Nothingandall

Just another WordPress.com weblog

27ª. Jornada – Resultados, classificação e comentários Abril 20, 2008

Filed under: football,Futebol,Liga Bwin — looking4good @ 9:55 pm

Resultados da 27ª. Jornada
18 Abr. 20:30 Académica 0-0 Vitória de Guimarães
19 Abr. 19:30

Marítimo 4-1 Braga
20 Abr. 16:00 Leixões 0-0 Estrela da Amadora
20 Abr. 16:00 Boavista

1-0 Nacional
20 Abr. 16:00 Paços de Ferreira 2-2 Naval 1º. de Maio
20 Abr. 16:00 União de Leiria 4-1 Sporting
20 Abr. 20:30 FC Porto 2-0 Benfica
21 Abr. 19:45 Belenenses Vitória de Setúbal

Classificação

Lugar Clube Pontos Golos
1. Porto 69 53-10
2. Vitória de Guimarães 49 30-25
3 Sporting 46 41-26
4. Benfica 45 40-21
5. Vitória de Setúbal (*) 41 35-25
6. Marítimo 40 35-26
7 Belenenses (*) 39 29-27
8. Boavista 35 31-38
9. Braga 34 28-32
9. Nacional 32 19-23
11. Estrela da Amadora 29 29-37
12. Académica 28 26-35
12. Naval 1º. de Maio 27 22-44
14. Paços de Ferreira 24 29-45
15. Leixões 23 24-33
16. União de Leiria 15 23-47
(*) Equipas que têm menos um jogo defrontam-se amanhã no Estádio do Restelo, para completar a Jornada 27

Comentários:

Em jornada de Porto-Benfica, a surpresa veio de Leiria onde o último classificado pregou 4! ao Sporting que vinha de «barriga cheia» depois de a meio da semana ter eliminado o Benfica da Taça de Portugal e invertido um resultado de 0-2 em 5-3 (com 5 golos marcados em 30 minutos). O Guimarães agradece mesmo empatando em Coimbra a zero no arranque da jornada.

No Estádio do Dragão aos 6′ o Porto ganhou vantagem e o Benfica nunca demonstrou capacidade para modificar as coisas. Lisandro marcou os dois golos portistas e merece a qualificação de melhor jogador da Liga 2007/2008, sendo também, sem dúvida o melhor marcador.

O Boavista que teve uma semana atribulada com ameaças de greve por parte do plantel venceu o Nacional ainda que tangencialmente e subiu ao 8º. lugar ultrapassando o Braga, que, copiosamente derrotado na Madeira (4-1 baqueando na segunda parte quando ao intervalo ganhava), está numa posição classificativa impensável no início do campeonato constituindo a par com Benfica e União de Leiria as maiores decepções do campeonato.

Na luta pela manutenção havia dois jogos importantíssimos de luta directa e as equipas que jogavam em casa Leixões e Paços de Ferreira não conseguiram melhor que um empate face a Estrela da Amadora e Naval, respectivamente. O Estrela com este resultado garantiu praticamente a manutenção uma vez que tem 6 pontos de avanço sobre a linha de água e já só há 9 para disputar. Triunfos caseiros possibilitaria um mini-campeonato que, como não aconteceram, parece circunscrever a decisão a um duelo Paços de Fereira / Leixões. Na próxima jornada o Paços de Ferreira vai a Braga enquanto o Leixões vai a Leiria.

A Jornada completa-se amanhã e se o Belenenses vencer o Setúbal sobe ao quinto lugar, enquanto um triunfo sadino coloca a equipa de Setubal a um ponto de distancia do Benfica.

Na luta que ainda se mantém pelo 2º. lugar todos os candidatos jogam em casa mas tê,m jogos difíceis: Guimarães recebe o Porto, o Sporting recebe o Marítimo e o Benfica joga com o Belenenses.

