Nothingandall

Just another WordPress.com weblog

A vergonha que Carlos Queirós & Cª. nos faz passar! Novembro 24, 2008

Filed under: Brasil - Portugal,selecção de Portugal — looking4good @ 9:22 pm
Anúncios
 

Equipa de futebol ou grupo excursionista? Novembro 20, 2008

Filed under: Brasil - Portugal,football,Futebol,selecção de Portugal — looking4good @ 2:00 am

Brasil

6-2

Portugal

Vergonha nacional. Demita-se Sr. Carlos Queirós (o que já devia ter feito depois do empate com a Albânia)

Para quê comentar um jogo em que uma equipa ganha à outra por 6-2, durante boa parte do tempo se ouviu das bancadas olé… e em que o (suposto) melhor jogador do mundo só se viu em picardias? Perda de tempo…

Portugal aproveitou o facto de o Brasil ter dado cinco minutos de avanço e até inaugurou o marcador logo aos 4′ mas bastava olhar para a constituição do onze (recuso-me a chamar equipa) para perceber que não podia funcionar bem. Não demorou muito tempo até que um brasileiro que joga no futebol espanhol e que é central da defesa portuguesa tenha oferecido o empate – os defesas do clube da minha terra tinham deitado a bola para fora em vez de querer fintar o avançado adversário – . Depois à medida que os minutos avançavam iam-se tornando nítidas e cada vez mais evidentes as diferenças. Uma «equipa» estruturada com bons jogadores , bom ritmo, contra um lote de jogadores dispersos, desorganizados e lentos (ou parados).

Mas que carga de água passou pela cabeça de Queirós em jogar sem avançado centro e com tantos avançados ? Com jogadores do meio campo em que nenhum defendia? Sem um trinco contra o Brasil? Será que uma casa só se faz com tijolos? Não precisa de cimento?

Absolutamente inacreditável, humilhante até… Os brasileiros chegavam à baliza portuguesa sem ninguém a estorvar, os remates-golo surgiam de qualquer sítio, ângulo e feitio. O guarda-redes português será que fez alguma defesa?

Um jogo que deixa o comum dos portugueses revoltado pela incompetência de quem ganha milhares de contos por mês, praticamente sem trabalhar… e que em poucos meses destruiu completamente uma das melhores selecções do Mundo (nos dias que correm nem em casa contra a Albânia com dez jogadores conseguiu ganhar e meteu o ponta de lança a dez minutos do fim!…).

Hoje ouvi na rádio uma paródia de que Portugal tinha um bom treinador adjunto (Carlos Queirós) mas que tinha de contratar um treinador principal… Isso foi antes do jogo. Eu diria que nem para meu adjunto queria Carlos Queirós perante tamanha cegueira tactica e estratégica.

Não tenho memória de Portugal ter sofrido cinco golos muito menos seis… o que significa que tal não ocorreu certamente nos últimos quarenta anos!

Dunga agradeceu. É claro que um jogo faz-se de duas equipas e o Brasil aproveitou com Luís Fabiano (3 golos – lembram-se dele no Porto em que «não dava uma para a caixa»?), Maicon e Elano a rubricarem grandes exibições. Mas a diferença valha-nos Deus não está nos jogadores porque todos jogam em grandes equipas mundiais. A diferença está na organização. E como sintoma disso deixo a pergunta. Portugal não tem um jogador com melhores características para ser capitão de equipa do que Cristiano Ronaldo? Basta olhar para a carruagem…

O árbitro até terminou o jogo ao minuto 90, sem dar descontos, apesar das substituições muitas na segunda parte e das interrupções de jogo por lesões e picardias…

Ficha do jogo:
Estádio Bezerrão, em Gama (Brasília)

Árbitro: Jorge Larrionda (Uruguai)

BRASIL – Júlio César; Maicon, Luisão, Thiago Silva e Cléber (Marcelo, 81 m); Gilberto Silva, Elano (Mancini, 75 m), Anderson (Josué, 80 m) e Kaká; Robinho (Alex, 82 m) e Luís Fabiano (Adriano, 67 m).

