Nothingandall

Just another WordPress.com weblog

FC Porto foi superior ao Atlético de Madrid e está nos quartos de final Março 11, 2009

Filed under: Atlético de Madrid,Champions League,FC Porto,Futebol — looking4good @ 10:40 pm
FC Porto

0-0

Atlético Madrid

Resultado inesperado mas suficiente…

O FC Porto confirmou hoje no Estádio do Dragão a qualificação para os quartos de final da Liga dos Campeões onde emparceirará com 4 equipas inglesas! (Manchester United, Chelsea, Liverpool e Arsenal), duas espanholas (Barcelona e Villarreal -venham lá estes) e uma alemã (Bayern).

Para além disso confirmou ser superior ao Atlético de Madrid ainda que hoje a superioridade não tenha ficado tão expressa em «jogo jogado» como em Madrid. Depois do primeiro quarto de hora em que os madrilenos jogaram à cautela, espraiaram-se no campo e chegaram a ameaçar em fase mais avançada do primeiro tempo. Simão teve um lance em que podia (devia?) ter sido assinalado penalty e Helton demonstrou insegurança mais uma vez.

Na segunda parte Jesualdo quiz que o Porto atacasse e foi o que aconteceu. As únicas oportunidades foram para os homens da casa. Raúl Meireles de um livre obrigou o guarda-redes a uma boa defesa, Hulk de canto atirou à barra, Lisandro também pediu penalty, Hulk da esquerda fez um slalom espectacular e ofereceria o golo a Lisandro não fosse um desvio do guarda-redes Léo Franco. Guarda-redes que ainda assinalou uma defesa por instinto a um cabeceamento de Christian Rodriguez num lance de bola parada. É claro que com o avançar do jogo um golo podia tudo decidir e os espanhóis em dois cantos criaram calafrios, já com Forlán em campo depois de ter começado no banco numa decisão polémica de Abel Resino, mas na realidade fizeram pouco para merecer ganhar o jogo. A haver um vencedor a justiça diria que o prémio só poderia ser da equipa portuguesa.

A arbitragem liderado por um holandês (Peter Wink) que eliminou o Guimarães da Champions, devido à anulação mal feita do golo que daria a qualificação frente ao Basileia na 3ª.pré-eliminatória, não mostrou o amarelo a Paulo Assunção e só depois de o já ter feito a Rodriguez e a Hulk por pedirem amarelos para os adversários… o viria a fazer aos espanhóis, num critério bastante largo na apreciação de faltas.

Estádio do Dragão, no Porto
Árbitro: Pieter Vink (Holanda)

FC Porto: Helton; Sapunaru (Tomás Costa, 83m), Rolando, Bruno Alves e Cissokho; Fernando, Raul Meireles e Lucho; Cristian Rodriguez, Lisandro (Ernesto Farías, 90+2m) e Hulk (Mariano, 88m).

Suplentes: Nuno, Stepanov, Andrés Madrid e Tarik Sektioui.

Treinador: Jesualdo Ferreira.

At. Madrid: Leo Franco; António Lopez, Ibanez, Ufjalusi e Perea; Paulo Assunção, Raul Garcia (Maniche, 72m), Simão e Maxi Rodriguez (Forlán, 53m); Kun Aguero e Pongolle (De las Cuevas, 79m).

Suplentes: Coupet, Pernía, Heitinga e Camacho.

Treinador: Abel Resino.

Golos: Nada a registar
Disciplina: Cartão amarelo para Cristian Rodriguez (25m), Hulk (66m), Perea (70m), Ufjalusi (75m).

 

FC Porto foi superior ao Atlético de Madrid e está nos quartos de final

Filed under: Atlético de Madrid,Champions League,FC Porto,Futebol — looking4good @ 10:40 pm
FC Porto

0-0

Atlético Madrid

Resultado inesperado mas suficiente…

O FC Porto confirmou hoje no Estádio do Dragão a qualificação para os quartos de final da Liga dos Campeões onde emparceirará com 4 equipas inglesas! (Manchester United, Chelsea, Liverpool e Arsenal), duas espanholas (Barcelona e Villarreal -venham lá estes) e uma alemã (Bayern).

Para além disso confirmou ser superior ao Atlético de Madrid ainda que hoje a superioridade não tenha ficado tão expressa em «jogo jogado» como em Madrid. Depois do primeiro quarto de hora em que os madrilenos jogaram à cautela, espraiaram-se no campo e chegaram a ameaçar em fase mais avançada do primeiro tempo. Simão teve um lance em que podia (devia?) ter sido assinalado penalty e Helton demonstrou insegurança mais uma vez.

