Nothingandall

Just another WordPress.com weblog

Teste: Revele-se através de associação de palavras Abril 26, 2008

Filed under: amizade,blogs — looking4good @ 9:41 pm

Na sequência do desafio feito por A Minha Matilde & Cª. aí vão as respostas do Nothingandall:

Família – «A verdadeira felicidade está na própria casa, entre as alegrias da família»(Léo Tolstoi)
Homem – Esse Desconhecido
Mulher – O que o homem gosta de descobrir (também no sentido literal…)

Sorriso – Criança
Perfume – Flores
Carro – Mercedes …

Paixão – Benfica
Amor – É querer estar preso por vontade
Olhos – Janelas do pensamento

Sal – Necessário q.b. para a vida não ser insonsa
Chuva – muita lá fora, enquanto se come umas torradinhas dentro
Mar – Sonho e abismo

Livro – Livro do Desassossego
Filmes – Os meus 20 preferidos estão aí The 20 best movies of all time
Músicas – Calmas

Dinheiro – Ter o suficiente para não pensar nele …
Silêncio – Também pode ser música…
Solidão – Não estar de bem comigo é a pior…

Flor – Camélia
Sonhos – Comandam a Vida
Cidade – Veneza

País – Portugal
Não viver sem – ti
Nunca deixar de ser – Íntegro
Qualidades – Transparência
Defeitos – Transparência
Gostos – Tudo que seja Doce

Não passarei – Dos 60
Detestas – Desonestidade
Pessoa – O maior poeta português

Vou passar este desafio aos seguintes blogues:
Encanto
Camane4ever
Anamarta
Betty
Only God Can Judge Me

 

Teste: Revele-se através de associação de palavras

Filed under: amizade,blogs — looking4good @ 9:41 pm

Na sequência do desafio feito por A Minha Matilde & Cª. aí vão as respostas do Nothingandall:

Família – «A verdadeira felicidade está na própria casa, entre as alegrias da família»(Léo Tolstoi)
Homem – Esse Desconhecido
Mulher – O que o homem gosta de descobrir (também no sentido literal…)

Sorriso – Criança
Perfume – Flores
Carro – Mercedes …

Paixão – Benfica
Amor – É querer estar preso por vontade
Olhos – Janelas do pensamento

Sal – Necessário q.b. para a vida não ser inssonsa
Chuva – muita lá fora, enquanto se come umas torradinhas dentro
Mar – Sonho e abismo

Livro – Livro do Desassossego
Filmes – Os meus 20 preferidos estão aí The 20 best movies of all time
Músicas – Calmas

Dinheiro – Ter o suficiente para não pensar nele …
Silêncio – Também pode ser música…
Solidão – Não estar de bem comigo é a pior…

Flor – Camélia
Sonhos – Comandam a Vida
Cidade – Veneza

País – Portugal
Não viver sem – ti
Nunca deixar de ser – Íntegro
Qualidades – Transparência
Defeitos – Transparência
Gostos – Tudo que seja Doce

Não passarei – Dos 60
Detestas – Desonestidade
Pessoa – O maior poeta português

Vou passar este desafio aos seguintes blogues:
Encanto
Camane4ever
Anamarta
Betty
Only God Can Judge Me

 

Benfica regressa às vitórias vencendo o Belenenses

Filed under: Belenenses,Benfica,Futebol,Liga Bwin — looking4good @ 8:54 pm

Benfica logo

Belenenses logo Benfica

2-0

Belenenses

Nem sempre se pode ter azar…

O Benfica apresentou várias alterações relativamente ao último jogo com o Porto. Sem poder contar com Petit e Bynia (para além de Maxi Pereira), Chalana fez entrar Edcarlos para dupla com Luisão no centro da defesa e fez avançar Katsouranis para o vértice mais recuado do losango. Na frente Cardozo substituiu Di Maria, no banco, emparelhando com Nuno Gomes. Na direita do meio campo foi Nuno Assis titular.

O Benfica criou perigo aos 8′ num remate bem defendido port Júlio César mas quem dominou até cerca dos 20′ foram os visitantes num jogo em que não havia pressão sobre o possuidor da bola e jogado a muito pouca velocidade. Porém o jogo mudou d efeição favorável aos encarnados depois de um livre de Cardozo que foi desviado na barreira e deu canto. No canto Cardozo cabeceou para uma excelente defesa de Júlio César. Esta sequência de lances despertou os encarnados que passaram a jogar mais no meio campo ofensivo e com mais velocidade e tiraram os frutos desse ascendente perto do final da primeira parte. Dum pontapé de canto da esquerda, marcado curto surgiu o cruzamento desviado de cabeça primeiro por Rui Costa, depois por um defesa do Belenenses e para acabar num pontapé de Luisão de pé direito que fez a bola parar no fundo da baliza do Belenenses.

