Nothingandall

Just another WordPress.com weblog

Perdão – Fernanda de Castro Dezembro 19, 2007

Filed under: Fernanda de Castro,poesia — looking4good @ 1:44 am
Foto: Mulher rezando

Aqui me tens, meu Deus, em confissão.
Não roubei. Não matei. Não caluniei.
Mas nem sempre segui a tua lei,
nem sempre fui a irmã do meu irmão.

Não recusei aos outros o meu pão.
Amor, algumas vezes, recusei.
Mas por tudo o que dei e o que não dei,
eu te peço, meu Deus, o meu perdão.

Perdão para os meus pecados conscientes
e para os meus pecados inocentes,
para o mal que já fiz e ainda fizer …

Perdão para esta culpa original,
para este longo e complicado mal:
o crime sem perdão de ser mulher.

Fernanda de Castro Ferro (n. em Lisboa a 8 de Dezembro de 1900; m. em 19 de Dezembro de 1994)

Anúncios
 

Perdão – Fernanda de Castro

Filed under: Fernanda de Castro,poesia — looking4good @ 1:44 am
Foto: Mulher rezando

Aqui me tens, meu Deus, em confissão.
Não roubei. Não matei. Não caluniei.
Mas nem sempre segui a tua lei,
nem sempre fui a irmã do meu irmão.

Não recusei aos outros o meu pão.
Amor, algumas vezes, recusei.
Mas por tudo o que dei e o que não dei,
eu te peço, meu Deus, o meu perdão.

Perdão para os meus pecados conscientes
e para os meus pecados inocentes,
para o mal que já fiz e ainda fizer …

Perdão para esta culpa original,
para este longo e complicado mal:
o crime sem perdão de ser mulher.

Fernanda de Castro Ferro (n. em Lisboa a 8 de Dezembro de 1900; m. em 19 de Dezembro de 1994)

 

Perdão – Fernanda de Castro

Filed under: Fernanda de Castro,poesia — looking4good @ 1:44 am
Foto: Mulher rezando

Aqui me tens, meu Deus, em confissão.
Não roubei. Não matei. Não caluniei.
Mas nem sempre segui a tua lei,
nem sempre fui a irmã do meu irmão.

Não recusei aos outros o meu pão.
Amor, algumas vezes, recusei.
Mas por tudo o que dei e o que não dei,
eu te peço, meu Deus, o meu perdão.

Perdão para os meus pecados conscientes
e para os meus pecados inocentes,
para o mal que já fiz e ainda fizer …

Perdão para esta culpa original,
para este longo e complicado mal:
o crime sem perdão de ser mulher.

Fernanda de Castro Ferro (n. em Lisboa a 8 de Dezembro de 1900; m. em 19 de Dezembro de 1994)

 

Perdão – Fernanda de Castro

Filed under: Fernanda de Castro,poesia — looking4good @ 1:44 am
Foto: Mulher rezando

Aqui me tens, meu Deus, em confissão.
Não roubei. Não matei. Não caluniei.
Mas nem sempre segui a tua lei,
nem sempre fui a irmã do meu irmão.

Não recusei aos outros o meu pão.
Amor, algumas vezes, recusei.
Mas por tudo o que dei e o que não dei,
eu te peço, meu Deus, o meu perdão.

Perdão para os meus pecados conscientes
e para os meus pecados inocentes,
para o mal que já fiz e ainda fizer …

Perdão para esta culpa original,
para este longo e complicado mal:
o crime sem perdão de ser mulher.

Fernanda de Castro Ferro (n. em Lisboa a 8 de Dezembro de 1900; m. em 19 de Dezembro de 1994)

 

Uma fonte, uma asa… – Fernanda de Castro Dezembro 20, 2006

Filed under: Fernanda de Castro,poesia — looking4good @ 1:04 pm

Os anos passam… Já vai sendo tempo
De pensar na Viagem.
Irei bem ou enganei-me? Este caminho
É verdade ou miragem?

Procuro em vão sinais. Em vão persigo
As horas silenciosas.
De olhos abertos, cega, vou andando
Sobre espinhos e rosas.

Errada ou certa é longa a caminhada,
Longo o deserto em brasa.
Ah, não fora, Senhor, esta esperança
De uma fonte, uma asa!

Fonte, Senhor, que mate a longa sede
Desta longa subida.
Asa que ampare o derradeiro passo
No limite da vida.

Ah, Senhor, que mesquinhas as palavras!
Vida ou morte, que importa?
Para entrar e sair a porta é a mesma:
Senhor, abre-me a porta!

Maria Fernanda Teles de Castro e Quadros Ferro (n. em Lisboa 8 Dez 1900; m. 19 Dez 1994)