Nothingandall

Just another WordPress.com weblog

Happy birthday Manuela Arcuri Janeiro 8, 2009

Filed under: celebrities,Manuela Arcuri — looking4good @ 1:26 am

 

On this day in History – Jan. 8

Filed under: efemerides,This Day in History — looking4good @ 1:05 am
 

Taça da Liga: Benfica ganha em Guimarães Janeiro 7, 2009

Filed under: Benfica,Futebol,Taça da Liga,Vitória de Guimarães — looking4good @ 11:58 pm
Guimarães

0 – 2

Benfica

Puxão de orelhas deu resultado…

Em jogo da Taça da Liga Guimarães e Benfica apresentaram-se sem reservas dando aso a um jogo bem disputado. Apesar disso o Benfica apresentou algumas alterações com o regresso após castigo de Katsouranis a fazer dupla no meio campo defenmsivo com Yebda, Balboa em nova oportunidade (desperdiçada) a titular na direita e Miguekl Vítor a fazer parceria com Luisão enquanto David Luís apareceu à esquerda. Moretto foi o guarda-redes. Partiu bem o Benfica, aliás conforme já ocorrera neste nesmo estádio, no jogo para o Campeonato, agora denominado Liga Sagres.

Aos 4′ o Benfica desperdiçou e por duas vezes consecutivas a oportunidade de inaugurar o marcador. Bola recuperada por Katsouranis no meio campo ofensivo, meteu a bola para Suazo que tinha opções à direita (Balboa) e à esquerda Aimar, preferiu a direita para o centro de continuidade de Balboa dando a Aimar a conclusão, mas o remate de cabeça foi defendido por Nilsson; na recarga dois jogadores do Benfica para a finalização foi Di Maria a rematar cruzado não suficiente para bater Nilsson a defender com as pernas. A verdade é que pouco depois de um pontapé de canto Katsouranis ao primeiro poste facturou de cabeça e deu tranquilidade aos encarnados.

O Guimarães sentiu o golo e sem Flávio Meireles no meio campo demorou a construir jogadas de ataque. O meio-campo encarnado muito mais solido e diligente do que na Trofa recuperava as bolas e tentava o ataque rápido. Numa dessas jogadas a bola foi enviada para Di Maria na esquerda completamente isolado para o assistente assinalar um incrível fora de jogo, quando havia dois defesas vimaranenses atrás no momento do passe.

Entre os 25-35 minutos finalmente os vitorianos encostaram o Benfica à zona defensiva, mas nos últimos minutos o Benfica reequilibrou.

Na segunda parte com as substituições operadas no intervalo acentuou-se a pressão do Guimarães com mais difculdades dos encarnados em suster os ataques do Vitória que dispôs de vários lances de bola parada. A arbitragem de Benquerença que esteve mal, ia distribuindo os erros por ambos os lados (em termos disciplinares perdoou vários amarelos- não se percebe como Luís Filipe, Roberto e David Luís acabaram o jogo sem o ver -) e deixou passar em claro um empurrão de Maxi Pereira sobre Marquinho que ganhara avanço numa disputa na grande área benfiquista.

O Vitória continuava com mais posse de bola e o Benfica atacava menos vezes mas as substituições operadas reforçaram a capacidade física do Benfica (saída de Di Maria – fez uma boa primeira parte – para entrar Jorge Ribeiro e saída de Aimar para a entrada de Carlos Martins). Uma investida ganha por Suazo permitiu o cruzamento que Carlos Martins finalizou com êxito resolvendo o jogo. Houve ainda duas mais oportunidades nos minutos restantes. Uma daria o 3-0 não fosse o árbitro assinalar uma falta inexistente a Suazo quando foi mais forte e venceu a oposiçao de um adversário indo à linha final para a assistencia que seria letal. Já no final de cabeça oum remate ao lado de um avançado vitoriano poderia ter dado expressão mais equilibrada ao resultado.

Jogo com algumas parecenças com o jogo do campeonato em termos de evolução e má arbitragem.

Estádio D. Afonso Henriques
Árbitro: Olegário Benquerença

V.GUIMARÃES – Nilson; Andrezinho (Jean, 71m), Gregory, Moreno e Luciano Amaral (Marquinhos, 46m); Luís Filipe, João Alves, Wénio (Nuno Assis, 46m) e Desmarets; Roberto e Fajardo.

