Nothingandall

Just another WordPress.com weblog

Un secret – Félix Arvers Julho 23, 2007

Filed under: Félix Arvers,poesia — looking4good @ 9:04 pm

Original en français

Mon âme a son secret, ma vie a son mystère :
Un amour éternel en un moment conçu :
Le mal est sans espoir, aussi j’ai dû le taire,
Et celle qui l’a fait n’en a jamais rien su.

Hélas ! j’aurai passé près d’elle inaperçu,
Toujours à ses côtés, et pourtant solitaire,
Et j’aurai jusqu’au bout fait mon temps sur la terre,
N’osant rien demander et n’ayant rien reçu.

Pour elle, quoique Dieu l’ait faite douce et tendre,
Elle ira son chemin, distraite, et sans entendre
Ce murmure d’amour élevé sur ses pas;

A l’austère devoir, pieusement fidèle,
Elle dira, lisant ces vers tout remplis d’elle :
” Quelle est donc cette femme ?” et ne comprendra pas.

Mes heures perdues
Félix ARVERS
(1806-1850)

Versão Portuguesa

Vive um mistério em mim, segredo que só eu sei:
eterno amor sentido ao pé de uma mulher;
não tem cura este mal, por isso o calarei,
e essa, que me perdeu, nem o sabe sequer.

A seu lado, ai de mim, passei e passarei
despercebido e aó, alheio ao seu sofrer,
e meus dias, em vão, desperdiçá-los-ei
sem nada ousar pedir sem nada receber.

E, embora seja meiga e boa eenternecida,
em seu caminho irá, sem ouvir, distraída
o murmúrio de amor que a seus pés soará.

Fiel ao seu dever, austera, no seu lar,
quando estes versos ler, decerto há-de pensar
«Quem é esta mulher?» … e não entenderá.

Trad. de Armando Côrtes-Rodrigues

Alex – Félix Arvers (n. em Paris a 23 Jul 1806 m. em 1850)

 

Egypt (the country of 5000 years old)

Filed under: Photos,Tourism — looking4good @ 8:00 pm
here i won’t talk about Egypt history
history is history
i will not even talk
i will look on it with today camera
with which i will try to bring u a 2 dimension view (poor and rich Egypt)
that i proudly love both.
leave u with pics










 

Bendice

Filed under: Uncategorized — looking4good @ 4:44 pm

Bendice siempre
Bendice la luz,

por que tu eres la luz…

Bendice el amor,

por que tu eres el amor…

Bendice la paz

pues tu eres la paz….

Pero también y especialmente

Bendice a los que matan,
a los que hieren,
a los que agreden…

Bendice a los que odias,
a los que te lastimaron
y a los agentes del mal…

Por que nadie más que ellos
necesita de la luz
que puedas enviarles…

Bendice,
bendice siempre….

PAZ & AMOR

yoymimismo

 

Happy birthday Charisma Carpenter

Filed under: Charisma Carpenter,wallpapers — looking4good @ 1:16 pm

Charisma Carpenter

 

Happy birthday Charisma Carpenter

Filed under: Charisma Carpenter,wallpapers — looking4good @ 1:16 pm

Charisma Carpenter

click on photo to enlarge
 

23 Jul : Acaso do destino: No mesmo dia que nasceu Amália Rodrigues desapareceu Carlos Paredes 84 anos depois

Filed under: Amália Rodrigues,Carlos Paredes,Fado,Musica — looking4good @ 12:21 pm
Não bastava tratar-se de duas das maiores figuras da música portuguesa e particularmente do fado ainda um pormenor adicional iria ligar temporalmente estas duas personalidades: 23 de Julho. Em 1920 nascia em Lisboa Amália Rodrigues e também em Lisboa neste mesmo dia do ano de 2004 desaparecia Carlos Paredes. Não há homenagens possíveis que paguem o que eles fizeram por Portugal, deixo apenas aqui uma lembrança.

foto: Amália em actuação

Estranha Forma de Vida

Foi por vontade de Deus
que eu vivo nesta ansiedade.
Que todos os ais são meus,
Que é toda a minha saudade.
Foi por vontade de Deus.

Que estranha forma de vida
tem este meu coração:
vive de forma perdida;
Quem lhe daria o condão?
Que estranha forma de vida.

Coração independente,
coração que não comando:
vive perdido entre a gente,
teimosamente sangrando,
coração independente.

Eu não te acompanho mais:
para, deixa de bater.
Se não sabes onde vais,
porque teimas em correr,
eu não te acompanho mais.

poema da autoria de Amália Rodrigues (n. 23 Jul 1920 *em Lisboa, m. a 6 Out 1999 em Lisboa)

*Data que consta dos documentos oficiais. Amália sempre defendeu que nascera em 1 de Julho de 1920.

Ouça música de Amália:
Estranha forma de vida
Barco Negro
Eu queria cantar-te um fado
Foi Deus
Solidão (Canção do Mar)
Ouvir mais fados de Amália aqui (link externo)

foto de Carlos Paredes em actuação


Cantiga de Maio

Carlos Paredes (n. em Coimbra a 16 de Fev. de 1925; m. em Lisboa a 23 de Jul de 2004)

 

23 Jul : Acaso do destino: No mesmo dia que nasceu Amália Rodrigues desapareceu Carlos Paredes 84 anos depois

Filed under: Amália Rodrigues,Carlos Paredes,Fado,Musica — looking4good @ 12:21 pm
Não bastava tratar-se de duas das maiores figuras da música portuguesa e particularmente do fado ainda um pormenor adicional iria ligar temporalmente estas duas personalidades: 23 de Julho. Em 1920 nascia em Lisboa Amália Rodrigues e também em Lisboa neste mesmo dia do ano de 2004 desaparecia Carlos Paredes. Não há homenagens possíveis que paguem o que eles fizeram por Portugal, deixo apenas aqui uma lembrança.

foto: Amália em actuação

Estranha Forma de Vida

Foi por vontade de Deus
que eu vivo nesta ansiedade.
Que todos os ais são meus,
Que é toda a minha saudade.
Foi por vontade de Deus.

Que estranha forma de vida
tem este meu coração:
vive de forma perdida;
Quem lhe daria o condão?
Que estranha forma de vida.

Coração independente,
coração que não comando:
vive perdido entre a gente,
teimosamente sangrando,
coração independente.

Eu não te acompanho mais:
para, deixa de bater.
Se não sabes onde vais,
porque teimas em correr,
eu não te acompanho mais.

poema da autoria de Amália Rodrigues (n. 23 Jul 1920 *em Lisboa, m. a 6 Out 1999 em Lisboa)

*Data que consta dos documentos oficiais. Amália sempre defendeu que nascera em 1 de Julho de 1920.

Ouça música de Amália:
Estranha forma de vida
Barco Negro
Eu queria cantar-te um fado
Foi Deus
Solidão (Canção do Mar)
Ouvir mais fados de Amália aqui (link externo)

foto de Carlos Paredes em actuação


Cantiga de Maio

Carlos Paredes (n. em Coimbra a 16 de Fev. de 1925; m. em Lisboa a 23 de Jul de 2004)