Nothingandall

Just another WordPress.com weblog

The Sunset Julho 19, 2007

Filed under: Inspirational — looking4good @ 10:06 pm

The Sunset

Look to the sunset…
Look to the eyes of this small bird… he is crying because he does not know what to do!

What would he do after that his source of light leaves?
What would he do after that his reservoir of warmth hides in the darkness?
What would he do without force, without her?

Look at the sun going away!
Yes! He is sad! She is Lost in the faraway, but this cant stop him from thinking about her every moment…
Thinking how the sea waves swallowed her in the infinity…
How his warmth has turned to be just memories!
How his happiness has been destroyed by the wheel of time!
Who will reply! There is no mercy with the darkness’s cold!
But no way to die! He loves life…
And on behalf of this love he prayed…
So he got the “one answer” that God made for every creature: “In the morning, the sun shines again”!

Sassine El Nabbout
LEBANON

 

Greetings From Australia

Filed under: Greetings — looking4good @ 12:22 pm



G’day buddies,

I am Thooya from Australia. It is a pleasure to join WUB. This is my first post and Ipromise to keep you posted with my peception on this world. I would like to represent Australia (where i live) and Tamil Eelam (where my gene comes from) and be part of this wonderful place. Have a nice day.

Cheers
Thooya
Tamil Eelam
[Australia]

 

Endure love.

Filed under: Love — looking4good @ 11:57 am

If you make a place in your heart for love, trust me that love will come to fill it naturally..and when was the last time that you realize how precious your loved ones are?Life always has so very much to offer.Though life may not always go as you planned or desired, you will always have something real and meaningful to show for it.When you invest all your hope and love in the superficial things that will soon fade away, then you make time your enemy, but yet when you cherish love,life’s true, enduring values, your opportunities for joy grow more abundant with each passing moment.

Daddyyyyyyyy …. !!

Let share this story:
A man stopped at a flower shop to order some flowers to be wired to his mother who lived two hundred miles away. As he got out of his car he noticed a young girl sitting on the curb sobbing. He asked her what was wrong and she replied, “I wanted to buy a red rose for my mother. But I only have seventy-five cents, and a rose costs two dollars.”

The man smiled and said to the girl to come inside with him and he’ll buy her the rose that she wanted for.He then bought the little girl her rose and ordered his own mother’s flowers. As they were leaving he offered the girl a ride home.And the girl replied, “Yes, please! You can take me to my mother.”

She directed him to a cemetery, where she placed the rose on a freshly dug grave.The man returned to the flower shop, cancelled the wire order, picked up a bouquet and drove the two hundred miles to his mother’s house.

Love… not to wait until the last moment

Noushy Syah,UK.

 

On this day in History – Jul 20

Filed under: efemerides,This Day in History — looking4good @ 11:57 am
 

Quarteto em Portugal mas não é 1111

Filed under: Actualidade,política — looking4good @ 11:57 am
A secretária de Estado norte-americana, Condoleezza Rice, está em visita oficial em Portugal, ond epara além de contactos bilaterais, participa na reunião do Quarteto para a Paz no Médio Oriente (União Europeia, Nações Unidas, Estados Unidos e Rússia).

A reunião de alto nível do Quarteto para a paz no Médio Oriente, decorre hoje em Lisboa a partir das 18:00, no Centro Cultural de Belém. Os «músicos» do Quarteto para além da secretária de Estado norte-americana são o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, o ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Serguei Lavrov e o Alto Representante da UE para a Política Externa, Javier Solana. Também participam o ex-primeiro-ministro britânico, o ministro Luis Amado, em representação da presidência da UE, e a comissária europeia para as Relações Externas, Benita Ferrero-Waldner.

Falta saber que «música» é que vai sair daí e que influência acabará por ter no desenrolar dos acontecimentos no Médio Oriente.

 

Arrojos – Cesário Verde faleceu há 121 anos

Filed under: Cesário Verde,poesia — looking4good @ 6:27 am
Fernando Pessoa no Martinho da Arcada com Raul Leal, António Botto
e Augusto Ferreira Gomes. Foto copiada de http://www.universal.pt/

Se a minha amada um longo olhar me desse
Dos seus olhos que ferem como espadas,
Eu domaria o mar que se enfurece
E escalaria as nuvens rendilhadas.

