Nothingandall

Just another WordPress.com weblog

Águias já voam mais alto e derrotaram leões sem «killer instinct» Setembro 27, 2008

Filed under: Benfica,Futebol,Liga Sagres,Sporting — looking4good @ 10:01 pm

Sporting logoBenfica logo

Benfica

2-0

Sporting

Boa segunda parte deu triunfo aos encarnados

Quique Flores manteve, com surpresa, o onze inicial de Paços de Ferreira para este derby com o Sporting enquanto o Sporting com ou sem polémica Vukcevic (desta vez lesionado não poderia jogar mesmo que fosse opção de Paulo Bento) tinha Miguel Veloso pela primeira vez esta época a titular, Grimi a lateral esquerdo e Liedson e Derlei no banco, apostando em Yanick e Postiga na frente.

O Sporting entrou melhor e logo no primeiro minuto poderia ter marcado com Yanick a aparecer por trás dos defesas a dar um toque a mais na bola com o joelho e a desperdiçar uma clamorosa oportunidade de golo. A defesa encarnada parecia lenta e o Sporting através de lançamentos longos directos criava perigo. Por volta da passagem do quarto de hora o Benfica equilibrava. Aos 19′ uma iniciativa de Maxi Pereira pela direita criou a primeira oportunidade de golo para o Benfica como cruzamento forte de Maxi a encontrar o desvio de Nuno Gomes mas a bola saiu ao lado da baliza. O jogo estava movimentado e pouco depois Postiga qual pivôt de ataque a rodopiar e a rematar obrigando Quim a uma grande defesa só com uma mão, para canto.

O Sporting dispõs ainda por Postiga de outro lance de muito perigo com Sidnei a cortar para canto no último momento mas em lance que se iniciou com um fora de jogo do avançado sportinguista.

Nesta altura o Benfica já parecia refeito da entrada leonina no jogo; aos 36′ após um canto na ressaca Reyes desfere portentoso remate de fora da área que levaria o selo de golo não fosse a cabeçada de Abel a afastar a bola e a primeira parte terminou com o árbitro Duarte Gomes a perdoar um penalty de Postiga sobre Yebda (agarrão veemente e bem visível em lance de bola parada), preferindo o árbitro apitar uma falta contra o Benfica e a terminar a primeira parte.

Na segunda parte o Benfica apareceu com outra atitude e especialmente outra disposição táctica. Quique percebeu (terá percebido definitivamente?) que o Benfica precisa no meio campo de dois jogadores de características defensivas de modo a dar solidez à equipa: Katsouranis entrou para o lugar de Ruben Amorim. A verdade é que o Benfica avançou uns bons metros em campo, apareceu mais compacto e o Sporting parecia agora satisfeita em tentar tirar a iniciativa ao adversário mas a aparecer mais inofensiva no ataque. É claro que jogos destes acabam por se decidir por detalhes e o primeiro golo encarnado surgiu de um lançamnto da linha lateral na esquerda do ataque: Reyes fez tabela com Pablo Aimar (que entrara pouco antes para o lugar de Nuno Gomes) e o espanhol que já havia desferido aquele remate da primeira parte (que Abel evitou) conseguiu um tiro de pé esquerdo cruzado com a bola a entrar junto do «segundo» poste sem hipóteses para Rui Patrício.

A equipa leonina que já vinha em perda não encaixou bem este golo Paulo Bento fez entar Derlei para o lugar de Postiga mas sem resultados e de um livre da direita apontado por Carlos Martins Sidnei por detrás de cardozo atirou de cabeça para o 2-0. Só então Paulo Bento faria entrar Pereirinha e Liedson num regresso aos palcos futebolísticos depois de cerca de 5 meses lesionado. O Sporting nunca deu mostras de acreditar em evitar a derrota, cometeu muitas faltas com o árbitro agora a ter de agir disciplinarmente, enquanto o Benfica não demonstrou a instabilidade que caracterizou a sua exibição em Paços de Ferreira. Por outro lado a equipa correu mais do que o Sporting evidenciando melhoria dos seus níveis físicos. E há quanto tempo o Benfica não tinha um plantel que permite Léo, Katsouranis, Pablo Aimar, Makukula e Di Maria no banco (para além do castigado Luisão e do lesionado Suazo)?