Na segunda parte percebeu-se que o Belenenses não estava conformado com o resultado e por Rafael Bastos esteve perto do empate algumas vezes. A primeira num remate de cabeça ligeiramente ao lado, mais tarde ao rematar por duas vezes consecutivamente ao poste esquerdo da baliza de Quim. Aqui a felicidade esteve pelo lado do Benfica que não sofreu o empate e viria a partir para o 2-0: na primeira jogada em que Di Maria (que entrou a substituir Nuno Gomes, pouco produtivo, aos 63′) participou sofreu falta que Cardozo, numa posição que já se provou ser adequada ao seu forte pontapé de pé esquerdo, concretizou directamente.

Com 2-0 o Belenenses ficou sem reacção e com a expulsão de Hugo Alcântara após desentendimento com Katsouranis, o jogo ficou decidido estando mais perto ainda o Benfica de avançar mais no marcador.

O Benfica concretizou, perante cerca de 33.000 espectadores (uma boa assistencia) a sexta viória em casa, tantas quantos os empates já concedidos e agora espera por derrapagens de Guimarães (joga amanhã com o campeão Porto) e/ou do Sporting (em casa frente ao Marítimo) para tentar pelo menos obter o passaporte para a pré-eliminatória da Liga dos Campeões, o que não está nada fácil de conseguir.

A arbitragem de Soares Dias, num jogo tão fácil, que na primeira parte quase não teve faltas, complicou em prejuizoo do Benfica, é claro. Primeiro uma falta sobre Léo em posição ofensiva feita por Silas passou em branco e perto do final da primeira parte já com 1-0 deixou marcar uma falta favorável ao Belenenses cerca de 10 metros à frente e na mesma jogada o assistente deixou passar um inacreditável fora de jogo que daria o golo do empate não tivesse sido Quim a evitar.

Estádio da Luz : cerca de 33000 espectadores

Árbitro: Artur Soares Dias (AF Porto)

BENFICA – Quim; Nélson, Luisão, Edcarlos e Léo; Katsouranis; Nuno Assis (Luís Filipe, 74 m), Rui Costa e Cristian Rodriguez (Sepsi, 87 m); Cardozo e Nuno Gomes (Di Maria, 63 m).

BELENENSES – Júlio César; Amaral, Rolando, Hugo Alcântara e Rodrigo Alvim; Gomez (João Paulo Oliveira, 59 m) e Rafael Bastos (Roncatto, 75 m); Rúben Amorim, Silas (Cândido Costa, 75 m) e José Pedro; Weldon.

Golos: 1-0, Luisão (41 m); 2-0, Cardozo (65 m).

Acção Disciplinar: Cartão amarelo a Rúben Amorim, Katsouranis, Weldon e Nélson. Cartão vermelho directo a Hugo Alcântara (76 m), por agredir Katsouranis.

 

Benfica regressa às vitórias vencendo o Belenenses

Filed under: Belenenses,Benfica,Futebol,Liga Bwin — looking4good @ 8:54 pm

Benfica logo

Belenenses logo Benfica

2-0

Belenenses

Nem sempre se pode ter azar…

O Benfica apresentou várias alterações relativamente ao último jogo com o Porto. Sem poder contar com Petit e Bynia (para além de Maxi Pereira), Chalana fez entrar Edcarlos para dupla com Luisão no centro da defesa e fez avançar Katsouranis para o vértice mais recuado do losango. Na frente Cardozo substituiu Di Maria, no banco, emparelhando com Nuno Gomes. Na direita do meio campo foi Nuno Assis titular.

O Benfica criou perigo aos 8′ num remate bem defendido port Júlio César mas quem dominou até cerca dos 20′ foram os visitantes num jogo em que não havia pressão sobre o possuidor da bola e jogado a muito pouca velocidade. Porém o jogo mudou d efeição favorável aos encarnados depois de um livre de Cardozo que foi desviado na barreira e deu canto. No canto Cardozo cabeceou para uma excelente defesa de Júlio César. Esta sequência de lances despertou os encarnados que passaram a jogar mais no meio campo ofensivo e com mais velocidade e tiraram os frutos desse ascendente perto do final da primeira parte. Dum pontapé de canto da esquerda, marcado curto surgiu o cruzamento desviado de cabeça primeiro por Rui Costa, depois por um defesa do Belenenses e para acabar num pontapé de Luisão de pé direito que fez a bola parar no fundo da baliza do Belenenses.

