Nothingandall

Just another WordPress.com weblog

«Estrelinha» faz a águia voar em Coimbra Novembro 24, 2007

Filed under: Académica,Benfica,Futebol,Liga Bwin — looking4good @ 11:12 pm
Académica

1-3
Benfica

Luisão fez o milagre ou foi Ricardo que se sacrificou?

Vindo de quatro vitórias consecutivas os encarnados nesta jornada, anterior ao jogo contra o Porto na Luz, disputavam um jogo de grande importância. No entanto, o Benfica ainda não estabilizou uma equipa em termos quer de constituição, quer em termos tácticos. Neste jogo David Luís regressou para fazer parceria com Luisão. Nélson, Petit e Cardozo surgiam no banco, mas no onze titular faltavam Christian Rodriguez – o melhor jogador do Benfica até esta altura do campeonato – e Maxi Pereira, surgindo Di Maria e Nuno Assis.

Também a Acdémica apresentou uma formação com cinco jogadores diferentes relativamente ao último jogo.

Logo aos 5′ Nuno Assis lesionou-se e viria a entrar Cardozo, logo aí mudando o Benfica a tactica para o jogo. Numa benesse de Luís Filipe após um livre em que a bola foi atirada contra a barreira defensiva, o defesa encarnado colocou a bola nos pés de Lito que confirmou a forma goleadora e pôs os conimbricenses a ganhar aos 24′. O Benfica até pareceu não acusar o golpe e pouco depois Di Maria com um grande pontapé atirou à barra e aos 34′ também de livre surgiu o empate. Di Maria deu um toque para Léo a ajeitar a bola para aparecer Rui Costa a disparar para… golo!

A verdade é que após o empate o jogo voltou ao equilibrio.

Na segunda parte a Académica apareceu a trocar melhor a bola enquanto o Benfica parecia uma equipa muito dispersa sem controlo de jogo. Talvez por isso Camacho retirou Nuno Gomes e fez entrar Freddy Adu aos 62′ quando um pouco antes havia tirado Katsouranis para o regresso de Petit. O Benfica pareceu equilibrar um pouco mais no meio-campo mas na frente Ricardo estava a ter uma noite descansada. A Académica não se encolhia, pelo contrário, e ficou a sensação de que hoje era um dia propício para os estudantes conseguirem um triunfo que escapa há dezenas de anos.

O jogo decorria sem oportunidades mas a verdade é que num lançamento de linha lateral por Bynia para o meio da área dos locais o guarda-redes decidiu (mal) tentar socar a bola, não lhe chegou, um defesa falhou ainda o alívio e Luisão de calcanhar (!!!) fez encaminhar a bola devagarinho para a baliza onde Ricardo que a abandonara tentou ainda defender mas tocando a bola para dentro da baliza. Um golo milagroso que dava o triunfo encarnado que em termos de jogo pouco justificou.

Já em tempos de desconto Cardozo pela direita assistiu Freddy Adu que rematou para uma nova intervenção infeliz do guarda-redes da Académica a desviar a bola insuficientemente batendo no poste para entrar na baliza dando uma expressão ao resultado bastante injusta.

Benquerença usou um critério disciplinar uniforme avisando Bynia e Paulo Sérgio por duas vezes antes de mostrar o cartão amarelo e não houve lances polémicos nas áreas. Houve, porém uma entrada feia ao calcanhar de Cardozo que ficou impune na segunda parte a ter merecido um «alaranjado».

Estádio: Estádio Cidade de Coimbra
Árbitros: Olegário Benquerença, Aux – João Santos,José Cardinal

ACADÉMICA – Ricardo; Nuno Piloto, Litos, Kaká e Pedro Costa; Paulo Sérgio e Pavlovic (Hélder Barbosa 88′); Lito, N´Doye e Ivanildo (Miguel Pedro 46′); Vouho (Joeano 59′).

BENFICA – Quim; Luís Filipe, Luisão, David Luiz e Léo; Katsouranis Petit 60′) e Binya; Nuno Assis (Cardozo 10′), Rui Costa e Di Maria; Nuno Gomes (Freddy Adu 62′).

