Nothingandall

Just another WordPress.com weblog

Benfica goleador na Madeira ascende ao primeiro lugar (esperando pelo jogo do Leixões amanhã) Dezembro 7, 2008

Filed under: Benfica,Futebol,Liga Sagres,Maritimo — looking4good @ 9:34 pm
Marítimo

0 – 6

Benfica

Início avassalador reduziu Marítimo a dez e depois foi fácil…

O Benfica com Moreira em vez de Quim na baliza jogava uma partida muito importante para as suas aspirações, depois de já ter assistido ao triunfo do Sporting (frente ao Estrela da Amadora) e do Porto (em Setúbal).
O Benfica entrou bem no jogo, dispôs aos 6′ de uma grande oportunidade por Suazo que inclusivé passou Marcos e atirou para a baliza mas com Van der Linden em recuperação a tocar na bola evitando o 0-1. Pouco depois Ruben Amorim rematou à entrada da área para grande defesa de Marcos para canto. Aos 16′ livre marcado rápido, Suazo isola-se chega primeiro à bola e Marcos que saíra da baliza derrubou o avançado hondurenho do Benfica: penalty e expulsão do guarda-redes da equipa local, saindo Manú para a entrada do guarda-redes suplente. Reyes marcou o penalty com a bola ainda a bater no poste mas a saltar para o fundo da baliza.

O Marítimo ainda respondeu com Marcinho em jogada individual a ter oportunidade de empatar (32′) mas o remate rasteiro e na diagonal saiu ao lado. Nos últimos minutos da primeira parte o Benfica voltou à carga atacante e já depois de uma excelente jogada de Ruben Amorim perto da linha de fundo do lado esquerdo do ataque encarnado ter sido solucionada por defesa de Brunio Grassi, na sequência de um canto do mesmo lado, Katsouranis desviou para Suazo ao segundo poste marcar de cabeça. Com 2-0 ao intervalo e com os funchalenses em inferioridade numérica o jogo estaria decidido.

O início da segunda parte foi fraco com os jogadores a entrarem em quesílias escusadas. Num pontapé de canto da esquerda, Luisão apareceu a finalizar no miolo da área com o pé e aí o jogo seguiu a tendência da goleada. A capacidade de resistência do Marítimo terminou e na tentativa de marcar o golo de honra acabou por descurar as linhas defensivas, aproveitando os encarnados para jogadas de contra-ataque. Uma jogada com passe de Nuno Gomes para Suazo para a meia direita foi desenvolvida por este de forma inapelável terminando com um belíssimo golo do avançado emprestado pelo Inter à equipa encarnada.

As substituições encarnadas deram uma ambição maior à equipa em termos de golos e face ao KO total do Marítimo o Benfica ainda aumentou a goleada com um «bis» de Nuno Gomes: o primeiro após uma jogada na área com Katsouranis a ir à linha final dar para Balboa assistir Nuno Gomes, o sexto com David Luís a integrar-se no ataque pelo lado esquerdo a desenvolver a jogada individualmente até à linha de fundo e a fazer a assistência que foi 3/4 de golo.

Um triunfo muito facilitado pela inferioridade numérica do Marítimo mas que consagra o Benfica como a equipa mais goleadora do campeonato.

Soares Dias mostrou amarelos a mais mas no lance do minuto 17′ analisou bem a situação.

Ficha do jogo:
Estádio dos Barreiros, no Funchal

Árbitro: Artur Soares Dias (AF Porto)

Marítimo – Marcos; João Guilherme, Fernando Cardozo e Van der Linden; Paulo Jorge, Bruno (João Luiz, 65 m), Olberdam e Miguelito; Marcinho; Manu (Bruno Grassi, 19 m) e Djalma (Babá, 58 m).

Suplentes não utilizados: Briguel, Luis Olim, Vítor Júnior e Bruno Fogaça.

Benfica – Moreira; Maxi Pereira, Luisão, Sidnei e David Luiz; Katsouranis e Binya (Yebda, 58 m); Ruben Amorim (Balboa, 67 m), Aimar e Reyes; David Suazo.

Suplentes não utilizados: Moretto, Miguel Vítor, Urreta e Cardozo.