Na segunda parte Jesualdo quiz que o Porto atacasse e foi o que aconteceu. As únicas oportunidades foram para os homens da casa. Raúl Meireles de um livre obrigou o guarda-redes a uma boa defesa, Hulk de canto atirou à barra, Lisandro também pediu penalty, Hulk da esquerda fez um slalom espectacular e ofereceria o golo a Lisandro não fosse um desvio do guarda-redes Léo Franco. Guarda-redes que ainda assinalou uma defesa por instinto a um cabeceamento de Christian Rodriguez num lance de bola parada. É claro que com o avançar do jogo um golo podia tudo decidir e os espanhóis em dois cantos criaram calafrios, já com Forlán em campo depois de ter começado no banco numa decisão polémica de Abel Resino, mas na realidade fizeram pouco para merecer ganhar o jogo. A haver um vencedor a justiça diria que o prémio só poderia ser da equipa portuguesa.

A arbitragem liderado por um holandês (Peter Wink) que eliminou o Guimarães da Champions, devido à anulação mal feita do golo que daria a qualificação frente ao Basileia na 3ª.pré-eliminatória, não mostrou o amarelo a Paulo Assunção e só depois de o já ter feito a Rodriguez e a Hulk por pedirem amarelos para os adversários… o viria a fazer aos espanhóis, num critério bastante largo na apreciação de faltas.

Estádio do Dragão, no Porto
Árbitro: Pieter Vink (Holanda)

FC Porto: Helton; Sapunaru (Tomás Costa, 83m), Rolando, Bruno Alves e Cissokho; Fernando, Raul Meireles e Lucho; Cristian Rodriguez, Lisandro (Ernesto Farías, 90+2m) e Hulk (Mariano, 88m).

Suplentes: Nuno, Stepanov, Andrés Madrid e Tarik Sektioui.

Treinador: Jesualdo Ferreira.

At. Madrid: Leo Franco; António Lopez, Ibanez, Ufjalusi e Perea; Paulo Assunção, Raul Garcia (Maniche, 72m), Simão e Maxi Rodriguez (Forlán, 53m); Kun Aguero e Pongolle (De las Cuevas, 79m).

Suplentes: Coupet, Pernía, Heitinga e Camacho.

Treinador: Abel Resino.

Golos: Nada a registar
Disciplina: Cartão amarelo para Cristian Rodriguez (25m), Hulk (66m), Perea (70m), Ufjalusi (75m).

 

Four English teams in Quarters of Final

Filed under: Champions League,football — looking4good @ 8:36 pm

Champions League-First knock-out round
FC Porto 0-0(2-2) Atletico Porto won by goals scored out
Barcelona 5-2(1-1)
Lyon Henry 25′, 27′, Messi 40′, Eto’o 43, Keita 90+5′;Makoun 44′, Juninho 48′
Roma 1-0(0-1)
Arsenal Juan 9′; Arsenal won on penalties shooot-out
M. United
2-0(0-0) Inter Vidic 4′, Cristiano Ronaldo 49′
Liverpool
4-0(1-0) R.Madrid
Torres 16′, Gerrard28′(pen), 47′; Dossena88
Juventus 2-2(0-1) Chelsea Iaquinta 19′ Del Piero 74(pen); Essien 45+1′, Drogba 83′
Panathinaikos 1-2(0-1) Villarreal Mantzios 55′; Ibagaza 49′, Llorente 70′
Bayern 7-1(5-0) Sporting Podolski 7′, 34′, Polga(og)39′, Schweinsteiger43′, Van Bommel 74′, Klose 82′(pen),Müller90′; J. Moutinho 42′

 

Nunca eu te lesse, balada! – Gonçalves Crespo

Filed under: Gonçalves Crespo,poesia — looking4good @ 1:52 am


(…)

Ontem, à tarde, beijando-a
De teu lábio a viva rosa,
Lembrou-me a historia singela
Dessa balada amorosa;
E dentro em mim de repente
Tão estranha dor senti,
Que num ímpeto demente
De teu lábio úmido e ardente
Com torvo aspecto fugi!

Lembrou-me, cabeça louca!
Que se eu acaso morresse,
Talvez um outro sorvesse
Os beijos da tua bôca…

E no azul indefinido,
Ó minha piedosa anémona!
Cuidei ouvir o gemido
Da moribunda Desdémona…

Ai desavindo amor!
Perdoa, sombra adorada!
Nunca eu te avistasse flor!
Nunca eu te lesse, balada!

in Os dias do Amor, um poema para cada dia do ano, recolha, selecção e organização de Inês Ramos; prefácio de Henrique Manuel Bento Fialho. Ministério dos Livros, 2009.

António Cândido GONÇALVES CRESPO nasceu nos subúrbios do Rio de Janeiro a 11 de Março de 1846 e morreu, tuberculoso, em Lisboa, a 11 de Junho de 1883.

Ler do mesmo autor Na Roça; Mater Dolorosa

 

Estradas – Manuel da Fonseca

Filed under: Manuel da Fonseca,poesia — looking4good @ 1:03 am

Não era noite nem dia.
Eram campos campos campos
abertos num sonho quieto.
Eram cabeços redondos
de estevas adormecidas.
E barrancos entre encostas
cheias de azul e silêncio.
Silêncio que se derrama
pela terra escalavrada
e chega no horizonte
suando nuvens de sangue.
Era a hora do poente.
Quase noite e quase dia.

