Nothingandall

Just another WordPress.com weblog

Sporting ganha em Vila do Conde Novembro 1, 2008

Filed under: Futebol,Liga Sagres,Rio Ave,Sporting — looking4good @ 11:06 pm

Rio Ave logo

Rio Ave FC

0-1

Sporting

Oferta de Bruno Mendes e Liedson resolveu…

O Sporting aproveitou da melhor maneira a derrota do FC Porto frente à Naval ao derrotar o Rio Ave em Vila do Conde; Relembre-se que o Rio Ave neste campeonato já empatara frente ao Benfica e ao Porto.

Os visitantes tiveram mais iniciativa na primeira e ameaçaram o golo que surgiu, porém, apenas num clamoroso erro de Bruno Mendes que pressionado perdeu a bola para Liedson que caminhou isolado para a baliza e não perdoou. O avançado brasileiro fez o 150º. jogo para o campeonato.

O Rio Ave no início da segunda parte apareceu mais ofensivo mas à medida que o jogo decorria o Sporting controlava. Liedson de cabeça numa recarga a defesa incompleta de Paiva fez chegar a bola de novo ao fundo das malhas da baliza da equipa vilacondense mas o assistente assinalou posição irregular. Na realidade, Derlei estava adiantado mas não interferiu e Liedson que rematou à baliza estava em posição legal. Sucederam-se, aliás, os lances de foras de jogo ao Sporting, com alguns erros do assistente.

O treinador do Rio Ave foi apostando em substituições ofensivas para tentar o empate e a verdade é que o jogo atingiu um ponto de dúvida quanto ao resultado final nos últimos dez minutos a partir da expulsão de Derlei (duplo cartão amarelo em dois lances praticamente sucessivos). A equipa da casa pressionou no ataque com o lateral direito a fazer incursões e cruzamentos perigosos, mas o Sporting conseguiu segurar o resultado aguardando agora um deslize do Benfica amanhã em Guimarães.

Ficha de jogo:

Estádio do Rio Ave FC, em Vila do Conde

Árbitro: Jorge Sousa (AF Porto)

Rio Ave: Paiva; Miguel Lopes, Gaspar, Bruno Mendes e Sílvio; Vilas Boas (Tarantini, 68 m), Livramento, Niquinha (Mateus, 74 m) e Evandro; Semedo (Ronaldo, 72 m) e Chidi.

Suplentes: César, Vitor Gomes, Jorge Humberto e Henrique.

Treinador: João Eusébio.

Sporting: Rui Patrício; Pedro Silva, Polga, Caneira e Grimi; Rochemback, João Moutinho, Izmailov (Pereirinha, 90+2 m) e Romagnoli (Miguel Veloso, 60 m); Liedson e Derlei.

Suplentes: Ricardo Batista, Abel, Carriço, Hélder Postiga e Yannick.

Treinador: Paulo Bento.

Golos: Liedson (41 m).

Disciplina: Cartões amarelos para Livramento (35 m), Pedro Silva (58), Derlei (77) e João Moutinho (90). Segundo amarelo e Cartão vermelho para Derlei (78 m)

 

Sporting ganha em Vila do Conde

Filed under: Futebol,Liga Sagres,Rio Ave,Sporting — looking4good @ 11:06 pm

Rio Ave logo

Rio Ave FC

0-1

Sporting

Oferta de Bruno Mendes e Liedson resolveu…

O Sporting aproveitou da melhor maneira a derrota do FC Porto frente à Naval ao derrotar o Rio Ave em Vila do Conde; Relembre-se que o Rio Ave neste campeonato já empatara frente ao Benfica e ao Porto.

Os visitantes tiveram mais iniciativa na primeira e ameaçaram o golo que surgiu, porém, apenas num clamoroso erro de Bruno Mendes que pressionado perdeu a bola para Liedson que caminhou isolado para a baliza e não perdoou. O avançado brasileiro fez o 150º. jogo para o campeonato.

O Rio Ave no início da segunda parte apareceu mais ofensivo mas à medida que o jogo decorria o Sporting controlava. Liedson de cabeça numa recarga a defesa incompleta de Paiva fez chegar a bola de novo ao fundo das malhas da baliza da equipa vilacondense mas o assistente assinalou posição irregular. Na realidade, Derlei estava adiantado mas não interferiu e Liedson que rematou à baliza estava em posição legal. Sucederam-se, aliás, os lances de foras de jogo ao Sporting, com alguns erros do assistente.