Golos: 0-1 por Reyes (20 m, g.p.); 0-2 por Suazo (42 m); 0-3 por Luisão (65 m); 0-4 por Suazo (85 m); 0-5 por Nuno Gomes (86 m); 0-6 por Nuno Gomes (90+2 m).

Disciplina: cartão amarelo a Luisão (35 m), Ruben Amorim (43 m), Binya (45+4 m), Reyes (49 m), Fernando Cardozo (50 m), David Luiz (55 m), Katsouranis (60 m) e Moreira (75 m); cartão vermelho a Marcos (16 m).

 

Benfica goleador na Madeira ascende ao primeiro lugar (esperando pelo jogo do Leixões amanhã)

Filed under: Benfica,Futebol,Liga Sagres,Maritimo — looking4good @ 9:34 pm
Marítimo

0 – 6

Benfica

Início avassalador reduziu Marítimo a dez e depois foi fácil…

O Benfica com Moreira em vez de Quim na baliza jogava uma partida muito importante para as suas aspirações, depois de já ter assistido ao triunfo do Sporting (frente ao Estrela da Amadora) e do Porto (em Setúbal).
O Benfica entrou bem no jogo, dispôs aos 6′ de uma grande oportunidade por Suazo que inclusivé passou Marcos e atirou para a baliza mas com Van der Linden em recuperação a tocar na bola evitando o 0-1. Pouco depois Ruben Amorim rematou à entrada da área para grande defesa de Marcos para canto. Aos 16′ livre marcado rápido, Suazo isola-se chega primeiro à bola e Marcos que saíra da baliza derrubou o avançado hondurenho do Benfica: penalty e expulsão do guarda-redes da equipa local, saindo Manú para a entrada do guarda-redes suplente. Reyes marcou o penalty com a bola ainda a bater no poste mas a saltar para o fundo da baliza.

O Marítimo ainda respondeu com Marcinho em jogada individual a ter oportunidade de empatar (32′) mas o remate rasteiro e na diagonal saiu ao lado. Nos últimos minutos da primeira parte o Benfica voltou à carga atacante e já depois de uma excelente jogada de Ruben Amorim perto da linha de fundo do lado esquerdo do ataque encarnado ter sido solucionada por defesa de Brunio Grassi, na sequência de um canto do mesmo lado, Katsouranis desviou para Suazo ao segundo poste marcar de cabeça. Com 2-0 ao intervalo e com os funchalenses em inferioridade numérica o jogo estaria decidido.

O início da segunda parte foi fraco com os jogadores a entrarem em quesílias escusadas. Num pontapé de canto da esquerda, Luisão apareceu a finalizar no miolo da área com o pé e aí o jogo seguiu a tendência da goleada. A capacidade de resistência do Marítimo terminou e na tentativa de marcar o golo de honra acabou por descurar as linhas defensivas, aproveitando os encarnados para jogadas de contra-ataque. Uma jogada com passe de Nuno Gomes para Suazo para a meia direita foi desenvolvida por este de forma inapelável terminando com um belíssimo golo do avançado emprestado pelo Inter à equipa encarnada.

As substituições encarnadas deram uma ambição maior à equipa em termos de golos e face ao KO total do Marítimo o Benfica ainda aumentou a goleada com um «bis» de Nuno Gomes: o primeiro após uma jogada na área com Katsouranis a ir à linha final dar para Balboa assistir Nuno Gomes, o sexto com David Luís a integrar-se no ataque pelo lado esquerdo a desenvolver a jogada individualmente até à linha de fundo e a fazer a assistência que foi 3/4 de golo.

Um triunfo muito facilitado pela inferioridade numérica do Marítimo mas que consagra o Benfica como a equipa mais goleadora do campeonato.

Soares Dias mostrou amarelos a mais mas no lance do minuto 17′ analisou bem a situação.

Ficha do jogo:
Estádio dos Barreiros, no Funchal

Árbitro: Artur Soares Dias (AF Porto)

Marítimo – Marcos; João Guilherme, Fernando Cardozo e Van der Linden; Paulo Jorge, Bruno (João Luiz, 65 m), Olberdam e Miguelito; Marcinho; Manu (Bruno Grassi, 19 m) e Djalma (Babá, 58 m).