Próxima Jornada 28ª.
25 Abr. 19:30 Braga Paços de Ferreira
26 Abr. 19:45

Benfica Belenenses
27 Abr. 16:00 Nacional Académica
27 Abr. 16:00 Naval 1º. de Maio

Boavista
27 Abr. 17:00 União de Leiria Leixões
27 Abr. 18:00 Vitória de Guimarães FC Porto
27 Abr. 20:30 Sporting Marítimo
28 Abr. 19:45 Vitória de Setúbal Estrela da Amadora

 

Porto ganha e já são 20 os pontos de avanço sobre o segundo

Filed under: Benfica,FC Porto,football,Futebol,Liga Bwin — looking4good @ 9:46 pm
Porto

2 – 0

Benfica

Lisandro marcou os dois golos …

Existe uma anedota aí a circular segundo a qual um unico jogador do Porto bastaria para ganhar ao Benfica. Na anedota esse jogador é o Quaresma…

Pois bem desta vez é caso para dizer que Lisandro ganhou o jogo. É claro que não jogou sozinho mas…

O Benfica a atravessar grave crise podia espreitar um pontinho que lhe daria o 3º. lugar face à derrota pesada e inesperada do Sporting em Leiria (1-4), mas aos 6′ no primeiro remate à baliza, o Porto já ganhava. Lisandro com Nélson a dar-lhe distância rematou imparavelmente e as indefinições sobre o vencedor do jogo ficaram desde logo esbatidas.

O Porto a ganhar cedo nem precisou de forçar a nota, o Benfica equilibrou a primeira parte que praticamente só teve dois lances adicionais de perigo, um para cada lado: não aproveitamento de Rui Costa /Nuno Gomes apos cruzamento de Nélson da direita e também após um cruzamento (desta vez da esquerda) a bola a chegar ao segundo poste sem que Sektoui pudesse emendar.

A segunda parte apareceu mais aberta com o Benfica a criar por Christian Rodriguez a sensação de empate num remate de fora da área, mas talvez por isso o Porto achou que era tempo para acelerar. O Porto passou a atacar mais e a ter superioridade sobre os encarnados que apenas num cabeceamento de Luisão após pontapé de canto fez perigar a baliza portista.

De resto Quim esteve muito mais activo e a dez minutos do fim Lisandro, outra vez (tinha de ser!), fez o 2-0 num remate semelhante ao que deu o primeiro golo.

O árbitro não teve lances difíceis de avaliar mas foi muito mais exigente nos amarelos para os jogadores do Benfica.

Estádio do Dragão, no Porto

Árbitro: Bruno Paixão (AF Setúbal)

FC Porto: Helton; Bosingwa; Pedro Emanuel, Bruno Alves e Fucile; Lucho, Paulo Assunção e Raul Meireles (Bolatti, 82′); Tarik (Mariano, 62′), Lisandro e Quaresma (Farías, 88′)

Benfica: Quim; Nélson, Luisão, Katsouranis e Léo; Maxi Pereira (Cardozo, 56′), Bynia, Cristian Rodriguez e Rui Costa; Di María (Nuno Assis, 85′) e Nuno Gomes (Makukula, 78′)

Golos: Lisandro (2) 6′ e 80′

Acção disciplinar: Cartão amarelo para Lisandro (7′), Maxi Pereira (12′), Bynia (17′ e 90+2′), Katsouranis (27′), Fucile (68′) e Cardozo (72′); Cartão vermelho para Bynia (90+2′)

 

Porto ganha e já são 20 os pontos de avanço sobre o segundo

Filed under: Benfica,FC Porto,football,Futebol,Liga Bwin — looking4good @ 9:46 pm
Porto

2 – 0

Benfica

Lisandro marcou os dois golos …

Existe uma anedota aí a circular segundo a qual um unico jogador do Porto bastaria para ganhar ao Benfica. Na anedota esse jogador é o Quaresma…

Pois bem desta vez é caso para dizer que Lisandro ganhou o jogo. É claro que não jogou sozinho mas…

O Benfica a atravessar grave crise podia espreitar um pontinho que lhe daria o 3º. lugar face à derrota pesada e inesperada do Sporting em Leiria (1-4), mas aos 6′ no primeiro remate à baliza, o Porto já ganhava. Lisandro com Nélson a dar-lhe distância rematou imparavelmente e as indefinições sobre o vencedor do jogo ficaram desde logo esbatidas.

