Nothingandall

Just another WordPress.com weblog

Isto é o que se chama Planeamento Estratégico Novembro 21, 2008

Filed under: Actualidade,economia — looking4good @ 2:24 pm

A notícia fala por si. É «self-explanatory». Dos comentários fico eu à espera!

 

Portugal: Desportistas do Ano 2008 são do Benfica

Filed under: atletismo,Benfica — looking4good @ 9:57 am
Atletas, medalhados olímpicos, representantes do Benfica, são qualidades comuns aos distinguidos como «Desportistas do Ano 2008», pela Confederação do Desporto de Portugal, na 13.ª Gala do Desporto, que decorreu ontem no Casino do Estoril: Nélson Évora e Vanessa Fernandes são os laureados.

Muitos parabéns!

 

Ingratidão – Raul de Leoni

Filed under: poesia,Raul de Leoni — looking4good @ 1:56 am
Amendoeiras em flor imagem daqui

Nunca mais me esqueci!… Eu era criança
e em meu velho quintal, ao sol nascente,
plantei, com a minha mão ingénua e mansa,
uma linda amendoeira adolescente.

Era a mais rútila e íntima esperança…
Cresceu… cresceu… e, aos poucos, suavemente,
pendeu os ramos sobre o muro em frente
e foi frutificar na vizinhança…

Daí por diante, pela vida inteira,
todas as grandes árvores que em minhas
terras, num sonho esplêndido, semeio,

como aquela magnífica amendoeira,
e florescem nas chácaras vizinhas
e vão dar frutos no pomar alheio…

RAUL DE LEÔNI Ramos nasceu a 30 de Outubro de 1895 em Petrópolis (RJ) e faleceu a 21 de Novembro de 1926 em Itaipava (RJ). Bacharel em Direito (1916) pela universidade do Rio, tentou a carreira diplomática mas, após três meses em Montevideu (Uruguai), desistiu, alegando não poder viver longe do Brasil. Então, tornou-se inspector de uma companhia de seguros e veio a ser deputado à assembleia legislativa do estado do Rio de Janeiro. É um poeta de transição, enamorado da Grécia antiga, de Roma, de Florença, das cidades da Renascença italiana, da cultura mediterrânica e do mundo clássico. Céptico e irónico, a sua poesia é estético-filosófica. O seu autor, quando adolescente, viajara pela Europa. Fora depois ginasta e campeão de natação, mas acabou por morrer tuberculoso. A sua obra, porém, representa uma evasão no espaço e no tempo e não trai a doença, como acontecia com os românticos.

Ler do mesmo autor neste blog:
Decadência
História Antiga
Pudor
Canção de Todos
Legenda dos dias
Soneto I de Sob Outros Céus

Soneto e nota biobibliográfica acima extraídos de «A Circulatura do Quadrado – Alguns dos Mais Belos Sonetos de Poetas cuja Mátria é a Língua Portuguesa. Introdução, coordenação e notas de António Ruivo Mouzinho. Edições Unicepe – Cooperativa Livreira de Estudantes do Porto, 2004.
 

Ingratidão – Raul de Leoni

Filed under: poesia,Raul de Leoni — looking4good @ 1:56 am
Amendoeiras em flor imagem daqui

Nunca mais me esqueci!… Eu era criança
e em meu velho quintal, ao sol nascente,
plantei, com a minha mão ingénua e mansa,
uma linda amendoeira adolescente.

