Nothingandall

Just another WordPress.com weblog

Janeiro 7, 2008

Filed under: Uncategorized — looking4good @ 9:54 am

pero cada cosa sigue en su sitio, cada asunto sigue en su sitio, las cosas no han cambiado, el mundo rueda, sigues en tu sitio, y el mundo rueda, y la angustia de equivocarse quema por dentro, y yo en mi sitio y en el tuyo y el mundo sigue rodando, y la gente piensa y prevé y se equivoca o acierta, pero todo está ahí, la esperanza está ahí, el futuro está ahí, y yo creo, creo en ti, creo en mí, creo en lo que sientes y sentimos, y creo que le aburrimiento es un mensaje, que la esperanza es un mensaje, que la sensación de estar construyendo es un mensaje, y en el the harder they fall no veo desesperanza, creo que siempre hay un camino, que siempre hay una puerta, que siempre hago lo que he de hacer, y sé que voy, que voy adonde he de ir, sé que no me equivoco, que el camino es este, que tú estás ahí, sé que soy quien soy y quien eres y somos, y creo en mí, y creyendo en mí creo en ti y creo en todo, y en todo es y en todo canta y en todo nace y crece y es y rees

amor

 

Dream Song # 366 – John Berryman

Filed under: John Berryman,poesia,poetry — looking4good @ 7:04 am
Mo’s Irish pub

Chilled in this Irish pub I wish my loves
well, well to strangers, well to all his friends,
seven or so in number,
I forgive my enemies, especially two,
races his heart, as so much magnanimity,
can it all be true?

Mr Bones, you on a trip outside yourself.
Has you seen a medicine man? You sound will-like,
a testament & such.
Is you going? —Oh, I suffer from a strike
& a strike & three balls: I stand up for much,
Wordsworth & that sort of thing.

The pitcher dreamed. He threw a hazy curve,
I took it in my stride & out I struck,
lonesome Henry.
These Songs are not meant to be understood, you understand
They are only meant to terrify & comfort
Lilac was found in his hand.

(em português)

Enregelado neste bar irlandês faço votos de felicidade
aos meus amores, aos estranhos, a todos os seus amigos,
que somam cerca de sete,
perdoo aos meus inimigos, a dois em particular,
desafio o seu coração, tanta magnimidade,
poderá tudo ser verdade?

– Sr. Bones, você numa viagem para fora de si.
Você foste a um curandeiro? Soa a póstumo,
testamento & tudo.
Será que parte? – Oh, sofro de um ataque
& um ataque & três bolas: represento muito,
Wordsworth & esse tipo de coisas.

O lançador sonhava. Atirou uma curva nebulosa,
apanhei-a de passagem & lancei-a fora,
solitário Henry.
Estas canções não são para serem entendidas, entendes.
São apenas para aterrorizar e confortar.
Encontraram lilás na sua mão.

Trad. José Alberto Oliveira

John Allyn Berryman (b. October 25, 1914 in McAlester, Oklahoma, USA; d. January 7, 1972 – suicide)

 

Dream Song # 366 – John Berryman

Filed under: John Berryman,poesia,poetry — looking4good @ 7:04 am
Mo’s Irish pub

Chilled in this Irish pub I wish my loves
well, well to strangers, well to all his friends,
seven or so in number,
I forgive my enemies, especially two,
races his heart, as so much magnanimity,
can it all be true?

Mr Bones, you on a trip outside yourself.
Has you seen a medicine man? You sound will-like,
a testament & such.
Is you going? —Oh, I suffer from a strike
& a strike & three balls: I stand up for much,
Wordsworth & that sort of thing.

The pitcher dreamed. He threw a hazy curve,
I took it in my stride & out I struck,
lonesome Henry.
These Songs are not meant to be understood, you understand
They are only meant to terrify & comfort
Lilac was found in his hand.

(em português)

Enregelado neste bar irlandês faço votos de felicidade
aos meus amores, aos estranhos, a todos os seus amigos,
que somam cerca de sete,
perdoo aos meus inimigos, a dois em particular,
desafio o seu coração, tanta magnimidade,
poderá tudo ser verdade?

