Nothingandall

Just another WordPress.com weblog

Manchester United é o campeão europeu Maio 21, 2008

Man United

1-1 (6-5 pen.)

Chelsea

O Manchester ganhou mais uma Taça confirmando no duelo europeu o triunfo que conseguira no duelo inglês interno. Começou bem o Manchester que foi superior na primeira parte. Avançou no marcador por Cristiano Ronaldo com um excelente golo de cabeça, esteve perto de fazer o 2-0 numa jogada iniciada também por ele e parecia um jogo talhado para o Man. United e para Ronaldo. No entanto, um golo ao cair da primeira parte numa jogada cheia de ressaltos deu o empate ao Chelsea por Lampard o que a produção do jogo até então não justificava.

Na segunda parte a situação modificou-se e foi Lampard, Essien & Ca. que se superiorizou à equipa de Manchester. Com mais segurança na troca de bola e um jogo mais colectivo o Chelsea ameaçou passar para a frente no marcador. Drogba, que fez pouco, atirou um pontapé sensacional ao poste e Lampard voltou a acertar com a bola nos limites (entenda-se a barra) da baliza de Van der Saar. Cristiano Ronaldo a jogar muito chegado à linha esquerda do campo não tinha espaços e a sua influencia na segunda parte foi menor…

No prolongamento o jogo decorreu mais aberto, o físico começou a ceder com vários jogadores a revelarem dificuldades num confronto muito disputado e a decisão iria ser tomada por penalties, não sem que antes num desentendimento enorme motivado por coisa pouca, Drogba tenha sido expulso a 3′ do final do prolongamento.

Nos penalties Ronaldo o 3º. do Manchester falhou e como todos os outros marcaram cabia ao capitão do Chelsea John Terry marcar o 5º. e ganhar a Taça. Inacreditavelmente o pé de apoio, esquerdo, escorregou antes de desferir o remate fatal com o pé direito e a bola saiu ao lado da baliza. O milagre para o Man I»United e para Ronaldo estava a caminho. Anderson e Nani maracariam os penalties e Anelka permitiu a defesa de Vander Saar.

O Man Unieted colecciona mais uma Taça enquanto o Chelsea conseguiu a sua primeira presença numa final europeia mas saiu derrotado (Mournho não se deve ter importado muito).

A arbitragen esteve em bom plano num jogo difícil, mas errou várias vezes nas marcações de cantos vs pontapés de baliza.

Ficha do jogo:
Estádio Luzhniki, em Moscovo

Árbitro: Lubos Michel (Eslováquia)

MANCHESTER UNITED – Van der Sar; Wes Brown (Anderson, 123m), Ferdinand, Vidic, Evra; Hargreaves, Scholes (Giggs, 87m), Carrick e Cristiano Ronaldo; Rooney (Nani, 101m) e Tevez.
CHELSEA – Cech; Essien, Terry, Ricardo Carvalho, Ashley Cole; Ballack, Makelele (Belleti, 120m) e Lampard; Joe Cole (Anelka, 98m), Drogba e Malouda (Kalou, 92m).
Ao intervalo: 1-1

Golos: 1-0, Cristiano Ronaldo (26); 1-1, Lampard (45).

Grandes penalidades: 6-5

Acção disciplinar: cartão amarelo a Makelele, Scholes, Ferdinand, Ricardo Carvalho, Vidic, Ballack, Tevez. Cartão vermelho para Drogba.

 

Manchester United é o campeão europeu

Man United

1-1 (6-5 pen.)

Chelsea

O Manchester ganhou mais uma Taça confirmando no duelo europeu o triunfo que conseguira no duelo inglês interno. Começou bem o Manchester que foi superior na primeira parte. Avançou no marcador por Cristiano Ronaldo com um excelente golo de cabeça, esteve perto de fazer o 2-0 numa jogada iniciada também por ele e parecia um jogo talhado para o Man. United e para Ronaldo. No entanto, um golo ao cair da primeira parte numa jogada cheia de ressaltos deu o empate ao Chelsea por Lampard o que a produção do jogo até então não justificava.

Na segunda parte a situação modificou-se e foi Lampard, Essien & Ca. que se superiorizou à equipa de Manchester. Com mais segurança na troca de bola e um jogo mais colectivo o Chelsea ameaçou passar para a frente no marcador. Drogba, que fez pouco, atirou um pontapé sensacional ao poste e Lampard voltou a acertar com a bola nos limites (entenda-se a barra) da baliza de Van der Saar. Cristiano Ronaldo a jogar muito chegado à linha esquerda do campo não tinha espaços e a sua influencia na segunda parte foi menor…

No prolongamento o jogo decorreu mais aberto, o físico começou a ceder com vários jogadores a revelarem dificuldades num confronto muito disputado e a decisão iria ser tomada por penalties, não sem que antes num desentendimento enorme motivado por coisa pouca, Drogba tenha sido expulso a 3′ do final do prolongamento.

