Nothingandall

Just another WordPress.com weblog

On this day in History – Jun 8 Junho 7, 2008

Filed under: efemerides,This Day in History — looking4good @ 11:45 pm
 

Portugal tem estreia auspiciosa no Euro 2008

Filed under: Euro 2008,football,Futebol,selecção de Portugal — looking4good @ 8:46 pm
Portugal

2-0

Turkey

(Só) dois golos e três bolas nos ferros da baliza turca

Portugal fez uma boa estreia no Euro 2008 e conseguiu uma bela vitória que só peca por defeito.

Aos 16′ festejou-se o golo mas Pepe que finalizara de cabeça estava, de facto, adiantado e em posição de fora de jogo que o juiz assistente assinalou.

Portugal demonstrava superioridade em termos de posse de bola, de postura ofensiva e em capacidade técnica mas os turcos davam réplica e percebia-se que iam apostar em transições rápidas para o ataque.

Portugal estava sempre muito mais próximo da baliza adversário e através de livres (primeiro por Simão por cima da barra e depois por Cristiano Ronaldo ao poste) esteve perto de marcar.

Os turcos congelavam o jogo para chegar ao intervalo a zero o que conseguiram. Mas na segunda parte a tendência do jogo não se modificou muito. Na selecção portuguesa percebeu-se um adiantamento de João Moutinho trocando de posição com Deco. Simão interceptou uma bola logo à entrada da área turca e foi claramente derrubado, a bola sobrou para Nuno Gomes que atirou ao poste! Por volta dos 60 minutos de jogo percebeu-se que o golo iria acontecer (ou numa baliza ou noutra). Portugal atacava mas os turcos conseguiam transições rápidas que, no entanto, foram mal finalizadas. E aconteceu o golo para o lado que melhor convinha. Pepe adiantou-se no campo arrancando pelo meio tabelou com Nuno Gomes e isolado conseguiu inaugurar o marcador com a intervenção in-extremis de um defesa a fazer carrinho a não ser bem sucedida.

A selecção turca sentiu muito o golo e não conseguiu reagir. Nuno Gomes de cabeça a finalizar um centro da esquerda volta a mandar a bola aos ferros da baliza turca, desta vez à barra com o guarda-redes totalmente batido. A saída de Nuno Gomes e a entrada de Nani foi o sinal que a selecção turca esperava para tentar a reacção, a partir daí passou a ter mais posse de bola e os portugueses a terem mais dificuldades em controlar o jogo, mas na realidade só por uma vez a baliza portuguesa passou por real perigo com Tukay a falhar o remate de primeira.

Já em tempos de desconto Ronaldo arrancou pela esquerda deu para o meio para João Moutinho que fez um excelente trabalho e deu para a direita para a finalização de Raúl Meireles, já sem guarda-redes pela frente, dar uma expressão ao marcador mais consentânea com a superioridade portuguesa no jogo.

Este jogo deixou água na boca aos adeptos da selecção portuguesa que agora tem dois jogos para fazer dois pontos e qualificar-se para os quartos de final.

O árbitro alemão Fandel fez uma arbitragem exigente a marcar muitas faltas em pequenos toques mas errou ao não marcar outras bem mais graves: um corte de Simão com o braço na zona defensiva portuguesa e uma falta incrível com uma entrada directamente à canela de Nani que bem poderia ser sancionada com vermelho directo e que passou sem marcação sequer de livre.