Golos: 1-0 Lito 24′; 1-1 Rui Costa 33′; 1-2 Luisão aos 85′ ; 1-3 Freddy Adu 90+

Disciplina: 41’Cartão amarelo para Katsouranis por falta sobre N´Doye.
47′ Cartão amarelo para Vouho por falta sobre Luisão.
63′ Cartão amarelo para Luisão por falta sobre Paulo Sérgio.
74′ Cartão amarelo para Paulo Sérgio
77′ Cartão amarelo para N’Doye por simular uma falta.
80′ Cartão amarelo para Ricardo por segurar a bola fora da área.

 

«Estrelinha» faz a águia voar em Coimbra

Filed under: Académica,Benfica,Futebol,Liga Bwin — looking4good @ 11:12 pm
Académica

1-3
Benfica

Luisão fez o milagre ou foi Ricardo que se sacrificou?

Vindo de quatro vitórias consecutivas os encarnados nesta jornada, anterior ao jogo contra o Porto na Luz, disputavam um jogo de grande importância. No entanto, o Benfica ainda não estabilizou uma equipa em termos quer de constituição, quer em termos tácticos. Neste jogo David Luís regressou para fazer parceria com Luisão. Nélson, Petit e Cardozo surgiam no banco, mas no onze titular faltavam Christian Rodriguez – o melhor jogador do Benfica até esta altura do campeonato – e Maxi Pereira, surgindo Di Maria e Nuno Assis.

Também a Acdémica apresentou uma formação com cinco jogadores diferentes relativamente ao último jogo.

Logo aos 5′ Nuno Assis lesionou-se e viria a entrar Cardozo, logo aí mudando o Benfica a tactica para o jogo. Numa benesse de Luís Filipe após um livre em que a bola foi atirada contra a barreira defensiva, o defesa encarnado colocou a bola nos pés de Lito que confirmou a forma goleadora e pôs os conimbricenses a ganhar aos 24′. O Benfica até pareceu não acusar o golpe e pouco depois Di Maria com um grande pontapé atirou à barra e aos 34′ também de livre surgiu o empate. Di Maria deu um toque para Léo a ajeitar a bola para aparecer Rui Costa a disparar para… golo!

A verdade é que após o empate o jogo voltou ao equilibrio.

Na segunda parte a Académica apareceu a trocar melhor a bola enquanto o Benfica parecia uma equipa muito dispersa sem controlo de jogo. Talvez por isso Camacho retirou Nuno Gomes e fez entrar Freddy Adu aos 62′ quando um pouco antes havia tirado Katsouranis para o regresso de Petit. O Benfica pareceu equilibrar um pouco mais no meio-campo mas na frente Ricardo estava a ter uma noite descansada. A Académica não se encolhia, pelo contrário, e ficou a sensação de que hoje era um dia propício para os estudantes conseguirem um triunfo que escapa há dezenas de anos.

O jogo decorria sem oportunidades mas a verdade é que num lançamento de linha lateral por Bynia para o meio da área dos locais o guarda-redes decidiu (mal) tentar socar a bola, não lhe chegou, um defesa falhou ainda o alívio e Luisão de calcanhar (!!!) fez encaminhar a bola devagarinho para a baliza onde Ricardo que a abandonara tentou ainda defender mas tocando a bola para dentro da baliza. Um golo milagroso que dava o triunfo encarnado que em termos de jogo pouco justificou.

Já em tempos de desconto Cardozo pela direita assistiu Freddy Adu que rematou para uma nova intervenção infeliz do guarda-redes da Académica a desviar a bola insuficientemente batendo no poste para entrar na baliza dando uma expressão ao resultado bastante injusta.

Benquerença usou um critério disciplinar uniforme avisando Bynia e Paulo Sérgio por duas vezes antes de mostrar o cartão amarelo e não houve lances polémicos nas áreas. Houve, porém uma entrada feia ao calcanhar de Cardozo que ficou impune na segunda parte a ter merecido um «alaranjado».

Estádio: Estádio Cidade de Coimbra
Árbitros: Olegário Benquerença, Aux – João Santos,José Cardinal

ACADÉMICA – Ricardo; Nuno Piloto, Litos, Kaká e Pedro Costa; Paulo Sérgio e Pavlovic (Hélder Barbosa 88′); Lito, N´Doye e Ivanildo (Miguel Pedro 46′); Vouho (Joeano 59′).

