Nothingandall

Just another WordPress.com weblog

Sporting em forma goleia Marítimo Abril 13, 2007

Filed under: Futebol,Maritimo,Sporting — looking4good @ 9:33 pm
Sporting 4 – 0 Marítimo

O Marítimo estreava novo treinador (Alberto Pazos), mas se algumas esperanças tinha, elas cedo cessaram, até porque o Sporting inaugurou o marcador logo aos 12 segundos por Liedson, fazendo o golo mais rápido do campeonato.

O Sporting depois de uma quebra de forma a meio do campeonato, está de novo em ascensão (como o prova a vitória no Dragão) e fez uma excelente exibição em Alvalade, ganhando por 4 golos, mas não ficando longe de uma goleada histórica, porque Marcos, guarda-rede do Marítimo, foi um dos melhores jogadores em campo.

Romagnoli fez o 2-0 aos 17′ estreando-se a marcar no campeonato, com um remate de fora da área, resultado que se verificava ao intervalo. No entanto, o resultado poderia ter subido nomeadamente em lances protagonizados por Liedson num deles com remate ao lado e noutro com José Gomes a cortar de cabeça no último momento.

Aos 49′ já o treinador do Marítimo tinha esgotado as substituições, mas o domínio do Sporting nunca esteve em discussão mesmo depois das alterações operadas na equipa insular.

Marcos ia evitando que o resultado subisse, mas nos últimos dez minutos o «score» atingiu uma expressão mais consentânea com o desnível de jogo verificado. Aos 80′ João Moutinho com um remate forte de pé esquerdo, após cruzamento de Pereirinha, fez o 3-0 e Alecsandro, que substituira Romagnoli, fez o 4-0 após assistencia de Liedson que foi o melhor jogador em campo.

A arbitragem não complicou.

O Sporting sobe ao 2º. lugar aguardando agora pelo desempenho do Porto, amanhã em Coimbra, e do Benfica na segunda feira frente ao Braga.

Estádio: Estádio José Alvalade – XXI Espect.: 31476
Árbitros: Jorge Sousa

SPORTING – Ricardo; Abel, Caneira, Polga e Tello; João Moutinho, Miguel Veloso e Nani (Pereirinha 70′); Romagnoli (Alecsandro 69′); Djaló (Farnerud 81′)e Liedson.

MARÍTIMO – Marcos; José Gomes, Alex (Gregory 49′), Milton e Evaldo; Filipe Oliveira (Marcinho 46′), Wénio, Olberdam, Luís Olim (Douglas 43′); Lipatin e Mbesuma.

Disciplina:
34′ Cartão Amarelo para Milton (Marítimo), por obstrução a Djaló.
37′ Cartão Amarelo para Polga (Sporting).
45′ Cartão Amarelo para Alex (Marítimo), por sucessivas faltas.
58′ Cartão Amarelo para Olberdam (Marítimo), por desviar a bola com a mão.

 

Sporting em forma goleia Marítimo

Filed under: Futebol,Maritimo,Sporting — looking4good @ 9:33 pm
Sporting 4 – 0 Marítimo

O Marítimo estreava novo treinador (Alberto Pazos), mas se algumas esperanças tinha, elas cedo cessaram, até porque o Sporting inaugurou o marcador logo aos 12 segundos por Liedson, fazendo o golo mais rápido do campeonato.

O Sporting depois de uma quebra de forma a meio do campeonato, está de novo em ascensão (como o prova a vitória no Dragão) e fez uma excelente exibição em Alvalade, ganhando por 4 golos, mas não ficando longe de uma goleada histórica, porque Marcos, guarda-rede do Marítimo, foi um dos melhores jogadores em campo.

Romagnoli fez o 2-0 aos 17′ estreando-se a marcar no campeonato, com um remate de fora da área, resultado que se verificava ao intervalo. No entanto, o resultado poderia ter subido nomeadamente em lances protagonizados por Liedson num deles com remate ao lado e noutro com José Gomes a cortar de cabeça no último momento.

Aos 49′ já o treinador do Marítimo tinha esgotado as substituições, mas o domínio do Sporting nunca esteve em discussão mesmo depois das alterações operadas na equipa insular.