Uma vitória de Quique sobre Paulo Bento, mas o futebol é assim, se Yannick marcasse no primeiro minuto quem pode dizer o que seria?

O jogo não teve muitos casos mas aos 45+1′ houve um penalty e Postiga esteve quase a marcar num lance de fora de jogo.

Na semana que vem aí o Sporting joga na 4ª feira em casa contra o Basileia antes de receber o Porto – dois jogos de grande importância – enquanto o Benfica pode capitalizar um nível alto de confiança se eliminar o Nápoles da Taça Uefa na próxima 5ª feira e partir para o ataque do comando classificativo da Liga Sagres, mas também tudo pode mudar se porventura não tiver desfecho agradável contra os italianos e por isso ser afastado (prematuramente) das competições europeias.

LIGA SAGRES – 4.ª JORNADA
Estádio da Luz, em Lisboa
Hora: 20:45
Árbitro: Duarte Gomes (Lisboa)

BENFICA – Quim; Maxi Pereira, Miguel Vítor, Sidnei e Jorge Ribeiro; Ruben Amorim (Katsouranis 46′), Yebda, Carlos Martins e Reyes (Di Maria 75′); Nuno Gomes (Pablo Aimar 60′) e Cardozo.

SPORTING – Rui Patrício; Abel (Pereirinha 73′), Tonel, Polga e Grimi; Rochemback, Miguel Veloso, Romagnoli (Liedson 73′)e Moutinho; Postiga (Derlei 68′) e Yannick.

Golos: Reyes 67′, Sidnei 72′

74′ – Cartão amarelo a Pereirinha por falta sobre Reyes.
86′ – Cartão amarelo a Yebda por falta sobre Rochemback.
87′ – Cartão amarelo a Grimi por agarrar ostensivamente Aimar.
90′ – Cartão amarelo a João Moutinho por falta sobre Maxi Pereira.

 

Águias já voam mais alto e derrotaram leões sem «killer instinct»

Filed under: Benfica,Futebol,Liga Sagres,Sporting — looking4good @ 10:01 pm

Sporting logoBenfica logo

Benfica

2-0

Sporting

Boa segunda parte deu triunfo aos encarnados

Quique Flores manteve, com surpresa, o onze inicial de Paços de Ferreira para este derby com o Sporting enquanto o Sporting com ou sem polémica Vukcevic (desta vez lesionado não poderia jogar mesmo que fosse opção de Paulo Bento) tinha Miguel Veloso pela primeira vez esta época a titular, Grimi a lateral esquerdo e Liedson e Derlei no banco, apostando em Yanick e Postiga na frente.

O Sporting entrou melhor e logo no primeiro minuto poderia ter marcado com Yanick a aparecer por trás dos defesas a dar um toque a mais na bola com o joelho e a desperdiçar uma clamorosa oportunidade de golo. A defesa encarnada parecia lenta e o Sporting através de lançamentos longos directos criava perigo. Por volta da passagem do quarto de hora o Benfica equilibrava. Aos 19′ uma iniciativa de Maxi Pereira pela direita criou a primeira oportunidade de golo para o Benfica como cruzamento forte de Maxi a encontrar o desvio de Nuno Gomes mas a bola saiu ao lado da baliza. O jogo estava movimentado e pouco depois Postiga qual pivôt de ataque a rodopiar e a rematar obrigando Quim a uma grande defesa só com uma mão, para canto.

O Sporting dispõs ainda por Postiga de outro lance de muito perigo com Sidnei a cortar para canto no último momento mas em lance que se iniciou com um fora de jogo do avançado sportinguista.