BENFICA – Quim; Luís Filipe, Luisão, David Luiz e Léo; Katsouranis Petit 60′) e Binya; Nuno Assis (Cardozo 10′), Rui Costa e Di Maria; Nuno Gomes (Freddy Adu 62′).

Golos: 1-0 Lito 24′; 1-1 Rui Costa 33′; 1-2 Luisão aos 85′ ; 1-3 Freddy Adu 90+

Disciplina: 41’Cartão amarelo para Katsouranis por falta sobre N´Doye.
47′ Cartão amarelo para Vouho por falta sobre Luisão.
63′ Cartão amarelo para Luisão por falta sobre Paulo Sérgio.
74′ Cartão amarelo para Paulo Sérgio
77′ Cartão amarelo para N’Doye por simular uma falta.
80′ Cartão amarelo para Ricardo por segurar a bola fora da área.

 

«Estrelinha» faz a águia voar em Coimbra

Filed under: Académica,Benfica,Futebol,Liga Bwin — looking4good @ 11:12 pm
Académica

1-3
Benfica

Luisão fez o milagre ou foi Ricardo que se sacrificou?

Vindo de quatro vitórias consecutivas os encarnados nesta jornada, anterior ao jogo contra o Porto na Luz, disputavam um jogo de grande importância. No entanto, o Benfica ainda não estabilizou uma equipa em termos quer de constituição, quer em termos tácticos. Neste jogo David Luís regressou para fazer parceria com Luisão. Nélson, Petit e Cardozo surgiam no banco, mas no onze titular faltavam Christian Rodriguez – o melhor jogador do Benfica até esta altura do campeonato – e Maxi Pereira, surgindo Di Maria e Nuno Assis.

Também a Acdémica apresentou uma formação com cinco jogadores diferentes relativamente ao último jogo.

Logo aos 5′ Nuno Assis lesionou-se e viria a entrar Cardozo, logo aí mudando o Benfica a tactica para o jogo. Numa benesse de Luís Filipe após um livre em que a bola foi atirada contra a barreira defensiva, o defesa encarnado colocou a bola nos pés de Lito que confirmou a forma goleadora e pôs os conimbricenses a ganhar aos 24′. O Benfica até pareceu não acusar o golpe e pouco depois Di Maria com um grande pontapé atirou à barra e aos 34′ também de livre surgiu o empate. Di Maria deu um toque para Léo a ajeitar a bola para aparecer Rui Costa a disparar para… golo!

A verdade é que após o empate o jogo voltou ao equilibrio.

Na segunda parte a Académica apareceu a trocar melhor a bola enquanto o Benfica parecia uma equipa muito dispersa sem controlo de jogo. Talvez por isso Camacho retirou Nuno Gomes e fez entrar Freddy Adu aos 62′ quando um pouco antes havia tirado Katsouranis para o regresso de Petit. O Benfica pareceu equilibrar um pouco mais no meio-campo mas na frente Ricardo estava a ter uma noite descansada. A Académica não se encolhia, pelo contrário, e ficou a sensação de que hoje era um dia propício para os estudantes conseguirem um triunfo que escapa há dezenas de anos.

O jogo decorria sem oportunidades mas a verdade é que num lançamento de linha lateral por Bynia para o meio da área dos locais o guarda-redes decidiu (mal) tentar socar a bola, não lhe chegou, um defesa falhou ainda o alívio e Luisão de calcanhar (!!!) fez encaminhar a bola devagarinho para a baliza onde Ricardo que a abandonara tentou ainda defender mas tocando a bola para dentro da baliza. Um golo milagroso que dava o triunfo encarnado que em termos de jogo pouco justificou.

Já em tempos de desconto Cardozo pela direita assistiu Freddy Adu que rematou para uma nova intervenção infeliz do guarda-redes da Académica a desviar a bola insuficientemente batendo no poste para entrar na baliza dando uma expressão ao resultado bastante injusta.

Benquerença usou um critério disciplinar uniforme avisando Bynia e Paulo Sérgio por duas vezes antes de mostrar o cartão amarelo e não houve lances polémicos nas áreas. Houve, porém uma entrada feia ao calcanhar de Cardozo que ficou impune na segunda parte a ter merecido um «alaranjado».

Estádio: Estádio Cidade de Coimbra
Árbitros: Olegário Benquerença, Aux – João Santos,José Cardinal

ACADÉMICA – Ricardo; Nuno Piloto, Litos, Kaká e Pedro Costa; Paulo Sérgio e Pavlovic (Hélder Barbosa 88′); Lito, N´Doye e Ivanildo (Miguel Pedro 46′); Vouho (Joeano 59′).