Marcos ia evitando que o resultado subisse, mas nos últimos dez minutos o «score» atingiu uma expressão mais consentânea com o desnível de jogo verificado. Aos 80′ João Moutinho com um remate forte de pé esquerdo, após cruzamento de Pereirinha, fez o 3-0 e Alecsandro, que substituira Romagnoli, fez o 4-0 após assistencia de Liedson que foi o melhor jogador em campo.

A arbitragem não complicou.

O Sporting sobe ao 2º. lugar aguardando agora pelo desempenho do Porto, amanhã em Coimbra, e do Benfica na segunda feira frente ao Braga.

Estádio: Estádio José Alvalade – XXI Espect.: 31476
Árbitros: Jorge Sousa

SPORTING – Ricardo; Abel, Caneira, Polga e Tello; João Moutinho, Miguel Veloso e Nani (Pereirinha 70′); Romagnoli (Alecsandro 69′); Djaló (Farnerud 81′)e Liedson.

MARÍTIMO – Marcos; José Gomes, Alex (Gregory 49′), Milton e Evaldo; Filipe Oliveira (Marcinho 46′), Wénio, Olberdam, Luís Olim (Douglas 43′); Lipatin e Mbesuma.

Disciplina:
34′ Cartão Amarelo para Milton (Marítimo), por obstrução a Djaló.
37′ Cartão Amarelo para Polga (Sporting).
45′ Cartão Amarelo para Alex (Marítimo), por sucessivas faltas.
58′ Cartão Amarelo para Olberdam (Marítimo), por desviar a bola com a mão.

 

Sporting em forma goleia Marítimo

Filed under: Futebol,Maritimo,Sporting — looking4good @ 9:33 pm
Sporting 4 – 0 Marítimo

O Marítimo estreava novo treinador (Alberto Pazos), mas se algumas esperanças tinha, elas cedo cessaram, até porque o Sporting inaugurou o marcador logo aos 12 segundos por Liedson, fazendo o golo mais rápido do campeonato.

O Sporting depois de uma quebra de forma a meio do campeonato, está de novo em ascensão (como o prova a vitória no Dragão) e fez uma excelente exibição em Alvalade, ganhando por 4 golos, mas não ficando longe de uma goleada histórica, porque Marcos, guarda-rede do Marítimo, foi um dos melhores jogadores em campo.

Romagnoli fez o 2-0 aos 17′ estreando-se a marcar no campeonato, com um remate de fora da área, resultado que se verificava ao intervalo. No entanto, o resultado poderia ter subido nomeadamente em lances protagonizados por Liedson num deles com remate ao lado e noutro com José Gomes a cortar de cabeça no último momento.

Aos 49′ já o treinador do Marítimo tinha esgotado as substituições, mas o domínio do Sporting nunca esteve em discussão mesmo depois das alterações operadas na equipa insular.

Marcos ia evitando que o resultado subisse, mas nos últimos dez minutos o «score» atingiu uma expressão mais consentânea com o desnível de jogo verificado. Aos 80′ João Moutinho com um remate forte de pé esquerdo, após cruzamento de Pereirinha, fez o 3-0 e Alecsandro, que substituira Romagnoli, fez o 4-0 após assistencia de Liedson que foi o melhor jogador em campo.

A arbitragem não complicou.

O Sporting sobe ao 2º. lugar aguardando agora pelo desempenho do Porto, amanhã em Coimbra, e do Benfica na segunda feira frente ao Braga.

Estádio: Estádio José Alvalade – XXI Espect.: 31476
Árbitros: Jorge Sousa

SPORTING – Ricardo; Abel, Caneira, Polga e Tello; João Moutinho, Miguel Veloso e Nani (Pereirinha 70′); Romagnoli (Alecsandro 69′); Djaló (Farnerud 81′)e Liedson.

MARÍTIMO – Marcos; José Gomes, Alex (Gregory 49′), Milton e Evaldo; Filipe Oliveira (Marcinho 46′), Wénio, Olberdam, Luís Olim (Douglas 43′); Lipatin e Mbesuma.

Disciplina:
34′ Cartão Amarelo para Milton (Marítimo), por obstrução a Djaló.
37′ Cartão Amarelo para Polga (Sporting).
45′ Cartão Amarelo para Alex (Marítimo), por sucessivas faltas.
58′ Cartão Amarelo para Olberdam (Marítimo), por desviar a bola com a mão.