PORTUGAL – Quim; Bosingwa, Pepe, Bruno Alves e Paulo Ferreira; Maniche (João Moutinho, 66 m), Deco e Tiago (Raul Meireles, 46 m); Danny (Nani, 46 m), Cristiano Ronaldo e Simão (Hugo Almeida, 76 m).

Ao intervalo: 2-1

Golos: 0-1, Danny (4 m); 1-1, Luís Fabiano (9 m); 2-1, Luís Fabiano (25 m); 3-1, Maicon (55 m); 4-1, Luís Fabiano (58 m); 4-2, Simão (62 m); 5-2, Elano (65 m); 6-2, Adriano (90 m).

Cartão amarelo a Danny, Elano, Maniche, Cristiano Ronaldo e Marcelo.

 

Equipa de futebol ou grupo excursionista?

Filed under: Brasil - Portugal,football,Futebol,selecção de Portugal — looking4good @ 2:00 am

Brasil

6-2

Portugal

Vergonha nacional. Demita-se Sr. Carlos Queirós (o que já devia ter feito depois do empate com a Albânia)

Para quê comentar um jogo em que uma equipa ganha à outra por 6-2, durante boa parte do tempo se ouviu das bancadas olé… e em que o (suposto) melhor jogador do mundo só se viu em picardias? Perda de tempo…

Portugal aproveitou o facto de o Brasil ter dado cinco minutos de avanço e até inaugurou o marcador logo aos 4′ mas bastava olhar para a constituição do onze (recuso-me a chamar equipa) para perceber que não podia funcionar bem. Não demorou muito tempo até que um brasileiro que joga no futebol espanhol e que é central da defesa portuguesa tenha oferecido o empate – os defesas do clube da minha terra tinham deitado a bola para fora em vez de querer fintar o avançado adversário – . Depois à medida que os minutos avançavam iam-se tornando nítidas e cada vez mais evidentes as diferenças. Uma «equipa» estruturada com bons jogadores , bom ritmo, contra um lote de jogadores dispersos, desorganizados e lentos (ou parados).

Mas que carga de água passou pela cabeça de Queirós em jogar sem avançado centro e com tantos avançados ? Com jogadores do meio campo em que nenhum defendia? Sem um trinco contra o Brasil? Será que uma casa só se faz com tijolos? Não precisa de cimento?

Absolutamente inacreditável, humilhante até… Os brasileiros chegavam à baliza portuguesa sem ninguém a estorvar, os remates-golo surgiam de qualquer sítio, ângulo e feitio. O guarda-redes português será que fez alguma defesa?

Um jogo que deixa o comum dos portugueses revoltado pela incompetência de quem ganha milhares de contos por mês, praticamente sem trabalhar… e que em poucos meses destruiu completamente uma das melhores selecções do Mundo (nos dias que correm nem em casa contra a Albânia com dez jogadores conseguiu ganhar e meteu o ponta de lança a dez minutos do fim!…).

Hoje ouvi na rádio uma paródia de que Portugal tinha um bom treinador adjunto (Carlos Queirós) mas que tinha de contratar um treinador principal… Isso foi antes do jogo. Eu diria que nem para meu adjunto queria Carlos Queirós perante tamanha cegueira tactica e estratégica.

Não tenho memória de Portugal ter sofrido cinco golos muito menos seis… o que significa que tal não ocorreu certamente nos últimos quarenta anos!

Dunga agradeceu. É claro que um jogo faz-se de duas equipas e o Brasil aproveitou com Luís Fabiano (3 golos – lembram-se dele no Porto em que «não dava uma para a caixa»?), Maicon e Elano a rubricarem grandes exibições. Mas a diferença valha-nos Deus não está nos jogadores porque todos jogam em grandes equipas mundiais. A diferença está na organização. E como sintoma disso deixo a pergunta. Portugal não tem um jogador com melhores características para ser capitão de equipa do que Cristiano Ronaldo? Basta olhar para a carruagem…

O árbitro até terminou o jogo ao minuto 90, sem dar descontos, apesar das substituições muitas na segunda parte e das interrupções de jogo por lesões e picardias…

Ficha do jogo:
Estádio Bezerrão, em Gama (Brasília)

Árbitro: Jorge Larrionda (Uruguai)

BRASIL – Júlio César; Maicon, Luisão, Thiago Silva e Cléber (Marcelo, 81 m); Gilberto Silva, Elano (Mancini, 75 m), Anderson (Josué, 80 m) e Kaká; Robinho (Alex, 82 m) e Luís Fabiano (Adriano, 67 m).

