Nothingandall

Just another WordPress.com weblog

SONETO – Mário Faustino Novembro 27, 2007

Filed under: Mário Faustino,poesia — looking4good @ 1:55 am
Abraço daqui

Necessito de um ser, um ser humano
Que me envolva de ser
Contra o não ser universal, arcano
Impossível de ler

À luz da lua que ressarce o dano
Cruel de adormecer
A sós, à noite, ao pé do desumano
Desejo de morrer.

Necessito de um ser, de seu abraço
Escuro e palpitante
Necessito de um ser dormente e lasso

Contra meu ser arfante:
Necessito de um ser sendo ao meu lado
Um ser profundo e aberto, um ser amado.

Mário Faustino dos Santos e Silva (n. em Teresina, a 22 Out. 1930 ; m. em Lima, 27 de Nov. 1962).

Anúncios
 

SONETO – Mário Faustino

Filed under: Mário Faustino,poesia — looking4good @ 1:55 am
Abraço daqui

Necessito de um ser, um ser humano
Que me envolva de ser
Contra o não ser universal, arcano
Impossível de ler

À luz da lua que ressarce o dano
Cruel de adormecer
A sós, à noite, ao pé do desumano
Desejo de morrer.

Necessito de um ser, de seu abraço
Escuro e palpitante
Necessito de um ser dormente e lasso

Contra meu ser arfante:
Necessito de um ser sendo ao meu lado
Um ser profundo e aberto, um ser amado.

Mário Faustino dos Santos e Silva (n. em Teresina, a 22 Out. 1930 ; m. em Lima, 27 de Nov. 1962).

 

SONETO – Mário Faustino

Filed under: Mário Faustino,poesia — looking4good @ 1:55 am
Abraço daqui

Necessito de um ser, um ser humano
Que me envolva de ser
Contra o não ser universal, arcano
Impossível de ler

À luz da lua que ressarce o dano
Cruel de adormecer
A sós, à noite, ao pé do desumano
Desejo de morrer.

Necessito de um ser, de seu abraço
Escuro e palpitante
Necessito de um ser dormente e lasso

Contra meu ser arfante:
Necessito de um ser sendo ao meu lado
Um ser profundo e aberto, um ser amado.

Mário Faustino dos Santos e Silva (n. em Teresina, a 22 Out. 1930 ; m. em Lima, 27 de Nov. 1962).

 

SONETO – Mário Faustino

Filed under: Mário Faustino,poesia — looking4good @ 1:55 am
Abraço daqui

Necessito de um ser, um ser humano
Que me envolva de ser
Contra o não ser universal, arcano
Impossível de ler

À luz da lua que ressarce o dano
Cruel de adormecer
A sós, à noite, ao pé do desumano
Desejo de morrer.

Necessito de um ser, de seu abraço
Escuro e palpitante
Necessito de um ser dormente e lasso

Contra meu ser arfante:
Necessito de um ser sendo ao meu lado
Um ser profundo e aberto, um ser amado.

Mário Faustino dos Santos e Silva (n. em Teresina, a 22 Out. 1930 ; m. em Lima, 27 de Nov. 1962).