Nesta altura o Benfica já parecia refeito da entrada leonina no jogo; aos 36′ após um canto na ressaca Reyes desfere portentoso remate de fora da área que levaria o selo de golo não fosse a cabeçada de Abel a afastar a bola e a primeira parte terminou com o árbitro Duarte Gomes a perdoar um penalty de Postiga sobre Yebda (agarrão veemente e bem visível em lance de bola parada), preferindo o árbitro apitar uma falta contra o Benfica e a terminar a primeira parte.

Na segunda parte o Benfica apareceu com outra atitude e especialmente outra disposição táctica. Quique percebeu (terá percebido definitivamente?) que o Benfica precisa no meio campo de dois jogadores de características defensivas de modo a dar solidez à equipa: Katsouranis entrou para o lugar de Ruben Amorim. A verdade é que o Benfica avançou uns bons metros em campo, apareceu mais compacto e o Sporting parecia agora satisfeita em tentar tirar a iniciativa ao adversário mas a aparecer mais inofensiva no ataque. É claro que jogos destes acabam por se decidir por detalhes e o primeiro golo encarnado surgiu de um lançamnto da linha lateral na esquerda do ataque: Reyes fez tabela com Pablo Aimar (que entrara pouco antes para o lugar de Nuno Gomes) e o espanhol que já havia desferido aquele remate da primeira parte (que Abel evitou) conseguiu um tiro de pé esquerdo cruzado com a bola a entrar junto do «segundo» poste sem hipóteses para Rui Patrício.

A equipa leonina que já vinha em perda não encaixou bem este golo Paulo Bento fez entar Derlei para o lugar de Postiga mas sem resultados e de um livre da direita apontado por Carlos Martins Sidnei por detrás de cardozo atirou de cabeça para o 2-0. Só então Paulo Bento faria entrar Pereirinha e Liedson num regresso aos palcos futebolísticos depois de cerca de 5 meses lesionado. O Sporting nunca deu mostras de acreditar em evitar a derrota, cometeu muitas faltas com o árbitro agora a ter de agir disciplinarmente, enquanto o Benfica não demonstrou a instabilidade que caracterizou a sua exibição em Paços de Ferreira. Por outro lado a equipa correu mais do que o Sporting evidenciando melhoria dos seus níveis físicos. E há quanto tempo o Benfica não tinha um plantel que permite Léo, Katsouranis, Pablo Aimar, Makukula e Di Maria no banco (para além do castigado Luisão e do lesionado Suazo)?

Uma vitória de Quique sobre Paulo Bento, mas o futebol é assim, se Yannick marcasse no primeiro minuto quem pode dizer o que seria?

O jogo não teve muitos casos mas aos 45+1′ houve um penalty e Postiga esteve quase a marcar num lance de fora de jogo.

Na semana que vem aí o Sporting joga na 4ª feira em casa contra o Basileia antes de receber o Porto – dois jogos de grande importância – enquanto o Benfica pode capitalizar um nível alto de confiança se eliminar o Nápoles da Taça Uefa na próxima 5ª feira e partir para o ataque do comando classificativo da Liga Sagres, mas também tudo pode mudar se porventura não tiver desfecho agradável contra os italianos e por isso ser afastado (prematuramente) das competições europeias.

LIGA SAGRES – 4.ª JORNADA
Estádio da Luz, em Lisboa
Hora: 20:45
Árbitro: Duarte Gomes (Lisboa)

BENFICA – Quim; Maxi Pereira, Miguel Vítor, Sidnei e Jorge Ribeiro; Ruben Amorim (Katsouranis 46′), Yebda, Carlos Martins e Reyes (Di Maria 75′); Nuno Gomes (Pablo Aimar 60′) e Cardozo.

SPORTING – Rui Patrício; Abel (Pereirinha 73′), Tonel, Polga e Grimi; Rochemback, Miguel Veloso, Romagnoli (Liedson 73′)e Moutinho; Postiga (Derlei 68′) e Yannick.

