Nothingandall

Just another WordPress.com weblog

Desilusão… Junho 20, 2008

Filed under: Actualidade,Futebol,selecção de Portugal — looking4good @ 11:21 am
Voltamos à triste condição de «coitadinhos», aos preços dos combustíveis e aos problemas. Em contrapartida os jogadores vão de férias… (depois de fazerem o jogo das vidas deles? ou o problema foi terem descansado demais?); e o treinador vai contar as notas para a Inglaterra!…
 

A Folha de Salgueiro

Filed under: António Feijó,poesia — looking4good @ 2:22 am
Salgueiro

Adoro esta mulher moça e formosa,
Que à janela, a sonhar, vejo esquecida,
Não por ter uma casa sumptuosa
Junto ao Rio Amarelo construída…
– Amo-a porque uma folha melindrosa
Deixou cair nas águas distraída.

Tambem adoro a brisa do Levante
Não por trazer a essência virginal
Do pessegueiro que floriu distante,
No pendor da Montanha Oriental…
– Amo-a porque impeliu a folha errante
Ao meu batel no lago de cristal.

E adoro a folha, não por ter lembrado
A nova primavera que rompeu,
Mas por causa de um nome idolatrado
Que essa jovem mulher n’ela escreveu
Com a doirada agulha do bordado…
E esse nome… era o meu !

in Poesias Completas – António Feijó, Prefácio de J. Candido Martins, Edições Caixotim

António Joaquim de Castro Feijó nasceu em Ponte de Lima (Minho) a 1 de Junho de 1859 e faleceu em Upsala (Suécia) a 20 de Junho de 1917.

Ler Mais Poesias de António Feijó

 

A Folha de Salgueiro

Filed under: António Feijó,poesia — looking4good @ 2:22 am
Salgueiro

Adoro esta mulher moça e formosa,
Que à janela, a sonhar, vejo esquecida,
Não por ter uma casa sumptuosa
Junto ao Rio Amarelo construída…
– Amo-a porque uma folha melindrosa
Deixou cair nas águas distraída.

Tambem adoro a brisa do Levante
Não por trazer a essência virginal
Do pessegueiro que floriu distante,
No pendor da Montanha Oriental…
– Amo-a porque impeliu a folha errante
Ao meu batel no lago de cristal.

E adoro a folha, não por ter lembrado
A nova primavera que rompeu,
Mas por causa de um nome idolatrado
Que essa jovem mulher n’ela escreveu
Com a doirada agulha do bordado…
E esse nome… era o meu !

in Poesias Completas – António Feijó, Prefácio de J. Candido Martins, Edições Caixotim

António Joaquim de Castro Feijó nasceu em Ponte de Lima (Minho) a 1 de Junho de 1859 e faleceu em Upsala (Suécia) a 20 de Junho de 1917.

Ler Mais Poesias de António Feijó

 

A Folha de Salgueiro

Filed under: António Feijó,poesia — looking4good @ 2:22 am
Salgueiro

Adoro esta mulher moça e formosa,
Que à janela, a sonhar, vejo esquecida,
Não por ter uma casa sumptuosa
Junto ao Rio Amarelo construída…
– Amo-a porque uma folha melindrosa
Deixou cair nas águas distraída.

Tambem adoro a brisa do Levante
Não por trazer a essência virginal
Do pessegueiro que floriu distante,
No pendor da Montanha Oriental…
– Amo-a porque impeliu a folha errante
Ao meu batel no lago de cristal.

E adoro a folha, não por ter lembrado
A nova primavera que rompeu,
Mas por causa de um nome idolatrado
Que essa jovem mulher n’ela escreveu
Com a doirada agulha do bordado…
E esse nome… era o meu !

in Poesias Completas – António Feijó, Prefácio de J. Candido Martins, Edições Caixotim

António Joaquim de Castro Feijó nasceu em Ponte de Lima (Minho) a 1 de Junho de 1859 e faleceu em Upsala (Suécia) a 20 de Junho de 1917.

Ler Mais Poesias de António Feijó

 

A Folha de Salgueiro

Filed under: António Feijó,poesia — looking4good @ 2:22 am
Salgueiro

Adoro esta mulher moça e formosa,
Que à janela, a sonhar, vejo esquecida,
Não por ter uma casa sumptuosa
Junto ao Rio Amarelo construída…
– Amo-a porque uma folha melindrosa
Deixou cair nas águas distraída.

Tambem adoro a brisa do Levante
Não por trazer a essência virginal
Do pessegueiro que floriu distante,
No pendor da Montanha Oriental…
– Amo-a porque impeliu a folha errante
Ao meu batel no lago de cristal.

E adoro a folha, não por ter lembrado
A nova primavera que rompeu,
Mas por causa de um nome idolatrado
Que essa jovem mulher n’ela escreveu
Com a doirada agulha do bordado…
E esse nome… era o meu !

in Poesias Completas – António Feijó, Prefácio de J. Candido Martins, Edições Caixotim

António Joaquim de Castro Feijó nasceu em Ponte de Lima (Minho) a 1 de Junho de 1859 e faleceu em Upsala (Suécia) a 20 de Junho de 1917.

Ler Mais Poesias de António Feijó

 

On this day in History – Jun 20

Filed under: efemerides,This Day in History — looking4good @ 12:54 am

 

On this day in History – Jun 20

Filed under: efemerides,This Day in History — looking4good @ 12:54 am