E nos campos campos campos
abertos num sonho quieto
sequer os passos de Nena
na branca estrada se ouviam.
Passavam árvores serenas,
nem as ramagens mexiam,
e Nena, pra lá do morro,
na curva desaparecia.

Já de noite que avançava
os longes escureciam.
Já estranhos rumores de folhas
entre as esteveiras andavam,
quando, saindo um atalho,
veio à estrada um vulto esguio.
Tremeram os seios de Nena
sob o corpete justinho.
E uma oliveira amarela
debruçou-se da encosta
com os cabelos caídos!
Não era ladrão de estradas,
nem caminheiro pedinte,
nem nenhum maltês errante.
Era António Valmorim
que estava na sua frente.

— Ó nena de Montes Velhos,
se te quisessem matar
quem te haverá de acudir?

Sob o corpete justinho
uniram-se os seios de Nena.

— Vai-te António Valmorim.
Não tenho medo da morte,
só tenho medo de ti.

Mas já a noite fechava
a saída dos caminhos.
Já do corpete bordado
os seios de Nena saíam
— como duas flores abertas
por escuras mãos amparadas!
Aí que perfume se eleva
do campo de rosmaninho!
Aí como a boca de Nena
se entreabre fria fria!
Caiu-lhe da mão o saco
junto ao atalho das silvas
e sobre a sua cabeça
o céu de estrelas se abriu!

Ao longe subiu a lua
como um sol inda menino
passeando na charneca…
Caminhos iluminados
eram fios correndo cerros.
Era um grito agudo e alto
que uma estrela cintilou.
Eram cabeços redondos
de estevas surpreendidas.
Eram campos campos campos
abertos de espanto e sonho…

in 366 poemas que falam de amor, uma antologia organizada por Vasco da Graça Moura
Quetzal Editores

Manuel Lopes da Fonseca (n. em Santiago do Cacém a 15 Out 1911 ; m. em Lisboa a 11 Mar 1993)

Ler do mesmo autor:
Segundo dos Poemas de Infância
Ruas da Cidade
Os olhos do poeta
Romance do terceiro oficial de finanças

 

Estradas – Manuel da Fonseca

Filed under: Manuel da Fonseca,poesia — looking4good @ 1:03 am

Não era noite nem dia.
Eram campos campos campos
abertos num sonho quieto.
Eram cabeços redondos
de estevas adormecidas.
E barrancos entre encostas
cheias de azul e silêncio.
Silêncio que se derrama
pela terra escalavrada
e chega no horizonte
suando nuvens de sangue.
Era a hora do poente.
Quase noite e quase dia.

E nos campos campos campos
abertos num sonho quieto
sequer os passos de Nena
na branca estrada se ouviam.
Passavam árvores serenas,
nem as ramagens mexiam,
e Nena, pra lá do morro,
na curva desaparecia.

Já de noite que avançava
os longes escureciam.
Já estranhos rumores de folhas
entre as esteveiras andavam,
quando, saindo um atalho,
veio à estrada um vulto esguio.
Tremeram os seios de Nena
sob o corpete justinho.
E uma oliveira amarela
debruçou-se da encosta
com os cabelos caídos!
Não era ladrão de estradas,
nem caminheiro pedinte,
nem nenhum maltês errante.
Era António Valmorim
que estava na sua frente.

— Ó nena de Montes Velhos,
se te quisessem matar
quem te haverá de acudir?

Sob o corpete justinho
uniram-se os seios de Nena.

— Vai-te António Valmorim.
Não tenho medo da morte,
só tenho medo de ti.

Mas já a noite fechava
a saída dos caminhos.
Já do corpete bordado
os seios de Nena saíam
— como duas flores abertas
por escuras mãos amparadas!
Aí que perfume se eleva
do campo de rosmaninho!
Aí como a boca de Nena
se entreabre fria fria!
Caiu-lhe da mão o saco
junto ao atalho das silvas
e sobre a sua cabeça
o céu de estrelas se abriu!

Ao longe subiu a lua
como um sol inda menino
passeando na charneca…
Caminhos iluminados
eram fios correndo cerros.
Era um grito agudo e alto
que uma estrela cintilou.
Eram cabeços redondos
de estevas surpreendidas.
Eram campos campos campos
abertos de espanto e sonho…

in 366 poemas que falam de amor, uma antologia organizada por Vasco da Graça Moura
Quetzal Editores

Manuel Lopes da Fonseca (n. em Santiago do Cacém a 15 Out 1911 ; m. em Lisboa a 11 Mar 1993)

Ler do mesmo autor:
Segundo dos Poemas de Infância
Ruas da Cidade
Os olhos do poeta
Romance do terceiro oficial de finanças

 

On this day in History – Mar. 11

Filed under: efemerides,This Day in History — looking4good @ 1:01 am