 

Deus e pensamentos filosóficos de um homem (pouco) crente

Filed under: pensamentos — looking4good @ 5:58 pm
Ontem vi-me a cogitar sobre a existência de Deus depois de ouvir a notícia da morte por atropelamento, no Algarve, de uma mulher gávida de trinta e sete anos. O bébé, graças a uma cesariana de emergência feita no Hospital Distrital de Faro, sobreviveria.

Foi por esta sobrevivência que pus-me a imaginar: “pois …. foi Deus que a protegeu…”, “que culpa teria a criança…”, “Este bébé com a sua história inicial desenhada desta forma será uma importante figura no futuro…”, etc.

Que desapontamento tive quando o desenvolvimento da notícia dava o bébé em estado crítico e em coma.

Oh meu Deus, eu que sou homem de pouca fé, não seja por mim mas por este bébé, dá provas da Tua existência… ou que outros Teus desígnios superiores impedirão a sua salvação?

 

Congratulations AEK

Filed under: AEK — looking4good @ 5:45 pm
PAE Athlitiki Enosis Konstantinoupoleos (Athletic Union of Constantinople FC)
On 13th April 1924, a group of Constantinopolitan and Anatolian refugees (among them athletes from Pera Club) met at the athletic shop of Menelaos and Emilios Ionas at the center of Athens (Veranzerou street) and established AEK.
 

Congratulations AEK

Filed under: AEK — looking4good @ 5:45 pm
PAE Athlitiki Enosis Konstantinoupoleos (Athletic Union of Constantinople FC)
On 13th April 1924, a group of Constantinopolitan and Anatolian refugees (among them athletes from Pera Club) met at the athletic shop of Menelaos and Emilios Ionas at the center of Athens (Veranzerou street) and established AEK.
 

Congratulations AEK

Filed under: AEK — looking4good @ 5:45 pm
PAE Athlitiki Enosis Konstantinoupoleos (Athletic Union of Constantinople FC)
On 13th April 1924, a group of Constantinopolitan and Anatolian refugees (among them athletes from Pera Club) met at the athletic shop of Menelaos and Emilios Ionas at the center of Athens (Veranzerou street) and established AEK.
 

On this day in History – Apr. 13

Filed under: efemerides,This Day in History — looking4good @ 2:11 am
 

Benfica eliminado: Infelizmente nada de surpreendente

Filed under: Benfica,Taça Uefa — looking4good @ 12:38 am
SL Benfica 0 – 0 RCD Espanyol

E os periquitos eliminaram as águias

Comecemos pelo título desta crónica: e os periquitos catalães eliminaram as águias de Lisboa. Como é que tal é possível? Se as águias são mais fortes e são maiores e têm fama de serem mais espertas? Simplesmente, e os jogos anteriores (vários) denunciaram isso, porque as águias estão severamente doentes.

Não sei quem é responsável pela gestão desportiva do meu clube. Mas admito que seja o treinador o maior responsável. Relembro quando acabadinho de ser anunciado como treinador encarnado, Fernando Santos disse que o Benfica teria que jogar à Benfica e em qualquer circunstância assumir o jogo e não ficar à espera dos adversários.

A dois meses de distância do final da época as últimas esperanças ficaram arruinadas. Um assumido candidato ao título de campeão de Portugal foi eliminado por uma equipa de segunda escolha do campeonato espanhol. Afinal, também no futebol estamos a ser subjugados pelos nossos vizinhos. Pior do que isso, o Benfica nunca assumiu a postura de equipa superior, de clube maior e superior. E até em casa a ter que ganhar deixou ser os espanhóis, a serem os primeiros interessados (?) em atacar, melhor dizer antes, convidados face à frouxidão com que os encarnados mais uma vez começaram o jogo.

Aonde está afinal a profecia de Fernando Santos de um Benfica à Benfica? Foi assim com o Porto, foi assim em Barcelona contra o adversário desta noite e até com o último do nosso campeonato (Beira-Mar) não foi capaz de ganhar. Também já tinha sido assim contra o Varzim para a Taça de Portugal e infelizmente em muitos outros jogos do campeonato.