PORTUGAL – Quim; Bosingwa, Pepe, Bruno Alves e Paulo Ferreira; Maniche (João Moutinho, 66 m), Deco e Tiago (Raul Meireles, 46 m); Danny (Nani, 46 m), Cristiano Ronaldo e Simão (Hugo Almeida, 76 m).

Ao intervalo: 2-1

Golos: 0-1, Danny (4 m); 1-1, Luís Fabiano (9 m); 2-1, Luís Fabiano (25 m); 3-1, Maicon (55 m); 4-1, Luís Fabiano (58 m); 4-2, Simão (62 m); 5-2, Elano (65 m); 6-2, Adriano (90 m).

Cartão amarelo a Danny, Elano, Maniche, Cristiano Ronaldo e Marcelo.

 

Brasil – Portugal ou Dunga – Queirós ? Novembro 17, 2008

Brasil

Portugal

Um jogo entre o 5º. classificado do ranking mundial, Brasil, e o 10º, Portugal, tem de ser, naturalmente, um jogo de grande importância ainda que não pertença a nenhuma prova oficial. É por isso que o Brasil-Portugal de 4ª. feira vai ser acompanhado com grande expectativa pelos adeptos de ambos os países, situação ainda amplificada pelos jogadores do «escrete» que já passaram pelo futebol português (Luisão, Anderson) e pelos «portugueses» de origem brasileira a defender as cores lusas (Pepe e Deco).

Mas de tanta importância é para os adeptos como para os treinadores Dunga e Queiroz cuja performance à frente das suas selecções não tem sido feliz e por motivos bem fundamentados têm sido objecto de crítica. O Brasil ainda assim tem a qualificação para o Mundial da África do Sul, ao dispôr enquanto Portugal, pelo contrário, de modo imprevisto há pouco tempo tem uma tarefa árdua pela frente depois de impensáveis resultados em casa: derrota frente à Dinamarca e empate frente à Albânia. Os treinadores aparecem já na defensiva dizendo que se trata de um jogo particular e que importantes são os próximos jogos oficiais de apuramento para o Mundial. A verdade é que não acredito muito que os treinadores no seu íntimo pensem assim…

Por mim aposto no empate…

 

Brasil – Portugal ou Dunga – Queirós ?

Brasil

Portugal

Um jogo entre o 5º. classificado do ranking mundial, Brasil, e o 10º, Portugal, tem de ser, naturalmente, um jogo de grande importância ainda que não pertença a nenhuma prova oficial. É por isso que o Brasil-Portugal de 4ª. feira vai ser acompanhado com grande expectativa pelos adeptos de ambos os países, situação ainda amplificada pelos jogadores do «escrete» que já passaram pelo futebol português (Luisão, Anderson) e pelos «portugueses» de origem brasileira a defender as cores lusas (Pepe e Deco).

Mas de tanta importância é para os adeptos como para os treinadores Dunga e Queiroz cuja performance à frente das suas selecções não tem sido feliz e por motivos bem fundamentados têm sido objecto de crítica. O Brasil ainda assim tem a qualificação para o Mundial da África do Sul, ao dispôr enquanto Portugal, pelo contrário, de modo imprevisto há pouco tempo tem uma tarefa árdua pela frente depois de impensáveis resultados em casa: derrota frente à Dinamarca e empate frente à Albânia. Os treinadores aparecem já na defensiva dizendo que se trata de um jogo particular e que importantes são os próximos jogos oficiais de apuramento para o Mundial. A verdade é que não acredito muito que os treinadores no seu íntimo pensem assim…

Por mim aposto no empate…

 

Sem Deco e sem Cristiano Ronaldo … finalmente uma equipa Fevereiro 6, 2007

Filed under: Brasil - Portugal,Futebol,Portugal - Brasil — looking4good @ 10:04 pm
Portugal 2 – 0 Brasil

Vitória histórica … já não somos coitadinhos !!!