O treinador do Rio Ave foi apostando em substituições ofensivas para tentar o empate e a verdade é que o jogo atingiu um ponto de dúvida quanto ao resultado final nos últimos dez minutos a partir da expulsão de Derlei (duplo cartão amarelo em dois lances praticamente sucessivos). A equipa da casa pressionou no ataque com o lateral direito a fazer incursões e cruzamentos perigosos, mas o Sporting conseguiu segurar o resultado aguardando agora um deslize do Benfica amanhã em Guimarães.

Ficha de jogo:

Estádio do Rio Ave FC, em Vila do Conde

Árbitro: Jorge Sousa (AF Porto)

Rio Ave: Paiva; Miguel Lopes, Gaspar, Bruno Mendes e Sílvio; Vilas Boas (Tarantini, 68 m), Livramento, Niquinha (Mateus, 74 m) e Evandro; Semedo (Ronaldo, 72 m) e Chidi.

Suplentes: César, Vitor Gomes, Jorge Humberto e Henrique.

Treinador: João Eusébio.

Sporting: Rui Patrício; Pedro Silva, Polga, Caneira e Grimi; Rochemback, João Moutinho, Izmailov (Pereirinha, 90+2 m) e Romagnoli (Miguel Veloso, 60 m); Liedson e Derlei.

Suplentes: Ricardo Batista, Abel, Carriço, Hélder Postiga e Yannick.

Treinador: Paulo Bento.

Golos: Liedson (41 m).

Disciplina: Cartões amarelos para Livramento (35 m), Pedro Silva (58), Derlei (77) e João Moutinho (90). Segundo amarelo e Cartão vermelho para Derlei (78 m)

 

FC Porto mete água e perde com a Naval

Filed under: FC Porto,Futebol,Liga Sagres,Naval 1º. de Maio — looking4good @ 8:47 pm

FC Porto logoNaval 1º. de Maio logo

Naval

1-0

FC Porto

Daniel marcou e a Naval ganhou…

O FC do Porto sofreu a segunda derrota consecutiva no campeonato e a terceira em jogos oficiais (somando a derrota frente ao Dinamo de Kyev para a Champions League).

A eficácia de Lisandro está muito longe da demonstrada a época passada -dispôs da maior oportunidade da primeira parte, quando foi isolado por Lucho mas permitiu a defesa do guarda-redes da Naval quando tentou o chapéu- enquanto a Naval confirmando a boa exibição da Luz demontrou ser uma equipa com boa capacidade técnica e que pelo seu flanto direito na primeira parte pôs problemas aos portistas.

Na segunda parte Jesualdo fez entrar Hulk para o lugar de Benitez passando Tonás Costa para defesa esquerdo mas foi a Naval que marcou através de uma incursão do seu lateral esquerdo Daniel que ganhou a linha de fundo e quando se esperava o cruzamento rematou para a baliza de ângulo já difícil mas com a felicidade de fazer a bola bater no segundo poste e ver a bola entrar na baliza de Nuno.

O FC Porto procurou reagir Jesualdo fez entrar Sektoui (para o lugar de Christian Rodriguez) e Pélé – ambos a estrearem-se no campeonato – conseguiu ganhar livres e cantos mas a eficácia portista está em baixa com Lisandro a falhar um cruzamento longo da direita e a rematar ao lado e a equipa da Naval a nunca remeter-se a uma defesa porfiada tendo até num remate de Domeneche obrigado Nuno a excelente defesa.

Foi o primeiro triunfo da história da equipa da Naval frente ao Porto, ultrapassando mesmo os portistas na classificação enquanto o FC Porto em vésperas de ir a Kiev, atravessa uma fase crítica.

Pedro Henriques arbitrou no seu estilo num jogo sem casos especiais merecendo nota positiva.

Liga Sagres, 7.ª jornada.
Estádio José Bento Pessoa, na Figueira da Foz.
Hora: 18.45
Árbitro: Pedro Henriques (Lisboa)

NAVAL: Peiser, Carlitos, Paulão, Diego Ângelo, Daniel Cruz (Godeméche 60′), Baradji, Alex Hauw, Bruno Lazaroni, Davide (Michele Simplício 77′), Bolívia e Marinho.

Suplentes: Jorge Baptista, Fabrício Lopes, Godeméche, Michel Simplício, Saulo, Dudu e Igor.

Treinador: Ulisses Morais

FC PORTO: Nuno, Sapunaru, Rolando, Bruno Alves, Benitez (Hulk ao int.), Fernando, Lucho, Raul Meireles, Rodríguez (Tarik Sektoui 59′), Tomás Costa (Pélé 71′) e Lisandro.