Era a mais rútila e íntima esperança…
Cresceu… cresceu… e, aos poucos, suavemente,
pendeu os ramos sobre o muro em frente
e foi frutificar na vizinhança…

Daí por diante, pela vida inteira,
todas as grandes árvores que em minhas
terras, num sonho esplêndido, semeio,

como aquela magnífica amendoeira,
e florescem nas chácaras vizinhas
e vão dar frutos no pomar alheio…

RAUL DE LEÔNI Ramos nasceu a 30 de Outubro de 1895 em Petrópolis (RJ) e faleceu a 21 de Novembro de 1926 em Itaipava (RJ). Bacharel em Direito (1916) pela universidade do Rio, tentou a carreira diplomática mas, após três meses em Montevideu (Uruguai), desistiu, alegando não poder viver longe do Brasil. Então, tornou-se inspector de uma companhia de seguros e veio a ser deputado à assembleia legislativa do estado do Rio de Janeiro. É um poeta de transição, enamorado da Grécia antiga, de Roma, de Florença, das cidades da Renascença italiana, da cultura mediterrânica e do mundo clássico. Céptico e irónico, a sua poesia é estético-filosófica. O seu autor, quando adolescente, viajara pela Europa. Fora depois ginasta e campeão de natação, mas acabou por morrer tuberculoso. A sua obra, porém, representa uma evasão no espaço e no tempo e não trai a doença, como acontecia com os românticos.

Ler do mesmo autor neste blog:
Decadência
História Antiga
Pudor
Canção de Todos
Legenda dos dias
Soneto I de Sob Outros Céus

Soneto e nota biobibliográfica acima extraídos de «A Circulatura do Quadrado – Alguns dos Mais Belos Sonetos de Poetas cuja Mátria é a Língua Portuguesa. Introdução, coordenação e notas de António Ruivo Mouzinho. Edições Unicepe – Cooperativa Livreira de Estudantes do Porto, 2004.
 

Ingratidão – Raul de Leoni

Filed under: poesia,Raul de Leoni — looking4good @ 1:56 am
Amendoeiras em flor imagem daqui

Nunca mais me esqueci!… Eu era criança
e em meu velho quintal, ao sol nascente,
plantei, com a minha mão ingénua e mansa,
uma linda amendoeira adolescente.

Era a mais rútila e íntima esperança…
Cresceu… cresceu… e, aos poucos, suavemente,
pendeu os ramos sobre o muro em frente
e foi frutificar na vizinhança…

Daí por diante, pela vida inteira,
todas as grandes árvores que em minhas
terras, num sonho esplêndido, semeio,

como aquela magnífica amendoeira,
e florescem nas chácaras vizinhas
e vão dar frutos no pomar alheio…

RAUL DE LEÔNI Ramos nasceu a 30 de Outubro de 1895 em Petrópolis (RJ) e faleceu a 21 de Novembro de 1926 em Itaipava (RJ). Bacharel em Direito (1916) pela universidade do Rio, tentou a carreira diplomática mas, após três meses em Montevideu (Uruguai), desistiu, alegando não poder viver longe do Brasil. Então, tornou-se inspector de uma companhia de seguros e veio a ser deputado à assembleia legislativa do estado do Rio de Janeiro. É um poeta de transição, enamorado da Grécia antiga, de Roma, de Florença, das cidades da Renascença italiana, da cultura mediterrânica e do mundo clássico. Céptico e irónico, a sua poesia é estético-filosófica. O seu autor, quando adolescente, viajara pela Europa. Fora depois ginasta e campeão de natação, mas acabou por morrer tuberculoso. A sua obra, porém, representa uma evasão no espaço e no tempo e não trai a doença, como acontecia com os românticos.

Ler do mesmo autor neste blog:
Decadência
História Antiga
Pudor
Canção de Todos
Legenda dos dias
Soneto I de Sob Outros Céus

Soneto e nota biobibliográfica acima extraídos de «A Circulatura do Quadrado – Alguns dos Mais Belos Sonetos de Poetas cuja Mátria é a Língua Portuguesa. Introdução, coordenação e notas de António Ruivo Mouzinho. Edições Unicepe – Cooperativa Livreira de Estudantes do Porto, 2004.
 

On this day in History – Nov. 21

Filed under: efemerides,This Day in History — looking4good @ 1:28 am
 

On this day in History – Nov. 21

Filed under: efemerides,This Day in History — looking4good @ 1:28 am