Na primeira parte o Brasil foi superior. O meio campo defensivo português não travava o avanço dos brasileiros (pelo contrário chegou a dar algumas assistencias: maus passes de Quaresma e Petit), Petit teve muitas vezes de se juntar aos centrais e fez cortes decisivos, muito individualismo de Cristiano Ronaldo e o Brasil jogou muito mais colectivamente.

Aos 13′ Sobis isolado descaído pela esquerda não consegui bater Ricardo na primeira oportunidade de golo do jogo.

Aos 20′ Portugal consegue a primeira jogada de perigo com um passe de Tiago para trás da defesa brasileira para Hélder Postiga finalizar, mas Helton defendeu com segurança.

O Brasil apareceu com muito mais domínio ameçando a defesa portuguesa e aos 42′ na sequência de um livre à entrada da área marcado por Elano, a bola bateu nas costas de um avançado brasileiro e sobrou para Lúcio que atirou à barra.

Na segunda parte Scolari emendou as coisas no balneário. Portugal passou a trocar mais a bola e as substituições operadas no Brasil (Sobis deu muito mais trabalho do que Adriano, um jogador menos dinâmico) pareceram facilitar a vida à equipa europeia. Também Paulo Ferreira esteve melhor do que Caneira. Por volta da hora de jogo os treinadores começam a rodar os jogadores; com o espectro do zero a zero o Brasil esboçou uma reacção mas foi Portugal que aproveitou os espaços dados na defesa brasileira para inaugurar o mmarcador aos 80′. Quaresma pela direita (com Nuno Gomes ao centro), fez um centro mais largo para na esquerda Simão Sabrosa desferir um remate de primeira, vitorioso.

Simão Sabrosa abriu o caminho da vitória

Com o Brasil a tentar evitar a derrota, Portugal também na direita beneficia de um livre junto à lateral e perante a passividade da defesa brasileira o livre foi marcado curto combinando Quaresma com Hugo Viana, o cruzamento de novo para o lado esquerdo da área foi finalizado com um remate cruzado milimétrico de Ricardo Carvalho fazendo entrar a bola junto ao poste contrário.

Foi o delírio nas hostes portuguesas mas um castigo severo para o Brasil que tendo estado melhor na primeira parte não soube concretizar enquanto Portugal demonstrou eficácia.

Da arbitragem não há muito a dizer, cedo percebeu que o jogo não seria muito amigável e teve que mostrar dois amarelos: a Edmilson aos 33′ que não gostou do «baile» de Cristiano e quase logo a seguir a Tiago por cortar em falta um lance de Sobis que ameaçava perigo. Nas decisões de foras de jogo (e foram muitas) os auxiliares estiveram sempre certos.

Estádio: Emirates Stadium, em Londres

Árbitro: Martin Atkinson (Inglaterra)

PORTUGAL – Ricardo; Miguel, R. Carvalho (Fernando Meira, 90 m), Jorge Andrade e Caneira (Paulo Ferreira, 46 m); Tiago (João Moutinho, 67 m), Petit e Deco (Hugo Viana, 60 m); Cristiano Ronaldo (Simão, 62 m), Hélder Postiga (Nuno Gomes, 74 m) e Ricardo Quaresma.

BRASIL – Helton; Maicon (Daniel Alves, 63 m), Lúcio, Juan (Luisão, 46 m) e Gilberto; Kaká, Gilberto Silva, Edmilson (Tinga, 62 m) e Elano; Fred (Diego, 67 m) e Rafael Sóbis (Adriano, 46 m).

Golos: 1-0 por Simão (81 m); 2-0 por Ricardo Carvalho (88 m)
Acção Disciplinar:
33′ Cartão amarelo para Edmilson (Brasil), por falta sobre Cristiano Ronaldo.
35′ Cartão amarelo para Tiago (Portugal), por falta sobre Sobis.