O Porto a ganhar cedo nem precisou de forçar a nota, o Benfica equilibrou a primeira parte que praticamente só teve dois lances adicionais de perigo, um para cada lado: não aproveitamento de Rui Costa /Nuno Gomes apos cruzamento de Nélson da direita e também após um cruzamento (desta vez da esquerda) a bola a chegar ao segundo poste sem que Sektoui pudesse emendar.

A segunda parte apareceu mais aberta com o Benfica a criar por Christian Rodriguez a sensação de empate num remate de fora da área, mas talvez por isso o Porto achou que era tempo para acelerar. O Porto passou a atacar mais e a ter superioridade sobre os encarnados que apenas num cabeceamento de Luisão após pontapé de canto fez perigar a baliza portista.

De resto Quim esteve muito mais activo e a dez minutos do fim Lisandro, outra vez (tinha de ser!), fez o 2-0 num remate semelhante ao que deu o primeiro golo.

O árbitro não teve lances difíceis de avaliar mas foi muito mais exigente nos amarelos para os jogadores do Benfica.

Estádio do Dragão, no Porto

Árbitro: Bruno Paixão (AF Setúbal)

FC Porto: Helton; Bosingwa; Pedro Emanuel, Bruno Alves e Fucile; Lucho, Paulo Assunção e Raul Meireles (Bolatti, 82′); Tarik (Mariano, 62′), Lisandro e Quaresma (Farías, 88′)

Benfica: Quim; Nélson, Luisão, Katsouranis e Léo; Maxi Pereira (Cardozo, 56′), Bynia, Cristian Rodriguez e Rui Costa; Di María (Nuno Assis, 85′) e Nuno Gomes (Makukula, 78′)

Golos: Lisandro (2) 6′ e 80′

Acção disciplinar: Cartão amarelo para Lisandro (7′), Maxi Pereira (12′), Bynia (17′ e 90+2′), Katsouranis (27′), Fucile (68′) e Cardozo (72′); Cartão vermelho para Bynia (90+2′)

 

Porto ganha e já são 20 os pontos de avanço sobre o segundo

Filed under: Benfica,FC Porto,football,Futebol,Liga Bwin — looking4good @ 9:46 pm
Porto

2 – 0

Benfica

Lisandro marcou os dois golos …

Existe uma anedota aí a circular segundo a qual um unico jogador do Porto bastaria para ganhar ao Benfica. Na anedota esse jogador é o Quaresma…

Pois bem desta vez é caso para dizer que Lisandro ganhou o jogo. É claro que não jogou sozinho mas…

O Benfica a atravessar grave crise podia espreitar um pontinho que lhe daria o 3º. lugar face à derrota pesada e inesperada do Sporting em Leiria (1-4), mas aos 6′ no primeiro remate à baliza, o Porto já ganhava. Lisandro com Nélson a dar-lhe distância rematou imparavelmente e as indefinições sobre o vencedor do jogo ficaram desde logo esbatidas.

O Porto a ganhar cedo nem precisou de forçar a nota, o Benfica equilibrou a primeira parte que praticamente só teve dois lances adicionais de perigo, um para cada lado: não aproveitamento de Rui Costa /Nuno Gomes apos cruzamento de Nélson da direita e também após um cruzamento (desta vez da esquerda) a bola a chegar ao segundo poste sem que Sektoui pudesse emendar.

A segunda parte apareceu mais aberta com o Benfica a criar por Christian Rodriguez a sensação de empate num remate de fora da área, mas talvez por isso o Porto achou que era tempo para acelerar. O Porto passou a atacar mais e a ter superioridade sobre os encarnados que apenas num cabeceamento de Luisão após pontapé de canto fez perigar a baliza portista.