– Sr. Bones, você numa viagem para fora de si.
Você foste a um curandeiro? Soa a póstumo,
testamento & tudo.
Será que parte? – Oh, sofro de um ataque
& um ataque & três bolas: represento muito,
Wordsworth & esse tipo de coisas.

O lançador sonhava. Atirou uma curva nebulosa,
apanhei-a de passagem & lancei-a fora,
solitário Henry.
Estas canções não são para serem entendidas, entendes.
São apenas para aterrorizar e confortar.
Encontraram lilás na sua mão.

Trad. José Alberto Oliveira

John Allyn Berryman (b. October 25, 1914 in McAlester, Oklahoma, USA; d. January 7, 1972 – suicide)

 

Dream Song # 366 – John Berryman

Filed under: John Berryman,poesia,poetry — looking4good @ 7:04 am
Mo’s Irish pub

Chilled in this Irish pub I wish my loves
well, well to strangers, well to all his friends,
seven or so in number,
I forgive my enemies, especially two,
races his heart, as so much magnanimity,
can it all be true?

Mr Bones, you on a trip outside yourself.
Has you seen a medicine man? You sound will-like,
a testament & such.
Is you going? —Oh, I suffer from a strike
& a strike & three balls: I stand up for much,
Wordsworth & that sort of thing.

The pitcher dreamed. He threw a hazy curve,
I took it in my stride & out I struck,
lonesome Henry.
These Songs are not meant to be understood, you understand
They are only meant to terrify & comfort
Lilac was found in his hand.

(em português)

Enregelado neste bar irlandês faço votos de felicidade
aos meus amores, aos estranhos, a todos os seus amigos,
que somam cerca de sete,
perdoo aos meus inimigos, a dois em particular,
desafio o seu coração, tanta magnimidade,
poderá tudo ser verdade?

– Sr. Bones, você numa viagem para fora de si.
Você foste a um curandeiro? Soa a póstumo,
testamento & tudo.
Será que parte? – Oh, sofro de um ataque
& um ataque & três bolas: represento muito,
Wordsworth & esse tipo de coisas.

O lançador sonhava. Atirou uma curva nebulosa,
apanhei-a de passagem & lancei-a fora,
solitário Henry.
Estas canções não são para serem entendidas, entendes.
São apenas para aterrorizar e confortar.
Encontraram lilás na sua mão.

Trad. José Alberto Oliveira

John Allyn Berryman (b. October 25, 1914 in McAlester, Oklahoma, USA; d. January 7, 1972 – suicide)

 

Dream Song # 366 – John Berryman

Filed under: John Berryman,poesia,poetry — looking4good @ 7:04 am
Mo’s Irish pub

Chilled in this Irish pub I wish my loves
well, well to strangers, well to all his friends,
seven or so in number,
I forgive my enemies, especially two,
races his heart, as so much magnanimity,
can it all be true?

Mr Bones, you on a trip outside yourself.
Has you seen a medicine man? You sound will-like,
a testament & such.
Is you going? —Oh, I suffer from a strike
& a strike & three balls: I stand up for much,
Wordsworth & that sort of thing.

The pitcher dreamed. He threw a hazy curve,
I took it in my stride & out I struck,
lonesome Henry.
These Songs are not meant to be understood, you understand
They are only meant to terrify & comfort
Lilac was found in his hand.

(em português)

Enregelado neste bar irlandês faço votos de felicidade
aos meus amores, aos estranhos, a todos os seus amigos,
que somam cerca de sete,
perdoo aos meus inimigos, a dois em particular,
desafio o seu coração, tanta magnimidade,
poderá tudo ser verdade?

– Sr. Bones, você numa viagem para fora de si.
Você foste a um curandeiro? Soa a póstumo,
testamento & tudo.
Será que parte? – Oh, sofro de um ataque
& um ataque & três bolas: represento muito,
Wordsworth & esse tipo de coisas.

O lançador sonhava. Atirou uma curva nebulosa,
apanhei-a de passagem & lancei-a fora,
solitário Henry.
Estas canções não são para serem entendidas, entendes.
São apenas para aterrorizar e confortar.
Encontraram lilás na sua mão.