 

Sem Deco e sem Cristiano Ronaldo … finalmente uma equipa

Filed under: Brasil - Portugal,Futebol,Portugal - Brasil — looking4good @ 10:04 pm
Portugal 2 – 0 Brasil

Vitória histórica … já não somos coitadinhos !!!

Na primeira parte o Brasil foi superior. O meio campo defensivo português não travava o avanço dos brasileiros (pelo contrário chegou a dar algumas assistencias: maus passes de Quaresma e Petit), Petit teve muitas vezes de se juntar aos centrais e fez cortes decisivos, muito individualismo de Cristiano Ronaldo e o Brasil jogou muito mais colectivamente.

Aos 13′ Sobis isolado descaído pela esquerda não consegui bater Ricardo na primeira oportunidade de golo do jogo.

Aos 20′ Portugal consegue a primeira jogada de perigo com um passe de Tiago para trás da defesa brasileira para Hélder Postiga finalizar, mas Helton defendeu com segurança.

O Brasil apareceu com muito mais domínio ameçando a defesa portuguesa e aos 42′ na sequência de um livre à entrada da área marcado por Elano, a bola bateu nas costas de um avançado brasileiro e sobrou para Lúcio que atirou à barra.

Na segunda parte Scolari emendou as coisas no balneário. Portugal passou a trocar mais a bola e as substituições operadas no Brasil (Sobis deu muito mais trabalho do que Adriano, um jogador menos dinâmico) pareceram facilitar a vida à equipa europeia. Também Paulo Ferreira esteve melhor do que Caneira. Por volta da hora de jogo os treinadores começam a rodar os jogadores; com o espectro do zero a zero o Brasil esboçou uma reacção mas foi Portugal que aproveitou os espaços dados na defesa brasileira para inaugurar o mmarcador aos 80′. Quaresma pela direita (com Nuno Gomes ao centro), fez um centro mais largo para na esquerda Simão Sabrosa desferir um remate de primeira, vitorioso.

Simão Sabrosa abriu o caminho da vitória

Com o Brasil a tentar evitar a derrota, Portugal também na direita beneficia de um livre junto à lateral e perante a passividade da defesa brasileira o livre foi marcado curto combinando Quaresma com Hugo Viana, o cruzamento de novo para o lado esquerdo da área foi finalizado com um remate cruzado milimétrico de Ricardo Carvalho fazendo entrar a bola junto ao poste contrário.

Foi o delírio nas hostes portuguesas mas um castigo severo para o Brasil que tendo estado melhor na primeira parte não soube concretizar enquanto Portugal demonstrou eficácia.

Da arbitragem não há muito a dizer, cedo percebeu que o jogo não seria muito amigável e teve que mostrar dois amarelos: a Edmilson aos 33′ que não gostou do «baile» de Cristiano e quase logo a seguir a Tiago por cortar em falta um lance de Sobis que ameaçava perigo. Nas decisões de foras de jogo (e foram muitas) os auxiliares estiveram sempre certos.

Estádio: Emirates Stadium, em Londres

Árbitro: Martin Atkinson (Inglaterra)

PORTUGAL – Ricardo; Miguel, R. Carvalho (Fernando Meira, 90 m), Jorge Andrade e Caneira (Paulo Ferreira, 46 m); Tiago (João Moutinho, 67 m), Petit e Deco (Hugo Viana, 60 m); Cristiano Ronaldo (Simão, 62 m), Hélder Postiga (Nuno Gomes, 74 m) e Ricardo Quaresma.

BRASIL – Helton; Maicon (Daniel Alves, 63 m), Lúcio, Juan (Luisão, 46 m) e Gilberto; Kaká, Gilberto Silva, Edmilson (Tinga, 62 m) e Elano; Fred (Diego, 67 m) e Rafael Sóbis (Adriano, 46 m).

Golos: 1-0 por Simão (81 m); 2-0 por Ricardo Carvalho (88 m)
Acção Disciplinar:
33′ Cartão amarelo para Edmilson (Brasil), por falta sobre Cristiano Ronaldo.
35′ Cartão amarelo para Tiago (Portugal), por falta sobre Sobis.