Estádio de Genève

Árbitro: Herbert Fandel (Alemanha)

PORTUGAL: 1 – Ricardo, 4 – Bosingwa, 15 – Pepe, 16 – Ricardo Carvalho, 2 – Paulo Ferreira; 8 – Petit, 10 – João Moutinho, 20 – Deco (5- Fernando Meira aos 90+2′), 7 – Cristiano Ronaldo, 21 – Nuno Gomes (23 Nani aos 69′), 11 – Simão(6 – Raul Meireles aos 83′) TURQUIA: 23 – Volkan Demirel, 22 – Hamit Altintop ( 9 – Semih Senturk aos 76′), 2 – Servet Çetin, 4 – Gokhan Zan (15 Emre Asik aos 55′) e 3 – Hakan Balta; 5 – Emre Belözoglu, 7 – Mehmet Aurélio, 18 – Kazim Kazim, 17 – Tuncay Sanli, 21 – Mevlüt Erdinç (20 Sabri Sanöglu aos 46′) e 8 – Nihat Kahveci.

Golos: Pepe 61′; Raúl Meireles 90+2′;

Disciplina: 4′ – Cartão amarelo a Kazim Kazim; 51′ – Cartão amarelo a Gokhan, por falta sobre Simão Sabrosa; 73′ – Sabri Sanöglu por protestos.

 

Portugal tem estreia auspiciosa no Euro 2008

Filed under: Euro 2008,football,Futebol,selecção de Portugal — looking4good @ 8:46 pm
Portugal

2-0

Turkey

(Só) dois golos e três bolas nos ferros da baliza turca

Portugal fez uma boa estreia no Euro 2008 e conseguiu uma bela vitória que só peca por defeito.

Aos 16′ festejou-se o golo mas Pepe que finalizara de cabeça estava, de facto, adiantado e em posição de fora de jogo que o juiz assistente assinalou.

Portugal demonstrava superioridade em termos de posse de bola, de postura ofensiva e em capacidade técnica mas os turcos davam réplica e percebia-se que iam apostar em transições rápidas para o ataque.

Portugal estava sempre muito mais próximo da baliza adversário e através de livres (primeiro por Simão por cima da barra e depois por Cristiano Ronaldo ao poste) esteve perto de marcar.

Os turcos congelavam o jogo para chegar ao intervalo a zero o que conseguiram. Mas na segunda parte a tendência do jogo não se modificou muito. Na selecção portuguesa percebeu-se um adiantamento de João Moutinho trocando de posição com Deco. Simão interceptou uma bola logo à entrada da área turca e foi claramente derrubado, a bola sobrou para Nuno Gomes que atirou ao poste! Por volta dos 60 minutos de jogo percebeu-se que o golo iria acontecer (ou numa baliza ou noutra). Portugal atacava mas os turcos conseguiam transições rápidas que, no entanto, foram mal finalizadas. E aconteceu o golo para o lado que melhor convinha. Pepe adiantou-se no campo arrancando pelo meio tabelou com Nuno Gomes e isolado conseguiu inaugurar o marcador com a intervenção in-extremis de um defesa a fazer carrinho a não ser bem sucedida.

A selecção turca sentiu muito o golo e não conseguiu reagir. Nuno Gomes de cabeça a finalizar um centro da esquerda volta a mandar a bola aos ferros da baliza turca, desta vez à barra com o guarda-redes totalmente batido. A saída de Nuno Gomes e a entrada de Nani foi o sinal que a selecção turca esperava para tentar a reacção, a partir daí passou a ter mais posse de bola e os portugueses a terem mais dificuldades em controlar o jogo, mas na realidade só por uma vez a baliza portuguesa passou por real perigo com Tukay a falhar o remate de primeira.

Já em tempos de desconto Ronaldo arrancou pela esquerda deu para o meio para João Moutinho que fez um excelente trabalho e deu para a direita para a finalização de Raúl Meireles, já sem guarda-redes pela frente, dar uma expressão ao marcador mais consentânea com a superioridade portuguesa no jogo.

Este jogo deixou água na boca aos adeptos da selecção portuguesa que agora tem dois jogos para fazer dois pontos e qualificar-se para os quartos de final.

O árbitro alemão Fandel fez uma arbitragem exigente a marcar muitas faltas em pequenos toques mas errou ao não marcar outras bem mais graves: um corte de Simão com o braço na zona defensiva portuguesa e uma falta incrível com uma entrada directamente à canela de Nani que bem poderia ser sancionada com vermelho directo e que passou sem marcação sequer de livre.