Na segunda parte percebeu-se que o Belenenses não estava conformado com o resultado e por Rafael Bastos esteve perto do empate algumas vezes. A primeira num remate de cabeça ligeiramente ao lado, mais tarde ao rematar por duas vezes consecutivamente ao poste esquerdo da baliza de Quim. Aqui a felicidade esteve pelo lado do Benfica que não sofreu o empate e viria a partir para o 2-0: na primeira jogada em que Di Maria (que entrou a substituir Nuno Gomes, pouco produtivo, aos 63′) participou sofreu falta que Cardozo, numa posição que já se provou ser adequada ao seu forte pontapé de pé esquerdo, concretizou directamente.

Com 2-0 o Belenenses ficou sem reacção e com a expulsão de Hugo Alcântara após desentendimento com Katsouranis, o jogo ficou decidido estando mais perto ainda o Benfica de avançar mais no marcador.

O Benfica concretizou, perante cerca de 33.000 espectadores (uma boa assistencia) a sexta viória em casa, tantas quantos os empates já concedidos e agora espera por derrapagens de Guimarães (joga amanhã com o campeão Porto) e/ou do Sporting (em casa frente ao Marítimo) para tentar pelo menos obter o passaporte para a pré-eliminatória da Liga dos Campeões, o que não está nada fácil de conseguir.

A arbitragem de Soares Dias, num jogo tão fácil, que na primeira parte quase não teve faltas, complicou em prejuizoo do Benfica, é claro. Primeiro uma falta sobre Léo em posição ofensiva feita por Silas passou em branco e perto do final da primeira parte já com 1-0 deixou marcar uma falta favorável ao Belenenses cerca de 10 metros à frente e na mesma jogada o assistente deixou passar um inacreditável fora de jogo que daria o golo do empate não tivesse sido Quim a evitar.

Estádio da Luz : cerca de 33000 espectadores

Árbitro: Artur Soares Dias (AF Porto)

BENFICA – Quim; Nélson, Luisão, Edcarlos e Léo; Katsouranis; Nuno Assis (Luís Filipe, 74 m), Rui Costa e Cristian Rodriguez (Sepsi, 87 m); Cardozo e Nuno Gomes (Di Maria, 63 m).

BELENENSES – Júlio César; Amaral, Rolando, Hugo Alcântara e Rodrigo Alvim; Gomez (João Paulo Oliveira, 59 m) e Rafael Bastos (Roncatto, 75 m); Rúben Amorim, Silas (Cândido Costa, 75 m) e José Pedro; Weldon.

Golos: 1-0, Luisão (41 m); 2-0, Cardozo (65 m).

Acção Disciplinar: Cartão amarelo a Rúben Amorim, Katsouranis, Weldon e Nélson. Cartão vermelho directo a Hugo Alcântara (76 m), por agredir Katsouranis.

 

Benfica regressa às vitórias vencendo o Belenenses

Filed under: Belenenses,Benfica,Futebol,Liga Bwin — looking4good @ 8:54 pm

Benfica logo

Belenenses logo Benfica

2-0

Belenenses

Nem sempre se pode ter azar…

O Benfica apresentou várias alterações relativamente ao último jogo com o Porto. Sem poder contar com Petit e Bynia (para além de Maxi Pereira), Chalana fez entrar Edcarlos para dupla com Luisão no centro da defesa e fez avançar Katsouranis para o vértice mais recuado do losango. Na frente Cardozo substituiu Di Maria, no banco, emparelhando com Nuno Gomes. Na direita do meio campo foi Nuno Assis titular.

O Benfica criou perigo aos 8′ num remate bem defendido port Júlio César mas quem dominou até cerca dos 20′ foram os visitantes num jogo em que não havia pressão sobre o possuidor da bola e jogado a muito pouca velocidade. Porém o jogo mudou d efeição favorável aos encarnados depois de um livre de Cardozo que foi desviado na barreira e deu canto. No canto Cardozo cabeceou para uma excelente defesa de Júlio César. Esta sequência de lances despertou os encarnados que passaram a jogar mais no meio campo ofensivo e com mais velocidade e tiraram os frutos desse ascendente perto do final da primeira parte. Dum pontapé de canto da esquerda, marcado curto surgiu o cruzamento desviado de cabeça primeiro por Rui Costa, depois por um defesa do Belenenses e para acabar num pontapé de Luisão de pé direito que fez a bola parar no fundo da baliza do Belenenses.

Na segunda parte percebeu-se que o Belenenses não estava conformado com o resultado e por Rafael Bastos esteve perto do empate algumas vezes. A primeira num remate de cabeça ligeiramente ao lado, mais tarde ao rematar por duas vezes consecutivamente ao poste esquerdo da baliza de Quim. Aqui a felicidade esteve pelo lado do Benfica que não sofreu o empate e viria a partir para o 2-0: na primeira jogada em que Di Maria (que entrou a substituir Nuno Gomes, pouco produtivo, aos 63′) participou sofreu falta que Cardozo, numa posição que já se provou ser adequada ao seu forte pontapé de pé esquerdo, concretizou directamente.