De resto Quim esteve muito mais activo e a dez minutos do fim Lisandro, outra vez (tinha de ser!), fez o 2-0 num remate semelhante ao que deu o primeiro golo.

O árbitro não teve lances difíceis de avaliar mas foi muito mais exigente nos amarelos para os jogadores do Benfica.

Estádio do Dragão, no Porto

Árbitro: Bruno Paixão (AF Setúbal)

FC Porto: Helton; Bosingwa; Pedro Emanuel, Bruno Alves e Fucile; Lucho, Paulo Assunção e Raul Meireles (Bolatti, 82′); Tarik (Mariano, 62′), Lisandro e Quaresma (Farías, 88′)

Benfica: Quim; Nélson, Luisão, Katsouranis e Léo; Maxi Pereira (Cardozo, 56′), Bynia, Cristian Rodriguez e Rui Costa; Di María (Nuno Assis, 85′) e Nuno Gomes (Makukula, 78′)

Golos: Lisandro (2) 6′ e 80′

Acção disciplinar: Cartão amarelo para Lisandro (7′), Maxi Pereira (12′), Bynia (17′ e 90+2′), Katsouranis (27′), Fucile (68′) e Cardozo (72′); Cartão vermelho para Bynia (90+2′)

 

Vieste tarde, meu amor…- Nunes Claro

Filed under: Nunes Claro,painting,poesia — looking4good @ 1:41 am
Joan Miró i Ferrà n. Barcelona, a 20 de Abril de 1893
(m. Palma de Maiorca, 25 Dez. 1983)
Vieste tarde, meu amor! Começa
em mim caindo a neve devagar;
morre o sol, o Outono cai depressa
e o Inverno, finalmente, vai chegar;

e se hoje andamos juntos, na promessa
de caminharmos toda a vida a par,
daqui a pouco, o teu amor tem pressa
e o meu, daqui a pouco, há-de cansar.

Dentro em breve, por trás das velhas portas,
dando um ao outro só palavras mortas,
que rolam mudas pelas nossas vidas,

ouviremos, nas noites desoladas:
tu, a canção das vozes desejadas;
eu, o chorar das vozes esquecidas.

Joaquim Nunes Claro nasceu em Lisboa a 20 de Abril de 1878 e faleceu em Sintra a 5 de Maio de 1949. Médico, trabalhou, durante a 1.ª Guerra Mundial, no Hospital Militar Português de Hendaia e, mais tarde, viria a ser vice-presidente do conselho regional lisboeta da Ordem dos Médicos. Começou como poeta panfletário, escrevendo versos indignados sobre a morte de Macéo, herói da independência cubana, ou replicando ao canto de purificação deísta de Junqueiro «Oração ao Pão» (1902) com a «Oração da Fome», protesto contra a condição penosa do homem secularmente esbulhado dos frutos do seu trabalho. Depois, a partir dos anos ‘20, o poeta-cidadão, cantor da emancipação sócio-cultural, retirou-se para Sintra e deu lugar ao poeta neo-romântico («A Cinza das Horas», 1928), que a uma poesia erótica hedonista junta o sentimento melancólico da usura do tempo e da fugacidade do amor.

Poema e nota biobliográfica extraídos de «A Circulatura do Quadrado – Alguns dos Mais Belos Sonetos de Poetas cuja Mátria é a Língua Portuguesa. Introdução, coordenação e notas de António Ruivo Mouzinho. Edições Unicepe – Cooperativa Livreira de Estudantes do Porto, 2004.
 

Vieste tarde, meu amor…- Nunes Claro

Filed under: Nunes Claro,painting,poesia — looking4good @ 1:41 am
Joan Miró i Ferrà n. Barcelona, a 20 de Abril de 1893
(m. Palma de Maiorca, 25 Dez. 1983)
Vieste tarde, meu amor! Começa
em mim caindo a neve devagar;
morre o sol, o Outono cai depressa
e o Inverno, finalmente, vai chegar;

e se hoje andamos juntos, na promessa
de caminharmos toda a vida a par,
daqui a pouco, o teu amor tem pressa
e o meu, daqui a pouco, há-de cansar.