Nos penalties Ronaldo o 3º. do Manchester falhou e como todos os outros marcaram cabia ao capitão do Chelsea John Terry marcar o 5º. e ganhar a Taça. Inacreditavelmente o pé de apoio, esquerdo, escorregou antes de desferir o remate fatal com o pé direito e a bola saiu ao lado da baliza. O milagre para o Man I»United e para Ronaldo estava a caminho. Anderson e Nani maracariam os penalties e Anelka permitiu a defesa de Vander Saar.

O Man Unieted colecciona mais uma Taça enquanto o Chelsea conseguiu a sua primeira presença numa final europeia mas saiu derrotado (Mournho não se deve ter importado muito).

A arbitragen esteve em bom plano num jogo difícil, mas errou várias vezes nas marcações de cantos vs pontapés de baliza.

Ficha do jogo:
Estádio Luzhniki, em Moscovo

Árbitro: Lubos Michel (Eslováquia)

MANCHESTER UNITED – Van der Sar; Wes Brown (Anderson, 123m), Ferdinand, Vidic, Evra; Hargreaves, Scholes (Giggs, 87m), Carrick e Cristiano Ronaldo; Rooney (Nani, 101m) e Tevez.
CHELSEA – Cech; Essien, Terry, Ricardo Carvalho, Ashley Cole; Ballack, Makelele (Belleti, 120m) e Lampard; Joe Cole (Anelka, 98m), Drogba e Malouda (Kalou, 92m).
Ao intervalo: 1-1

Golos: 1-0, Cristiano Ronaldo (26); 1-1, Lampard (45).

Grandes penalidades: 6-5

Acção disciplinar: cartão amarelo a Makelele, Scholes, Ferdinand, Ricardo Carvalho, Vidic, Ballack, Tevez. Cartão vermelho para Drogba.

 

Manchester United é o campeão europeu

Man United

1-1 (6-5 pen.)

Chelsea

O Manchester ganhou mais uma Taça confirmando no duelo europeu o triunfo que conseguira no duelo inglês interno. Começou bem o Manchester que foi superior na primeira parte. Avançou no marcador por Cristiano Ronaldo com um excelente golo de cabeça, esteve perto de fazer o 2-0 numa jogada iniciada também por ele e parecia um jogo talhado para o Man. United e para Ronaldo. No entanto, um golo ao cair da primeira parte numa jogada cheia de ressaltos deu o empate ao Chelsea por Lampard o que a produção do jogo até então não justificava.

Na segunda parte a situação modificou-se e foi Lampard, Essien & Ca. que se superiorizou à equipa de Manchester. Com mais segurança na troca de bola e um jogo mais colectivo o Chelsea ameaçou passar para a frente no marcador. Drogba, que fez pouco, atirou um pontapé sensacional ao poste e Lampard voltou a acertar com a bola nos limites (entenda-se a barra) da baliza de Van der Saar. Cristiano Ronaldo a jogar muito chegado à linha esquerda do campo não tinha espaços e a sua influencia na segunda parte foi menor…

No prolongamento o jogo decorreu mais aberto, o físico começou a ceder com vários jogadores a revelarem dificuldades num confronto muito disputado e a decisão iria ser tomada por penalties, não sem que antes num desentendimento enorme motivado por coisa pouca, Drogba tenha sido expulso a 3′ do final do prolongamento.

Nos penalties Ronaldo o 3º. do Manchester falhou e como todos os outros marcaram cabia ao capitão do Chelsea John Terry marcar o 5º. e ganhar a Taça. Inacreditavelmente o pé de apoio, esquerdo, escorregou antes de desferir o remate fatal com o pé direito e a bola saiu ao lado da baliza. O milagre para o Man I»United e para Ronaldo estava a caminho. Anderson e Nani maracariam os penalties e Anelka permitiu a defesa de Vander Saar.

O Man Unieted colecciona mais uma Taça enquanto o Chelsea conseguiu a sua primeira presença numa final europeia mas saiu derrotado (Mournho não se deve ter importado muito).

A arbitragen esteve em bom plano num jogo difícil, mas errou várias vezes nas marcações de cantos vs pontapés de baliza.

Ficha do jogo:
Estádio Luzhniki, em Moscovo

Árbitro: Lubos Michel (Eslováquia)

MANCHESTER UNITED – Van der Sar; Wes Brown (Anderson, 123m), Ferdinand, Vidic, Evra; Hargreaves, Scholes (Giggs, 87m), Carrick e Cristiano Ronaldo; Rooney (Nani, 101m) e Tevez.
CHELSEA – Cech; Essien, Terry, Ricardo Carvalho, Ashley Cole; Ballack, Makelele (Belleti, 120m) e Lampard; Joe Cole (Anelka, 98m), Drogba e Malouda (Kalou, 92m).
Ao intervalo: 1-1

Golos: 1-0, Cristiano Ronaldo (26); 1-1, Lampard (45).

Grandes penalidades: 6-5

Acção disciplinar: cartão amarelo a Makelele, Scholes, Ferdinand, Ricardo Carvalho, Vidic, Ballack, Tevez. Cartão vermelho para Drogba.

 

Neste Dia da Cachaça, que tal uma caipirinha?