BENFICA – Quim; Luís Filipe, Luisão, David Luiz e Léo; Katsouranis Petit 60′) e Binya; Nuno Assis (Cardozo 10′), Rui Costa e Di Maria; Nuno Gomes (Freddy Adu 62′).

Golos: 1-0 Lito 24′; 1-1 Rui Costa 33′; 1-2 Luisão aos 85′ ; 1-3 Freddy Adu 90+

Disciplina: 41’Cartão amarelo para Katsouranis por falta sobre N´Doye.
47′ Cartão amarelo para Vouho por falta sobre Luisão.
63′ Cartão amarelo para Luisão por falta sobre Paulo Sérgio.
74′ Cartão amarelo para Paulo Sérgio
77′ Cartão amarelo para N’Doye por simular uma falta.
80′ Cartão amarelo para Ricardo por segurar a bola fora da área.

 

Leixões empata Sporting

Filed under: Futebol,Leixões,Liga Bwin — looking4good @ 10:05 pm
Leixões

1 – 1

Sporting

Purovic aos 86′ foi a excepção à ineficácia leonina

Num jogo em que o Sporting dominou, teve muito mais posse de bola, atacou, teve cantos, fez bastantes remates, os adeptos leoninos até suspiraram por ter evitado a derrota, já perto do final do jogo.

O Leixões só fez um remate à baliza do Sporting e marcou um golo, mas não se pense que o remate que fez deu golo. De facto, o golo surgiu de um cruzamento da direita do ataque leixonense, rasteiro, que o guarda-redes Rui Patrício (uma estreia) defendeu para a frente fazendo a bola tabelar primeiro num avançado do Leixões para espirrar em Abel e acabar dentro da baliza. O remate esse já foi na segunda parte e Ezequias poderia nesse lance ter feito o 2-0 que arrumaria o jogo.

Paulo Bento reagiu cedo ao golo do Leixões e fez a substituição habitual, tirou Ronni e fez entrar Purovic. A história do jogo resume-se ao domínio leonino, com a criação de algumas oportunidades de golo, mas desperdiçadas ou evitadas in-extremis por que fez defesas excelentes designadamente a remates de Gladstone e Izmailov que tinham o selo de golo.

Face à ineficácia leonina e ao acerto da defesa de Matosinhos com o guarda-redes a safar quando já não havia mais ninguém, chegou a pairar o espectro da derrota do Sporting mas um cruzamento de Abel também da direita encontrou Purovic em linha a cabecear e a concretizar o empate. Era tarde para o Sporting poder ainda fazer pela vida e ganhar o jogo e assim o Leixões coleccionou mais um empate na Liga e o Sporting é que ficou «empatado» e começa a tornar ténues as esperanças de discutir seriamente o título desta época.

A arbitragem de Paulo Paraty teve poucos erros e de pouca importancia, pelo que nerece boa nota.

Ficha do jogo:

Estádio do Mar, em Matosinhos

Árbitro: Paulo Paraty (AF Porto)

Leixões – Beto; Filipe Oliveira, Nuno Silva, Elvis e Ezequias; Jorge Duarte (Nwoko, 63 m) e Bruno China; Jorge Gonçalves, Pedro Cervantes (Vieirinha, 70 m) e Hugo Morais; Roberto (Vinicius, 82 m).

Sporting – Rui Patrício; Abel, Gladstone, Polga e Ronny (Purovic, 27 m); Miguel Veloso e João Moutinho; Izmailov, Romagnoli (Farnerud, 80 m) e Vukcevic (Pereirinha, 65 m); Liedson.

Golos: 1-0 por Abel 14 m (p.b.); 1-1 por Purovic (87 m).

Disciplina: cartão amarelo a Polga (24 m), Liedson (45 m), Nuno Silva (78 m), Vieirinha (83 m) e Farnerud (90+4 m).

 

Leixões empata Sporting

Filed under: Futebol,Leixões,Liga Bwin — looking4good @ 10:05 pm
Leixões

1 – 1

Sporting

Purovic aos 86′ foi a excepção à ineficácia leonina

Num jogo em que o Sporting dominou, teve muito mais posse de bola, atacou, teve cantos, fez bastantes remates, os adeptos leoninos até suspiraram por ter evitado a derrota, já perto do final do jogo.