Golos: Reyes 67′, Sidnei 72′

74′ – Cartão amarelo a Pereirinha por falta sobre Reyes.
86′ – Cartão amarelo a Yebda por falta sobre Rochemback.
87′ – Cartão amarelo a Grimi por agarrar ostensivamente Aimar.
90′ – Cartão amarelo a João Moutinho por falta sobre Maxi Pereira.

 

Porto’s Wine: Ruby versus Tawny

Filed under: Porto,wine — looking4good @ 5:56 pm
«Enquanto o Porto Ruby poderá ser descrito como catalizador de energia, com o entusiamo e a efervescência de uma adolescente, o Porto Tawny é a sua irmã mais velha, mais reservada e confiante. Imagine ambas as mulheres numa festa: as pessoas serão inicialmente cativadas pelas qualidades exuberantes da irmã Ruby, mas depois acabarão por descobrir a natureza intrigante da irmã Tawny» in Vinhos & Outros Sabores, Revista Extra do Expresso 27 de Set. 2008.
Sugestão: fique com as duas irmãs ( não, não é as duas mulheres, falava das duas garrafas de vinho.. ah ah).

 

Porto’s Wine: Ruby versus Tawny

Filed under: Porto,wine — looking4good @ 5:56 pm
«Enquanto o Porto Ruby poderá ser descrito como catalizador de energia, com o entusiamo e a efervescência de uma adolescente, o Porto Tawny é a sua irmã mais velha, mais reservada e confiante. Imagine ambas as mulheres numa festa: as pessoas serão inicialmente cativadas pelas qualidades exuberantes da irmã Ruby, mas depois acabarão por descobrir a natureza intrigante da irmã Tawny» in Vinhos & Outros Sabores, Revista Extra do Expresso 27 de Set. 2008.
Sugestão: fique com as duas irmãs ( não, não é as duas mulheres, falava das duas garrafas de vinho.. ah ah).

 

Está quase a chegar o football show no Estádio da Luz

Filed under: Benfica,Futebol,Liga Sagres,Sporting — looking4good @ 1:37 am


OU

Ou será que nem um nem outro se vai sobrepor e vamos ter uma espécie de grifo?

 

Está quase a chegar o football show no Estádio da Luz

Filed under: Benfica,Futebol,Liga Sagres,Sporting — looking4good @ 1:37 am


OU

Ou será que nem um nem outro se vai sobrepor e vamos ter uma espécie de grifo?

 

Suprema Glória – Rodrigues de Abreu

Filed under: poesia,Rodrigues de Abreu — looking4good @ 1:06 am

Seja, depois de tanto amar, corrido,
como um pária, às pedradas; e, às pedradas
fugindo, deixe, triste, essas estradas,
por onde eu for, cheias do meu gemido!

E, soluçando, o coração ferido
sangre, exposto do público às risadas…
E, esquecido de ti, entre as amadas
a maior, vá de todos esquecido…

Embora! Nesta dor, a recompensa
levo de todo o horror desta descida
do sonho à lama; levo a glória imensa

que às outras glórias todas anteponho:
amei!… E, ao menos um momento, a vida
glorifiquei, em cantos, no meu Sonho…

Benedito Luís RODRIGUES DE ABREU nasceu em Capivari (SP) a 27 de Setembro de 1897 e morreu tuberculoso em Bauru (SP) a 24 de Novembro de 1927. Em vão buscara alívio para o seu mal em Campos do Jordão… Ex-seminarista, foi professor e escriturário de cartório. Poeta neo-romântico «crepuscular», os seus versos são confidências a meia-voz e meia-luz. A sua principal obra intitula-se «Casa Destelhada» (1927).

Soneto e nota biobibliográfica extraídos de «A Circulatura do Quadrado – Alguns dos Mais Belos Sonetos de Poetas cuja Mátria é a Língua Portuguesa. Introdução, coordenação e notas de António Ruivo Mouzinho. Edições Unicepe – Cooperativa Livreira de Estudantes do Porto, 2004.

Ler do mesmo autor, neste blog:
Crianças
As Andorinhas