Estádio de Genève

Árbitro: Herbert Fandel (Alemanha)

PORTUGAL: 1 – Ricardo, 4 – Bosingwa, 15 – Pepe, 16 – Ricardo Carvalho, 2 – Paulo Ferreira; 8 – Petit, 10 – João Moutinho, 20 – Deco (5- Fernando Meira aos 90+2′), 7 – Cristiano Ronaldo, 21 – Nuno Gomes (23 Nani aos 69′), 11 – Simão(6 – Raul Meireles aos 83′) TURQUIA: 23 – Volkan Demirel, 22 – Hamit Altintop ( 9 – Semih Senturk aos 76′), 2 – Servet Çetin, 4 – Gokhan Zan (15 Emre Asik aos 55′) e 3 – Hakan Balta; 5 – Emre Belözoglu, 7 – Mehmet Aurélio, 18 – Kazim Kazim, 17 – Tuncay Sanli, 21 – Mevlüt Erdinç (20 Sabri Sanöglu aos 46′) e 8 – Nihat Kahveci.

Golos: Pepe 61′; Raúl Meireles 90+2′;

Disciplina: 4′ – Cartão amarelo a Kazim Kazim; 51′ – Cartão amarelo a Gokhan, por falta sobre Simão Sabrosa; 73′ – Sabri Sanöglu por protestos.

 

Portugal tem estreia auspiciosa no Euro 2008

Filed under: Euro 2008,football,Futebol,selecção de Portugal — looking4good @ 8:46 pm
Portugal

2-0

Turkey

(Só) dois golos e três bolas nos ferros da baliza turca

Portugal fez uma boa estreia no Euro 2008 e conseguiu uma bela vitória que só peca por defeito.

Aos 16′ festejou-se o golo mas Pepe que finalizara de cabeça estava, de facto, adiantado e em posição de fora de jogo que o juiz assistente assinalou.

Portugal demonstrava superioridade em termos de posse de bola, de postura ofensiva e em capacidade técnica mas os turcos davam réplica e percebia-se que iam apostar em transições rápidas para o ataque.

Portugal estava sempre muito mais próximo da baliza adversário e através de livres (primeiro por Simão por cima da barra e depois por Cristiano Ronaldo ao poste) esteve perto de marcar.

Os turcos congelavam o jogo para chegar ao intervalo a zero o que conseguiram. Mas na segunda parte a tendência do jogo não se modificou muito. Na selecção portuguesa percebeu-se um adiantamento de João Moutinho trocando de posição com Deco. Simão interceptou uma bola logo à entrada da área turca e foi claramente derrubado, a bola sobrou para Nuno Gomes que atirou ao poste! Por volta dos 60 minutos de jogo percebeu-se que o golo iria acontecer (ou numa baliza ou noutra). Portugal atacava mas os turcos conseguiam transições rápidas que, no entanto, foram mal finalizadas. E aconteceu o golo para o lado que melhor convinha. Pepe adiantou-se no campo arrancando pelo meio tabelou com Nuno Gomes e isolado conseguiu inaugurar o marcador com a intervenção in-extremis de um defesa a fazer carrinho a não ser bem sucedida.

A selecção turca sentiu muito o golo e não conseguiu reagir. Nuno Gomes de cabeça a finalizar um centro da esquerda volta a mandar a bola aos ferros da baliza turca, desta vez à barra com o guarda-redes totalmente batido. A saída de Nuno Gomes e a entrada de Nani foi o sinal que a selecção turca esperava para tentar a reacção, a partir daí passou a ter mais posse de bola e os portugueses a terem mais dificuldades em controlar o jogo, mas na realidade só por uma vez a baliza portuguesa passou por real perigo com Tukay a falhar o remate de primeira.