Agora a tese é de que a equipa anda cansada. Cansada? Cansados andam os adeptos de falsas promessas e de desilusões. Então não sabiam os compromissos que tinham para a época? Jogam sempre os mesmos jogadores e por isso estão cansados. Mas então porque jogam sempre os mesmos jogadores e não há rotação? Porque os outros são fracos? Mas então porque os foram «comprar»? Muitas perguntas e nenhuma resposta. Ou melhor há uma e é suficiente: frustração de resultados; ora, todas as organizações sejam elas desportivas, políticas ou comerciais, toda a organização, métodos e trabalho são avaliados por resultados. Se eles são maus alguma coisa tem de ser feita. A não ser que afinal nos conformemos com eles.

Agora luta-se para preservação do segundo lugar do campeonato. Mas o Benfica a lutar pelo segundo lugar? Há quatro jogos consecutivos que não ganha e muito me engano e vamos ficar em terceiros, porque ao baixo índice dos níveis físicos vai-se juntar agora a baixa psicológica.

Uma equipa que se queixa agora de cansaço e venderam durante o decurso da época Alcides, Ricardo Rocha e Kikin Fonseca. E quem veio? Derlei – para passar férias?

Tacticamente a equipa mais uma vez não tem definições. Simão coitado um dos poucos jogadores de classe do clube durante a segunda parte foi avançado centro. Miccoli foi o outro. Como é que uma equipa com aspirações a jogar contra outras supervoadas defensivamente tem dois avançados de pouco mais de 1,60m? Depois há jogadores em má forma técnica: Nuno Gomes está numa fase desastrada.

Enfim… Sobre o jogo já nem apetece falar. Na primeira parte como se disse os espanhóis foram convidados a atacar porque o Benfica receava avançar no terreno. Foram os espanhóis que tiveram a maior oportunidade da primeira parte quando Pandiani atirou ao poste encarnado. Em pontapés de canto o Benfica ainda criou perigo e um remate de Simão cruzado saiu ao lado.

Ao intervalo um adepto encarnado dizia que para primeira parte não estava mal. É que nos últimos jogos o Benfica ao intervalo esteva sempre a perder (0-1 com o Porto, 0-2 com o Espanyol, 0-1 com o Beira-Mar), se agora estava empatado era um bom resultado!

Na segunda parte as coisas melhoraram alguma coisa. Um cruzamento-remate de Rui Costa (?) da direita apanhou Nuno Gomes e Simão isoladíssimos ao segundo poste, era só encostar, mas Nuno Gomes remata demasiado cruzado para o meio da baliza para o guardião espanhol fazer um milagre!

Miccoli de fora da área remata ao poste e ainda na marcação de um livre indirecto Rui Costa volta a acertar no mesmo poste. Azar demais. Pois, mas o jogo tem 90 minutos, e não só vinte. Nos últimos dez minutos o Espanyol conseguiu aliviar a pressão e teve uma oportunidade flagrante, que teria dado penalty cometido por Quim que o árbitro não assinalou.

A arbitragem não agradou. Começou por querer mostrar que era anti-caseiro a marcar faltinhas contra e a não marcar outras iguais a favor. Anuiu às demoras reiteradas dos espanhóis – o guarda-redes esse merecia uma medalha – nas reposições de bola. No final com já tudo perdido não quiz que o Benfica tivesse punição maior e não assinalou o penalty que foi claro.

Para o ano há mais. Espero que com outros melhores protagonistas.

 

Benfica eliminado: Infelizmente nada de surpreendente

Filed under: Benfica,Taça Uefa — looking4good @ 12:38 am
SL Benfica 0 – 0 RCD Espanyol

E os periquitos eliminaram as águias

Comecemos pelo título desta crónica: e os periquitos catalães eliminaram as águias de Lisboa. Como é que tal é possível? Se as águias são mais fortes e são maiores e têm fama de serem mais espertas? Simplesmente, e os jogos anteriores (vários) denunciaram isso, porque as águias estão severamente doentes.

Não sei quem é responsável pela gestão desportiva do meu clube. Mas admito que seja o treinador o maior responsável. Relembro quando acabadinho de ser anunciado como treinador encarnado, Fernando Santos disse que o Benfica teria que jogar à Benfica e em qualquer circunstância assumir o jogo e não ficar à espera dos adversários.