O Leixões só fez um remate à baliza do Sporting e marcou um golo, mas não se pense que o remate que fez deu golo. De facto, o golo surgiu de um cruzamento da direita do ataque leixonense, rasteiro, que o guarda-redes Rui Patrício (uma estreia) defendeu para a frente fazendo a bola tabelar primeiro num avançado do Leixões para espirrar em Abel e acabar dentro da baliza. O remate esse já foi na segunda parte e Ezequias poderia nesse lance ter feito o 2-0 que arrumaria o jogo.

Paulo Bento reagiu cedo ao golo do Leixões e fez a substituição habitual, tirou Ronni e fez entrar Purovic. A história do jogo resume-se ao domínio leonino, com a criação de algumas oportunidades de golo, mas desperdiçadas ou evitadas in-extremis por que fez defesas excelentes designadamente a remates de Gladstone e Izmailov que tinham o selo de golo.

Face à ineficácia leonina e ao acerto da defesa de Matosinhos com o guarda-redes a safar quando já não havia mais ninguém, chegou a pairar o espectro da derrota do Sporting mas um cruzamento de Abel também da direita encontrou Purovic em linha a cabecear e a concretizar o empate. Era tarde para o Sporting poder ainda fazer pela vida e ganhar o jogo e assim o Leixões coleccionou mais um empate na Liga e o Sporting é que ficou «empatado» e começa a tornar ténues as esperanças de discutir seriamente o título desta época.

A arbitragem de Paulo Paraty teve poucos erros e de pouca importancia, pelo que nerece boa nota.

Ficha do jogo:

Estádio do Mar, em Matosinhos

Árbitro: Paulo Paraty (AF Porto)

Leixões – Beto; Filipe Oliveira, Nuno Silva, Elvis e Ezequias; Jorge Duarte (Nwoko, 63 m) e Bruno China; Jorge Gonçalves, Pedro Cervantes (Vieirinha, 70 m) e Hugo Morais; Roberto (Vinicius, 82 m).

Sporting – Rui Patrício; Abel, Gladstone, Polga e Ronny (Purovic, 27 m); Miguel Veloso e João Moutinho; Izmailov, Romagnoli (Farnerud, 80 m) e Vukcevic (Pereirinha, 65 m); Liedson.

Golos: 1-0 por Abel 14 m (p.b.); 1-1 por Purovic (87 m).

Disciplina: cartão amarelo a Polga (24 m), Liedson (45 m), Nuno Silva (78 m), Vieirinha (83 m) e Farnerud (90+4 m).

 

Leixões empata Sporting

Filed under: Futebol,Leixões,Liga Bwin — looking4good @ 10:05 pm
Leixões

1 – 1

Sporting

Purovic aos 86′ foi a excepção à ineficácia leonina

Num jogo em que o Sporting dominou, teve muito mais posse de bola, atacou, teve cantos, fez bastantes remates, os adeptos leoninos até suspiraram por ter evitado a derrota, já perto do final do jogo.

O Leixões só fez um remate à baliza do Sporting e marcou um golo, mas não se pense que o remate que fez deu golo. De facto, o golo surgiu de um cruzamento da direita do ataque leixonense, rasteiro, que o guarda-redes Rui Patrício (uma estreia) defendeu para a frente fazendo a bola tabelar primeiro num avançado do Leixões para espirrar em Abel e acabar dentro da baliza. O remate esse já foi na segunda parte e Ezequias poderia nesse lance ter feito o 2-0 que arrumaria o jogo.

Paulo Bento reagiu cedo ao golo do Leixões e fez a substituição habitual, tirou Ronni e fez entrar Purovic. A história do jogo resume-se ao domínio leonino, com a criação de algumas oportunidades de golo, mas desperdiçadas ou evitadas in-extremis por que fez defesas excelentes designadamente a remates de Gladstone e Izmailov que tinham o selo de golo.

Face à ineficácia leonina e ao acerto da defesa de Matosinhos com o guarda-redes a safar quando já não havia mais ninguém, chegou a pairar o espectro da derrota do Sporting mas um cruzamento de Abel também da direita encontrou Purovic em linha a cabecear e a concretizar o empate. Era tarde para o Sporting poder ainda fazer pela vida e ganhar o jogo e assim o Leixões coleccionou mais um empate na Liga e o Sporting é que ficou «empatado» e começa a tornar ténues as esperanças de discutir seriamente o título desta época.

