Nothingandall

Just another WordPress.com weblog

Notícias da Semana (II) – Financiamento dos partidos, crise e sucesso invisível Maio 9, 2009

Filed under: Actualidade,opinião,política — looking4good @ 8:21 pm
Foi preciso haver uma lei sobre o modo como os partidos políticos podem ganhar dinheiro para que todos eles se pusessem de acordo. Pouca vergonha já escrevera aqui. «A nova lei do financiamento dos partidos é um atentado ao funcionamento das instituições democráticas» disse João Cravinho. Também de outros quadrantes figuras de peso nos respectivos partidos discordaram publicamente mas pelos vistos essas figuras não têm peso relevante na formação da vontade dos respectivos partidos quando se trata de votar na Assembleia coisas que lhes interessam. É apenas, mais uma forma de querer passar uma imagem de «politicamente correcto» enganando os portugueses.

No contexto da maior crise económica mundial desde a Grande Depressão de 1930, Portugal vive um periodo recessivo que se antevê como o mais profundo e prolongado das últimas décadas. Pois, apesar da deterioração significativa do enquadramento externo da economia portuguesa, e das suas próprias especificidades onde persistem algumas fragilidades que condicionam a produtividade dos factores, das previsões de descida do produto em 2009 de 3,5% (pelo menos digo eu…) e do aumento do desemprego, as bolsas esta semana tiveram subidas constantes e acentuadas.
Ao ciclo desvalorização dos activos, redução do valor das garantias, registo de imparidades, piores resultados, parece contrapôr-se agora uma espiral virtual. Subida das cotações, reversões dos ajustamentos, melhores resultados, dividendos, valorização das garantias perante as entidades financiadoras, melhores condições de crédito. Assim seja! É ainda cedo mas ao que parece há já quem aposte que os mercados bolsistas estão a ficar «bull» quando, pelo contrário, a situação económica real ainda sofre severas consequências da crise financeira. Vamos a ver se se trata de uma reversão temporária de quedas demasiado fortes ou se já é um sentimento positivo que associado aos níveis baixos das taxas de juro, recomendam a assumpção de maiores riscos.

Riscos graves e severos passará o Benfica se acreditar que este Benfica de Quique teve «sucesso invisível». Que sucesso? Invisível? É absolutamente inacreditável o discurso do treinador espanhol. Ao princípio era a comparação com a época passada. Ao fugir o título era o apuramento para a Champions. Com este perdido e com as comparações falaciosas com a época passada a também já nada de relevantemente positivo trazer ao reinado espanhol do Benfica admitiu, pela primeira vez, que no final da época pode conversar sem traumas (será que agora já tem algum convite?). Agora surgiu o fantasmagórico «sucesso invisível» do Benfica. É tão invisível, de facto que nenhum adepto se apercebe dele!

Eu não vejo nada que o Benfica tenha ganho com Quique. Não sabe ler o jogo, as substituições (quase) sempre dão mau resultado e qualquer treinador do «tacticamente anárquico» futebol português dá banhos de futebol ao Benfica de Quique. Dá é uma forma de dizer, porque se fazem pagar e bem com os pontos que retiram ao clube de que sou adepto. Não vejo resultados, não vejo «crescimento» nos jogadores, e não vejo a disciplina tactica de que ele se arroga ao criticar o futebol português. Também não vejo consistência num projecto, porque jogadores que entraram este ano, vão sair, ou porque não há dinheiro ou porque não renderam e outros tantos virão de novo.

Para fim de crónica o «sucesso invisível» do Benfica teve hoje mais uma demonstração com o Benfica a empatar em casa com o Trofense, com quem tinha perdido na primeira volta. Como o mais certo é que a equipa do Norte vá para a segunda divisão e por lá se perca… daqui por umas décadas as estatísticas demonstrarão que o Trofense em jogos oficiais tem vantagem sobre o Benfica. Nessa altura ninguém se lembrará de Quique…

 

Liga Sagres: Trofense empata na Luz

Filed under: Benfica,Liga Sagres,Trofense — looking4good @ 7:57 pm
Benfica logoTrofense logoBenfica

2-2

Trofense

Quando acaba este suplício?

