Nothingandall

Just another WordPress.com weblog

Kids Feel Us Novembro 18, 2007

Filed under: children — looking4good @ 10:10 pm
Kids Feel Us

 

48th Thessaloniki International Film Festival

Filed under: Cultural,news — looking4good @ 9:57 pm

A less famous than the one of Cannes, or Venice, Film Festival opened its gates this weekend; the 48th International Thessaloniki Film Festival, in northern Greece. Being the most significant event about Cinema in Greece and South East Europe, the Festival – which takes place in Thessalonika between 16 and 25th of November 2007 – will present approximately 280 films from international independent filmmakers. This year’s special guest of the Festival is the Hollywood actor John Malkovich.

From left to right: George Corraface, president of the Thessaloniki International Film Festival, Despina Mouzaki, director of the Festival and John Malkovich, during press conference in Greece. (photo: Motionteam)

 

Centenário de Compay Segundo

Filed under: Compay Segundo,efemerides,Music,Musica — looking4good @ 6:32 pm
Máximo Francisco Repilado Muñoz conhecido por Compay Segundo nasceu em 18 de Novembro de 1907 na cidade de Siboney na parte leste de Cuba.

Músico multi instrumental (guitarra, clarinete, bongos, congas…) passou a ser mundialmente famoso em 1992 com a realização do disco Buena Vista Social Club editado na sequencia do filme com o mesmo nome de Wim Wenders. Este disco ganhou sete Grammy.

Compay Segundo faleceu em 13 de Julho de 2003.

Deixamos os leitores com um vídeo de Compay Segundo interpretando Chan Chan um dos seus enormes êxitos, com Ry Cooder

 

Café do Molhe – Manuel António Pina

Filed under: Manuel António Pina,poesia — looking4good @ 5:26 pm


Perguntavas-me
(ou talvez não tenhas sido
tu, mas só a ti
naquele tempo eu ouvia)

porquê a poesia,
e não outra coisa qualquer:
a filosofia, o futebol, alguma mulher?
Eu não sabia

que a resposta estava
numa certa estrofe de
um certo poema de
Frei Luis de Léon que Poe

(acho que era Poe)
conhecia de cor,
em castelhano e tudo.
Porém se o soubesse

de pouco me teria
então servido, ou de nada.
Porque estavas inclinada
de um modo tão perfeito

sobre a mesa
e o meu coração batia
tão infundadamente no teu peito
sobre a tua blusa acesa

que tudo o que soubesse não o saberia.
Hoje sei: escrevo
contra aquilo de que me lembro,
essa tarde parada, por exemplo.

Manuel António Pina (n. em 18 de Nov. 1943 no Sabugal; ~)

 

Café do Molhe – Manuel António Pina

Filed under: Manuel António Pina,poesia — looking4good @ 5:26 pm


Perguntavas-me
(ou talvez não tenhas sido
tu, mas só a ti
naquele tempo eu ouvia)

porquê a poesia,
e não outra coisa qualquer:
a filosofia, o futebol, alguma mulher?
Eu não sabia

que a resposta estava
numa certa estrofe de
um certo poema de
Frei Luis de Léon que Poe

(acho que era Poe)
conhecia de cor,
em castelhano e tudo.
Porém se o soubesse

de pouco me teria
então servido, ou de nada.
Porque estavas inclinada
de um modo tão perfeito

sobre a mesa
e o meu coração batia
tão infundadamente no teu peito
sobre a tua blusa acesa

que tudo o que soubesse não o saberia.
Hoje sei: escrevo
contra aquilo de que me lembro,
essa tarde parada, por exemplo.

Manuel António Pina (n. em 18 de Nov. 1943 no Sabugal; ~)

 

Café do Molhe – Manuel António Pina

Filed under: Manuel António Pina,poesia — looking4good @ 5:26 pm


Perguntavas-me
(ou talvez não tenhas sido
tu, mas só a ti
naquele tempo eu ouvia)

porquê a poesia,
e não outra coisa qualquer:
a filosofia, o futebol, alguma mulher?
Eu não sabia

que a resposta estava
numa certa estrofe de
um certo poema de
Frei Luis de Léon que Poe

(acho que era Poe)
conhecia de cor,
em castelhano e tudo.
Porém se o soubesse

de pouco me teria
então servido, ou de nada.
Porque estavas inclinada
de um modo tão perfeito

sobre a mesa
e o meu coração batia
tão infundadamente no teu peito
sobre a tua blusa acesa

que tudo o que soubesse não o saberia.
Hoje sei: escrevo
contra aquilo de que me lembro,
essa tarde parada, por exemplo.

Manuel António Pina (n. em 18 de Nov. 1943 no Sabugal; ~)

 

Café do Molhe – Manuel António Pina

Filed under: Manuel António Pina,poesia — looking4good @ 5:26 pm


Perguntavas-me
(ou talvez não tenhas sido
tu, mas só a ti
naquele tempo eu ouvia)

porquê a poesia,
e não outra coisa qualquer:
a filosofia, o futebol, alguma mulher?
Eu não sabia

que a resposta estava
numa certa estrofe de
um certo poema de
Frei Luis de Léon que Poe

(acho que era Poe)
conhecia de cor,
em castelhano e tudo.
Porém se o soubesse

de pouco me teria
então servido, ou de nada.
Porque estavas inclinada
de um modo tão perfeito

sobre a mesa
e o meu coração batia
tão infundadamente no teu peito
sobre a tua blusa acesa

que tudo o que soubesse não o saberia.
Hoje sei: escrevo
contra aquilo de que me lembro,
essa tarde parada, por exemplo.

Manuel António Pina (n. em 18 de Nov. 1943 no Sabugal; ~)