Já em tempos de desconto Ronaldo arrancou pela esquerda deu para o meio para João Moutinho que fez um excelente trabalho e deu para a direita para a finalização de Raúl Meireles, já sem guarda-redes pela frente, dar uma expressão ao marcador mais consentânea com a superioridade portuguesa no jogo.

Este jogo deixou água na boca aos adeptos da selecção portuguesa que agora tem dois jogos para fazer dois pontos e qualificar-se para os quartos de final.

O árbitro alemão Fandel fez uma arbitragem exigente a marcar muitas faltas em pequenos toques mas errou ao não marcar outras bem mais graves: um corte de Simão com o braço na zona defensiva portuguesa e uma falta incrível com uma entrada directamente à canela de Nani que bem poderia ser sancionada com vermelho directo e que passou sem marcação sequer de livre.

Estádio de Genève

Árbitro: Herbert Fandel (Alemanha)

PORTUGAL: 1 – Ricardo, 4 – Bosingwa, 15 – Pepe, 16 – Ricardo Carvalho, 2 – Paulo Ferreira; 8 – Petit, 10 – João Moutinho, 20 – Deco (5- Fernando Meira aos 90+2′), 7 – Cristiano Ronaldo, 21 – Nuno Gomes (23 Nani aos 69′), 11 – Simão(6 – Raul Meireles aos 83′) TURQUIA: 23 – Volkan Demirel, 22 – Hamit Altintop ( 9 – Semih Senturk aos 76′), 2 – Servet Çetin, 4 – Gokhan Zan (15 Emre Asik aos 55′) e 3 – Hakan Balta; 5 – Emre Belözoglu, 7 – Mehmet Aurélio, 18 – Kazim Kazim, 17 – Tuncay Sanli, 21 – Mevlüt Erdinç (20 Sabri Sanöglu aos 46′) e 8 – Nihat Kahveci.

Golos: Pepe 61′; Raúl Meireles 90+2′;

Disciplina: 4′ – Cartão amarelo a Kazim Kazim; 51′ – Cartão amarelo a Gokhan, por falta sobre Simão Sabrosa; 73′ – Sabri Sanöglu por protestos.

 

Portugal tem estreia auspiciosa no Euro 2008

Filed under: Euro 2008,football,Futebol,selecção de Portugal — looking4good @ 8:46 pm
Portugal

2-0

Turkey

(Só) dois golos e três bolas nos ferros da baliza turca

Portugal fez uma boa estreia no Euro 2008 e conseguiu uma bela vitória que só peca por defeito.

Aos 16′ festejou-se o golo mas Pepe que finalizara de cabeça estava, de facto, adiantado e em posição de fora de jogo que o juiz assistente assinalou.

Portugal demonstrava superioridade em termos de posse de bola, de postura ofensiva e em capacidade técnica mas os turcos davam réplica e percebia-se que iam apostar em transições rápidas para o ataque.

Portugal estava sempre muito mais próximo da baliza adversário e através de livres (primeiro por Simão por cima da barra e depois por Cristiano Ronaldo ao poste) esteve perto de marcar.

Os turcos congelavam o jogo para chegar ao intervalo a zero o que conseguiram. Mas na segunda parte a tendência do jogo não se modificou muito. Na selecção portuguesa percebeu-se um adiantamento de João Moutinho trocando de posição com Deco. Simão interceptou uma bola logo à entrada da área turca e foi claramente derrubado, a bola sobrou para Nuno Gomes que atirou ao poste! Por volta dos 60 minutos de jogo percebeu-se que o golo iria acontecer (ou numa baliza ou noutra). Portugal atacava mas os turcos conseguiam transições rápidas que, no entanto, foram mal finalizadas. E aconteceu o golo para o lado que melhor convinha. Pepe adiantou-se no campo arrancando pelo meio tabelou com Nuno Gomes e isolado conseguiu inaugurar o marcador com a intervenção in-extremis de um defesa a fazer carrinho a não ser bem sucedida.