BENFICA – Moretto; Maxi Pereira, Luisão, Miguel Vítor e David Luiz; Balboa (Ruben Amorim, 36m), Katsouranis, Yebda e Di Maria (Jorge Ribeiro, 66m); Aimar (Carlos Martins, 76m) e Suazo.

Golos: 0-1 Katsouranis 8′; 0-2 Carlos Martins 80′

Acção disciplinar: cartão amarelo a Yebda, Wénio, Moreno, Gregory, Jorge Ribeiro,

Os outros resultados da Taça da Liga disputados hoje foram:

Académica 1-1 Nacional
Paços de Ferreira 2 – 1 Rio Ave

Amanhã o Porto defronta em casa o Vitória de Setúbal

 

Um clube (con)sagrado: mais do que um clube o Benfica é uma religião

Filed under: Benfica — looking4good @ 6:20 pm
Benfica logo
«Mais do que um clube, o Benfica é uma religião, no sentido de que se trata de um fenómeno social que comporta determinado tipo de valores que implicam partilha e laços muito fortes de comunidade. Há um sentimento de pertença que nos une e que não se explica, simplesmente porque a razão não explica tudo.

O Benfica, mais do que um clube, é um «culto» para milhões de pessoas em todo o Mundo. É parte integrante do nosso ADN. Um dos códigos genéticos que comandam e preenchem o meu dia-a-dia e o dia-a-dia de milhões de pessoas. Como se explica? Não se eexplica , nasce e vive connosco!

É esta fé que nos une e nos guia: que nos faz sair em defesa do Clube como quem protege um dos seus; que nos troca o humor; que nos coloca na bancada do estádio ou em frente ao televisor, religiosamente, seja a que hora for.

Uma manifestação desta grandeza precisava de sua “bíblia”». (Excerto do Prefácio de Rui Costa de «Bíblia do Benfica», Luís Miguel Pereira, Prime Books).

Ao ver as recentes exibições da equipa de futebol, concluo que os elementos que a compõem incluindo o corpo técnico não conhecem o Benfica. Antes do próximo treino (e uma vez que as coisas que treinam, segundo Quique Flores, não surgem nos jogos) ofereçam a todos os elementos do plantel a «Biblia do Benfica» e substituam o treino por uma leitura adequada.

 

Martinho da Arcada faz 227 anos

Filed under: efemerides — looking4good @ 1:16 am

A Casa das Neves terá sido inaugurada em 7 de Janeiro de 1782. Mudou várias vezes de nome e só em 1845 passou a chamar-se Martinho da Arcada, em razão do nome do seu proprietário: Martinho Bartolomeu Rodrigues. A mais velha cafetaria de Lisboa, sobrevive à modernidade dos tempos, mas já esteve fechada para obras de restauro entre o Outono de 1989, até 22 de Fevereiro de 1990.

Por lá, na tradição muito portuguesa de os cafés serem locais de tertúlia e discussão dos universitários, intelectuais e homens de cultura, passaram Bocage, Eça de Queirós, Cesário Verde, Columbano, Gago Coutinho, Duarte Pacheco, Ricardo Espírito Santo e Mário de Sá Carneiro. Porém a maior ligação é a que é feita com o nosso grande poeta Fernando Pessoa.

Fonte daqui.
 

On this day in History – Jan. 7

Filed under: efemerides,This Day in History — looking4good @ 1:02 am
 

Boxes and bags / Caixas e Sacos – Carl Sandburg Janeiro 6, 2009

Filed under: Carl Sandburg,poesia,poetry — looking4good @ 1:17 am
Boxes and bagsBoxes and bags image from here

The bigger the box the more it holds.
Empty boxes hold the same as empty heads.
Enough small empty boxes thrown into a big empty box fill it full
A half-empty box says, "Put more in."
A big enough box could hold the world.
Elephants need big boxes to hold a dozen elephant handkerchiefs.
Fleas fold little handkerchiefs and fix them nice and neat in flea
handkerchief boxes.

Bags lean against each other and boxes stand independent.
Boxes are square with corners unless round with circles.
Box can be piled on box till the whole works comes tumbling.
Pile box on box and the bottom box says, "If you will kindly
take notice you will see it all
rests on me."
Pile box on box and the top one says, "Who falls farthest
if or when we fall? I ask you."
Box people go looking for boxes and bag people go looking
for bags.


