Nothingandall

Just another WordPress.com weblog

A Palavra Carlos Pena Filho Maio 17, 2009

Filed under: Carlos Pena Filho,poesia — looking4good @ 6:02 pm

Navegador de bruma e de incerteza,
Humilde me convoco e visto audácia
E te procuro em mares de silêncio
Onde, precisa e límpida, resides.

Frágil, sempre me perco, pois retenho
Em minhas mãos desconcertados rumos
E vagos instrumentos de procura
Que, de longínquos, pouco me auxiliam.

Por ver que és claridade e superfície,
Desprendo-me do ouro do meu sangue
E da ferrugem simples dos meus ossos,
E te aguardo com loucos estandartes
Coloridos por festas e batalhas.

Aí, reúno a argúcia dos meus dedos
E a precisão astuta dos meus olhos
E fabrico estas rosas de alumínio
Que, por serem metal, negam-se flores
Mas, por não serem rosas, são mais belas
Por conta do artifício que as inventa.

Às vezes permaneces insolúvel
Além da chuva que reveste o tempo
E que alimenta o musgo das paredes
Onde, serena e lúcida, te inscreves.

Inútil procurar-te neste instante,
Pois muito mais que um peixe és arredia
Em cardumes escapas pelos dedos
Deixando apenas uma promessa leve
De que a manhã não tarda e que na vida
Vale mais o sabor de reconquista.

Então, te vejo como sempre foste,
Além de peixe e mais que saltimbanco,
Forma imprecisa que ninguém distingue
Mas que a tudo resiste e se apresenta
Tanto mais pura quanto mais esquiva.

De longe, olho teu sonho inusitado
E dividido em faces, mais te cerco
E se não te domino então contemplo
Teus pés de visgo, tua vogal de espuma,
E sei que és mais que astúcia e movimento,
Aérea estátua de silêncio e bruma.

Carlos Souto Pena [Carlos Pena Filho] (n. no Recife a 17 de Maio de 1929; m. Recife, 1 de Jul de 1960)

Ler do mesmo autor neste blog> Para Fazer Um Soneto

Anúncios
 

Para Fazer um Soneto – Carlos Pena Filho Maio 17, 2008

Filed under: Carlos Pena Filho,poesia — looking4good @ 1:54 am
BlueMoon (foto daqui)

Tome um pouco de azul, se a tarde é clara,
e espere um instante ocasional.
Nesse curto intervalo Deus prepara
e lhe oferta a palavra inicial.

Aí, adote uma atitude avara:
se você preferir a cor local,
não use mais que o sol da sua cara
e um pedaço de fundo de quintal

Se não, procure o cinza e essa vagueza
das lembranças da infância, e não se apresse
antes, deixe levá-lo a correnteza

Mas ao chegar ao ponto em que se tece
dentro da escuridão a vã certeza
ponha tudo de lado e então comece.

Carlos Souto Pena [Carlos Pena Filho] (n. no Recife a 17 de Maio de 1929; m. Recife, 1 de Jul de 1960)

 

Para Fazer um Soneto – Carlos Pena Filho

Filed under: Carlos Pena Filho,poesia — looking4good @ 1:54 am
BlueMoon (foto daqui)

Tome um pouco de azul, se a tarde é clara,
e espere um instante ocasional.
Nesse curto intervalo Deus prepara
e lhe oferta a palavra inicial.

Aí, adote uma atitude avara:
se você preferir a cor local,
não use mais que o sol da sua cara
e um pedaço de fundo de quintal

Se não, procure o cinza e essa vagueza
das lembranças da infância, e não se apresse
antes, deixe levá-lo a correnteza

Mas ao chegar ao ponto em que se tece
dentro da escuridão a vã certeza
ponha tudo de lado e então comece.

Carlos Souto Pena [Carlos Pena Filho] (n. no Recife a 17 de Maio de 1929; m. Recife, 1 de Jul de 1960)

 

Para Fazer um Soneto – Carlos Pena Filho

Filed under: Carlos Pena Filho,poesia — looking4good @ 1:54 am
BlueMoon (foto daqui)

Tome um pouco de azul, se a tarde é clara,
e espere um instante ocasional.
Nesse curto intervalo Deus prepara
e lhe oferta a palavra inicial.

Aí, adote uma atitude avara:
se você preferir a cor local,
não use mais que o sol da sua cara
e um pedaço de fundo de quintal

Se não, procure o cinza e essa vagueza
das lembranças da infância, e não se apresse
antes, deixe levá-lo a correnteza

Mas ao chegar ao ponto em que se tece
dentro da escuridão a vã certeza
ponha tudo de lado e então comece.

Carlos Souto Pena [Carlos Pena Filho] (n. no Recife a 17 de Maio de 1929; m. Recife, 1 de Jul de 1960)