Nothingandall

Just another WordPress.com weblog

O Poeta e a Nau – Augusto de Casimiro Setembro 23, 2008

Filed under: Augusto Casimiro,poesia — looking4good @ 12:12 am

Vai errante, no Mar, uma nau sem governo…
O oceano é chão, o céu azul fundindo em aço…
As velas mortas… Nem sequer vento galerno
As vem inchar para dormir no seu regaço!…

Sobre o antigo convés pesa um velho cansaço,
E ou destino fatal ou maldição do inferno,
O mastro grande em vão aponta para o espaço…
— Sobre as ondas a nau é um cárcere eterno!

Dominando em redor, lá na gávea mais alta,
Um marujo, a cantar, fala do Além, e exalta
Um passado esplendor sobre a nau sepulcral…

“Porque o vento há de vir aninhar-se nas velas!”
“Porque a nau voará, – tocará nas estrelas!…”
— O marujo é Poeta — e a nau… Portugal!

Augusto Casimiro (n. na freguesia de S. Gonçalo em Amarante a 11 de Maio de 1889 – m. em Lisboa a 23 Set 1967) .

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s