Trad. José Alberto Oliveira

John Allyn Berryman (b. October 25, 1914 in McAlester, Oklahoma, USA; d. January 7, 1972 – suicide)

 

Esta noite há debate na RTP 1 sobre a saúde (ou falta dela) em Portugal

Filed under: Actualidade,política,saúde — looking4good @ 1:24 am
A RTP 1 promove esta segunda feira um debate sobre a saúde no Prós e Contras, programa de grande audiencia orientado pela jornalista Fátima de Campos Ferreira. O ministro Correia de Campos, autarcas, médicos e populações estarão frente-a-frente para deiscutir um dos temas que mais discussão e descontentamento originado na sociedade portuguesa: é o fecho das maternidades, dos SAP, a concentração de serviços de saúde, a morte dum paciente na urgência do Hospital de Aveiro, depois de mais de três horas sem ser atendido, é o sistema de transportes dos doentes…

Também o Sr. Presidente da República fez da saúde um dos tópicos do seu discurso na Mensagem de Ano Novo: «Seria importante que os portugueses percebessem para onde vai o país em matéria de cuidados de saúde» disse.

Oportunidade para transcrever aqui alguns dos tópicos do discurso de Cavaco Silva:

« Não nos podemos deixar de inquietar sobre as desigualdades na distribuição do rendimento que as estatísticas revelam…».

«… Interrogo-me sobre se os rendimentos auferidos por altos dirigentes das empresas não serão muitas vezes injustificados e desproporcionados face aos salários médios dos seus trabalhadores».

«Portugueses! Tenho visitado várias regiões do país e procurado conhecer melhor as dificuldades, os receios e as aspirações das nossas gentes. O despovoamento, o envelhecimento das populações é um problema sério do interior do país que os poderes públicos não podem ignorar»

«O acesso aos cuidados de saúde é uma inquietação de muitas populações. Não estão seguras de que os utentes, principalmente os de recursos mais baixos ocupem, como deve ser, uma posição central nas reformas que são inevitáveis para assegurar a sustentabilidade financeira do Sistema Nacional de Saúde. Seria importante que os portugueses percebessem para onde vai o país em matéria de cuidados de saúde. Poderia assim avaliar melhor aquilo que tem sido feito»

 

Esta noite há debate na RTP 1 sobre a saúde (ou falta dela) em Portugal

Filed under: Actualidade,política,saúde — looking4good @ 1:24 am
A RTP 1 promove esta segunda feira um debate sobre a saúde no Prós e Contras, programa de grande audiencia orientado pela jornalista Fátima de Campos Ferreira. O ministro Correia de Campos, autarcas, médicos e populações estarão frente-a-frente para deiscutir um dos temas que mais discussão e descontentamento originado na sociedade portuguesa: é o fecho das maternidades, dos SAP, a concentração de serviços de saúde, a morte dum paciente na urgência do Hospital de Aveiro, depois de mais de três horas sem ser atendido, é o sistema de transportes dos doentes…

Também o Sr. Presidente da República fez da saúde um dos tópicos do seu discurso na Mensagem de Ano Novo: «Seria importante que os portugueses percebessem para onde vai o país em matéria de cuidados de saúde» disse.

Oportunidade para transcrever aqui alguns dos tópicos do discurso de Cavaco Silva:

« Não nos podemos deixar de inquietar sobre as desigualdades na distribuição do rendimento que as estatísticas revelam…».

«… Interrogo-me sobre se os rendimentos auferidos por altos dirigentes das empresas não serão muitas vezes injustificados e desproporcionados face aos salários médios dos seus trabalhadores».

«Portugueses! Tenho visitado várias regiões do país e procurado conhecer melhor as dificuldades, os receios e as aspirações das nossas gentes. O despovoamento, o envelhecimento das populações é um problema sério do interior do país que os poderes públicos não podem ignorar»

«O acesso aos cuidados de saúde é uma inquietação de muitas populações. Não estão seguras de que os utentes, principalmente os de recursos mais baixos ocupem, como deve ser, uma posição central nas reformas que são inevitáveis para assegurar a sustentabilidade financeira do Sistema Nacional de Saúde. Seria importante que os portugueses percebessem para onde vai o país em matéria de cuidados de saúde. Poderia assim avaliar melhor aquilo que tem sido feito»