Filed under: Dia — looking4good @ 6:20 am

A cachaça, aguardente de cana ou pinga é uma bebida alcoólica tipicamente brasileira. Seu nome pode ter sido originado da velha língua ibérica – cachaza – significando vinho de borra, um vinho inferior bebido em Portugal e Espanha, ou ainda, de “cachaço”, o porco, e seu feminino “cachaça”, a porca. Isso porque a carne dos porcos selvagens, encontrados nas matas do Nordeste – os chamados catitus – era muito dura e a cachaça usada para amolecê-la. Carvalho (1988). Obtida da fermentação da cana-de-açúcar e sua posterior destilação, usada como coquetel da mundialmente conhecida Caipirinha. A diferença básica entre a aguardente de cana e a cachaça está na origem da matéria-prima. Enquanto a aguardente de cana é feita diretamente a partir do destilado da cana, a cachaça é feita a partir do melaço resultante da produção do açúcar de cana.

A cana-de-açúcar, elemento básico para a obtenção, através da fermentação, de vários tipos de álcool, entre eles o etílico, é uma planta pertencente à família das gramíneas (Saccharum officinarum) originária da Ásia, onde o seu cultivo tem registo desde os tempos mais remotos da história.

Então neste Dia da Cachaça, criado em Minas Gerais pela Lei N° 1.949/2001, correspondendo ao início da safra de cana-de-açúcar nesse estado brasileiro, vamos lá tomar uma caipirinha e assistir à final da Champions League. Que tal?… Um golo e um gole … outro mais… mas não exagere, porque cachaça é «água que passarinho não bebe»!

 

Neste Dia da Cachaça, que tal uma caipirinha?

Filed under: Dia — looking4good @ 6:20 am

A cachaça, aguardente de cana ou pinga é uma bebida alcoólica tipicamente brasileira. Seu nome pode ter sido originado da velha língua ibérica – cachaza – significando vinho de borra, um vinho inferior bebido em Portugal e Espanha, ou ainda, de “cachaço”, o porco, e seu feminino “cachaça”, a porca. Isso porque a carne dos porcos selvagens, encontrados nas matas do Nordeste – os chamados catitus – era muito dura e a cachaça usada para amolecê-la. Carvalho (1988). Obtida da fermentação da cana-de-açúcar e sua posterior destilação, usada como coquetel da mundialmente conhecida Caipirinha. A diferença básica entre a aguardente de cana e a cachaça está na origem da matéria-prima. Enquanto a aguardente de cana é feita diretamente a partir do destilado da cana, a cachaça é feita a partir do melaço resultante da produção do açúcar de cana.

A cana-de-açúcar, elemento básico para a obtenção, através da fermentação, de vários tipos de álcool, entre eles o etílico, é uma planta pertencente à família das gramíneas (Saccharum officinarum) originária da Ásia, onde o seu cultivo tem registo desde os tempos mais remotos da história.

Então neste Dia da Cachaça, criado em Minas Gerais pela Lei N° 1.949/2001, correspondendo ao início da safra de cana-de-açúcar nesse estado brasileiro, vamos lá tomar uma caipirinha e assistir à final da Champions League. Que tal?… Um golo e um gole … outro mais… mas não exagere, porque cachaça é «água que passarinho não bebe»!

 

Neste Dia da Cachaça, que tal uma caipirinha?

Filed under: Dia — looking4good @ 6:20 am

A cachaça, aguardente de cana ou pinga é uma bebida alcoólica tipicamente brasileira. Seu nome pode ter sido originado da velha língua ibérica – cachaza – significando vinho de borra, um vinho inferior bebido em Portugal e Espanha, ou ainda, de “cachaço”, o porco, e seu feminino “cachaça”, a porca. Isso porque a carne dos porcos selvagens, encontrados nas matas do Nordeste – os chamados catitus – era muito dura e a cachaça usada para amolecê-la. Carvalho (1988). Obtida da fermentação da cana-de-açúcar e sua posterior destilação, usada como coquetel da mundialmente conhecida Caipirinha. A diferença básica entre a aguardente de cana e a cachaça está na origem da matéria-prima. Enquanto a aguardente de cana é feita diretamente a partir do destilado da cana, a cachaça é feita a partir do melaço resultante da produção do açúcar de cana.

A cana-de-açúcar, elemento básico para a obtenção, através da fermentação, de vários tipos de álcool, entre eles o etílico, é uma planta pertencente à família das gramíneas (Saccharum officinarum) originária da Ásia, onde o seu cultivo tem registo desde os tempos mais remotos da história.

Então neste Dia da Cachaça, criado em Minas Gerais pela Lei N° 1.949/2001, correspondendo ao início da safra de cana-de-açúcar nesse estado brasileiro, vamos lá tomar uma caipirinha e assistir à final da Champions League. Que tal?… Um golo e um gole … outro mais… mas não exagere, porque cachaça é «água que passarinho não bebe»!

 

On this day in History – May 21

Filed under: efemerides,This Day in History — looking4good @ 12:06 am