Com 2-0 o Belenenses ficou sem reacção e com a expulsão de Hugo Alcântara após desentendimento com Katsouranis, o jogo ficou decidido estando mais perto ainda o Benfica de avançar mais no marcador.

O Benfica concretizou, perante cerca de 33.000 espectadores (uma boa assistencia) a sexta viória em casa, tantas quantos os empates já concedidos e agora espera por derrapagens de Guimarães (joga amanhã com o campeão Porto) e/ou do Sporting (em casa frente ao Marítimo) para tentar pelo menos obter o passaporte para a pré-eliminatória da Liga dos Campeões, o que não está nada fácil de conseguir.

A arbitragem de Soares Dias, num jogo tão fácil, que na primeira parte quase não teve faltas, complicou em prejuizoo do Benfica, é claro. Primeiro uma falta sobre Léo em posição ofensiva feita por Silas passou em branco e perto do final da primeira parte já com 1-0 deixou marcar uma falta favorável ao Belenenses cerca de 10 metros à frente e na mesma jogada o assistente deixou passar um inacreditável fora de jogo que daria o golo do empate não tivesse sido Quim a evitar.

Estádio da Luz : cerca de 33000 espectadores

Árbitro: Artur Soares Dias (AF Porto)

BENFICA – Quim; Nélson, Luisão, Edcarlos e Léo; Katsouranis; Nuno Assis (Luís Filipe, 74 m), Rui Costa e Cristian Rodriguez (Sepsi, 87 m); Cardozo e Nuno Gomes (Di Maria, 63 m).

BELENENSES – Júlio César; Amaral, Rolando, Hugo Alcântara e Rodrigo Alvim; Gomez (João Paulo Oliveira, 59 m) e Rafael Bastos (Roncatto, 75 m); Rúben Amorim, Silas (Cândido Costa, 75 m) e José Pedro; Weldon.

Golos: 1-0, Luisão (41 m); 2-0, Cardozo (65 m).

Acção Disciplinar: Cartão amarelo a Rúben Amorim, Katsouranis, Weldon e Nélson. Cartão vermelho directo a Hugo Alcântara (76 m), por agredir Katsouranis.

 

Focus On God’s Love For Us

Filed under: Inspirational — looking4good @ 10:08 am

To be able to get the maximum effects of the benefits of Christ’s crucifixion and death on the cross, let us not focus on our own finite love for God. That love is imperfect and waning just like any other human emotions. Let us focus instead on the love of God for us, for that love is infinite, beyond measure and beyond comprehension.

Ponder this. If God did not hesitate to send His beloved and only begotten Son to save us, how could He ever withhold all the wonderful things that we ask from Him in the name of Jesus Christ? The problem is, we do not know how to ask. Most of the time, we ask impossible things from God and expecting nothing in return as if God is some sort of a modern day genie. And when we fail to receive the imperfect things we ask from Him, we say that God is unjust and does not hear and answer our prayers.

In order to get the things that we ask from God, let us be sure that the conditions for God’s answering our prayers, as contained in the Bible, are met. These are:

1) God gives us what we need and not what we want.
2) When we pray, let us believe that God will hear and answer our prayers.
3) We must have a clean heart and soul. We must confess all our sins and accept forgiveness from God.
4) We must forgive the sins of others to us.
5) We must address all our petitions to the Father, in the name of Jesus, and through the ministry of the Holy Spirit.
6) We must focus on God’s love for us and must maintain an expectant attitude that our prayers will be granted.

Do these and focus on God’s immeasurable love for us and we can expect miracles to unravel in our lives.

Tags: God, Love, Father, Jesus Christ, Holy Spirit, expectant spirit

Posted by Mel Avila Alarilla
Philippines
Spiritual/Inspirational

 

Ápice – Mário de Sá-Carneiro

Filed under: Mário de Sá-Carneiro,poesia — looking4good @ 1:17 am
A child sleeping by Alessandro Zangrilli

Fios de oiro puxam por mim
a soerguer-me na poeira —
Cada um para seu fim,
Cada um para seu norte…
……………………………….

— Ai que saudade da morte…

……………………………….

Quero dormir… ancorar…
……………………………….

Arranquem-me esta grandeza!
— P’ra que me sonha a beleza
Se a não posso transmigrar?…

Mário de Sá-Carneiro (n. em Lisboa a 19 de Maio de 1890 e suicidou-se em Paris a 26 de Abril de 1916)