A selecção turca sentiu muito o golo e não conseguiu reagir. Nuno Gomes de cabeça a finalizar um centro da esquerda volta a mandar a bola aos ferros da baliza turca, desta vez à barra com o guarda-redes totalmente batido. A saída de Nuno Gomes e a entrada de Nani foi o sinal que a selecção turca esperava para tentar a reacção, a partir daí passou a ter mais posse de bola e os portugueses a terem mais dificuldades em controlar o jogo, mas na realidade só por uma vez a baliza portuguesa passou por real perigo com Tukay a falhar o remate de primeira.

Já em tempos de desconto Ronaldo arrancou pela esquerda deu para o meio para João Moutinho que fez um excelente trabalho e deu para a direita para a finalização de Raúl Meireles, já sem guarda-redes pela frente, dar uma expressão ao marcador mais consentânea com a superioridade portuguesa no jogo.

Este jogo deixou água na boca aos adeptos da selecção portuguesa que agora tem dois jogos para fazer dois pontos e qualificar-se para os quartos de final.

O árbitro alemão Fandel fez uma arbitragem exigente a marcar muitas faltas em pequenos toques mas errou ao não marcar outras bem mais graves: um corte de Simão com o braço na zona defensiva portuguesa e uma falta incrível com uma entrada directamente à canela de Nani que bem poderia ser sancionada com vermelho directo e que passou sem marcação sequer de livre.

Estádio de Genève

Árbitro: Herbert Fandel (Alemanha)

PORTUGAL: 1 – Ricardo, 4 – Bosingwa, 15 – Pepe, 16 – Ricardo Carvalho, 2 – Paulo Ferreira; 8 – Petit, 10 – João Moutinho, 20 – Deco (5- Fernando Meira aos 90+2′), 7 – Cristiano Ronaldo, 21 – Nuno Gomes (23 Nani aos 69′), 11 – Simão(6 – Raul Meireles aos 83′) TURQUIA: 23 – Volkan Demirel, 22 – Hamit Altintop ( 9 – Semih Senturk aos 76′), 2 – Servet Çetin, 4 – Gokhan Zan (15 Emre Asik aos 55′) e 3 – Hakan Balta; 5 – Emre Belözoglu, 7 – Mehmet Aurélio, 18 – Kazim Kazim, 17 – Tuncay Sanli, 21 – Mevlüt Erdinç (20 Sabri Sanöglu aos 46′) e 8 – Nihat Kahveci.

Golos: Pepe 61′; Raúl Meireles 90+2′;

Disciplina: 4′ – Cartão amarelo a Kazim Kazim; 51′ – Cartão amarelo a Gokhan, por falta sobre Simão Sabrosa; 73′ – Sabri Sanöglu por protestos.

 

The Dream – Aleksandr Pushkin

Filed under: Aleksandr Pushkin,poetry — looking4good @ 3:54 am

Not long ago, in a charming dream,
I saw myself — a king with crown’s treasure;
I was in love with you, it seemed,
And heart was beating with a pleasure.
I sang my passion’s song by your enchanting knees.
Why, dreams, you didn’t prolong my happiness forever?
But gods deprived me not of whole their favor:
I only lost the kingdom of my dreams.

Translated by Yevgeny Bonver, January, 2000

Aleksandr Pushkin [Алекса́ндр Серге́евич Пу́шкин](b. June 6 [O.S. May 26] 1799 in Moscow, Russian Empire; d. February 10 [O.S. January 29] 1837, in S. Petersburg)

 

Amor, então… – Paulo Leminski

Filed under: Paulo Leminski,poesia — looking4good @ 1:32 am

Amor, então,
também acaba?
Não, que eu saiba.
O que eu sei
é que se transforma
numa matéria-prima
que a vida se encarrega
de transformar em raiva.
Ou em rima.

Paulo Mendes Leminski (n. em Curitiba, Paraná, a 24 de Agosto de 1944; m. em Curitiba a 7 de Junho de 1989)