A dois meses de distância do final da época as últimas esperanças ficaram arruinadas. Um assumido candidato ao título de campeão de Portugal foi eliminado por uma equipa de segunda escolha do campeonato espanhol. Afinal, também no futebol estamos a ser subjugados pelos nossos vizinhos. Pior do que isso, o Benfica nunca assumiu a postura de equipa superior, de clube maior e superior. E até em casa a ter que ganhar deixou ser os espanhóis, a serem os primeiros interessados (?) em atacar, melhor dizer antes, convidados face à frouxidão com que os encarnados mais uma vez começaram o jogo.

Aonde está afinal a profecia de Fernando Santos de um Benfica à Benfica? Foi assim com o Porto, foi assim em Barcelona contra o adversário desta noite e até com o último do nosso campeonato (Beira-Mar) não foi capaz de ganhar. Também já tinha sido assim contra o Varzim para a Taça de Portugal e infelizmente em muitos outros jogos do campeonato.

Agora a tese é de que a equipa anda cansada. Cansada? Cansados andam os adeptos de falsas promessas e de desilusões. Então não sabiam os compromissos que tinham para a época? Jogam sempre os mesmos jogadores e por isso estão cansados. Mas então porque jogam sempre os mesmos jogadores e não há rotação? Porque os outros são fracos? Mas então porque os foram «comprar»? Muitas perguntas e nenhuma resposta. Ou melhor há uma e é suficiente: frustração de resultados; ora, todas as organizações sejam elas desportivas, políticas ou comerciais, toda a organização, métodos e trabalho são avaliados por resultados. Se eles são maus alguma coisa tem de ser feita. A não ser que afinal nos conformemos com eles.

Agora luta-se para preservação do segundo lugar do campeonato. Mas o Benfica a lutar pelo segundo lugar? Há quatro jogos consecutivos que não ganha e muito me engano e vamos ficar em terceiros, porque ao baixo índice dos níveis físicos vai-se juntar agora a baixa psicológica.

Uma equipa que se queixa agora de cansaço e venderam durante o decurso da época Alcides, Ricardo Rocha e Kikin Fonseca. E quem veio? Derlei – para passar férias?

Tacticamente a equipa mais uma vez não tem definições. Simão coitado um dos poucos jogadores de classe do clube durante a segunda parte foi avançado centro. Miccoli foi o outro. Como é que uma equipa com aspirações a jogar contra outras supervoadas defensivamente tem dois avançados de pouco mais de 1,60m? Depois há jogadores em má forma técnica: Nuno Gomes está numa fase desastrada.

Enfim… Sobre o jogo já nem apetece falar. Na primeira parte como se disse os espanhóis foram convidados a atacar porque o Benfica receava avançar no terreno. Foram os espanhóis que tiveram a maior oportunidade da primeira parte quando Pandiani atirou ao poste encarnado. Em pontapés de canto o Benfica ainda criou perigo e um remate de Simão cruzado saiu ao lado.

Ao intervalo um adepto encarnado dizia que para primeira parte não estava mal. É que nos últimos jogos o Benfica ao intervalo esteva sempre a perder (0-1 com o Porto, 0-2 com o Espanyol, 0-1 com o Beira-Mar), se agora estava empatado era um bom resultado!

Na segunda parte as coisas melhoraram alguma coisa. Um cruzamento-remate de Rui Costa (?) da direita apanhou Nuno Gomes e Simão isoladíssimos ao segundo poste, era só encostar, mas Nuno Gomes remata demasiado cruzado para o meio da baliza para o guardião espanhol fazer um milagre!

Miccoli de fora da área remata ao poste e ainda na marcação de um livre indirecto Rui Costa volta a acertar no mesmo poste. Azar demais. Pois, mas o jogo tem 90 minutos, e não só vinte. Nos últimos dez minutos o Espanyol conseguiu aliviar a pressão e teve uma oportunidade flagrante, que teria dado penalty cometido por Quim que o árbitro não assinalou.

A arbitragem não agradou. Começou por querer mostrar que era anti-caseiro a marcar faltinhas contra e a não marcar outras iguais a favor. Anuiu às demoras reiteradas dos espanhóis – o guarda-redes esse merecia uma medalha – nas reposições de bola. No final com já tudo perdido não quiz que o Benfica tivesse punição maior e não assinalou o penalty que foi claro.

Para o ano há mais. Espero que com outros melhores protagonistas.