEAR MARKET — A 6 to 18 month period when the kids get no allowance, the wife gets no jewelry, and the husband gets no sex.

VALUE INVESTING — The art of buying low and selling lower.

P/E RATIO — The percentage of investors wetting their pants as the market keeps crashing.

BROKER — What my broker has made me.

STANDARD & POOR — Your life in a nutshell.

STOCK ANALYST — Idiot who just downgraded your stock.

STOCK SPLIT — When your ex-wife and her lawyer split your assets equally between themselves.

FINANCIAL PLANNER — A guy whose phone has been disconnected.

MARKET CORRECTION — The day after you buy stocks.

CASH FLOW — The movement your money makes as it disappears down the toilet.

YAHOO — What you yell after selling it to some poor sucker for $240 per share.

WINDOWS — What you jump out of when you’re the sucker who bought Yahoo @ $240 per share.

INSTITUTIONAL INVESTOR — Past year investor who’s now locked up in a nuthouse.

PROFIT — An archaic word no longer in use.

 

Preço dos combustíveis Setembro 19, 2008

Filed under: Actualidade,economia,política — looking4good @ 7:34 pm
A situação vigente no que concerne ao preço dos combustíveis em Portugal é uma vergonha nacional. É uma vergonha e também uma demonstração da incompetência do Governo.

Sobe o preço do petróleo nos mercados internacionais ? Sobe o preço do gasóleo e da gasolina. Interessa que o euro desvalorize frente ao dólar? Muito pouco ou nada…

Agora vem-se assistindo à desvalorização gradual do preço do crude nos mercados internacionais. No fundo apenas uma reversão (ainda parcial mas já importante) da subida excessiva antes verificada.

Descem os preços do gasóleo e da gasolina nas bombas de combustíveis? Não !… Às mensagens ténues e fracas dos governantes respondem os responsáveis das empresas de combustíveis com mensagens (fortes e convictas) de que o Governo não tem nada a ver com isso, porque vigora a liberalização dos preços.

Depois vêm as argumentações técnicas: o dólar vem-se apreciando ultimamente face ao euro. Por outro lado as distribuidoras têm compromissos assumidos no mercado de futuros e a baixa do preço do crude em nada beneficia o «custo» desses contratos a que se vincularam!!!

Brilhante! Que discurso mais enviezado e assimétrico! Quando o crude no mercado corrente subia, nunca se ouviu dizer que as distribuidoras tinham feito antes contratos de futuros de que beneficiavam. O que contava era o preço de reposição dos stocks. Quando o euro desvalorizava e reduzia o efeito do aumento do preço em dólares, nunca ouvi esse argumento a ser utilizado como atenuante para o aumento do preço dos combustíveis.

Entretanto o Governo que já baixara a voz às ameaças de «cartelização» do sector quando o preço aumentava, agora vai-se calando e deixando subjugar à posição firme das empresas de que não baixam os preços!

Ganham as «gasolineiras» quando o preço sobe, ganham quando o preço desce. O Governo também parece ganhar. Quem perde é o país e os consumidores … supostamente os que beneficiariam com a liberalização dos preços. E esta hein?…

 

Management lesson (VIII) Julho 5, 2008

Filed under: economia,Management — looking4good @ 5:55 pm
«Não pago bons salários por ter muito dinheiro. Tenho muito dinheiro porque pago bons salários» – Robert Bosch, fundador da emprea alemã Bosch, citado pelo Jornal de Negócios (in Expressso de 5-7-008)