Suplentes não utilizados: Briguel, Luis Olim, Vítor Júnior e Bruno Fogaça.

Benfica – Moreira; Maxi Pereira, Luisão, Sidnei e David Luiz; Katsouranis e Binya (Yebda, 58 m); Ruben Amorim (Balboa, 67 m), Aimar e Reyes; David Suazo.

Suplentes não utilizados: Moretto, Miguel Vítor, Urreta e Cardozo.

Golos: 0-1 por Reyes (20 m, g.p.); 0-2 por Suazo (42 m); 0-3 por Luisão (65 m); 0-4 por Suazo (85 m); 0-5 por Nuno Gomes (86 m); 0-6 por Nuno Gomes (90+2 m).

Disciplina: cartão amarelo a Luisão (35 m), Ruben Amorim (43 m), Binya (45+4 m), Reyes (49 m), Fernando Cardozo (50 m), David Luiz (55 m), Katsouranis (60 m) e Moreira (75 m); cartão vermelho a Marcos (16 m).

 

Benfica goleador na Madeira ascende ao primeiro lugar (esperando pelo jogo do Leixões amanhã)

Filed under: Benfica,Futebol,Marítimo. Liga Sagres — looking4good @ 9:34 pm
Marítimo

0 – 6

Benfica
Início avassalador reduziu Marítimo a dez e depois foi fácil…

O Benfica com Moreira em vez de Quim na baliza jogava uma partida muito importante para as suas aspirações, depois de já ter assistido ao triunfo do Sporting (frente ao Estrela da Amadora) e do Porto (em Setúbal).
O Benfica entrou bem no jogo, dispôs aos 6′ de uma grande oportunidade por Suazo que inclusivé passou Marcos e atirou para a baliza mas com Van der Linden em recuperação a tocar na bola evitando o 0-1. Pouco depois Ruben Amorim rematou à entrada da área para grande defesa de Marcos para canto. Aos 16′ livre marcado rápido, Suazo isola-se chega primeiro à bola e Marcos que saíra da baliza derrubou o avançado hondurenho do Benfica: penalty e expulsão do guarda-redes da equipa local, saindo Manú para a entrada do guarda-redes suplente. Reyes marcou o penalty com a bola ainda a bater no poste mas a saltar para o fundo da baliza.

O Marítimo ainda respondeu com Marcinho em jogada individual a ter oportunidade de empatar (32′) mas o remate rasteiro e na diagonal saiu ao lado. Nos últimos minutos da primeira parte o Benfica voltou à carga atacante e já depois de uma excelente jogada de Ruben Amorim perto da linha de fundo do lado esquerdo do ataque encarnado ter sido solucionada por defesa de Brunio Grassi, na sequência de um canto do mesmo lado, Katsouranis desviou para Suazo ao segundo poste marcar de cabeça. Com 2-0 ao intervalo e com os funchalenses em inferioridade numérica o jogo estaria decidido.

O início da segunda parte foi fraco com os jogadores a entrarem em quesílias escusadas. Num pontapé de canto da esquerda, Luisão apareceu a finalizar no miolo da área com o pé e aí o jogo seguiu a tendência da goleada. A capacidade de resistência do Marítimo terminou e na tentativa de marcar o golo de honra acabou por descurar as linhas defensivas, aproveitando os encarnados para jogadas de contra-ataque. Uma jogada com passe de Nuno Gomes para Suazo para a meia direita foi desenvolvida por este de forma inapelável terminando com um belíssimo golo do avançado emprestado pelo Inter à equipa encarnada.

As substituições encarnadas deram uma ambição maior à equipa em termos de golos e face ao KO total do Marítimo o Benfica ainda aumentou a goleada com um «bis» de Nuno Gomes: o primeiro após uma jogada na área com Katsouranis a ir à linha final dar para Balboa assistir Nuno Gomes, o sexto com David Luís a integrar-se no ataque pelo lado esquerdo a desenvolver a jogada individualmente até à linha de fundo e a fazer a assistência que foi 3/4 de golo.