(em português)

Caixas e Sacos

Quanto maior é a caixa, mais leva.
As caixas vazias levam tanto como as cabeças vazias.
Muitas caixinhas vazias que se deitam numa grande caixa vazia,
enchem-na toda.
Uma caixa meio-vazia diz "Ponham-me mais."
Uma caixa bastante grande pode conter o mundo.
Os elefantes precisam de grandes caixas para guardar uma
dúzia de lenços de assoar para elefantes.
As pulgas dobram os seus lencinhos e arrumam-nos com cuidado
em caixas de lenços para pulgas.
Os sacos encostam-se uns aos outros e as caixas levantam-se
independentes.
As caixas são quadradas e têm cantos, ou então são redondas
e têm círculos.
Pode empilhar-se caixa sobre caixa até que tudo venha abaixo.
Empilhe caixa sobre caixa, e a caixa do fundo dirá: "Queira
notar que tudo repousa sobre mim."
Empilhe caixa sobre mim, e a que está em cima perguntará: "É
capaz de me dizer qual de nós cai para mais longe
quando caímos todas?"
As pessoas-caixas vão à procura de caixas e as pessoas-sacos à
procura de sacos.

(Trad. de Alexandre O’Neill)

Carl Sandburg (b. in Galesburg, Illinois, USA on January 6, 1878 – d. July 22, 1967)

 

This Day in History – Jan. 6

Filed under: efemerides,This Day in History — looking4good @ 1:04 am
 

Proposta de construção do Índice de Satisfação Pessoal Janeiro 5, 2009

Filed under: ensaio,opinião — looking4good @ 8:36 pm
Ano Novo, Vida Nova diz o rifão popular. Pois bem como saber se as coisas melhoram, estão estagnadas ou pioram? O Instituto Nacional de Estatística trata de saber da evolução do PIB, da taxa de desemprego, da taxa de inflação; o PSI 20 indica a evolução das acções no mercado da Euronext Lisbon, a classificação da Liga Sagres mostra como vão as coisas no futebol português, etc, etc. E como vai a sua vida?

Em 2009 já estão decorridos praticamente cinco dias, ou seja mais de 1% do ano. Como passou o início deste ano? Foi melhor ou foi pior do que o ano anterior? Não sabe? Não se lembra? Pois bem, hoje vou propôr aqui a construção de um índice de satisfação pessoal o ISP. E é bem fácil de construir.

Primeiro definimos os itens que afectam primacialmente a nossa vida e a nossa satisfação: Saúde, Emprego, Dinheiro, Amor, Paz, Relacionamento Social, Relacionamento Familiar, Ambiente, Cultura, Entretenimento, Sexo, Desporto, etc…

Cada um destes itens tem um nível digamos entre 0 e 6. Zero corresponde a um nível péssimo, seis corrresponde a óptimo ou excelente. A seguir há que estabelecer uma ponderação a atribuir a cada um dos itens / factores seleccionados. A ponderação corresponde a uma percentagem referente à importância que se atribui a esse factor na nossa vida. Naturalmente a soma das ponderações tem de somar forçosamente 100. Ou seja os 100% do todo.

Em cada final do dia (ou semana) apenas há que estabelecer a atribuição do índice – de 0 a 6 – que se atribui a cada factor, em função do que se passou no dia (semana). A multiplicação do índice atribuído vezes a percentagem da ponderação dá o peso parcelar do item para o ISP. O somatório traduz o ISP do dia (ou da semana). Uma média ao final do ano dá-nos o ISP do ano. Assim pode bem comparar com o do ano anterior e saber se a sua vida melhora ou piora. É fácil e é importante… Para além de ter uma medida objectiva (que traduz uma complexidade de factores subjectivos) a selecção dos factores e a ponderação que lhe atribui diz muito sobre o significado das coisas na sua vida.

Exemplo:

Listei abaixo dez factores, mas, podem ser dez ou… vinte. Tem é que ajustar, naturalmente a ponderação. Esta é subjectiva, en função da importância pessoal atribuída a cada factor. A totalidade da ponderação tem de dar 100%.