Suplentes: Helton, Pedro Emanuel, Guarín, Pelé, Tarik, Hulk e Mariano.

Treinador: Jesualdo Ferreira.

Golos: 1-0 Daniel Cruz 54′;

Disciplina: Cartão amarelo para Bruno Lazaroni aos 71′, por falta sobre Tarik, impedindo um contra-atraque.
Cartão amarelo para Pélé aos 90+4′ por protestos.

 

FC Porto mete água e perde com a Naval

Filed under: FC Porto,Futebol,Liga Sagres,Naval 1º. de Maio — looking4good @ 8:47 pm

FC Porto logoNaval 1º. de Maio logo

Naval

1-0

FC Porto

Daniel marcou e a Naval ganhou…

O FC do Porto sofreu a segunda derrota consecutiva no campeonato e a terceira em jogos oficiais (somando a derrota frente ao Dinamo de Kyev para a Champions League).

A eficácia de Lisandro está muito longe da demonstrada a época passada -dispôs da maior oportunidade da primeira parte, quando foi isolado por Lucho mas permitiu a defesa do guarda-redes da Naval quando tentou o chapéu- enquanto a Naval confirmando a boa exibição da Luz demontrou ser uma equipa com boa capacidade técnica e que pelo seu flanto direito na primeira parte pôs problemas aos portistas.

Na segunda parte Jesualdo fez entrar Hulk para o lugar de Benitez passando Tonás Costa para defesa esquerdo mas foi a Naval que marcou através de uma incursão do seu lateral esquerdo Daniel que ganhou a linha de fundo e quando se esperava o cruzamento rematou para a baliza de ângulo já difícil mas com a felicidade de fazer a bola bater no segundo poste e ver a bola entrar na baliza de Nuno.

O FC Porto procurou reagir Jesualdo fez entrar Sektoui (para o lugar de Christian Rodriguez) e Pélé – ambos a estrearem-se no campeonato – conseguiu ganhar livres e cantos mas a eficácia portista está em baixa com Lisandro a falhar um cruzamento longo da direita e a rematar ao lado e a equipa da Naval a nunca remeter-se a uma defesa porfiada tendo até num remate de Domeneche obrigado Nuno a excelente defesa.

Foi o primeiro triunfo da história da equipa da Naval frente ao Porto, ultrapassando mesmo os portistas na classificação enquanto o FC Porto em vésperas de ir a Kiev, atravessa uma fase crítica.

Pedro Henriques arbitrou no seu estilo num jogo sem casos especiais merecendo nota positiva.

Liga Sagres, 7.ª jornada.
Estádio José Bento Pessoa, na Figueira da Foz.
Hora: 18.45
Árbitro: Pedro Henriques (Lisboa)

NAVAL: Peiser, Carlitos, Paulão, Diego Ângelo, Daniel Cruz (Godeméche 60′), Baradji, Alex Hauw, Bruno Lazaroni, Davide (Michele Simplício 77′), Bolívia e Marinho.

Suplentes: Jorge Baptista, Fabrício Lopes, Godeméche, Michel Simplício, Saulo, Dudu e Igor.

Treinador: Ulisses Morais

FC PORTO: Nuno, Sapunaru, Rolando, Bruno Alves, Benitez (Hulk ao int.), Fernando, Lucho, Raul Meireles, Rodríguez (Tarik Sektoui 59′), Tomás Costa (Pélé 71′) e Lisandro.

Suplentes: Helton, Pedro Emanuel, Guarín, Pelé, Tarik, Hulk e Mariano.

Treinador: Jesualdo Ferreira.

Golos: 1-0 Daniel Cruz 54′;

Disciplina: Cartão amarelo para Bruno Lazaroni aos 71′, por falta sobre Tarik, impedindo um contra-atraque.
Cartão amarelo para Pélé aos 90+4′ por protestos.

 

O Canto dos Pastores – Silva Alvarenga

Filed under: poesia,Silva Alvarenga,Unicepe — looking4good @ 2:00 pm
Flores no Campo imagem daqui

Que saudoso lugar!… Em roda, as flores
nascem por entre a relva; estes pinheiros
parecem suspirar também de amores…

O Zéfiro respira; o sol formoso
vai dos troncos as sombras aportando,
que já se inclina o carro luminoso…

O rouxinol te está desafiando;
querem-te ouvir os verdes arvoredos
que o vento faz mover de quando em quando;
e a musa que de amor sabe os segredos…

Risonhas flores, que um estreito laço
formais de vossos ramos na floresta,
sei que Glaura vos ama… Pela sesta,
deixai-vos desfolhar no seu regaço.