Um triunfo muito facilitado pela inferioridade numérica do Marítimo mas que consagra o Benfica como a equipa mais goleadora do campeonato.

Soares Dias mostrou amarelos a mais mas no lance do minuto 17′ analisou bem a situação.

Ficha do jogo:
Estádio dos Barreiros, no Funchal

Árbitro: Artur Soares Dias (AF Porto)

Marítimo – Marcos; João Guilherme, Fernando Cardozo e Van der Linden; Paulo Jorge, Bruno (João Luiz, 65 m), Olberdam e Miguelito; Marcinho; Manu (Bruno Grassi, 19 m) e Djalma (Babá, 58 m).

Suplentes não utilizados: Briguel, Luis Olim, Vítor Júnior e Bruno Fogaça.

Benfica – Moreira; Maxi Pereira, Luisão, Sidnei e David Luiz; Katsouranis e Binya (Yebda, 58 m); Ruben Amorim (Balboa, 67 m), Aimar e Reyes; David Suazo.

Suplentes não utilizados: Moretto, Miguel Vítor, Urreta e Cardozo.

Golos: 0-1 por Reyes (20 m, g.p.); 0-2 por Suazo (42 m); 0-3 por Luisão (65 m); 0-4 por Suazo (85 m); 0-5 por Nuno Gomes (86 m); 0-6 por Nuno Gomes (90+2 m).

Disciplina: cartão amarelo a Luisão (35 m), Ruben Amorim (43 m), Binya (45+4 m), Reyes (49 m), Fernando Cardozo (50 m), David Luiz (55 m), Katsouranis (60 m) e Moreira (75 m); cartão vermelho a Marcos (16 m).

 

Recordando Ary dos Santos no dia do 72º. aniversário

Filed under: Ary dos Santos,efemerides,Musica,poesia — looking4good @ 8:10 pm

Era a tarde mais longa de todas as tardes que me acontecia
Eu esperava por ti, tu não vinhas, tardavas e eu entardecia
Era tarde, tão tarde, que a boca, tardando-lhe o beijo, mordia
Quando à boca da noite surgiste na tarde tal rosa tardia

Quando nós nos olhámos tardámos no beijo que a boca pedia
E na tarde ficámos unidos ardendo na luz que morria
Em nós dois nessa tarde em que tanto tardaste o sol amanhecia
Era tarde de mais para haver outra noite, para haver outro dia

Meu amor, meu amor
Minha estrela da tarde
Que o luar te amanheça e o meu corpo te guarde
Meu amor, meu amor
Eu não tenho a certeza
Se tu és a alegria ou se és a tristeza
Meu amor, meu amor
Eu não tenho a certeza

Foi a noite mais bela de todas as noites que me adormeceram
Dos nocturnos silêncios que à noite de aromas e beijos se encheram
Foi a noite em que os nossos dois corpos cansados não adormeceram
E da estrada mais linda da noite uma festa de fogo fizeram

Foram noites e noites que numa só noite nos aconteceram
Era o dia da noite de todas as noites que nos precederam
Era a noite mais clara daqueles que à noite amando se deram
E entre os braços da noite de tanto se amarem, vivendo morreram

Eu não sei, meu amor, se o que digo é ternura, se é riso, se é pranto
É por ti que adormeço e acordo e acordado recordo no canto
Essa tarde em que tarde surgiste dum triste e profundo recanto
Essa noite em que cedo nasceste despida de mágoa e de espanto
Meu amor, nunca é tarde nem cedo para quem se quer tanto!”

Meu amor meu amor
meu corpo em movimento
minha voz à procura
do seu próprio lamento.

Meu limão de amargura meu punhal a crescer
nós parámos o tempo não sabemos morrer
e nascemos nascemos
do nosso entristecer.

Meu amor meu amor
meu pássaro cinzento
A chorar a lonjura do nosso afastamento

Meu amor meu amor
meu nó de sofrimento
minha mó de ternura
minha nau de tormento

Este mar não tem cura este céu não tem ar
nós parámos o vento não sabemos nadar
e morremos morremos
devagar devagar.

José Carlos Ary dos Santos (n. em Lisboa a 7 Dez. 1936; m. 18 Jan 1984)

Ver : Partir é morrer um pouco