A arbitragem de Paulo Paraty teve poucos erros e de pouca importancia, pelo que nerece boa nota.

Ficha do jogo:

Estádio do Mar, em Matosinhos

Árbitro: Paulo Paraty (AF Porto)

Leixões – Beto; Filipe Oliveira, Nuno Silva, Elvis e Ezequias; Jorge Duarte (Nwoko, 63 m) e Bruno China; Jorge Gonçalves, Pedro Cervantes (Vieirinha, 70 m) e Hugo Morais; Roberto (Vinicius, 82 m).

Sporting – Rui Patrício; Abel, Gladstone, Polga e Ronny (Purovic, 27 m); Miguel Veloso e João Moutinho; Izmailov, Romagnoli (Farnerud, 80 m) e Vukcevic (Pereirinha, 65 m); Liedson.

Golos: 1-0 por Abel 14 m (p.b.); 1-1 por Purovic (87 m).

Disciplina: cartão amarelo a Polga (24 m), Liedson (45 m), Nuno Silva (78 m), Vieirinha (83 m) e Farnerud (90+4 m).

 

Leixões empata Sporting

Filed under: Futebol,Leixões,Liga Bwin — looking4good @ 10:05 pm
Leixões

1 – 1

Sporting

Purovic aos 86′ foi a excepção à ineficácia leonina

Num jogo em que o Sporting dominou, teve muito mais posse de bola, atacou, teve cantos, fez bastantes remates, os adeptos leoninos até suspiraram por ter evitado a derrota, já perto do final do jogo.

O Leixões só fez um remate à baliza do Sporting e marcou um golo, mas não se pense que o remate que fez deu golo. De facto, o golo surgiu de um cruzamento da direita do ataque leixonense, rasteiro, que o guarda-redes Rui Patrício (uma estreia) defendeu para a frente fazendo a bola tabelar primeiro num avançado do Leixões para espirrar em Abel e acabar dentro da baliza. O remate esse já foi na segunda parte e Ezequias poderia nesse lance ter feito o 2-0 que arrumaria o jogo.

Paulo Bento reagiu cedo ao golo do Leixões e fez a substituição habitual, tirou Ronni e fez entrar Purovic. A história do jogo resume-se ao domínio leonino, com a criação de algumas oportunidades de golo, mas desperdiçadas ou evitadas in-extremis por que fez defesas excelentes designadamente a remates de Gladstone e Izmailov que tinham o selo de golo.

Face à ineficácia leonina e ao acerto da defesa de Matosinhos com o guarda-redes a safar quando já não havia mais ninguém, chegou a pairar o espectro da derrota do Sporting mas um cruzamento de Abel também da direita encontrou Purovic em linha a cabecear e a concretizar o empate. Era tarde para o Sporting poder ainda fazer pela vida e ganhar o jogo e assim o Leixões coleccionou mais um empate na Liga e o Sporting é que ficou «empatado» e começa a tornar ténues as esperanças de discutir seriamente o título desta época.

A arbitragem de Paulo Paraty teve poucos erros e de pouca importancia, pelo que nerece boa nota.

Ficha do jogo:

Estádio do Mar, em Matosinhos

Árbitro: Paulo Paraty (AF Porto)

Leixões – Beto; Filipe Oliveira, Nuno Silva, Elvis e Ezequias; Jorge Duarte (Nwoko, 63 m) e Bruno China; Jorge Gonçalves, Pedro Cervantes (Vieirinha, 70 m) e Hugo Morais; Roberto (Vinicius, 82 m).

Sporting – Rui Patrício; Abel, Gladstone, Polga e Ronny (Purovic, 27 m); Miguel Veloso e João Moutinho; Izmailov, Romagnoli (Farnerud, 80 m) e Vukcevic (Pereirinha, 65 m); Liedson.

Golos: 1-0 por Abel 14 m (p.b.); 1-1 por Purovic (87 m).

Disciplina: cartão amarelo a Polga (24 m), Liedson (45 m), Nuno Silva (78 m), Vieirinha (83 m) e Farnerud (90+4 m).