Dentro em breve, por trás das velhas portas,
dando um ao outro só palavras mortas,
que rolam mudas pelas nossas vidas,

ouviremos, nas noites desoladas:
tu, a canção das vozes desejadas;
eu, o chorar das vozes esquecidas.

Joaquim Nunes Claro nasceu em Lisboa a 20 de Abril de 1878 e faleceu em Sintra a 5 de Maio de 1949. Médico, trabalhou, durante a 1.ª Guerra Mundial, no Hospital Militar Português de Hendaia e, mais tarde, viria a ser vice-presidente do conselho regional lisboeta da Ordem dos Médicos. Começou como poeta panfletário, escrevendo versos indignados sobre a morte de Macéo, herói da independência cubana, ou replicando ao canto de purificação deísta de Junqueiro «Oração ao Pão» (1902) com a «Oração da Fome», protesto contra a condição penosa do homem secularmente esbulhado dos frutos do seu trabalho. Depois, a partir dos anos ‘20, o poeta-cidadão, cantor da emancipação sócio-cultural, retirou-se para Sintra e deu lugar ao poeta neo-romântico («A Cinza das Horas», 1928), que a uma poesia erótica hedonista junta o sentimento melancólico da usura do tempo e da fugacidade do amor.

Poema e nota biobliográfica extraídos de «A Circulatura do Quadrado – Alguns dos Mais Belos Sonetos de Poetas cuja Mátria é a Língua Portuguesa. Introdução, coordenação e notas de António Ruivo Mouzinho. Edições Unicepe – Cooperativa Livreira de Estudantes do Porto, 2004.
 

Vieste tarde, meu amor…- Nunes Claro

Filed under: Nunes Claro,painting,poesia — looking4good @ 1:41 am
Joan Miró i Ferrà n. Barcelona, a 20 de Abril de 1893
(m. Palma de Maiorca, 25 Dez. 1983)
Vieste tarde, meu amor! Começa
em mim caindo a neve devagar;
morre o sol, o Outono cai depressa
e o Inverno, finalmente, vai chegar;

e se hoje andamos juntos, na promessa
de caminharmos toda a vida a par,
daqui a pouco, o teu amor tem pressa
e o meu, daqui a pouco, há-de cansar.

Dentro em breve, por trás das velhas portas,
dando um ao outro só palavras mortas,
que rolam mudas pelas nossas vidas,

ouviremos, nas noites desoladas:
tu, a canção das vozes desejadas;
eu, o chorar das vozes esquecidas.

Joaquim Nunes Claro nasceu em Lisboa a 20 de Abril de 1878 e faleceu em Sintra a 5 de Maio de 1949. Médico, trabalhou, durante a 1.ª Guerra Mundial, no Hospital Militar Português de Hendaia e, mais tarde, viria a ser vice-presidente do conselho regional lisboeta da Ordem dos Médicos. Começou como poeta panfletário, escrevendo versos indignados sobre a morte de Macéo, herói da independência cubana, ou replicando ao canto de purificação deísta de Junqueiro «Oração ao Pão» (1902) com a «Oração da Fome», protesto contra a condição penosa do homem secularmente esbulhado dos frutos do seu trabalho. Depois, a partir dos anos ‘20, o poeta-cidadão, cantor da emancipação sócio-cultural, retirou-se para Sintra e deu lugar ao poeta neo-romântico («A Cinza das Horas», 1928), que a uma poesia erótica hedonista junta o sentimento melancólico da usura do tempo e da fugacidade do amor.

Poema e nota biobliográfica extraídos de «A Circulatura do Quadrado – Alguns dos Mais Belos Sonetos de Poetas cuja Mátria é a Língua Portuguesa. Introdução, coordenação e notas de António Ruivo Mouzinho. Edições Unicepe – Cooperativa Livreira de Estudantes do Porto, 2004.