Se ela deixasse, extático e suspenso
Tomar-lhe as mãos mignonnes e aquecê-las,
Eu com um sopro enorme, um sopro imenso
Apagaria o lume das estrelas.

Se aquela que amo mais que a luz do dia,
Me aniquilasse os males taciturnos,
O brilho dos meus olhos venceria
O clarão dos relâmpagos nocturnos.

Se ela quisesse amar, no azul do espaço,
Casando as suas penas com as minhas,
Eu desfaria o Sol como desfaço
As bolas de sabão das criancinhas.

Se a Laura dos meus loucos desvarios
Fosse menos soberba e menos fria,
Eu pararia o curso aos grandes rios
E a terra sob os pés abalaria.

Se aquela por quem já não tenho risos
Me concedesse apenas dois abraços,
Eu subiria aos róseos paraísos
E a Lua afogaria nos meus braços.

Se ela ouvisse os meus cantos moribundos
E os lamentos das cítaras estranhas,
Eu ergueria os vales mais profundos
E abateria as sólidas montanhas.

E se aquela visão da fantasia
Me estreitasse ao peito alvo como arminho,
Eu nunca, nunca mais me sentaria
Às mesas espelhentas do Martinho.

in Poemas de Amor, Antologia de poesia portuguesa, organização e prefácio de Inês Pedrosa, Publicações Dom Quixote

José Joaquim Cesário Verde (n. em Lisboa a 25 Feb 1855, m. a 19 Jul 1886)

Recomenda-se vivamente a leitura de mais poemas do autor aqui Poemas de Cesário Verde (inclui Lúbrica, Avé-Maria, Contrariedades, Eu e Ela, De Tarde … )

 

Arrojos – Cesário Verde faleceu há 121 anos

Filed under: Cesário Verde,poesia — looking4good @ 6:27 am
Fernando Pessoa no Martinho da Arcada com Raul Leal, António Botto
e Augusto Ferreira Gomes. Foto copiada de http://www.universal.pt/

Se a minha amada um longo olhar me desse
Dos seus olhos que ferem como espadas,
Eu domaria o mar que se enfurece
E escalaria as nuvens rendilhadas.

Se ela deixasse, extático e suspenso
Tomar-lhe as mãos mignonnes e aquecê-las,
Eu com um sopro enorme, um sopro imenso
Apagaria o lume das estrelas.

Se aquela que amo mais que a luz do dia,
Me aniquilasse os males taciturnos,
O brilho dos meus olhos venceria
O clarão dos relâmpagos nocturnos.

Se ela quisesse amar, no azul do espaço,
Casando as suas penas com as minhas,
Eu desfaria o Sol como desfaço
As bolas de sabão das criancinhas.

Se a Laura dos meus loucos desvarios
Fosse menos soberba e menos fria,
Eu pararia o curso aos grandes rios
E a terra sob os pés abalaria.

Se aquela por quem já não tenho risos
Me concedesse apenas dois abraços,
Eu subiria aos róseos paraísos
E a Lua afogaria nos meus braços.

Se ela ouvisse os meus cantos moribundos
E os lamentos das cítaras estranhas,
Eu ergueria os vales mais profundos
E abateria as sólidas montanhas.

E se aquela visão da fantasia
Me estreitasse ao peito alvo como arminho,
Eu nunca, nunca mais me sentaria
Às mesas espelhentas do Martinho.

in Poemas de Amor, Antologia de poesia portuguesa, organização e prefácio de Inês Pedrosa, Publicações Dom Quixote

José Joaquim Cesário Verde (n. em Lisboa a 25 Feb 1855, m. a 19 Jul 1886)

Recomenda-se vivamente a leitura de mais poemas do autor aqui Poemas de Cesário Verde (inclui Lúbrica, Avé-Maria, Contrariedades, Eu e Ela, De Tarde … )