Índice de Satisfação Pessoal (ISP)
Factor Ponderação Nível 0-6 Índice
Saúde 24% 5 1,20
Bens Materiais 8% 4 0,32
Relacionamento Social 3% 4 0,12
Família 10% 3 0,30
Amor 10% 3 0,30
Ambiente/Natureza 3% 3 0,09
Emprego 17% 3 0,51
Paz 10% 4 0,40
Sexo 9% 3 0,27
Entretenimento 6% 1 0,06
Índice de Satisfação Pessoal (ISP) Total 3,57

3,57 pontos numa escala de 0 a 6 é simplesmente mediano. Poderia ter sido bem melhor, se o Benfica tivesse ganho – afectou o valor 1 atribuído ao entretenimento- o emprego não estivesse demasiado stressante – apenas 3 – e se depois de um jantar romântico tivesse xxxx … enfim…

Depois é só guardar a pontuação (periódica, digamos semanal) e no final do ano fazer a média.

 

Proposta de construção do Índice de Satisfação Pessoal

Filed under: ensaio,opinião — looking4good @ 8:36 pm
Ano Novo, Vida Nova diz o rifão popular. Pois bem como saber se as coisas melhoram, estão estagnadas ou pioram? O Instituto Nacional de Estatística trata de saber da evolução do PIB, da taxa de desemprego, da taxa de inflação; o PSI 20 indica a evolução das acções no mercado da Euronext Lisbon, a classificação da Liga Sagres mostra como vão as coisas no futebol português, etc, etc. E como vai a sua vida?

Em 2009 já estão decorridos praticamente cinco dias, ou seja mais de 1% do ano. Como passou o início deste ano? Foi melhor ou foi pior do que o ano anterior? Não sabe? Não se lembra? Pois bem, hoje vou propôr aqui a construção de um índice de satisfação pessoal o ISP. E é bem fácil de construir.

Primeiro definimos os itens que afectam primacialmente a nossa vida e a nossa satisfação: Saúde, Emprego, Dinheiro, Amor, Paz, Relacionamento Social, Relacionamento Familiar, Ambiente, Cultura, Entretenimento, Sexo, Desporto, etc…

Cada um destes itens tem um nível digamos entre 0 e 6. Zero corresponde a um nível péssimo, seis corrresponde a óptimo ou excelente. A seguir há que estabelecer uma ponderação a atribuir a cada um dos itens / factores seleccionados. A ponderação corresponde a uma percentagem referente à importância que se atribui a esse factor na nossa vida. Naturalmente a soma das ponderações tem de somar forçosamente 100. Ou seja os 100% do todo.

Em cada final do dia (ou semana) apenas há que estabelecer a atribuição do índice – de 0 a 6 – que se atribui a cada factor, em função do que se passou no dia (semana). A multiplicação do índice atribuído vezes a percentagem da ponderação dá o peso parcelar do item para o ISP. O somatório traduz o ISP do dia (ou da semana). Uma média ao final do ano dá-nos o ISP do ano. Assim pode bem comparar com o do ano anterior e saber se a sua vida melhora ou piora. É fácil e é importante… Para além de ter uma medida objectiva (que traduz uma complexidade de factores subjectivos) a selecção dos factores e a ponderação que lhe atribui diz muito sobre o significado das coisas na sua vida.

Exemplo:

Listei abaixo dez factores, mas, podem ser dez ou… vinte. Tem é que ajustar, naturalmente a ponderação. Esta é subjectiva, en função da importância pessoal atribuída a cada factor. A totalidade da ponderação tem de dar 100%.


Índice de Satisfação Pessoal (ISP)
Factor Ponderação Nível 0-6 Índice
Saúde 24% 5 1,20
Bens Materiais 8% 4 0,32
Relacionamento Social 3% 4 0,12
Família 10% 3 0,30
Amor 10% 3 0,30
Ambiente/Natureza 3% 3 0,09
Emprego 17% 3 0,51
Paz 10% 4 0,40
Sexo 9% 3 0,27
Entretenimento 6% 1 0,06
Índice de Satisfação Pessoal (ISP) Total 3,57

3,57 pontos numa escala de 0 a 6 é simplesmente mediano. Poderia ter sido bem melhor, se o Benfica tivesse ganho – afectou o valor 1 atribuído ao entretenimento- o emprego não estivesse demasiado stressante – apenas 3 – e se depois de um jantar romântico tivesse xxxx … enfim…

Depois é só guardar a pontuação (periódica, digamos semanal) e no final do ano fazer a média.

 

 
Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.