Manuel Ignácio da SILVA ALVARENGA nasceu, mestiço, em Vila Rica (MG) em 1749 e morreu no Rio de Janeiro a 1 de Novembro de 1814. Bacharel em Direito Canónico pela universidade de Coimbra (1771/ 76), aí publicou um poema herói-cómico, «O Desertor das Letras» (1774), e parece que chegou a exercer advocacia em Lisboa. Regressado ao Brasil em 1777, passou a advogar em Rio das Mortes (MG), de onde, em 1782, transitou para o Rio de Janeiro, como professor de Retórica e Poética. Aí escreveu e ensaiou várias peças de teatro. Pertenceu à Arcádia Ultramarina, com o nome de Alcindo Palmireno, e reuniu a sua obra lírica na «Glaura» (1799). Denunciado por ideias subversivas, conheceu o cárcere por mais de dois anos (1794/97), mas acabou libertado por falta de provas.

Soneto e nota biobibliográfica extraídos de «A Circulatura do Quadrado – Alguns dos Mais Belos Sonetos de Poetas cuja Mátria é a Língua Portuguesa. Introdução, coordenação e notas de António Ruivo Mouzinho. Edições Unicepe – Cooperativa Livreira de Estudantes do Porto, 2004.
 

O Canto dos Pastores – Silva Alvarenga

Filed under: poesia,Silva Alvarenga,Unicepe — looking4good @ 2:00 pm
Flores no Campo imagem daqui

Que saudoso lugar!… Em roda, as flores
nascem por entre a relva; estes pinheiros
parecem suspirar também de amores…

O Zéfiro respira; o sol formoso
vai dos troncos as sombras aportando,
que já se inclina o carro luminoso…

O rouxinol te está desafiando;
querem-te ouvir os verdes arvoredos
que o vento faz mover de quando em quando;
e a musa que de amor sabe os segredos…

Risonhas flores, que um estreito laço
formais de vossos ramos na floresta,
sei que Glaura vos ama… Pela sesta,
deixai-vos desfolhar no seu regaço.

Manuel Ignácio da SILVA ALVARENGA nasceu, mestiço, em Vila Rica (MG) em 1749 e morreu no Rio de Janeiro a 1 de Novembro de 1814. Bacharel em Direito Canónico pela universidade de Coimbra (1771/ 76), aí publicou um poema herói-cómico, «O Desertor das Letras» (1774), e parece que chegou a exercer advocacia em Lisboa. Regressado ao Brasil em 1777, passou a advogar em Rio das Mortes (MG), de onde, em 1782, transitou para o Rio de Janeiro, como professor de Retórica e Poética. Aí escreveu e ensaiou várias peças de teatro. Pertenceu à Arcádia Ultramarina, com o nome de Alcindo Palmireno, e reuniu a sua obra lírica na «Glaura» (1799). Denunciado por ideias subversivas, conheceu o cárcere por mais de dois anos (1794/97), mas acabou libertado por falta de provas.

Soneto e nota biobibliográfica extraídos de «A Circulatura do Quadrado – Alguns dos Mais Belos Sonetos de Poetas cuja Mátria é a Língua Portuguesa. Introdução, coordenação e notas de António Ruivo Mouzinho. Edições Unicepe – Cooperativa Livreira de Estudantes do Porto, 2004.
 

PAISAGEM – Francisca Júlia

Filed under: Francisca Júlia,poesia — looking4good @ 1:30 pm
Ganso africano Foto: Roched Seba daqui

Dorme sob o silêncio o parque. Com descanso,
Aos haustos, aspirando o finíssimo extrato
Que evapora a verdura e que deleita o olfato,
Pelas alas sem fim das árvores avanço.

Ao fundo do pomar, entre as folhas, abstrato
Em cismas, tristemente, um alvíssimo ganso
Escorrega de manso, escorrega de manso
Pelo claro cristal do límpido regato.

Nenhuma ave sequer sobre a macia alfombra
Pousa. Tudo deserto. Aos poucos escurece
A campina, a rechã sob a noturna sombra.

E enquanto o ganso vai, abstrato em cismas, pelas
Selvas adentro entrando, a noite desce, desce…
E espalham-se no céu camândulas de estrelas…

Francisca Júlia da Silva Munster (n. antiga Vila de Xiririca, hoje Eldourado, no vale do Ribeira, São Paulo a 31 de Agosto de 1871 e faleceu em São Paulo a 1 de Novembro de 1920).

Ler da mesma autoria neste blog Inverno