Terceiro contra o último em casa. Contas a ajustar da primeira volta. Era de esperar vontade em resolver o jogo cedo, mas a primeira oportunidade surgiu já com mais de vinte minutos jogados quando de um pontapé de canto Luisão rematou de cabeça ao poste. Já antes o Trofense ameaçara e de livre marcado por Hugo Leal com um cruzamento para a área Valdomiro de cabeça deu avanço ao Trofense.

O Benfica reagiu aumentou de velocidade, os buracos na defesa trofense aumentavam e em cinco minutos o Benfica deu a volta com dois golos de Cardozo, em jogadas iniciadas pelo lado direito do ataque encarnado. Antes o mesmo Cardozo já havia desperdiçado uma oportunidadee quando quiz concluir em soupless e um defesa cortou a bola que se encaminhava para a baliza.

Podia-se pensar que o Trofense desanimaria e que o Benfica tinha tudo para ganhar avolumando o resultado. Normalmente assim seria, mas com este Benfica não é assim. Na segunda parte os encarnados não criaram grandes ocasiões de perigo e o Trofense nas bolas paradas mesmo na zona intermediária do campo era pôr Hugo Leal a cruzar para o interior da área. E assim surgiu o segundo golo visitante a empatar o encontro ainda com mais de meia hora por jogar.

A verdade é que o Benfica sentiu o golo, o público já assobiava e as substituições de Quique só desorganizaram. Sem Carlos Martins em campo e Aimar em campo mas sem se ver, a não ser em protestos contra o árbitro que lhe valeram o cartão amarelo e o afastamento do jogo de Braga, só numa conclusão de Mantorras com defesa de Marco o Benfica chegou à baliza com perigo. Depois a desorganização é tanta que já em descontos num pontapé de canto favorável se vê Cardozo a ir marcar o canto em vez de se postar no interior da área adversária.

Mau de mais este Benfica «espanhol» que pode terminar a época ainda em quinto lugar!

Arbitragem fraca de João Ferreira com equívocos a mais mas em lances que não influenciaram o resultado.

Ficha do jogo:
Estádio do Sport Lisboa e Benfica, em Lisboa
Árbitro: João Ferreira (AF Setúbal)

Benfica – Quim; Maxi Pereira, Luisão, Sidnei e David Luiz; Carlos Martins (Yebda, 74 m) e Ruben Amorim; Urreta (Balboa, 65 m), Aimar e Di Maria (Mantorras, 79 m); Cardozo.

Suplentes: Moreira, Jorge Ribeiro, Balboa, Katsouranis, Binya, Yebda e Mantorras.

Trofense – Marco; Varela, Miguel Ângelo, Valdomiro e Zamorano; Paulo Roberto (Moustapha, 81 m), Milton do Ó, Hugo Leal e Pinheiro (Delfim, 67 m); Charles Chad (Edu Souza, 65 m) e Hélder Barbosa.

Suplentes: Paulo Lopes, Edu, Delfim, Lipatin, Moustapha, Dagil e Edu Souza.

Marcador: 0-1 por Valdomiro (30 m); 1-1 por Cardozo (35 m); 2-1 por Cardozo (38 m); 2-2 por Paulo Roberto (58 m).

Disciplina: cartão amarelo a Luisão (70 m) e Aimar (74 m).

 

May 9 – Europe Day

Filed under: Day — looking4good @ 2:33 am

On the 9th of May 1950, Robert Schuman presented his proposal on the creation of an organised Europe, indispensable to the maintenance of peaceful relations.

This proposal, known as the “Schuman declaration”, is considered to be the beginning of the creation of what is now the European Union.

Today, the 9th of May has become a European symbol (Europe Day) which, along with the flag, the anthem, the motto and the single currency (the euro), identifies the political entity of the European Union. Europe Day is the occasion for activities and festivities that bring Europe closer to its citizens and peoples of the Union closer to one another.

Soon (on June, 4) will take place the European elections. So, Europe Day may also be a journey to mobilize europeans to vote (well…) on next elections.

 

On this day in History – May 9

Filed under: efemerides,This Day in History — looking4good @ 1:32 am